História I Want You Back - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags 3-shot, Menção Yoonkook, Taegi, Vsuga, Yaoi
Visualizações 219
Palavras 8.150
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


FINALMENTE O FIM!!
espero que gostem e até as notas finais xuxus😚

Capítulo 3 - Eu e Você contra o Mundo.


Fanfic / Fanfiction I Want You Back - Capítulo 3 - Eu e Você contra o Mundo.

Passou-se cinco anos desde aquele fatídico dia em que reencontrei o Yoongi. O reencontro não foi como eu imaginei, Yoongi estava inflexível; ele estava totalmente diferente, aquele garoto doce e amável que abandonei, não mais existia. O que encontrei foi uma versão fria, sarcástica e posso dizer que até um pouco insensível.  Saíram tantas palavras duras e cruéis da sua boca. Eu sei que mereci, sei que, o que ele se tornou, foi o reflexo das minhas ações do passado, mas nem por isso tudo que escutei me doeu menos. Pois apesar de todos os meus erros... Eu amo Min Yoongi com todas as minhas forças e ouvir todas as suas implacáveis palavras, me deixou em pedaços.

E saber que foi essa dor que eu causei nele anos atrás, quando fui embora. Me destruiu ainda mais!

Eu tentei fazer o que ele me pediu, tentei deixar tudo o que passamos e todos os sentimentos que ele me causa para trás, tentei seguir com minha vida, ter outros relacionamentos;  mas não deu! Eu, kim Taehyung, pertencia a Min Yoongi e nenhuma outra pessoa poderia substituí-lo, desta forma todos os meus relacionamentos estavam fadado ao fracasso.

Então optei por focar na carreira, me joguei de cabeça no trabalho. E por incrível que pareça foram às composições das músicas que fazia para ele e sobre ele, em meus momentos de tristezas, que alavancou  a carreira da Nightmare. Nessas canções colocava para fora todas as palavras que queria te dizer Yoongi, todos os sentimentos que me sufocavam e eu só podia os expressar em forma de canções, pois você estava distante demais, completamente fora do meu alcance.

Hold me Tight foi eleita como a música que seria nosso single, quando fechamos contrato com a empresa que iria nos debutar na indústria musical. Essa música em especial, foi a que mais coloquei minha dor, minhas saudades, meus pedidos para ti ter de volta e acima de tudo o meu amor por você, Yoongi. E toda vez que a cantávamos em algum programa de televisão, logo após que debutamos, eu pensava: “ Você está me vendo, meu príncipe?” “Está escutando minhas súplicas? “


Me puxe e me abrace forte, me segure forte, me abrace. Você pode confiar em mim? Você pode confiar em mim?

Por favor, por favor, por favor, me segure forte, me abrace!

Você ainda brilha, Você ainda é como uma flor perfumada

Agora confia em mim, me abrace uma vez mais. Assim posso sentir você, me abrace.

Sem você não consigo respirar, Não sou nada sem você. Abra meu fechado coração, encharque o meu coração. Assim posso sentir você, me abrace”


No entanto, mesmo após me declarar para você em todos estes programas e shows que fazíamos, você não voltou... Era como se gritasse para o vazio, mesmo estando cercado por uma multidão.

O que me falou foi realmente verdade? Você realmente já me esqueceu?


[...]


Depois de um ano duro de trabalho, finalmente estou de férias, tenho duas semanas totalmente livre, sem ensaios de músicas novas, sem promoção do novo single, sem gravações, posso fazer o que quiser, claro que com discrição, para não aparecer nos sites de fofoca. E sempre que tenho esse tempo livre vou a Sokcho te ver, óbvio que você não sabe dessa minha mania de ir saber como você está. Mas eu te reencontrei, e mesmo você não estando comigo e me pedindo para me afastar, eu não poderia te abandonar totalmente. Eu iria te proteger do mundo, mesmo que de longe.

A única vez que te revi com você sabendo, foi quando você e o Jungkook terminaram há dois anos. Eu achei que finalmente tinha sido por minha causa, que iria ter minha segunda chance.


[...]


Tinha acabado de terminar o show em Busan, e estava tão cansado que estava pensando seriamente em pular a comemoração e ir direto para o hotel em que estava hospedado.

– Taehyung? – A staff me chama ao entrar no camarim.

– Sim? – Viro-me para encarar a mesma.

– Tem um garoto chamado Jeon Jungkook, que diz te conhecer.

Arregalo meus olhos, Jungkook é o nome do namorado do Yoongi, será que aconteceu algo com meu príncipe?

– Mande-o entrar e, por favor, não deixe ninguém nos interromper.

A mesma se curva e sai para chamar Jungkook. Enquanto eu andava de um lado para o outro totalmente ansioso para saber o que aconteceu para fazer o Jungkook querer me encontrar?

– Então é você? – Escuto uma voz que creio que seja do Jungkook.

– Sou eu, o que? – Viro-me para olhar para o dono da voz. Jungkook está em um estado deplorável, olheiras fundas, olhos vermelhos e inchados, como se tivesse chorado, e creio que o mesmo também esteja bêbado. – O que houve? Aconteceu algo com Yoongi?

Percebendo o meu desespero por respostas, o moreno começa a rir. Ando até ele e balanço seus ombros em busca de respostas, e isso só o faz rir mais.

– Anda desgraçado, me diz o que aconteceu com ele? – Estava angustiado e com medo de ter acontecido algo com o Yoongi, e este miserável que só faz rir e não me dar respostas está me deixando irritado.

– Yoongi está bem, não se preocupe. – Fala sério depois de um tempo. Ao ouvir suas palavras sinto o ar, que nem percebi que estava segurando, ser solto pelos meus pulmões.

– Então, o que você quer falar comigo? – Se não aconteceu nada com o Yoongi, eu realmente não imagino o que o Jungkook queira falar comigo.

– Eu quero olhar na cara do homem que destruiu minha vida, Kim Taehyung. – Sua voz está cheia de nojo e desprezo ao falar meu nome.

– Eu realmente não estou entendendo sua vinda até aqui...

– O Yoongi recusou meu pedido de casamento. E ainda acabou comigo. – A voz dele soa tão triste e vejo uma lagrima escorrer pelos seus olhos, mas rapidamente Jungkook a enxuga. – E a culpa é sua.

