1. Spirit Fanfics >
  2. I Want To Be The Top >
  3. 1T - Eclosões

História I Want To Be The Top - Capítulo 10


Escrita por: e Glow_A


Notas do Autor


oooi c:

ai, ta mt grande, desculpa :c

boa leitura, e desculpa de novo ;-;

Capítulo 10 - 1T - Eclosões


Fanfic / Fanfiction I Want To Be The Top - Capítulo 10 - 1T - Eclosões

- Eclosões -

Capítulo 10

 

Sasha- Chegamos! 

Sasha diz empolgada segurando a mão de Tom, que carregava sua guitarra dentro da bolsa pendurada em suas costas. 

Leila- Eu tô nervosa, tem tanta gente aqui..

Leila parecia aflita, ela constantemente levava sua mão a boca para roer suas unhas.

Erick- Fica calma, você vai ser incrível.

Erick diz calmo, surpreendendo Leila com seu tom dócil raramente visto. Vic se espantou com aquelas palavras, se lembrando do quanto as pessoas tentavam fazer ele enxergar aquilo nele mesmo, mas ele nunca enxergou.

Tom- Vocês viram lá em casa, a música não é nada complicada, a gente consegue! 

Os olhos de Tom chegavam a ganhar um brilho extra de tanta determinação. Ele estava super seguro de que eles iam arrasar, e iam mesmo segundo ele, era só cada um dar o seu melhor.

Adentraram no lugar percebendo ter o dobro de pessoas que tinham lá fora, todas sentadas em suas mesas e outras em pé. Logo trataram de procurar o responsável pelo lugar ou algo do gênero. Vic insistiu para que Erick deixasse ele carregar seu instrumento sozinho, já que ele não era mais tão pesado como quando era mais novo, com um pouco de dificuldade conseguiu colocar o instrumento na bolsa e o colocou nas costas, assim como Tom.

Rodaram o local por poucos minutos até que um homem, muito bem vestido por sinal, pergunta se eles eram alguma das bandas que iam se apresentar. Tom diz que sim mesmo não tendo marcado nada e o homem sorri. Ele diz que é para eles subirem e arrumarem seus instrumentos no palco.

Vic estava totalmente aflito, ele suava frio e suas mãos tremiam dentro do bolso da calça jeans, coisas que não passaram nada despercebidas por Tom, que logo teve um ''flashback'' do dia da apresentação de piano do garoto. Tom nem percebeu, mas deu um pequeno sorriso bobo.

Tom- Você tá nervoso, não tá? 

Tom pergunta olhando para trás, na direção de Victório.

Vic- T-Tô... Tem muita gente aqui..

Vic tira suas mãos do bolso da calça, segurando com força na alça da bolsa que carregava seu tão precioso teclado. Eles sobem no palco, que estava um pouco escuro por causa da grande cortina vermelho-vinho que tapava a visão do palco para quem estava do outro lado. A cena daquele dia não parava de se repetir na cabeça de Victório.

Sasha- Vic, eu não sei o motivo de você estar tão nervoso, mas se serve de consolo, você não está sozinho. Nós vamos colocar as outras bandas pra mamar! E olha que nem somos uma.

Sasha diz determinada apertando seu punho, em sinal de força.

Vic- Fico feliz em ouvir-

Leila- Olha só isso! Essa belezinha aqui dá pro gasto hein?

Leila corta Vic, correndo em direção a bateria que já esperava por ela ali. Ela tinha os acabamentos em um azul espelhado, realmente muito bonita. Provavelmente ela pertencia ao lugar mesmo, assim como os microfones, guitarras e os baixos que estavam penduradas num suporte um pouco atrás de todos.

Tom solta sua bolsa com cuidado, abrindo o zíper da mesma revelando a guitarra modelo star vermelha sangue, com alguns adesivos de estrela que brilhavam no escuro. Os olho de Vic brilham vendo o instrumento tão bem cuidado mesmo depois de tanto tempo. Embora que Tom tivesse usado ela para treinar enquanto estavam em sua casa, Victório nunca deixaria de admirar a beleza daquela guitarra que lhe trazia tão boas lembranças.

Victório abre sua bolsa, revelando o grande teclado eletrônico preto com os vários cabos e o suporte para que ele pudesse colocar o instrumento em cima. Com a ajuda de Erick eles arrumam tudo, perfeitamente, ligando os instrumentos a caixa de som e ajustando o som de cada um. Sasha se posiciona ao lado de Erick segurando com força no microfone a sua frente. Coincidentemente já haviam dois ali, perfeito.

Eles acabaram que tiveram de ir mais cedo para a casa de Thomas para treinarem a música, e como Leila não tinha uma bateria Tom fez questão de alugar uma, numa loja de música perto daquela casa de shows. Tom fez uma nota mental de levar a bateria de volta antes do prazo, ou pagaria uma multa não muito amigável.

Erick- Prontos?

Erick olha para trás, fazendo contato visual com todos. Tom dá um sorriso sinalizando que ele estava pronto, Sasha assente com a cabeça, Leila faz um joinha com a mão segurando as baquetas e, quando Erick olha para Victório, ele percebe o nervosismo do garoto. As mãos tremulas próximas as teclas de seu teclado e o grande rubor vermelho que tomava conta das bochechas do garoto. 

Erick- Vic? Tudo bem?

Vic- S-Sim.

Vic olha confiante para Erick, mesmo com medo ele não desistiria. Tom fica surpreso com a atitude do melhor amigo e suspira orgulhoso.

Em um segundo, as cortinas se abrem revelando aquela multidão de pessoas, algumas comendo sentadas em suas mesas, outras apenas sentadas, e outras em pé gravando o máximo que podiam, como se eles fossem uma banda de muito sucesso. Victório engoliu a seco.

Logo, com o silêncio constrangedor alastrado no local, onde todos esperavam a música, Erick e Sasha se entreolham. Tom começa a tocar em sua guitarra aquelas curtas notas da musica em questão. Expectations da Lauren Jauregui.

