História I Want You - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bella Thorne, Dove Cameron, Grace Phipps, Laura Marano, Olivia Holt, R5, Zendaya
Personagens Bella Thorne, Dove Cameron, Grace Phipps, Laura Marano, Olivia Holt, Ross Lynch, Rydel Lynch, Zendaya
Tags Amor, Comedia, Nerd, Popular, Romance
Visualizações 23
Palavras 2.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente desculpem a demora.
O meu celular excluiu todos os caps sozinho, e eu tinha escrito até o capítulo 20
Agora eu vou ter que escrever tudo de novo!

Capítulo 3 - Capítulo 3- Presos


Pov Laura:

- Ross Lynch! - Exclamei, assim que vi o loiro, de olhos verdes, e com uma expressão de medo. Ele estava trêmulo, e apavorado. Esperando eu fazer alguma coisa com ele. - Você não olha por onde anda?! - Ele ficou quieto. - Eu te fiz uma pergunta! O que foi? Um gato comeu a sua língua?

- Não, Laura! Não ter vida, comeu a língua dele!

- Me des…desculpa! - Gaguejou.

- Tá, tanto faz! - Disse, me limpando.

- Tinha que ser o nerd! - Logan chega.

- Tá, gente! Chega não é pra tanto! - Eu não tinha o costume de maltratar os nerds do colégio. Já não posso dizer o mesmo dos meninos. Principalmente Garrett. Por ele ser popular no colégio, ele pode fazer o que bem entender. - Não esbarre mais em mim! - Ele acentiu.

(…)

- Bom dia, raio de sol! - Grace diz.

- Oi! - Respondo, sem ânimo.

- Qual é a do cachecol? - Ela pergunta.

- O que?! 

- É, tá fazendo uns 40° graus lá fora! - Rydel diz.

- Não tá não!

- Tá sim!

- O que quê há?! - Grace, pergunta, e eu tiro o óculos e o cachecol, mostrando o resultado de ontem a noite. Meu pescoço estava roxo. Cheio de marcas de chupões que o Brenner deixou em mim. E dessa vez, nem maquiagem ajudou a disfarçar. - Uh, lá lá! - Ela diz, surpresa. - Pelo visto, a noite foi boa!

- Digamos que foi mais que boa! - Falo, roubando uns nachos da bandeja da Grace e afundando no guacamole.

- Como assim? - Rydel perguntou.

- Ele estava esperando por isso há muito tempo, então ontem, ele aproveitou ao máximo. Fez o que quis com o meu corpo! E não vou mentir não, mais eu gostei! - Disse, dando um sorrisinho malicioso, lembrando de ontem a noite.

- Não sei porque demorou tanto pra isso!

- Mais eu sei! E não quero falar sobre isso!

- Você que sabe…

- Aí, cacete! - Rydel resmunga. - Garrett atende!

- Rydel, você tá grilada com esse telefone!

- É, dá um tempo! - Grace diz.

- É que o Garrett não me responde!

- É brincadeira, né?! Vocês estudam na mesma escola, por que não se falam pessoalmente?! Ele provavelmente tá na aula, por que você não espera um pouco?! - Digo, e ela bate o celular na mesa, cruzando os braços.

- Não, ele sempre dá um jeito! Ele tá é me ignorando isso sim! - A Rydel e o Garrett, tem um relacionamento um tanto conturbado. Ele trai ela algumas vezes e ela não liga. Está cega de amor. E é isso que dá raiva nela. Ela simplesmente não se importa em compartilhar o namorado com outras putas.

- Vamos mudar de assunto, por favor?!

- Tá, eu tô pensando em fazer umas mechas roxas no meu cabelo, o que acham? - Falei. Roxo, definitivamente é a minha cor. Meu cabelo é castanho ondulado, com mel dourado nas pontas. Mais já estou enjoada desse visual.

- Mec! - Delly diz.

- É, roxo definitivamente é a sua cor!

- Quero outra tatuagem também!

- Nossa…você é corajosa!

- Ah, é só uma dorzinha de nada!

- Dorzinha de nada? Eu quase amputei meu braço da última vez! - Grace diz, dramática como sempre. Ela tem uma borboleta azul pequena no braço. Rydel tem um "R", em um dos dedos. E eu tenho um "Fuck You" na nuca.