– Não pode ser. Faz anos que eu o vi. – Óbvio que não ia revelar ao Jungkook que gosto de ir visitar o Yoongi. – E faz mais tempo ainda que tivemos algum relacionamento, e última vez que nos vimos ele ainda me disse que não me amava mais.

– Ele mentiu! –  Exclamou irritado. –  Eu o pedi em casamento, sabe?  A gente ia fazer quase quatro anos juntos, tínhamos terminados nossos respectivos cursos; e eu pensei, por que não o pedir em casamento?

– Jungkook... – Tento o interromper.

– Cala a boca! – Jungkook grita para cessar a minha fala. – Me deixa terminar a historinha, creio que você vai gostar do final.

Vejo que o mesmo está começando a ficar descontrolado, suas mãos estão fechadas em punhos, as veias da sua testa estão saltadas e seus rosto está transfigurado em ira. Eu poderia o mandar embora, no entanto estava curioso em saber o motivo do término. Será que o Yoongi terminou o namoro por minha causa?

– Onde estava mesmo? – Começa a bater o dedo no queixo, como se tentasse lembrar onde tinha parado. – Ah, lembrei! Como disse a você, ele rejeitou o meu pedido. Eu não entendi, nós éramos felizes, não tínhamos nenhuma briga, além das pequenas discussões que qualquer casal tem, simplesmente não fazia sentido ele renegar o meu pedido. Então o perguntei o porquê? E advinha qual era o motivo?

– Jungkook, deixa de show e conta logo essa história.

Viro-me de costas indo em direção do sofá para me sentar, pelo jeito ele iria enrolar para contar tudo o que aconteceu, e como estava bastante cansado do show, iria escutar tudo sentado. Só que não esperava que o descontrole do Jungkook fosse tanto, ele deve ter se irritado por eu ter virado de costas para ele e me puxou como um louco desequilibrado e me virou para si.

– Eu te fiz uma pergunta, kim. – Fala totalmente alterado e apertando os meus braços. – E quero uma resposta.

– Me solta Jungkook, sério cara, eu não quero começar uma briga. – Tiro seus braços de mim.

– Me responde, caralho!

– Creio que tenha sido eu. – O respondo para vê se o mesmo prossegue logo a história, já estou começando a me irritar.

– Bingo! –  E começa a bater palmas. – Finalmente o trouxa aqui, soube da história de amor dos pombinhos. Yoongi disse que não poderia se casar comigo por que ele não era completamente meu. E que apesar de nutrir sentimentos por mim, ele nunca vai deixar de te amar.

Ao terminar de escutá-lo um sorriso brota em meus lábios e uma chama de esperança de reconquistar meu príncipe surge em meu coração.

– Você não o merece. Yoongi é bom, amável, fiel... E você o deixou para viver de farra. –  olha para mim enojado. – E mesmo assim ele ainda te ama. – Fala triste e desolado.

– Jungkook, eu sei que errei... – Sou interrompido por um forte soco em meu maxilar, que faz minha cabeça vira para o lado de tão forte que foi o impacto.

– Essa foi por ter beijado o que era meu naquele show. – Antes que eu me recupere Jungkook desfere outro golpe perto do meu olho, que abre meu supercílio. – Essa foi por ter abandonado e quebrado aquele garoto incrível. – Desfere mais um golpe em minha fronte, que me faz desequilibrar e cair por cima do centro que tinha no camarim, quebrando o mesmo. – E esse, foi por mim.

O barulho que o centro fez ao quebrar-se foi tão alto que chamou a atenção de quem estava do lado de fora, fazendo-os entrar para verificar o que estava acontecendo. Então quando olho para cima, vejo um Jimin preocupado vindo em minha direção para me ajudar a levantar; Namjoon segurando o Jungkook, que viria me atacar novamente e um Hoseok encostado na porta com os braços cruzados, esbanjando um sorriso cínico nos lábios enquanto olhava o circo pegar fogo.

– Calma, gostosinho. – Hoseok  fala para Jungkook. – Aquele branquelo sem sal nem merece isso tudo. Se você quiser te levo ‘pro meu quarto e prometo que quando eu terminar contigo, você nem se lembrará quem é Min Yoongi.

– Vai se foder! – Jungkook olha com nojo para Hoseok. – Eu tenho nojo de vocês, nunca me deitaria com nenhum.

– Ui, ele é arisco. – Hoseok solta uma risada e caminha até onde o Jungkook está. – Sabe gostosinho, os ariscos são os meus preferidos. – Passa a mão pelos lábios do moreno e pisca o olho para o mesmo.

– Não encosta em mim. E você... – Fala se referindo ao Namjoon. – Já pode me soltar, eu já acabei o que tinha de fazer aqui.

Jungkook joga um último olhar de desprezo para mim e vai embora.

– Sério Taehyung, o que aquele sem sal tem, que deixam vocês doidos?

– Vai se foder, Hoseok.

– Não importa, mas anotem o que digo; esse Jungkook ainda vai gemer muito meu nome. – Ao terminar de falar vai em direção à porta, creio que irá tentar algo com o Jungkook.

Enquanto eu, apesar de ter levado uma surra, que poderia ter sido pior se meus amigos não tivessem interrompido, me encontro totalmente feliz. Yoongi ainda me ama!”



[...]



Eu não perdi tempo, fiz de tudo para te visitar em meio à turnê, e depois de implorar por duas semanas consegui três dias livres, que usaria para ir te encontrar. Eu estava eufórico, você me amava ainda e, iludido pelo fato de você ter terminado com o Jungkook por minha causa, realmente acreditei que iríamos nos acertar. Não poderia estar mais enganado, você ainda não acreditava em meu arrependimento... Ou talvez, apenas não tivesse mais confiança em meu amor e na minha promessa de ficar com você para sempre.


[...]


“ – Yoongi? – Te chamei tão animado.

Estava esperando há duas horas você chegar do trabalho, então quando te vi passar pela cafeteria, que é o local onde sempre fico te observando quando venho a Sokcho, corri feito louco atrás de você. Não estava aguentando a ansiedade, finalmente ia te ter de volta.

