1. Spirit Fanfics >
  2. I still want you!? >
  3. Other half

História I still want you!? - Capítulo 23


Escrita por:


Capítulo 23 - Other half


Chegar em casa depois de dias seguidos de provas do final do semestre sempre foi um alívio para mim, a primeira coisa que eu fazia era tomar um belo de um banho, colocar uma roupa confortável e me sentar no sofá colocando um filme ou uma série para assistir

E dessa vez não podia ser diferente, já que o que eu mais precisava mesmo era esquecer dos estresses que tive nas últimas semanas

Por causa das provas? É.. vamos fingir que é apenas por causa das provas que eu estou me sentindo tão cansada e sem ânimo

Ahh espera me esqueci de um fator muito grande para eu não conseguir simplesmente ficar sem pensar no real motivo para eu estar me sentindo assim, um não... dois, com nomes, sobrenomes e com o disco arranhado nas mesmas perguntas

-- Nem uma mensagem? -- Brenda perguntou ao sentar do meu lado no sofá e eu neguei com a cabeça tentando não dá atenção realmente ao que ela falava e me esforçando para se concentrar no que eu estava assistindo

-- Eu vou lá -- escuto Sam falar e vejo ela andar em direção a porta

-- Lá onde? -- pergunto já sabendo a resposta e me levanto andando em sua direção, ou melhor dizendo correndo e me jogando na frente da porta impedindo que ela passe pela mesma -- você não vai para canto nenhum -- falo a empurrando pelos ombros enquanto ela tenta passar por mim, continuo a empurrando até a mesma está sentada ao lado de Brenda, que só nos observa calada, mas tenho absoluta certeza que gostaria de fazer o mesmo que Sam, mas elas respeitaram a minha vontade de não falar com o Jeon durante essas semanas, pelo menos respeitaram até hoje

-- Por quê não? -- pergunta demonstrando irritação -- já cansei de ver você largada nesse sofá... -- cruzou os braços demostrando irritação -- e eu não sei porque esse medo todo de que eu fale com ele, vou só conversar pacificamente e...

-- Porque você não vai brigar com o melhor amigo do seu namorado -- a interrompo e vejo seu rosto se contorcer

--Taehyung não é meu namorado e...

--E o seu jeito pacifico não vai de acordo com as leis então você vai ficar quietinha aqui em casa -- a interrompo novamente antes que ela comece a finjir que ela e o Tae não são almas gêmeas, porque eu não aceito quando ela fala que o relacionamento deles não existe... qualquer pessoa que ver eles dois juntos sentem de longe a química, mas mesmo estando com Tae direto ela insiste que não é nada de mais, mas ela não consegue disfarçar os olhinhos brilhando e eu ainda vou filmar o modo que ela olha para ele só para mostra-la que eu estou certa -- vamos fazer o possível para nenhuma de nós sermos presas esse ano -- falo me jogando no outro sofá me deitando largamente nele

--Eu só não aceito que você fique assim triste, largada dentro de casa, o final do ano está chegando e você tá parecendo uma morta... nem comemorou as notas que nos tiramos esse semestre -- ela cruza os braços enraivecida

--Nisso ela tem razão, Anne -- Brenda fala logo depois de suspirar e eu desvio o olhar para o teto -- você não sai mais com a gente, sempre prefere ficar sozinha nesse apartamento

-- Só quero ver qual vai ser sua desculpa agora que as aulas acabaram -- escutei o murmuro de Sam e fechei os olhos, elas tinham razão já fazia algumas semanas que não saímos juntas mais eu tinha os meus motivos, ultimamente elas tem saído muito com os meninos e quando eu falo meninos as vezes é só o Tae e o Jimin, mas ultimamente tem sido com todos eles, inclusive Jungkook

Nas primeiras vezes que elas me chamavam eu negava por simplesmente não querer ficar de vela, eu tinha acabado de terminar com algo que nem havia começado direito e o que eu menos precisava era ver dois casais feliz, e ultimamente ele sempre estava lá e quando eu digo me refiro a dentro do carro esperando junto com alguns dos meninos que ficavam com ele enquanto os namorados das minhas amigas subiam e as buscavam aqui no apartamento, ele podia subir sabe, conversar ou dá simplesmente um oi, mas não nem mensagem ele manda imagine um oi pessoalmente, até o Hoseok e o Yoongi que eu não era tão próxima já tinham subido até aqui para me dar boa noite