- Medrosas! - Digo, e no exato momento, uma enorme bandeja cai em cima da minha cabeça. Derramando todo o suco de uva em meu cabelo. Uma torrada com geleia de morango escorregou pelo meu corpo, sujando todo o uniforme. E os ovos com bacon, que estava dentro do prato, foram parar dentro do meu sutiã. Ao me virar, vi quem tinha sido. Ele! Era ele! De novo ele! - Ah, não! O Lynch! De novo?!

- Me des…desculpa, Laura!

- Me fala, qual é o seu problema?

- Não foi…po…por…ma…mal!

- Ah, não?! Então…- Peguei os nachos com guacamole na bandeja da Grace, e derramei tudo em seu cabelinho loiro. O melecando todo. - Isso também não foi por mal! - Peguei o café quente, e joguei em seu rosto. - Isso também não foi por mal! - Peguei a geleia de morango e joguei em seu uniforme. - Isso não passou nem perto de ser por mal! - E por fim, joguei tudo o que tinha na bandeja nele. - E isso também não foi por mal! - Exclamei de braços cruzados. - Você me irrita! Me irrita muito! É por isso que você não pega ninguém! Seu nerd esquisito! - O empurrei, e o mesmo caiu no chão. Todos riam do Ross no refeitório. Fui até o banheiro, e abri a torneira, começando a me limpar. Estava toda melada de suco de uva e torrada com geleia de morango. Arg! O pior é que essa mancha vai demorar pra sair do meu uniforme.

- Laura…- Rydel e Grace chegam.

- Eu sei, eu sei! Eu surtei um pouquinho!

- Um pouquinho? Nem tava falando comigo e eu fiquei com medo! - Rydel disse, enquanto eu passava minhas mãos por todo meu pescoço, tirando os restos de comida. - Mais enfim, é melhor você se acalmar!

- É, a Delly tá certa! Daqui a pouco é aula de Artes, e você sabe muito bem que a nossa aula é com o primeiro ano! - Grace lembrou.

- Aí, caralho, eu esqueci completamente! - Disse com as mãos sobre o rosto. - Tá, eu vou me comportar, eu prometo! - Disse. O sinal havia tocado. Fomos até a sala de artes com o primeiro ano, e não demorou muito pro professor entrar na sala de aula.

- Bom dia, alunos!

- Bom dia! - Todos retribuíram.

- Bom, hoje, vocês irão pintar essas frutas! Vocês tem uma hora! - Ele falou, tirando um pano branco de cima do prato, que tinha uma uva, uma maçã e uma banana. Na aula de artes, formavam se duplas. E cada um pintava o seu. Mais eu estava tão concentrada, que nem percebi quem estava do meu lado.

- Pode me passar o amarel...- Não terminei a frase. Assim que vi quem era o meu parceiro, engoli seco, e revirei os olhos. Respirei fundo, e como prometido, tentei não surtar. - Ah…Lynch! - Exclamei assim que o vi. - Finge que não me conhece! - Ele não disse nada. Apenas abaixou a cabeça, e voltou a pintar o seu quadro. Também voltei a me concentrar no meu. Eu particularmente amo a aula de artes. Não quero me gabar não, mais eu sou muito boa desenhista. Por isso me dou bem nessas aulas. O meu desenho estava ficando incrível. E tenho que admitir que o do loirinho também estava. Depois de um tempinho, terminei o meu quadro. Precisava apenas de alguns retoques. Me virei para pegar a tinta preta, e no mesmo momento, o loirinho também virou com sua tinta vermelha. Acabamos nos esbarrando, e as duas tintas viraram em cima de mim. O fuzilei furiosa. Eu tentei. Eu juro que eu tentei encontrar paciência. Mas como não encontrei, surtei. - Ah, mais isso já é sacanagem! Não, é sério! Agora chega! - Peguei um balde médio de tinta azul que tinha ali perto, e derramei tudo em cima dele. E quando me dei conta, a sala se divertia, e acabaram começando uma guerra de tintas pra tudo quanto é lado.

- 9° e 1° ano, chega! - O professor gritava. Porém, não estava sendo escutado, e muito menos obedecido. - Senhorita Marano e senhor Lynch, pra sala do diretor! Agora!