– Taehyung? – Yoongi  faz uma cara de surpresa ao me ver, mas logo seu semblante muda e a irritação toma o seu rosto. – O que faz aqui?  Eu disse que era para me deixar em paz.

– Yoongi, eu sei que você terminou com o Jungkook.

– Sim, e o que isso tem haver com você? Isso só desrespeito a mim e ao Jungkook. – Fala ríspido. – E como você sabe do término?

– Eu sei que foi por minha causa, príncipe. – Digo presunçoso e  ignoro o seu questionamento.

–  Você está ficando louco, Taehyung. Só vai embora. – Diz se virando para entrar em casa.

– Yoongi, não adianta mentir. – O puxo para olhar para mim novamente. –  Foi o próprio Jungkook que me disse.

– C-como assim? – Gagueja um pouco. – Que história é essa do Jungkook ter te contado?

– Ele foi até mim, estava transtornado pelo término. E me contou que você terminou com ele porque ainda me amava. – Termino de falar rindo. Ele não me enganaria como da outra vez.

– Aí você veio correndo até mim? – Acenou um sim com minha cabeça. – Taehyung, entende uma coisa, eu não terminei com o Jungkook para ficar com você.

– Como assim, príncipe? Você o disse que não poderia casar com ele porque me ama!

– Sim, eu ainda te amo Taehyung... Acho que sempre vou te amar. Eu sabia que te amava quando ti reencontrei há três anos, e mesmo assim escolhi ficar com o Jungkook, porque tenho sentimentos por ele. Só que uma parte de mim sempre será sua Taehyung,  e quando o Jungkook quis dar um passo a mais no nosso relacionamento, eu não podia fazer isso com ele, não podia o deixar passar o resto da vida com um meio amor. Ele merece mais, e mesmo que me doesse o deixar, eu não poderia ser egoísta a esse ponto, ele merece ser amado intensamente, e infelizmente eu não poderia dar isso a ele. – Quando Yoongi terminar de falar sua voz está embargada e seu rosto vermelho, devido ao choro.

Fico sem saber o que falar, pois vejo que apesar de ter sido por me amar, o Yoongi não terminou para ficar comigo.

– Então Taehyung, eu não terminei por você, terminei pelo Jungkook.

– Yoongi, mas podemos ser felizes... Se você ainda me ama, deve está triste por estamos separados. – Me aproximo dele e colo nossas testas. – Por favor, nos dê uma segunda chance? – O suplico.

– Não posso, eu não confio em você Taehyung. – Diz se afastando.

– Príncipe, eu estou há três anos esperando você... Acredita em mim.

– Você só quer o que não pode ter, Taehyung.

– Yoongi eu ti quero porque te amo, porque estou arrependido, porque a saudades me machuca todos os dias, porque sei que você é minha única chance de ser feliz. – Digo exasperado. – Tudo gira em torno de você, tudo me lembra de você, todas as minhas músicas são para você, você não sente meu amor através delas?

– Sinto Taehyung, mas não são suficientes. – Fala choroso. – Na época que namorávamos também sentia seu amor, e mesmo assim você me deixou.

– Yoongi, eu era um jovem idiota, droga! – Esmurro a parede de sua casa, o desespero estava tomando conta de mim. – Eu cometi um erro, não me crucifique eternamente por ele.

– Desculpa, eu não consigo. – Suspira alto. – Você me destruiu naquela época, agora eu colei meus pedaços. E se você me quebrar de novo? Não creio que poderei me reerguer. Suas promessas são tentadoras, suas músicas são lindas e me desestabilizam me enchendo de vontade de correr para você e acabar com essa dor; Aponta para seu peito. Mas são apenas palavras, não posso me deixar levar por palavras de novo, eu não aguentarei sofrer tudo aquilo novamente.

– Yoongi...

– Essa é minha decisão. Adeus, Taehy.

Vejo ele se virar e entrar em casa, levando consigo toda a minha alegria e esperança de tê-lo de volta. Eu não sei como o fazer acreditar que faria tudo para ter o seu perdão e confiança, que trocaria tudo para está com ele."



[...]



Depois de três horas de viagem dirigindo um carro, pois tinha que vir de carro, não poderia me arriscar a ser flagrado pela mídia em um aeroporto, chego a Sokcho. Vou logo à  cafeteria da senhora Choi, faz exatamente dez meses desde a última vez que vim aqui, tenho que saber noticias do meu príncipe.

– Quem é vivo sempre aparece. Bem vindo de volta, perseguidor. – Saúda a mais velha.

– Min Hee, sabe que minha agenda é apertada, mas sempre que tenho um tempo livre venho saber como ele está.

Minha amizade com Choi Min Hee começou de forma engraçada, a primeira vez que vim atrás de notícias do Yoongi tive que subornar meia cidade para descobrir onde ele morava. Quando descobrir o local da residência do baixinho, também descobrir que ele só chegava tarde da noite, – eu também sabia onde ele trabalhava, mas não podia ir lá, Yoongi não poderia saber que estava o vigiando. –, então descobrir a cafetaria da senhora Choi, que fica bem de frente para casa do Yoongi e fiquei esperando, as seis horas que faltava para o baixinho chegar, no estabelecimento da mesma.

Só que logo após duas horas esperando e olhando constantemente para casa do Yoongi, Min Hee começou a desconfiar de mim, e antes de me perguntar qualquer coisa começou a me bater com um rolo de esticar massas soltando frases como:  “sai daqui perseguidor” , “você não irá fazer mal a aquele garoto trabalhador”. Quando ela se acalmou, depois de ter me batido bastante com aquele rolo, conseguir contar a minha história com o Yoongi, que queria só saber se ele estava bem; e  mesmo depois de saber que eu não estava ali para fazer mal ao meu príncipe, ela ainda me deu mais alguns golpes com o rolo, segundo ela, esses golpes era para mim deixar de ser burro e por ter machucado o Yoongi. Mas disse que acreditava no meu amor, que percebia que eu estava sofrendo o bastante com a rejeição e passou a ser a minha “espiã” e me contar como o Yoongi estava.

– Sei sim, perseguidor. – Vejo tristeza brilhar em seu olhar.