E ele? Nada, nem um recado pelos meninos ele não mandava

Então eu não ia forçar a barra, ele não quer me ver e se eu for até ele pode ser que ele mude de ideia e eu não quero que ele mude, quero que ele fique firme no que ele precisa, e se é ficar longe de mim então ele vai ficar longe de mim

Ridículo meu jeito de pensar? Pode até ser, mas eu só quero que ele pense nele, o Jungkook passou muitos anos pensando no que aconteceu ou acontecia com os outros ao redor dele e se deixou de lado, só o que ele precisa agora é fazer o melhor para ele mesmo

-- Vocês não entendem -- falo depois de alguns minutos em silêncio sentindo minha visão embaçar, passo a mão nos olhos  tentado dissipar a vontade repentina de chorar antes que as meninas percebam, mas é claro que elas percebem e não demoram para estarem sentados no chão ao lado do sofá onde estou deitada

-- Então por quê você não nós explica? -- quem pede é Sam que parece estar bem mais calma, eu respiro fundo fechando os olhos ao sentir o carinho que Brenda faz nós meus cabelos

--O Jungkook é complicado...

-- Disso a gente já sabia -- Brenda me interrompeu e Sam dá um tapa na perna dela

-- Shhh, eu tô tentando fazer ela falar a mais de três semanas, dá para você colaborar -- Brenda concordou rapidamente com a cabeça e as duas voltaram a olhar para mim

--Continuando... Ele precisava de mim e eu ajudei -- dei de ombros -- quem imaginaria que nos iríamos começar a gostar um do outro? -- as duas levantaram a mão antes mesmo que eu completasse a frase, as olhei incrédula

-- Todo mundo na verdade -- Brenda murmurou

"Menos eu"

--Resumindo é isso, ele começou a gostar de mim em um momento muito difícil da vida dele, então eu acho que ele colocou muitas espectativas em mim, como se eu podesse ajudá-lo em tudo, como se eu fosse algum tipo de... Sei la, talvez uma salvadora que iria tirar ele do fundo do poço e eu não vou mentir eu tentei tirá-lo desse lugar escuro na mente dele, mas eu não conseguiria sozinha e ele não queria ajuda de mais ninguém... eu acho que foi muita pressão, se eu mesmo me perco as vezes como eu poderia mostrar o caminho certo para ele?... e eu acho que de tanto tentar ajudá-lo sozinha ele acabou ficando dependente de mim e eu não quero que ele seja dependente de mim nem de ninguém ele é mais forte do que aparenta, eu sei disso, mas ele não vai descobrir essa força que ele tem enquanto ficar esperando os outros agirem por ele, já que ele tem medo de fazer as coisas e errar -- suspirei -- e ele até que estava fazendo escolhas próprias ultimamente mas todas foram feitas por impulso e eu estava com medo de ele fazer algo realmente sério e eu não conseguir impedir, tanto em relação a empresa, o pai dele e o irmão, são coisas dele que eu não deviria ter me metido tanto, mas que eu também não soube deixar para trás, ele se afastou mais dos amigos que eram as únicas pessoas que realmente entendiam tudo o que estava acontecendo, eu tinha acabado de entrar na vida dele e eu até hoje só sei o pouco que ele me contou, os meninos, eles sabem muito mais do que eu e posso até ter sido impulsiva de ter chamado eles naquela noite eu não nego isso mas também não me arrependo, pelo pouco que os meninos falam dele quando vem aqui, eles estão conseguindo resolver as coisas com calma e ele está bem, tudo que eu queria que acontecesse está acontecendo e já é o suficiente para mim -- tive que respirar fundo depois de ter falado tudo de uma vez e as olhei mas elas se mantiveram em silêncio por alguns segundos que pareceram longos minutos

-- Mas... e você, Anne? -- falou praticamente em um sussurro

--Eu sou outra história, Brenda -- falei por fim me levantando e andando lentamente até meu quarto onde entrei e logo me joguei na cama, fiquei alguns minutos quieta sem nem me mexer direito mas logo escutei a porta sendo aberta, o colchão afundar dos dois lados e braços me envolvendo