 

Up in bed, all alone

 

Wondering where you've been

 

Ten past three

 

I know the club closed at two AM

 

Sasha cantava com o seu tom de voz sedutor, olhando fixamente para alguns homens ali só por diversão, Tom em sua guitarra fazia com aquelas simples notas ficassem perfeitas juntas as de Victório, que apertava as teclas de seu teclado calmamente por ser uma música simples até demais. Leila esperava pacientemente até sua deixa, onde ela poderia descontar um pouco da sua raiva nos tambores e nos pratinhos da bateria.

 

I've already been through

 

about seven scenarios 'bout what

 

it was that changed you mind

 

Knowing very well that you told me you'd

 

come home, and it happens every time

 

Wish i had no expectations

 

Sasha eleva sua voz, mostrando do que ela é realmente capaz. Leila batia com pouca força as baquetas nos tambores maiores de cima, vulgos Tom-tom, fazendo um som completamente perfeito juntamente com Tom e Victório. Parecia que eles nasceram para fazer aquilo. Um pouco cedo demais? Ok.

E o mais incrível era quê..

Victório estava adorando a experiência de tocar com seus amigos naquela casa de shows. Mesmo que tivessem muitas pessoas, era divertido. E ele não podia negar que estava no chão com a voz de Sasha tão elevada. Ela era incrível. Ele não fazia ideia de onde a sua timidez foi, mas ele estava adorando. Até mesmo balançava o seu corpo no ritmo da música enquanto tocava nas belas teclas brancas e pretas sem medo algum.

 

I wish that I could get it through you head

 

With no confrotation

 

I really wish we could talk about it instead

 

All these tears that i cry while

 

I'm turned to the side

 

And you're in the same fucking bed

 

Wish i had no expectations

 

But i expect, you expect, we expect

 

Sasha diminuiu seu tom de voz nessa ultima frase, se afastando de seu microfone e dando a vez a Erick.

 

No, I don't mean to pry

 

I don't' need no play by play 

 

A voz de Erick cantando era algo simplesmente.. Perfeito. Vic já havia visto o amigo cantando várias vezes, mas agora, com a companhia de seu teclado, a guitarra de Tom, e a bateria de Leila.. 

 

Nah 

 

Sasha aproxima do microfone para fazer como uma segunda voz na frase de Erick, logo se afastando mais uma vez e continuando a sua dancinha sensual no suporte do seu microfone. 

 

All i need from your side is for you

 

to communicate

 

Respect for my time, respect for my

 

space, respect from my energy

 

Cause I've been waiting here all night

 

for you to warm me up

 

And you haven't once thought of me

 

Neste exato momento, um homem havia acabado de entrar no ''salão'', ele ficou alguns segundos em pé encarando fixamente a estrela do momento, no caso Erick, e logo deu alguns passos a frente. 

 

Alex.

 

Wish i had no expectations

 

Sasha mais uma vez aproxima sua boca ao microfone, dando uma segunda voz a frase de Erick.

 

No..

 

Sasha afasta o microfone de sua boca e balança seu corpo vagarosamente no ritmo da música. Extremamente sensual, do jeito que alguns marmanjos enchessem os olhos em cima da garota.

 

I really wish that i could get it through your head

 

with no confrotation 

 

Erick eleva sua voz mostrando do que ele era capaz, algumas pessoas arregalam os olhos perante a capacidade do garoto. Ele era perfeito. Sasha novamente se aproxima ao microfone para dar uma segunda voz mais baixa nas frases de Erick, como um eco. 

 

I really wish we could talk about ir instead

 

All these tears that i cry while i'm turned to the side

 

and you're in the same fucking bed

 

Wish i had no expectations

 

But i expect, you expect, we expect.

 

Erick se afasta de seu microfone, agora era o solo do Tom em sua guitarra em formato de estrela, um pouco torta, na verdade. Erick aproveita da situação onde Alex se encontrava, tão hipnotizado com sua voz, e agora iria ver do que seu corpo era capaz. 

Todas as luzes foram direcionadas para Tom e Erick, sendo Tom fazendo o solo incrível em sua guitarra e Erick fazendo uma dança sensual, lançando o seu olhar penetrante em Alex. Erick se agacha lentamente com suas mãos prensadas no joelho e torna a posição de quatro no chão. Ele escorrega suas mãos naturalmente para frente enquanto deixava os cachos caírem sobre seus olhos e a bunda empinando cada vez mais que ele abaixava seu corpo como um mergulho de sereia.

Os dedos de Tom dançavam em cima das cordas de sua guitarra, fazendo toda a atenção ser desviada entre ele e Erick. Era um pouco difícil escolher apenas um para focar, de fato. Vic e Leila pareciam olhar Erick dançando admirando o mesmo. Bom, pelo menos Leila olhava, já Victório grudou seus olhos nos dedos ágeis de Tom em cima daquelas cordas banhadas em aço.

Erick se levanta com apenas suas mãos fixadas no chão, ficando com as pernas retas ainda inclinado para baixo, ele joga seu cabelo e retorna a postura reta, para terminar a música com doçura e rouquidão na voz. Erick calmamente retira o microfone do suporte, voltando a olhar para Alex.

 

But i expect, you expect, we expect.

 

Erick abaixou o microfone, ainda sem desgrudar os seus olhos dos do mais velho. O pequeno silêncio que havia se alastrado no lugar que havia anunciado o fim da música, foi rapidamente substituído por um som quase ensurdecedor de palmas e assobios de todos presentes ali. Victório estava pasmo com a figura masculina presente ali, não muito diferente do resto do grupo.

Flash's de todos os cantos quase cegaram Sasha e Erick, que estavam na frente. Victório sentiu um alivio tomar conta de seu corpo quando percebeu que já havia acabado e ele não errou uma nota se quer. Tom vendo o amigo feliz deu um sorriso bobo, apenas por ver que agora ele provavelmente voltaria a tocar, mesmo com um pouco de medo e insegurança.

Leila- Conseguimos!

Leila gritou emocionada, com os olhos brilhando em lágrimas de felicidade, orgulho e talvez uma pitada determinação.