– Aconteceu algo Min Hee, você ficou triste de repente?

– Infelizmente sim. – E leva o seu olhar em direção da casa do Yoongi.

– O que aconteceu? O Yoongi está bem? – Pergunto desesperado, meu coração está batendo como louco devido apreensão de ter acontecido algo com o mais novo.

– Taehyung, há seis meses o Yoongi foi atropelado...

Não pode ser!  Yoongi não pode ter morrido, sinto uma dor mil vezes pior, que estava sentido por não o ter comigo, se alastrar pelo meu corpo e espírito. Saber que ele possa não está mais vivo, é insuportável; pois saber que ele não mais respira, não mais rir, não mais é feliz: é excruciante. Estou tão abalado que lágrimas grossas brotam em meus olhos e um bolo de dor e angústia enche meu peito dificultando minha respiração.

– M-me diz que ele não morreu... Por favor. – Falo ofegante, tentando respirar, mas sinto minha garganta trancar ainda mais.

– Calma Taehyung. – A mesma vem até mim e me faz sentar em um banco. – Você vai acabar desmaiando se não respirar direito.

– ME RESPONDE!!! – Grito desesperado por respostas.

– Não Taehyung. Ele não morreu. – Sinto uma onda de alívio tomar o meu corpo ao escutar tais palavras.

– Como ele está? Quais foram a sequela deste atropelamento? Como isso foi acontecer? – Solto tudo de uma vez.

– Calma, vou te explicar tudo direitinho. Ele tava saindo da escola na qual dava aula de artes, e uma criança, acho que de uns cinco anos, em um descuido da mãe correu para rua e  vinha um carro, o Yoongi não pensou duas vezes em tentar salvar o menino, só que o carro atropelou ele. Ele ficou um mês em coma, uma pancada forte da cabeça, e quando ele acordou Yoongi estava cego. Os médicos dizem que ele teve sorte, pois de todos os traumatismos que ele poderia ter ficado, a cegueira foi o mais leve, e devido à gravidade da pancada acham que foi um milagre ele apenas ter ficado cego.

– Porque você não me contou logo, eu poderia ter  vindo e cuidado dele. Quem está cuidando dele?

– Ele está só. Depois que ele saiu do hospital, ele foi para uma casa de apoio para cegos, que ajudam pessoas com deficiência a se adaptar, depois de meses lá ele voltou para casa. E eu não te liguei porque ele voltou recentemente.

– Eu tinha que saber disso. Eu tinha que está com ele. Eu prometi que ia proteger ele... Tudo culpa minha. – Começo a dar socos e  tapas em mim mesmo como forma de punição. Yoongi está passando por tudo isso por minha culpa, se não tivesse o conhecido, ele estaria bem com a mãe e não só no mundo.

– Calma, se autoflagelar não irá o ajudar. Você tem que  ficar tranquilo e o ajudar, mostrar que está com ele Taehyung. Pois agora mais que nunca ele precisa de você.

– Eu vou Min Hee, não irei o deixar. Mesmo que ele não me queira por perto, eu vou cuidar dele.

– Isso Taehyung, tem que pensar assim. Yoongi desde que voltou está bem triste, trabalhar com aquelas crianças era a alegria dele Tae, ele passou por muito, ele precisa de cuidados.

– Vou lá agora. Até Min Hee.

– Vá, e tenha calma, pois creio que ele não vai te aceitar de primeira.

– Não se preocupe. Não importa quantas vezes ele tente me expulsar, desta vez ele vai ter que me aguentar.

Trato de sair dali imediatamente, nem  espero para ver se Min Hee iria falar mais alguma coisa.  Preciso olhar com meus próprios olhos como ele está, se está verdadeiramente bem.

Ao chegar em frente a porta da casa do Yoongi toco a campainha e espero o mesmo vim me atender. Estou completamente ansioso, fico trocando o peso do meu corpo de um lado para o outro enquanto espero.

– Quem é? – Yoongi pergunta ao abrir a porta. Ao vê-lo daquele jeito sinto lágrimas caírem pelo meu rosto. Yoongi estava me encarando, mas seus olhos estavam vazios, sem vida e sem realmente focar em algo ou alguém, também percebo que está mais magro e com um semblante triste. – Olha, se for algo tipo de brincadeira  eu teria vergonha, e iria reavaliar minhas atitudes, pois se você não percebeu, eu sou a porra de um CEGO! – Diz irritado.
–  Oi, Yoon.  Precisamos conversar. Digo ainda fungando um pouco.

–  Taehyung, o que faz aqui?  – Pergunta confuso. Yoongi dá passos para frente  na tentativa de tocar o meu rosto, no entanto, devido ao batente, quase cai .  – Obrigado por me segura. – Tateia meu rosto, passando a mão pelos meus olhos, nariz, boca e maxilar.  Ele estava me “vendo” da única maneira que pode agora.

–  Eu vim cuidar de você!  – Afirmo confiante.

–  Que história é essa? Eu não preciso de babá.  – Bufa irritado e se distancia de mim. – Só vai embora…

–  Eu não vou, sei que você não precisa de babá, mas também não pode ficar só, serei sua companhia. Agora Yoongi nada do que você me disser irá me fazer desistir de cuidar de você.

– Quem te disse do meu estado?  – Questionou cruzando os braços.

–  Foi a Min Hee.

–  Min Hee do café?  – Sua cara tem uma expressão confusa ao me perguntar. E era a coisa mais fofa, me dava vontade de o apertar, mas tinha que me segurar para não fazer isso, ele ficaria bravo, mas do que já estar.

–  Sim.

–  Como a conhece?

Sua pergunta agora me pegou, terei que contar que o vigiava, ele irá ficar bastante irritado, mas não quero esconder nada dele e a partir de agora vamos conviver muito.

–  Eu vigiava você…

–  O que?  – Pergunta alarmado.  – Explica bem essa história.

–  Sim eu vou, mas vamos entrar, a história será longa e não quero que você resfrie.   – Era inverno e as temperaturas estavam lá em baixo.

Ao chegar dentro da casa do baixinho, me sento no sofá e vejo o mesmo sentar em uma poltrona de frente para mim

–  Explica.