--Nossa conversa ainda não terminou -- Brenda falou ao que eu me endireitava na cama

--E você está completamente enganada -- Sam suspirou ao que se aproximava mais de mim apertando o abraço -- você não é outra historia, Jungkook é uma metade da história e você é outra metade

--E você conhece a gente o suficiente para saber que nós não aceitamos escutar uma história pela metade -- Brenda concluiu me fazendo sorrir mesmo que não fosse o sorriso que elas gostariam de ver, elas sorriam de volta -- então pode ir falando como a outra metade está -- abri e fechei a boca algumas vezes sem saber por onde começar ou até mesmo o que falar

-- Vocês sabem que eu não sei falar sobre o que eu sinto né? -- perguntei retoricamente já que eu tinha certeza que a resposta era positiva, eu não sou o tipo de pessoa que sai falando dos próprios sentimentos, já que se eu for falar sobre eles eu acabo chorando

E porque eu acabo chorando? Boa pergunta, até hoje eu estou atrás da resposta e não a encontrei

Só tenho certeza de uma coisa, falar dos meus sentimentos me deixa as vezes pensativa, as vezes quieta e com certeza triste, então falar sobre é quase que uma proibição que eu faço para mim -- eu estou é... -- comecei a falar já sentindo essas reações aparecerem aos poucos, olhei para o teto fixamente tentando prender minha atenção a algo -- estou me sentindo mal por ter traído a confiança dele mas eu estou me sentindo mais mal ainda por ele simplesmente ter me mandando embora e agora não fale comigo -- a primeira lágrima caiu e agora eu não conseguiria impedir as outras -- estou magoada, muito na verdade, eu sempre fiquei do lado dele... mesmo em pouco tempo nós já tínhamos passado por várias coisas, aguentei firme e forte do lado dele para no primeiro erro que eu cometo ele simplesmente olhar para mim e dizer que era melhor eu ir para casa e não voltar mais, eu ... -- passei as mãos no rosto percebendo que o mesmo já estava ensopado com as minhas lágrimas -- eu só queria que ele tivesse feito o mesmo que eu, tido paciência e aceitado que eu não sou perfeita e que tinha cometido um erro, mesmo que o que eu fiz não tenha sido para nada mais do que ajudar ele -- o bolo na garganta já começava a atrapalhar a minha fala de um modo irritante -- e agora ele está melhorando sem minha ajuda, e eu não estou reclamando disso porque era o que eu mais queria que acontecesse mas eu queria poder ver isso, mesmo que fosse de longe -- respirei fundo, me controlando ao máximo para não soluçar -- muitas vezes eu imaginei como o Jungkook era antes de tudo o que aconteceu com a família dele e como ele seria hoje em dia se nada tivesse acontecido, e em nenhuma das minhas imaginações tinha a possibilidade de ele está triste -- respirei fundo me calando, sentindo que se eu falasse mais alguma coisa eu iria surtar

-- Eu não imaginava que você estaria se sentindo assim -- Brenda murmurou encostando a cabeça no meu ombro

--Eu fico feliz por você ter falado abertamente com a gente -- Sam passou a mão na minha bochecha tirando as lágrimas que ainda desciam pelo meu rosto, eu continuei olhando para o teto por mais algum tempo para não encarar nenhuma delas, eu não queria mais conversar sobre isso, minha cota de falar sobre como eu estava me sentindo ultrapassou o limite e que bom que elas perceberam isso também e simplesmente ficaram ali comigo, sem me perguntar mais nada só me fazendo companhia e eu realmente agradeço por isso, depois de alguns minutos os cafunés delas, junto com o meu cansaço me ganharam e eu fechei os olhos me entregando ao sono



Notas Finais


Então... esse foi o capitulo
Peço desculpas pela demora (de novo)😁
Esse capítulo foi mais para mostrar como a Anne está se sentindo com o que aconteceu e para vocês saberem mais o porque dela ter chamado os meninos e ter deixado o Jungkook se afastar💔
Então é isso 😊
Até o próximo capítulo😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...