Erick desce do palco, ficando frente a frente com Alex. Embora Erick fosse menor, fez certo esforço para encarar os olhos do mais velho sem ter que levantar muito sua cabeça.

Ele estava sério.

Erick- Oque faz aqui?

Alex- Eu vim me divertir, por que a pergunta? Pensei que o lugar fosse público.

Alex responde calmo olhando no fundo dos olhos sérios do menor. 

Erick não dá muita ideia e ignora a resposta do mais velho, fazendo questão de esbarrar com força em seu ombro enquanto dava meia volta para voltar ao palco para sair nas fotos zoadas com seus amigos.

 

. . .

 

Logo todos descem do palco, após algumas fotos meio bobas e engraçadas com algumas pessoas que iam se apresentar também, eles decidem ir conversar um pouco com Alex, que estava plantado ali a alguns minutos.

Vic- Professor?-

Leila- Oque você achou professor Alex? Podemos nos tornar heróis e estrelas do pop?

Leila pergunta divertida, embora que tivesse uma pitada de seriedade na sua segunda pergunta. 

Alex- Vocês foram incríveis, esse é um dos melhores cover's que eu já ouvi. Sasha, sua voz é incrível e você ainda sabe se expressar com a dança, assim como o Erick. E não ache que eu não vi aquele solo Tom. Minha nossa o que foi aquilo? Leila, você parecia descontar sua raiva nos pobres tambores da bateria, totalmente incrível e único. Vic, eu percebi seu nervosismo. Mas fica calmo, você tem muito talento.

Sasha- E o Erick?

Sasha pergunta com uma falsa ofensa em seu tom de voz

Alex- Bom, o Erick tem uma voz de se tirar o fôlego. Assim como sua dança que conseguiu expressar muito bem o que ele sentia. Como se quisesse descontar sua raiva ou tristeza através daqueles movimentos.

 

Mais tarde, na casa do Vic:

 

O garoto se encontrava em seu quarto, dando uma ultima olhada em seu teclado antes de se entregar de vez ao cansaço em sua cama. Ele não poderia estar mais feliz com tudo que havia acontecido. Além de se apresentar com seus amigos numa casa de shows ele também tirou muitas fotos, um tanto constrangedoras, com várias pessoas legais do lugar. Algumas na falsa ilusão de que eles eram uma banda, pediram para se juntar, outras tinham interesse apenas em Erick, outros apenas em Sasha..

Aquela tarde não seria esquecida tão facilmente. Ele por fim tocou, depois de muito tempo, tocou o seu instrumento favorito, e não recuou. Logo chegaria o tão ansiado final de semana e provavelmente Tom inventaria outra loucura para eles. E bom.. Vic secretamente estava adorando aquele tempo com seus amigos. Fazia muito tempo que ele não saia com seus ''amigos'' daquela forma.

Esses pensamentos fizeram Vic chegar a conclusão de que ele precisava aproveitar mais sua vida, ou melhor, aproveitar o tempo com seus amigos. Era como ''evoluir'', não ser mais aquele garotinho medroso ou tímido de antes. E sim alguém que sai com os amigos de vez em quando, chega na pessoa que gosta e fala na cara o que sente... Não, talvez isso não. Mas em geral, amadurecer um pouco. Ele estava cansado de ser a princesa a ser salva pelo príncipe bonitão naquela história. Sem indiretas Príncipe Asta, mas era como usar seus poderes sem medo de machucar alguém. Afinal de contas, ele também a possibilidade de ajudar quem precisava. Em teoria ele não tinha o que temer, certo?

Vic é acordado de seus pensamentos com o som de alguém batendo na porta de seu quarto. Vic achou um pouco estranho porque já estava um pouco tarde para a Livía estar acordada, e Erick em teoria estava dormindo em seu quarto, o antigo de hóspedes que ficava no final do corredor.

O garoto se levantou rapidamente da cadeira e foi até a porta, abrindo-a lentamente. 

Erick- Eu não consigo dormir. 

Vic entendeu o recado e deu espaço para o maior entrar no quarto. Logo os dois sentaram na cama de casal de Victório e ficaram longos minutos sem dizer nada. Porém aquele silêncio não era constrangedor, ele era até confortante.

Erick- Oque que tá rolando entre você e o príncipe encantado?

Erick pergunta se deitando de barriga para cima, colocando suas pernas esticadas na parede.

Vic se lembrou rapidamente que ele queria mudar, então logo tratou de não desviar a conversa, por se tratar do dono das suas fantasias eróticas. O Vic normal mudaria de assunto e coraria violentamente, mas agora não.

Vic- Nada.. E você e o Alex? Pode ser sincero comigo, eu não vou surtar se você disser que estão tendo algo, a não ser que você diga que ele tá fazendo isso contra a sua vontade. Aí a gente resolve na mão.

Vic percebe Erick o olhando estranho, provavelmente ele havia percebido a mudança repentina.

Erick- Respondendo a sua pergunta, não. Não temos nada. Ele é só um cuzão. E você tá estranho. 

Vic- Talvez eu tenha uma leve queda pelo príncipe Asta. E eu sei, eu não tenho a menor chance. Mas é que eu não aguento mais esse sentimento sufocante pelo Tom. Ele é só meu melhor amigo, nada mais que isso. Isso nunca vai mudar! Ele já namorou tantas meninas e eu infelizmente lembro da cara de cada uma delas. Ele tá bem com a Sasha e eu espero de coração que ela seja a escolha certa pra ele. 

Victório fica em silêncio percebendo que falou demais. A expressão tediosa de Erick se torna apreensiva e um pouco do conflito interno de Vic sobre desabafar sumiu.

Erick- Lembra que eu fui a dupla do Alex naquele passeio da floresta lá do castelo?

Erick pergunta ajeitando sua posição na cama do mais novo, ficando com as pernas cruzadas, como um índio.

Vic- Lembro.

Erick- Então, ele me perguntou se poderíamos ter um romance ou algo do tipo. Mas ele tava ciente que era perigoso por eu ser um aluno e ele um professor. E eu recusei, mas acho que ele não vai desistir.