(…)

- Eu queria tentar entender, o que tá acontecendo com vocês dois! - O diretor Simas dizia, sentado naquela enorme poltrona, encarando nós dois. A raiva tomava conta de mim. O nerd estúpido, não dizia uma só palavra. Típico de um esquisitão.

- Eu também queria entender! - Disse.

- Brigas, implicâncias, provocações…isso não é típico de você! Digo isso pelo senhor Ross, porque da senhorita, senhorita Laura, já esperava tudo!

- Ah, qual é! Ele me provoca, e a culpa agora é minha?!

- Você sempre é culpada!

- Mais agora não! Esse garoto me implica desde que retornamos pro colégio! E o pior, eu nem o conhecia! - Disse estressada. Minha paciência não estava ali naquele momento. O que dificultava as coisas ainda mais.

- Isso é verdade, Ross?

- Não! - Sussurrou de cabeça baixa.

- Ah, tá vendo?! Nem se defender ele consegue! É um nerd! Um ninguém! Um invisível! Que tem saber qual é o lugar dele!  - Disse, de pé, com os braços cruzados.

- E qual é o lugar dele, senhorita Marano?

- Bem longe de mim! - Disse me sentando de novo.

- De verdade…

- Ele me implica, me perturba, joga coisas em mim como suco de uva, macarrão, torradas com geleia, café quente e até mesmo nachos com guacamole. Ele literalmente me deu um banho de tinta, e faz da minha vida um inferno desde que eu voltei pro colégio! Onde eu tô, ele tá! E vai dizer que a culpa é minha? Ah, num fode!

- Olha a boca, senhorita Marano! - Exclamou. Ele parou, olhou pra nós dois, e pareceu pensar. Deu um sorrisinho meio de canto, e abriu uma das gavetas na mesa. Vasculhou um pouco a mesma, e retirou umas algemas de lá.

- O que é isso? Virou filme pornô agora?

- Vocês dois…estão presos! 

- Ãn? - Dessa vez, Ross que disse.

- Dá pra ver que vocês estão com problemas! Por isso, não vou só punir vocês, como também vou ajudar! - Nós dois o encaramos como se ele fosse louco. O mesmo, sorria como se soubesse o que estava fazendo. - Vocês estão algemados um ao outro pelo período de um mês!

- É O QUE?! - Gritamos, nos levantando.

- Exatamente! Das sete da manhã até as sete da noite. Vocês não poderão se soltar antes do horário. Caso contrário, eu irei saber. Vocês irão resolver essa indiferença de vocês, por bem ou por mal! Um mês! Eu dou um mês pra vocês! Agora saiam que eu tenho muita coisa pra fazer!

- Mais, Simas…

- Saiam! - Exclamou, e saímos de lá sem uma só palavra. - Você não, Laura! Você não! - Fechei os olhos, e respirei fundo. Me virei, e voltei a me sentar na cadeira. - Me diga, o que foi isso?

- Me responda o senhor! Que idéia foi essa?

- Laura, sabe o que eu vejo quando olho pra vocês?

- Não diz que é potencial!

- Potencial! - Falou a palavra que eu tanto temia. Que droga! - Laura, eu vejo uma coisa muito boa entre você e o Ross. E me surpreende que você, uma menina tão inteligente não tenha percebido isso ainda!

- Não tô te entendendo…

- Laura, eu vejo uma conexão muito forte entre você e o Ross. Só não sei te dizer ainda o que é! - Ele falava com a maior sinceridade do mundo. Como se soubesse o que iria acontecer. - O Ross é um menino bom, meigo, gentil e educado! Por que não dá uma chance pra ele?! Pode se surpreender!

- Essa é a última coisa que eu daria pra ele!

- Não diga isso, Laura! O universo é traiçoeiro, e o mundo dá voltas! 

- Tá dizendo que eu e o Ross podemos ser amigos?

- Uma coisa mais forte que uma amizade!

- Como assim?

- No momento certo, Laura! No momento certo você irá saber! E irá também entender! E você verá que aquele nerd que você tanto xingou aqui na sala, será a única pessoa em sua vida! A pessoa que fará seu coração bater mais forte! E que você irá amar muito!


Notas Finais


Até o próximo ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...