Então conto a  ele toda a história, digo que não conseguia simplesmente o deixar ir e tive essa ideia louca de o fazer visitas para saber como estava, contei também minha ligação com Min  Hee e como ela me ajudou e me ajuda.

–  Você não tinha esse direito, porra.  – Yoongi está espumando de raiva, suas narinas infladas, seu rosto vermelho e punhos cerrados, deixam bem claro os sentimentos dele no momento.  – Isso é invasão da minha vida, eu disse que era para me deixar em paz, simples.

–  Eu não podia, eu precisava, Yoongi.  – Tento o convencer. – Era uma necessidade maior que eu.

–  Porque não cuidou de mim quando era seu? – Sinto uma ponta de mágoa na sua voz e isso me quebra, mais ainda se possível.

–  Eu errei, eu já te pedir mil desculpas  e vou continuar pedindo até você me perdoar.

–  E o que você quer aqui?  – Pergunta,mas quando iria o responder ele pede que eu espere fazendo sinais com a mão.  – Espera eu já sei, você soube da minha cegueira e achou que cuidando de mim iria me ter de volta?  Se for isso, desiste. Eu não quero que ninguém fique comigo por remorso ou pena.

–  A última coisa que pensei foi em ti procurar por pena ou pra você voltar comigo, Yoongi.  – Deixo a mágoa que senti ao vê que ele pensa de mim presente em minha fala. – Eu só quero cuidar de você, não precisa namorar comigo, se quiser nem precisa falar comigo, mas me deixa cuidar de você, príncipe?

–  Taehy, só vai embora…  – Suspira cansado. – Você é jovem, tem sua banda e carreira, eu só sou um ex que você se apegou por culpa, e nem  sou tão bom, ainda mais agora sem enxergar.

Caminho até onde Yoongi está sentado, me agacho pra ficar em sua altura e enxugo algumas lágrimas que estava escorrendo pelo seu rosto. O baixinho tenta se esquivar do meu toque, mas o abraço e falo em seu ouvido.

– Como você pode dizer que não é bom? Você viu o ato que fez? Você apenas está cego por ter salvado uma criança. – Tento o convencer do quão incrível ele é. Yoongi é um anjo, não apenas na aparência, mas em suas ações.

– Eu não fui herói, eu apenas agir por instinto.  – Fala desmerecendo seu ato heróico

–  Yoongi, o instinto que temos é de sobrevivência, de nós preservar, você ao menos pensou sim? Não! Você apenas queria salvar aquela criança. Você é a pessoa mais bondosa que eu conheço e você querendo ou não eu vou cuidar de você.

–  Como você irá cuidar de mim, se vive em turnê?  – Ironiza.

–  Simples, eu vou largar tudo e ficar com você.

–  NÃO!  – Grita.  – Você não pode fazer isso, é sua carreira, seu maior sonho.

– Sonhos mudam, Príncipe. E o  meu maior sonho é você.

–  Mas eu não quero.  – Bate o pé, faz bico e cruza os braços. Sem refrear-me roubo um selo dos seus lábios fininhos.  – Hey, você não pode fazer isso. – Desfere um tapa fraco, que bate em meus braços.

–  Você não tem querer.  – Digo sério. – É a minha vida, e mesmo que não queira, irei cuidar de você.

–  Sai daqui…  – Diz irritado e apontando na direção da porta.  – E espero que não volte.

–  Até amanhã, Príncipe.  – Deixo mais um selo em seus lábios e saio correndo em direção da saída.

Sei que pra quem ver de fora pode parecer loucura, abandonar toda a minha carreira, mas pra mim não é. Eu amo a música, mas amo mais o Yoongi, e posso viver de música aqui, não cantando, mas dando aulas. Agora eu não posso viver sem ele, ou abandoná-lo nesta hora difícil. E seria minha chance de mostrar a ele que mudei, que vou está ao seu lado sem nunca deixá-lo novamente.

Ao sair de lá pergunto a Min Hee  se ela conhece alguém que esteja alugando uma casa.  Pois agora moraria em Sokcho! Ela me deu o telefone e já contactei o dona da casa, porque assim já resolveria a questão da moradia, faltava  resolver com a empresa, ligaria para o meu advogado para ele analisar o caso, o que teria que pagar pela quebra de contrato e procurar um emprego.



[...]



Passou-se às duas  semanas que possuía de férias e apenas ontem que meu advogado deu a entrada na rescisão do contrato. Yoongi ainda está irredutível, e não aceita muito bem a  minha presença. Apesar de passar todos os dias da semana o visitando e cuidando do mesmo, o baixinho ainda discutia comigo por esta cuidando dele.

Nesses dias que fiquei com ele, todos os dias acordava cedo e levava café da manhã pro Yoongi, ele estava muito magro. Depois o levava para tomar um sol e passear ao ar livre, voltamos pra casa na hora do almoço, onde logo após o  Yoongi tirava um cochilo. Depois jogávamos conversa fora, mesmo que no começo o Yoongi era um pouco monossilábico, mas no fim ele adorava me ter ali. Às vezes o pegava sorriso e o mesmo estava mais radiante.

– Yoongi? – O chamo ao entrar em sua casa.

– ‘tô aqui. – Sua voz soa da cozinha.

– Eu estou indo embora, príncipe. – o aviso me despedindo e vejo um semblante triste surgir em seu rosto.

– Okay. – fala indiferente mas vejo que está cabisbaixo.

– Você sabe que vou voltar, não sabe? – o puxo para os meus braços  e diferente das outras semanas Yoongi não nega o meu abraço.

– Sim. – sua voz sai abafada pelo fato de seu rosto está grudado em meu peito.

– Por mim eu não iria. Já ficaria de vez com você.  Eu te amo, Yoongi. – beijo a sua testa.

Desde aquele primeiro encontro que não o beijo, não quero o forçar a nada, nem que ele ache que estou apenas querendo o ganhar de volta. Eu apenas quero o proteger de todo o mal do mundo, como disse anos atrás. Se tivermos que ficar juntos, a iniciativa terá que vir dele.

– Boa viagem, Taehy. – Me chama pelo apelido carinhoso que costumava usar e sinto meu coração se aquecer. – E boa sorte com a quebra do contrato. – Tateia meu rosto e quando encontra minha bochecha fica nas pontas dos pés e a beija.