Vic olhava surpreso, mesmo dizendo que não ficaria, era inevitável.

Erick- Eu não sei o que fazer..

 

Enquanto isso:

(Trilha sonora a seguir: SHAED x ZAYN - Trampoline)

Tom- Você foi incrível hoje, amor.

Sasha andava de mãos dadas com Thomas enquanto iam em direção a casa da garota. Já estava um pouco tarde e por isso Tom fez questão de deixar a garota na porta de casa.

Sasha- Que isso Tom, nem foi pra tanto.. Confesso que ainda tô digerindo tudo que aconteceu hoje.

Os dois jovens andavam sem pressa alguma em baixo daquele céu estrelado de se arrancar o fôlego.

Tom-  Você tá de brincadeira né? Amor, você hoje deu uma aula de como cantar para os outros.

Sasha sente suas bochechas queimarem com os elogios sinceros de Tom. Ela poderia continuar negando que não foi nada demais, se não fosse a curiosidade num certo garoto.

Sasha- Tom.. Por quê o Victório ficou tão estranho lá com a gente? Assim.. Eu sei que ele é meio medroso e tudo mais, mas aconteceu alguma coisa com ele pra ele ter ficado com tanto receio, como um trauma ou algo tipo?

Sasha foi direta, perguntando enquanto olhava fixamente para Tom. O garoto se perguntou se deveria falar sobre a infância dos dois e se deveria falar sobre aquele dia da apresentação de piano do mais novo, logo chegando na conclusão de que não precisava.

Tom- Ele só tem medo de errar. Mas eu acho que com o tempo ele vai superar.

Sasha se aproxima de Tom, tocando nos finos lábios do mais velho. O beijo que deveria ser uma despedida, por já estarem em frente a casa de Sasha, se tornou quente e intenso, onde Tom rapidamente pediu passagem de língua e Sasha cedeu, permitindo o mais velho explorar cada canto da sua boca. Tom escorrega suas mãos até a cintura da garota, apertando a mesma com força fazendo Sasha arfar. A garota logo enfia suas mãos dentro da blusa de Thomas acariciando seu abdômen pouco definido, se sentindo exitada com o contato a pele quente de Thomas.

Tom não havia percebido, mas no meio do beijo, Sasha havia tirado sua calcinha, já que a mesma estava de saia, só para provocar o garoto. Logo em seguida tirando seu sutiã, ambos de renda branca. Sasha beijava Tom com voracidade, como se aqueles lábios vermelhos pertencessem a ela. Com uma mão Sasha explorava o abdômen de Tom e com a outra ela segurava suas peças de roupa íntimas.

Logo ambos se separam pela falta de ar, Tom olha para Sasha percebendo os olhos cheios de Luxúria da garota.

Sasha- Vamos entrar?

Sasha diz com seu tom sensual rente a orelha de Tom, fazendo o mesmo se arrepiar.

Tom- Você ainda pergunta baby?

Tom diz rouco rente ao pescoço de Sasha, distribuindo beijos e mordidas ali.

Sasha abre a porta da frente com dificuldade por estar tendo o seu ponto sensível sendo chupado e beijado por Thomas. Sasha entra e tranca a porta, sendo rapidamente segurada nos braços por Tom, que logo a colocou com delicadeza sob o sofá da sala. Thomas fica por cima, voltando a dar atenção ao ponto sensível de Sasha, em seu pescoço.

Sasha gemia deliciosamente enquanto Tom estimulava seus seios, apertando os mesmos com pouca força.

Sasha- A-Ah.. T-Tom...

Sasha geme ao ter suas coxas apertadas pelas mãos de Tom, deixando seus dedos marcados ali.

Tom volta a dar atenção aos lábios da garota, chupando o lábio inferior enquanto estimulava os seios da garota, estranhando a sensação de não ter um sutiã ali.

Sasha percebendo o olhar confuso de Thomas, revela em sua outra mão as peças de roupa íntima.

Aquela noite seria longa para os dois.

 

(Fim da trilha sonora)

 

Na manhã do dia seguinte:

 

Erick se encontrava impaciente, esperando por Vic para poderem ir para a Academia. O garoto já tinha atrasado quase vinte minutos e nada dele aparecer.

Erick- VICTÓRIO ARMANI, EU JURO QUE EU SE EU TIVER QUE SUBIR AI, EU-

A frase de Erick morre quando Victório aparece descendo a escada, já com sua mochila. 

Erick- Por que demorou tanto? Meu deus do céu, e ainda não adiantou nada, tá parecendo que vai ser presa em cativeiro. Canceladíssima, bora.

Erick diz com desdém, mas não de Vic, e sim da roupa tão sem graça do garoto. Abriu a porta para que o menor passasse, logo passando e fechando a mesma.

Vic- Eu tava dando uma ultima olhada no meu cabelo, não posso nem me cuidar mais..

Vic diz como se tivesse se ofendido com a grosseria de Erick.

Erick revira os olhos e continua andando ao lado de Vic, que estava flutuando. 

Após alguns minutos andando, chegaram na academia. E foram surpreendidos com vários repórteres no portão da grande Academia, e parecia que Leila estava um pouco presa no meio deles.

Erick e Vic se aproximaram da garota e logo a atenção dos repórteres foi desviada dela para os dois garotos. Os vários repórteres se aglomeraram em volta de Vic e Erick, dificultando a passagem dos dois até dentro da Academia, logo sendo surpreendidos pelas várias perguntas sobre o ''show'' deles na tarde do dia anterior.

Repórter- Quando vocês decidiram se juntar? E por que?

Antes de Erick tentar responder, um dos repórteres coloca seu microfone mais perto de Erick, para que ele priorizasse a pergunta dele.

Repórter- Qual o seu nome garoto? E qual o nome da sua banda?

Vic- Não somos uma ban-

Repórter- Como vocês se sentem em serem tão aclamados pela mídia ultimamente fazendo apenas uma apresentação em um lugar tão simples?

Vic arregala os olhos 

Vic- O-Oquê?

Logo os repórteres colocam os microfones apontados para Vic.

Repórter- Você não sabia? Todo mundo está falando sobre aquela apresentação de vocês! Onde estão o resto dos membros da banda?

Os alunos passavam olhando a cena um pouco assustados, os vários repórteres queriam extrair o máximo de informação do grupo para ser a matéria primária dos jornais. Não que ela já não fosse, mas eram informações extras que só eles teriam, assim, se diferenciando dos outros.

Tom- O que tá acontecendo aqui?

Tom passa empurrando alguns repórteres para longe, em sinal de grosseria. Ele de longe percebeu o desconforto de Leila, Erick e principalmente de Vic, então tratou de resolver logo isso. Sasha vinha correndo logo atrás.

Tom segura na camisa de Victório e Erick, puxando os dois para fora daquela confusão, Sasha segurou na mão de Leila, puxando a mesma rapidamente para dentro da Academia.

Leila- Que loucura..

A garota diz tentando recuperar o fôlego, apoiando uma mão na parede.

Antes que Tom pudesse questionar se estavam bem, o som de alguém batendo palmas chamou a atenção de todos.

Molly- Ora ora se não são as mais novas estrelas da academia! Meu parabéns! Eu não pensei que a sua voz poderia se tornar ainda mais insuportável, Golias.

Molly diz debochada, olhando fixamente para Sasha.

Sasha- A Golias aqui adoraria quebrar você na porrada e dar o que sobrou de você pra fazerem lavagem pra porco.

Sasha responde nervosa, se Molly continuasse com as provocações, Sasha não mediria a força com qual bateria a cabeça da mesma no chão até o mesmo rachar.

Molly- Você não teria coragem Golias. Todo mundo aqui sabe que você só vive em baixo das asinhas do Tom. Você não tem peito pra uma coisa dessas.

Sasha agradeceu o gatilho de Molly, e então correu na direção da garota, que estava sozinha, virando um soco forte no rosto da mesma.

Sasha- Eu não tenho o quê?

Sasha pergunta olhando para o rosto machucado da garota, agora no chão.

Molly- Vai se foder!

Molly se levanta rapidamente, empurrando Sasha contra os armários da parede, fazendo o corpo da outra se chocar com força e fazendo um barulho alto, que ecoou por todo o corredor.

Leila- Para com isso vocês duas, parecem duas crianças!

Leila é totalmente ignorada, Molly continuava pressionando o corpo de Sasha contra os armários. Então, Sasha acerta o estomago de Molly com o joelho, fazendo a garota solta-la. Leila para tentar parar a briga decide ir na sala do Diretor Hawkins.

Sasha agarrou no pescoço da garota, invertendo as posições, onde agora ela prensava Molly contra os armários, apertando o mesmo com seu ante-braço. Ela não ia matar Molly, claro que não. Apenas ia dar um sustinho nela. Se não fosse por Molly, que achando que morreria sem ar ali, abriu sua boca, mostrando as presas mais afiadas e pingando um liquido verde. Num segundo Molly morde o ante-braço de Sasha, que a solta num segundo e grita de dor.

Tom num segundo correu até Sasha, afastando ela de Molly que sorria diabolicamente, mesmo machucada.

Molly- Onde está toda sua força agora Golias? Se tudo der certo, em algumas horas o meu veneno já vai ter chegado no seu coraçãozinho, e se não tiver o antidoto, você vai morrer.

Molly disse divertida, como se em suas palavras ela encontrasse toda a graça do mundo.

Logo Erick, que estava parado ao lado de Victório, e antes, Leila, se aproximou de Molly.

Erick- Ela não vai morrer, se é o que você ta pensando.

Erick se abaixa, ficando na altura de Sasha, que estava desacordada e encostada nos armários. Erick segura no braço da garota, olhando bem onde estava a mordida, ela sangrava mais que o normal. Erick fez um movimento simples com as mãos fazendo sua orb da luz, dourada, lentamente saísse de trás de suas costas, logo se multiplicando em vários ciscos pequenos, e fez um movimento suave para frente, fazendo os ciscos entrarem dentro do peito da garota. Ele brilhava em um tom dourado suave, mostrando que o que Erick fez foi realmente efetivo e estava funcionando. Tom suspira aliviado.

Erick- Minhas orbs são como células do nosso corpo, porém mais avançadas. Elas vão trabalhar em sugar todo o veneno injetado pela sua mordida, até não ter mais nenhuma gota de veneno. A Sasha vai ficar bem.

Erick disse despreocupado, se levantando ficando a altura de Molly, que o encarava com raiva.

Molly- Não queria estragar o seu alívio momentâneo mas, eu tenho o vídeo do Alex falando aquelas coisas pra você lá na floresta. O Jack está lá na sala do diretor, mostrando o vídeo pra ele. Que peninha Erick, vai ficar sem o seu professorzinho, porque ele vai ser preso!

Molly diz encarando Erick com seu olhar vencedor.

Erick- Não sei porque eu estou surpreso, isso é bem do seu nível mesmo. Não consegue ver alguém feliz que já quer se intrometer, não é? Isso tudo reflete sua vidinha mixuruca triste. Você se sente sozinha e sente raiva por saber que ninguém nunca vai te amar. Eu tenho nojo de você.

Erick cospe aquelas palavras, fazendo até mesmo Vic que estava um pouco longe ficar em choque com seu tom de voz frio e ríspido.

Enquanto isso:

Leila esperava impaciente ao lado da porta da sala do Diretor Hawkins. A garota já havia batido várias vezes e nada, mas ele só poderia estar ali, não tinha porquê ele sair da sua papelada agora para fazer qualquer coisa que fosse. Quando Leila estava quase desistindo e aceitando que teria que separar aquelas duas ela mesma, a porta da sala se abre, revelando o Diretor acompanhado de Jack

Leila- O que você fez?!

Leila questiona Jack, séria. Porém foi ignorada. Jack andava ao lado do Diretor Hawkins até a sala onde leila estudava, a única turma que o Alex dava aula.