– Eu vou,  meu príncipe. Mas em uma semana volto. E qualquer coisa fala com a Min Hee, pedir para ela vim dar umas olhadas em você.


[...]


As coisas se estenderam mais do que eu gostaria, em vez de uma semana acabei ficando dois mês fora.  Devido a burocracia da empresa, ainda tive que fazer uns três comerciais com a banda. Fora as várias entrevistadas que dei sobre o meu desligamento da banda. Claro que em nenhum momento falei sobre o Yoongi, tinha que resguardar sua imagem.

Por falar no meu príncipe, estou morrendo de saudades, apesar que falávamos todos os dias pelo celular, pelo menos por uma hora. O escutava sorrir e brincar comigo como antigamente, quando namorávamos. E isso me deixava tão feliz que nem o fato da empresa me tirar quase todos os meus, pois tive que vender quase todos pela multa de rescisão, mas se este era o preço para escutar este sorriso do Yoongi, eu pagaria.

Agora, finalmente, cheguei em Sokcho. Perdi a Min Hee para dar um passeio com Yoongi, eles também viraram amigos.  Meu príncipe não sabia que estava voltando, o disse que só voltaria semana que vêm. Então estou fazendo um jantar e o farei uma surpresa. Yoongi também me disse que tinha uma surpresa pra mim, mas disse que só falaria quando eu chegasse, não vejo a hora de saber a notícia.

As seis horas em ponto  Min Hee manda uma mensagem falando que já estavam voltando, que era pra mim estar com tudo pronto. Então como a comida estava pronta, vou apenas me banhar e esperar o Yoongi.  

Após meia hora escuto o barulho da porta e Yoongi se despedindo de Min Hee.

– Mas que cheiro de kimchi e carne. – fala Yoongi ao sentir o aroma. – Quem está aí?

Yoongi anda em direção a cozinha, e em passos leves ando até ele e abraço por trás, um corpo de Yoongi dá um pequeno tremular, pelo o susto e para o acalmar sussurro em seu ouvido.

– Sou eu, Príncipe.

– Taehy? – Se vira e me dar um abraço apertado, cheio de saudades, chego até me teletransportar para os meus  vinte e dois anos, quando voltava de viagem e Yoongi me abraçava desta forma. – Você disse que só voltaria semana que vêm.

– Quis te fazer uma surpresa, não aguentava mais de saudades, príncipe. – o aperto mais um pouco. – ‘Tá surpreso?

– Muito! – dar um sorrisinho gengival. – Que cheiro bom, foi você quem fez?

– Sim, e vamos comer antes que esfrie.

Jantamos e o contei como foi o meu tempo fora e ele falou sobre o dele. Rimos, bebemos, mas não me aguentava de curiosidade sobre a surpresa que o Yoongi tinha para me dizer. Então quando o mesmo falou que estava satisfeito o questionei.

– Então, príncipe. Qual era a surpresa que você tinha ‘pra mim  contar?

– Bem, você sabe que não te queria de volta em minha vida? – Afirmo com a cabeça. –  E mesmo ainda achando uma loucura você ter largado tudo por mim, eu não posso negar que  desde que você voltou me sinto mais feliz…

– E isso quer dizer?

– O que te disse daquela vez que você veio aqui, após o término com Jungkook ainda é válido. Eu te amo, Taehy. Na mesma intensidade que tenho medo de me machucar novamente. No entanto agora, com essa sua atitude…

– Yoongi, eu não fiz isso para você voltar pra mim. – o corto.

– Eu sei. Deixa eu terminar o que tenho ‘pra falar. – suspira e passa a língua pelos lábios o umedecendo. – Como estava dizendo, sua atitude, mesmo não sendo calculada para me ter de volta,  me ganhou, foi fazendo o medo se esvair. Não vou lhe negar que ainda tenho um pouco de medo dentro de mim, pois tenho e acho que sempre vou ter. Essa será minha cicatriz de tudo o que aconteceu. Mas eu venho conversando sobre você com a Min Hee, ela vem me aconselhando e também eu não aguento mais de saudades, só quero poder correr ‘pros  seus braços e te abraçar forte. Como você tanto me pediu naquela canção. – Yoongi termina sua fala com a voz um pouco embargada e algumas lágrimas finas descem em seu rosto.

Então em um movimento desesperado, sim, pois era desespero que sentia, ansiava por esse beijo, por ter permissão de o tocar novamente por anos. Eu o beijo, queria ser delicado e degustar os seus lábios, mas tanto eu, quanto Yoongi, estávamos tomado pelo desejo,  como se apenas na boca um do outro encontrássemos o ar para respirar.

– Eu te amo. – Falo ofegante quando cessamos o ósculos. – Isso é  real ou apenas mais um sonho? – Colo minha testa a sua, deixando algumas lágrimas escaparem pelos meus olhos.

– É real, Taehy. – deixa beijos pela minha face. – Eu te amo. Me faça seu novamente?

– Yoongi, está cedo. Não faz nem meia hora, não quero ser precipitado. – Claro que estava com saudades do corpo dele, eu só não quero que ele ache que isso é  o mais importante.

– Foda-se! Eu passei sete anos, sem sentir seu toque em minha pele, não quero passar mais nem um minuto. Me faça seu! – dessa vez Yoongi não pede, ele manda.

Então, apenas o ergo  em meus braços, enlaçando as suas pernas em minha cintura, e caminho até o quarto.

– Seu desejo é uma ordem, Príncipe.

O jogo na cama e  começo a deixar uma trilha de beijos em seu rosto, boca e pescoço. Neste último deixo algumas mordidinhas de leve, apenas para o arrepiar.  Vou abrindo cada botão de sua camisa, lentamente, e a cada pedaço de pele que vai sendo deixada à mostra, eu faço questão de marcar com chupões leves, que fazem Yoongi arquear o seu corpo e gemer por mais.

– T- taehy… – Geme manhoso. – Não me tortura.

Não é que não queira sentir logo todo o seu corpo ao meu, pois é  o que mais quero. Meu pau pulsa fortemente em minhas calças, apenas em antecipação, mas eu quero provar e adorar cada parte do corpo do meu príncipe.