O homem para em frente a porta, batendo suavemente, porém alto o suficiente para que Alex que estava dentro, já explicando alguma coisa sobre geometria saiu. 

Alex- Como posso ajudar Dr.Hawkins?

Alex pergunta com receio, Leila percebe o sorriso maldoso de Jack e estranhamente sentiu vontade de afundar sua mão na cara daquele garoto sem noção.

Dr.Hawkins- Alex, me siga.

Leila não sabia exatamente o que estava acontecendo e temia ser algo sobre Alex e Erick, daquele dia do passeio na floresta dos sonhos. Alex avisa para os alunos que precisa sair um pouco e logo voltaria, logo sendo guiado pelo Dr.Hawkins, chegando rapidamente em sua sala. Ele sem mais e nem menos deu play no vídeo em seu computador, onde o pen drive vermelho estava conectado.

Leila não viu nada de mais no vídeo, e achou uma idiotice tudo que Jack falava para deixar a situação ainda pior. Leila avisou, ou melhor, tentou avisar para o Diretor que Sasha e Molly estavam brigando, mas ele parecia ignora-la, apenas Jack se importou e saiu da sala correndo. Leila nem percebeu a ausência do garoto na sala enquanto tentava desesperadamente amenizar a situação que Alex se encontrava.

 

No corredor dos armários da Academia:

 

Jack- O que tá acontecendo aqui?!

Jack aparece rapidamente ao lado da máquina de bebidas, fazendo todos olharem para ele, com exceção de Sasha, que estava desacordada encostada nos armários.

Molly- Que bom que chegou Jackzinho.. Conta pra gente o que o Diretor Hawkins decidiu em relação ao querido Alex.

Jack se aproxima com um sorriso maldoso, olhando para Erick com seu olhar rude e superior, se esquecendo do que o garoto era capaz.

Jack- Parece que o Alex vai ser expulso e ainda vai aguentar um processinho de leve. Isso se ele não for preso, o que eu sugeri.

O garoto falava com humor na voz, fazendo Erick sentir uma raiva quase cega por ele. Molly, que estava ao seu lado, para provoca-lo passa suas mãos agora escamadas em pele do cobra no rosto de Erick.

Molly definitivamente não sabia onde estava se metendo.

Molly- Mais fica tranquilo... Isso só tá começando Erickzinho.

Pelo calor do momento e raiva, ambos misturados naquele segundo, Erick deu um tapa no rosto de Molly. Esse tão forte que a garota até cambaleou para trás, quase caindo no chão.

Erick- Quem você pensa que é pra falar assim comigo sua cadela?!

Jack- Encosta nela mais uma vez seu..-

Antes que Jack pudesse se aproximar de Erick e Molly, Tom o empurra em cima da maquina de bebidas, fazendo o vidro da mesma trincar.

Tom- Você vai fazer o quê?! Hein?

Tom prensa o garoto com mais força contra a maquina fazendo o vidro se quebrar de uma vez. O garoto tenta se soltar dos braços fortes de Tom, falhando. Jack sente uma ardência em suas costas, seguida do que parecia um liquido quente. Ele havia se cortado seriamente, porém Tom não se importava nem um pouco.

Vic que estava acompanhando todas as cenas, paralisado, quando percebeu a mancha vermelha já nas latinhas dentro da maquina teve de interferir.

Vic- Tom, calma! Você vai acabar matando ele!

Victório coloca a mão no ombro do mesmo, tentando acalma-lo. Por sorte Thomas já ciente que tinha machucado o mesmo o suficiente soltou o mesmo, que caiu no chão sem fôlego algum, por ter lutado por longos segundos para se soltar daqueles braços fortes. 

Jack respirava com dificuldade e tossia um pouco de sangue, porém Tom nem se comoveu com a cena, diferente de Victório, que ficou com a consciência pesada por não ter interferido antes.

Molly- Me solta seu doente!

Vic e Tom desviam sua atenção de Jack para Erick e Molly, Erick estava segurando a mesma pelos cabelos e batendo o rosto da mesma com força contra um armário que estava aparentemente solto.

A orbs de Erick faziam movimentos circulares em torno do mesmo, como se ele estivesse se sentido ameaçado. A orb da escuridão estava claramente instável, ela tremia enquanto se movimentava em torno de Erick, diferente da orb da luz, que se mantinha calma em relação aos movimentos.

Molly, na esperança de se soltar de Erick, deu uma cabeçada para trás, atingindo o estomago do mesmo. Erick solta a garota, impulsionando a cabeça da mesma para frente, fazendo a mesma bater com mais força no pequeno armário que agora se desprendeu de vez da parede.

Enquanto Erick se recuperava do pequeno choque em seu estomago, Molly pegou o armário e sem pensar duas vezes, jogou o mesmo em Erick. O armário era pesado e até mesmo molly teve dificuldades em segura-lo, mesmo sendo pequeno. O barulho do armário batendo contra o corpo de Erick assustou todos ali, menos Molly, que mantinha o seu sorriso mostrando suas presas afiadas novamente.

Todos olharam para o canto onde o armário foi parar junto de Erick. A orb da luz havia parado de se mover e a da escuridão parecia prestes a explodir ou algo do tipo, por estar claramente instável, tremendo mais que o normal.

Quando Vic ia se aproximar para ver se o amigo estava bem, uma explosão roxa o fez se afastar com brutalidade, sendo lançado contra a parede se não fossem pelos braços de Tom. Molly foi arremessada contra a parede com força, tossindo um pouco de sangue também.

Logo um pouco da luz roxa desaparece, revelando Erick com seus olhos brilhando em roxo. O rubi em sua testa, antes apagado agora brilhava em vermelho forte. Sua presença devastadora engoliu o lugar, fazendo o clima ficar ainda mais pesado.

Molly tosse com dificuldade, logo ficando de pé vendo Erick andar calmamente em sua direção. Porém Molly, mesmo machucada não recuou. Os olhos de Erick, embora mergulhados em um roxo escuro, fitavam a garota friamente. Victório agora focando em Erick nos braços de Tom sabia que aquilo teria um péssimo resultado.

Vic- Tom, precisamos fazer alguma coisa, o Erick vai matar ela!

Vic parecia preocupado não só com Molly, e sim com Erick, que estava claramente fora de si.

Tom respira fundo e coloca Victório no chão. O mesmo sem pensar duas vezes invoca o seu espelho ilusório fazendo o triangulo com os indicadores e polegares. Ele não tinha certeza alguma do que estava fazendo, mas ele precisava tentar.

Victório rapidamente coloca uma ilusão humanoide ao lado de Molly, a ilusão fez movimentos calmos em volta do seu espelho, disparando o raio de energia, agora de cura, algumas vezes contra Molly, que parecia respirar normalmente agora.

Molly- O quê você pensa que tá fazendo?!

Molly pergunta com ódio em seus olhos, Vic fica confuso mas não recua. Erick continuava caminhando lentamente até a garota.

Vic- Molly, escuta! Esse não é o Erick, você precisa sair daqui antes que ele te mate! Você não sabe do que ele é capaz!

Vic diz apreensivo vendo Erick se aproximar cada vez mais de Molly.

Molly- E por que eu deveria acreditar em você?! A única coisa que você sabe fazer é ficar perambulando pra lá e pra cá com esse espelinho aí, não me venha com jogos Victório Armani, não finja que se importa comig-

Antes de Molly terminar sua frase, Erick havia começado o desenvolvimento de um ataque, ele fazia movimentos complexos com as mãos, sua orb da escuridão se torna uma especie de liquido enquanto circulava o garoto.

Vic- Molly sai daí!

Molly ouviu tarde demais o aviso de Vic, tendo seu corpo completamente esmagado pelo liquido. Seja lá o que estava no controle do corpo de Erick, ele iria matar Molly se não fosse parado. 

O rosto de Molly estava vermelho, deixando claro que a mesma já estava sem ar. Victório então sem escolha, num segundo, aparece do lado de Erick, como num flash o mesmo empurra o garoto para longe de Molly, e aquele liquido que estava sob a garota desaparece, voltando para a forma redonda de orb. Molly respira desesperada colocando a mão na garganta. O peito da garota subia e descia rapidamente de tão rápido que a mesma respirava.

Victório gentilmente ergue a mão para a garota, que após se recuperar faz questão de se levantar sozinha.

Vic- É melhor sair enquanto dá tempo.

Molly não responde, apenas deu uma ultima olhada em Erick, que estava longe pelo empurrão de Victório. Ciente de que o garoto que Molly mais subestimou salvou sua vida, ela sabia que devia a ele. Sabendo agora exatamente como Jack se sentia em relação a Thomas.

Leila- Gente, vocês estão bem?! O que aconteceu com a Sasha? Cadê o Erick?!

Leila aparece ao lado da maquina onde Jack estava sentado um pouco tonto pela grande perda de sangue. O corte em suas costas havia sido mais sério do que ele pensava. Um grande pedaço do vidro havia se divido naquela pressão que Tom fez contra ele, cortando as costas do mesmo. Haviam alguns cacos em seu ombro, cabelo e, principalmente dentro do seu corte.

Vic vendo a situação em que Jack se encontrava, teve certa misericórdia do garoto, não negando uma de suas ilusões para curarem seus ferimentos, que ainda eram desconhecidos por ele. Vic ordena mentalmente para que aquela ilusão que antes havia curado Molly, agora curasse Jack. Era claramente perceptível a dificuldade do garoto em respirar, onde nem tossir ele conseguia direito.

A ilusão dispara o raio de cura contra o corpo de Jack, que rapidamente parece ser restaurado. Agora o garoto conseguia respirar normalmente e o ferimento que sangrava em excesso foi magicamente cicatrizado. E foi tudo graças a Victório. 

Victório volta sua atenção a Erick, que não se encontrava mais ali com eles. Ele havia ido atrás de Molly.

Vic- Cadê o Erick?

Vic pergunta olhando para Leila, que apontou para a portaria, onde levava para a quadra, o mesmo lugar que Molly havia ido.

Aquilo não era nada bom.

Vic voou rapidamente para fora, deixando Tom, Sasha, Leila e Jack para trás. Ele temia o pior. Ele temia que Erick fizesse algo terrível com Molly, ele tinha que dar um jeito em Erick.

Jack, que estava agora em pé tentando processar tudo que aconteceu, tentou correr para fora quando se lembrou de Erick e Molly, sendo segurado com força por Tom.

Tom- Onde você pensa que vai? Fica aqui ou eu te quebro todinho mais uma vez, e agora o Vic não tá aqui pra te salvar.

Thomas usou seu tom de voz frio, deixando bem claro que não era para Jack sair dali, ou ele daria trabalho para a enfermeira da Academia. Porém Jack, temendo o pior vindo de Molly, se soltou de Tom, correndo para fora. Thomas, sem medir forças correu atrás do garoto, e quando o alcançou o mesmo acabou por tropeçar e cair no chão, levando o garoto junto, rolando pela grama verdinha da quadra.

Tom- Eu mandei você ficar lá!

Thomas esbraveja, Jack tenta se soltar de Tom, dando socos e ponta-pés no mesmo, sem efeito algum. Tom dá um soco no rosto de Jack, fazendo o mesmo se alterar também.

Leila estava no corredor tomando conta de Sasha, mesmo sem saber o que aconteceu não era muito difícil descobrir pelas marcas de presas em seu ante-braço. Leila ficou com receio da mesma contrair uma infecção ou algo do tipo com aquele machucado a mostra, então, colocou a garota no seu colo, a levando até a enfermaria. Leila explicou que a garota havia sido mordida por um animal e a enfermeira entendeu, pegando no braço da mesma para injetar a agulha juntamente com a bolsa de soro.

Leila decidiu deixar Sasha descansando e desceu novamente para o corredor, indo em direção a portaria, onde estavam todos. Tom e Jack se batendo no chão, Victório tentando fazer algo com seu espelho próximo de Molly e Erick, que andava calmamente até a garota. Leila não sabia como impedir Erick, assim como Vic, pois o garoto tinha que aprender sozinho como controlar aquele ódio que sua escuridão carregava. Leila rezava para que algum milagre acontecesse.