– Calma, príncipe. – abro mais algumas casas de sua camisa e beijo a pele alva. – Temos não só a noite toda pela frente, temos a vida toda.

Após desabotoar toda a sua camisa, o torso de Yoongi se encontra todo cheio de marcas e seu membro está marcando as calças jeans justas. Sua respiração está ofegante e seus lábios estão um pouco vermelho e com marcas dos seus pequenos dentes.

– Por favor, Taehy… – sua voz sai tão desejosa que todo o meu plano se esvai.

Começo a tirar todas as minhas roupas, ficando completamente nu. Vou até Yoongi e termino de tirar sua blusa, calças e sapato o deixando apenas de cueca, que era  vermelha, contrastando com sua pele branca. Passo o polegar por sua glande, a deixando mais demarcada em sua cueca, que pelo o pequeno estímulo encontrava-se molhada de pré-gozo.

– Ah, Yoongi. Você já está tão sedento por mim… – pego a sua mão e levo para o seu membro. – Sinta como está molhado… Você me quer, Príncipe?  Sua entradinha já está piscando por mim, pelo meu pau?

Yoongi geme e assente com a cabeça. As suas mãos que deixei em sua glande, começa a mastubar a mesma por cima da cueca e o baixinho tomba a cabeça para trás, aproveitando a sensação de prazer.

– Quantas vezes nesses anos você se tocou pensando em mim?  – o questiono. Vê Yoongi se mastubando clamando pelo meu nome me levava a loucura.

– Muita, A-aahhhh – Geme ao intensificar os movimentos. – T-taehy… preciso de você.

– Já vou cuida de você. Mas está tão linda a visão, meu pau tá tão duro, quer sentir?  

– Taehy, você ainda têm o piercing?

Me aproximo dele, Yoongi estava sentado se masturbando, deixo meu pau quase rente à sua boca. Pego a mão que estava acariciando o pênis do mais novo e levo até a base do meu membro.

– Descubra…

Yoongi começa a passar a pontas dos seus dedos pela base e testículos, me causando arrepios, e vagarosamente, leva as suas mãos  até a cabeça, sentindo a pequena argola prateada.

– Quero chupar…!

– Leve-o até a sua boca então.

Então o mais novo continua com uma de suas mãos na base do meu pau,  enquanto a outra guia a cabeça para boca quentinha do loiro. Yoongi passa a língua pela argola, e a puxa com o dente, como fazia antes. Tão gostoso, a boquinha de Yoongi sempre fora o céu. O baixinho passa alguns minutos, chupando, lambendo e mordendo de leve a minha glande, enquanto sua outra mão trabalhava, alternando entre mastubar e acariciar meus testículos.

– Pare! Não quero gozar agora.

Yoongi cessa seus movimentos. Tiro a sua última peça, e analiso seu corpo, que continua belo como antes. O viro de costas e Yoongi logo se empina pra mim, esperando meu ataque. Vendo aquela entradinha rosa, minha boca chega a salivar e deixo uma boa lambida e logo forço minha língua para dentro do buraco apertado.

Enquanto o atacava com minha língua,  Yoongi força a sua bunda contra a minha cara, em busca de mais contato. Cesso o meu ataque, e chupo meus dedos, deixando bem molhados.

– Taehyn… ahhh.

Antes que Yoongi reclame pela falta de estímulo insiro um dedo dentro dele, e começa a girar em busca de espaço, o alargando, a entrada do loiro se contrai um pouco, mas logo relaxa.  

– Isso, príncipe… Relaxe. – insiro mais um dedo dentro do menor. – Tão apertado. – o interior de Yoongi quase esmagam os meus dedos.

–  M-mais T-taehy. – Geme ao sentir meus dedos tocarem sua próstata.

– Yoon? Você tem algum lubrificante? – Pergunto,  pois não vão aguentar mais tempo nessa preparação. Todo meu ser anseia para está dentro dele novamente.

– Pode até ter, não sei… Depois da reforma  da casa, ela tinha que ser adaptada por um cego. Muitas coisas foram jogadas, e se tiver está fora de validade, ainda foi do tempo que namorava o Jungkook.

– Okay, então você não transa desde o término com Jungkook. – Yoongi faz um “hum hum”. – Você tem certeza que quer continuar príncipe? Não temos lubrificante e faz tempo que você não sente nada lhe invadindo. – o pergunto, pois mesmo que esteja louco para estar dentro dele, seu bem estar é minha prioridade.

– Taehyung.

Yoongi vira e fica de frente de joelhos,  põe suas mãos no ar a minha procura. Para o ajudar me aproximo do seu corpo, pego Yoongi,  me sento com as costas escoradas na cabeceira da cama e ponho o baixinho sentado em meu colo. Yoongi começa a tatear meu rosto e cola nossas testa.

– Faça tudo, apenas não pare. Eu preciso de você, sentir você dentro de mim, como antes. – Começa a me beijar, tateando todo o meu torso e se esfregando em meu pau, dando reboladas.

O levanto um pouco, para posicionar o meu membro em sua entrada e vou guiando Yoongi, que vai descendo aos poucos em meu pau. Deixo Yoongi ditar o ritmo. Ele começa devagar, em cavalgadas lentas e suaves, apenas se acostumando com a invasão. E mesmo em um ritmo lento, poderia gozar apenas com os espasmos que o interior de Yoongi dar em meu pau, o apertando deliciosamente.

– Tão gostoso! – levanto a minha pélvis, dando pequenas estocadas, acompanhado o ritmo lento de Yoongi.

– Por favor, vai mais rápido. – dar uma sentada mais forte em meu membro. – Já me acostumei.

Aperto as minhas mãos em seu quadril,  parando os seus movimentos e começo a surrar o interior de Yoongi, forte e rápido. O baixinho delirava, gemidos e súplicas saiam dos seus pequenos lábios rosados. Tiro a mão do seu quadril e levo a sua cintura, a apertando e trazendo o corpo de Yoongi para mais perto de mim, começo o ataque em seu pescoço, clavícula e mamilos.

– Eu te amo. – sussurro em seu ouvido.

– Eu te amo. – Respondeu ofegante.