Vic- Molly, você não tá segura aqui, vem comigo!

Vic falava rapidamente vendo que Erick já estava próximo demais dos dois, Molly percebendo Erick a seguir, acendeu seu fogo verde  que era como uma aura e sua pele se escamou por inteira. Seus olhos tomaram uma forma reptiliana e seus sentidos foram aprimorados, ficando quase como uma cobra de verdade. Molly cuspiu seu veneno no chão onde Erick pisava, fazendo os pés do mesmo ficarem grudados ali como concreto.

Victório suspirou aliviado vendo que surtiu efeito o que a garota fez, agora voltando sua atenção a pequena briga que ocorria um pouco distante deles, onde Tom dava socos não muito amigáveis no rosto de Jack, que fazia o mesmo, só que com menos força, por estar por baixo. Jack ansiava o momento onde Thomas fizesse apenas um contanto visual com ele, para poder possuir o corpo do garoto e mostrar do que ele era feito. Thomas não iria dar essa chance tão preciosa para Jack, então o mesmo socava o rosto do garoto olhando para seus punhos.

Jack empurrou Thomas para longe, assim se levantando e dando um chute certeiro no estomago de Tom, que farto daquela briguinha, estalou os dedos, fazendo duas pedrinhas se juntarem e uma de suas criaturas surgirem atrás de Jack. Sendo ela uma mistura entre urso e panda, ela era enorme. Agora sim estavam brigando.

Jack sente uma gotinha de suor escorrer por sua testa. Logo a grande criatura da um soco no chão, onde Jack estava, fazendo uma cratera no mesmo. Jack por sorte pulou para fora do alcance da criatura, vendo o estrago que a mesma fez, o garoto pensava em como parar aquilo. 

Logo Jack tem uma ideia, mas ele teria que fazer contato visual com a criatura que Tom criou, ele iria possui-la. Jack se afastou um pouco mais da mesma, para que pudesse ver os olhos dela, coisa que Tom nunca deixava de imaginar das mesmas. Logo a mesma avança em sua direção, dando outro soco no chão, errando. Jack rapidamente olha no fundo dos olhos dela, não enxergando nada. Porém estranhamente conseguindo possui-la. Logo seu corpo humano cai para o lado, como se estivesse sem vida. Jack agora no corpo de uma das criaturas de Tom ia se vingar.

Tom percebe que tem algo errado com a sua criação, logo percebendo que Jack havia usado o seu poder nela. Tom sem saber o que fazer, desvia dos ataques ágeis do mesmo. Tom pulava e rolava dos ataques rápidos de Jack, deixando o mesmo frustrado por não conseguir acertar ele.

Do outro lado da quadra, Vic percebeu o corpo de Jack no chão como se tivesse desmaiado, logo a grande criatura que Tom criou estava lutando contra ele. Vic não entendeu o que estava acontecendo, mas percebeu que Tom precisava de ajuda. Victório voou rapidamente até onde estava o corpo de Jack, com os olhos virados para cima e aparentemente desacordado.

Vic sacode Jack na esperança de acorda-lo, falhando miseravelmente. Leila aparece ao lado de Vic.

Vic- O que a gente faz?

Vic pergunta com receio, Leila coloca sua mão no queixo, pensativa.

Leila- Já sei!

Leila petrifica seu braço com seu magma, logo preparando para o soco que daria no corpo de Jack, com toda a certeza de que o mesmo deixaria o corpo da criação de Tom e voltando para o seu.

Porém, Leila acabou por acertar a nuca de Victório, fazendo o mesmo bater a cabeça com força nos países baixos de Jack.  

 Tom, que desviava com maestria dos socos rápidos da sua criação possuída, achou estranho quando a criatura parou de dar os vários socos, colocando as duas mãos entre as pernas, como se sentisse muita dor. Logo a criatura volta em estado de pedra e Jack volta para seu corpo, levantando rapidamente batendo sua cabeça contra a de Leila, que estava tentando se recompor da crise de risos do pequeno acidente com Victório.

O rosto de Vic estava vermelho como um morango, Tom não estava entendendo nada, Leila ria como uma louca, Jack choramingava com as mãos entre as pernas e Erick continuava preso no veneno agora petrificado de Molly.

Quando todos acharam que por fim tinha ''acabado'' aquela mini guerra na Academia, Alex aparece na portaria, olhando indignado para todos.

Alex- O que vocês estão fazendo aqui? Por que vocês não estão dentro da sala? Não me digam que estão brigando.

A raiva de Alex era perceptível, até mesmo Tom ficou com um pouco de receio.

Alex- Onde está o Erick?!

Alex pergunta olhando para todos, aquela brisa fraca que batia nas pequenas folhas das árvores se tornou um vento mais forte, fazendo os troncos se mexerem mais que o normal. Aquele vento estava ficando pior, quase não dava para ficar em pé, logo Leila, que estava próxima de Victório, apontou para a árvore central da quadra, onde Erick tinha seus pés fixados no chão com algo parecido com concreto.

Alex anda facilmente em meio aquela ventania anormal, apertando seus pulsos, onde eram facilmente percebidas suas veias. Quando Alex se aproximou o suficiente de Erick e viu que o mesmo estava fora de si com aquele brilho anormal, a primeira reação do mais velho foi abraça-lo.

O mais velho se sentia culpado por tudo que aconteceu, embora não demonstrasse. Tudo aquilo era culpa dele. Se ele não tivesse gritado com Erick naquela mesa, ele provavelmente não estaria tão magoado com ele. Erick tinha total razão por estar chateado com ele, eles fugiram como covardes do castelo quando na verdade precisavam de reforços. Ele foi covarde.

Alex abraçava Erick com força, sem se importar com a presença de Molly ali. Ele apertava o garoto dentro de seus braços sentindo uma segurança incrível. A ventania diminui e todos conseguem enxergar a cena. 

Erick- Professor?

Continua...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Até o próximo cap :DD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...