Yoongi já estava completamente suado e mesmo não fazendo mais esforço, vejo que aquela posição já estava começando a cansar o mesmo.  O tiro de cima, e o ponho deitado na cama, me posicionei atrás dele, para ficamos de conchinha. E mais uma vez me insiro dentro dele, trago o seu corpo para ficar bem colado ao meu. E o agarro fortemente, colocando todo os nossos corpos.

– Você gozaria assim? – Sussurro sedutoramente e deixo algumas mordidas em sua orelha e nuca.

– Hum hum… – Empina a bunda e faz movimentos de vai e vem, se auto estocando.

Ponho uma mão em seu quadril e começo a surrar a próstata do baixinho, forte e rápido. Com uma das mãos seguro o membro esquecido de Yoongi e começo uma masturbação lenta, apenas para o provocar. E a cada nova estocada, Yoongi se desfaz em gemidos, seu interior se contrai me apertando, quase me levando ao ápice, e  o corpo do loirinho amolece em prazer.

– Goza, príncipe!

Intensifico  a masturbação e as estocadas o fazendo gozar, dando um gemido rouco e me fazendo gozar  logo em seguida.

– Será eu e você contra o mundo? – beijo a sua nuca.

– ‘Pra sempre, Taehy.


[...]


Seis meses se passaram, e a minha relação com Yoongi só melhora. Parece que a gente nunca se separou. Finalmente estamos vivendo nosso sonho de morar juntos, sem mais despedidas.  E finalmente Yoongi aceitou a minha proposta.

Desde que começamos a namorar novamente eu perguntei o que causou a cegueira dele. E o motivo foi o deslocamento da retina, pois a maior parte da pancada se deu em sua cabeça, Yoongi teve  um traumatismo craniano. E a retina que normalmente detectam a luz que entra no olho e enviam sinais para o cérebro sobre o que o olho vê, foi deslocada. E quando a retina se descola, esse mecanismo não funciona corretamente.
Então assim que apontado o diagnóstico, o paciente deve passar por cirurgia o quanto antes, porque pode acontecer a morte da retina e, consequentemente, a perda da visão. É um caso de urgência que a cirurgia seja feita imediatamente após o diagnóstico, pois mesmo não tendo o risco de vida do paciente, mas tem o de perder a visão. E como Yoongi passou um mês em coma, não tinha como os médicos saberem que ele estava cego.

E logo após que acordou Yoongi não quis fazer a cirurgia, por ser cara e também pelas probabilidades de êxito e recuperação da visão serem pequenas, pela cirurgia ser feita tardiamente.  Então as poucas economias que tinha e a ajuda que os pais da criança que ele salvou lhe deu, que não era uma grande quantia. Já que os mesmos não tinha grandes posses. Foram direcionadas para adaptação da casa para um cego.

Yoongi até tentou recorrer a sua mãe, mas a mesma disse que esse era o castigo dele, por ter seguido um sonho tolo. E Jin, já tinha uma mulher e filha para cuidar e sua mãe estava em estado crítico internada em um hospital, nos  últimos estágios de câncer; e Yoongi não poderia pedir dinheiro para o amigo. Pelo menos, não em um momento tão crítico para o mesmo. Jin só veio saber do estado de Yoongi há alguns meses atrás.

E mesmo logo após ele me contar toda a história, e eu insistir para pagar a cirurgia. Que mesmo que as probabilidades fossem mínimas, eu daria toda as minhas economia para ver Yoongi enxergando novamente.  Ver novamente a luz nos olhos do meu príncipe, valeria qualquer preço.

Mas Yoongi ainda continuava teimoso. Não quis aceitar, disse que era o único dinheiro que me restou e já bastava eu ter largado a minha carreira por ele.  E só quando eu conseguir o emprego como professor de música na escola de artes que Yoongi trabalhava foi que o consegui convencer a aceitar a minha ajuda.

E agora, após uma semana, Yoongi finalmente vai tirar as atadura dos olhos. Vamos realmente saber se ele poderá voltar a enxergar. E mesmo que não consiga, eu estarei com ele e farei tudo que esteja ao meu alcance para que ele se recupere desse baque, pois mesmo dizendo que não tem esperança, no fundo eu sei que ele as nutri.

–  Bom dia, príncipe. –  Falo ao entrar no quarto de hospital. –  Como meu amor dormiu hoje? – Deixo um selo em seus lábios,  estava morrendo de saudades de dormir agarrado a ele. Me acostumei a o ter e não me imagino sem ele.

– Dormir pouco, estou tão ansioso, Taehy. – suspira fortemente. –  E se não der em nada, todo o dinheiro, toda a esperança vai ser em vão?

– E se der certo? –  O abraço apertado. – Tenha fé, meu príncipe. O dinheiro não importa, e mesmo que você não volte a enxergar; eu estarei aqui!  Serei seu guia, seus olhos neste mundo. Serei seu porto seguro. Você confia em mim?

–  Confio, mas…

–  Sem mas! Se der certo estaremos juntos, e se não der também.

– Cadê o meu paciente mais lindo? –  O médico entra tentando animar Yoongi. –  Como dormiu?

–  Mais ou menos. Estou ansioso.

–  Calma, Já vamos ver.

O médico começa a tirar a atadura do rosto de Yoongi. Depois tirar os curativos, antes de pedir que Yoongi abra os olhos, limpa a área com soro, para caso tenha entrado alguma impureza nos olhos do meu príncipe.

–  Pronto Yoongi, pode abrir os olhos.

Yoongi abre os olhos lentamente, pisca algumas vezes e logo lágrimas começam a cair dos seus olhos. E estou apreensivo, será que elas são de alegria ou tristeza?

–  Então príncipe, consegue me ver? –  me ponho à sua frente.

– S-sim! Eu consigo ver novamente, Taehy. – dar um sorriso gengival brilhante e me abraça.

– Eu te disse, Yoongi. Tenha fé!

– Bom, já que a cirurgia foi um sucesso e você ficou interno esses dias e não surgiu nenhum problema ou infecção. Você está de alta. Agora vou indo. –  Se pronuncia o médico.

– Obrigado doutor.

–  Não precisa, só fiz o meu trabalho, meu jovem. –  afaga os cabelos de Yoongi e sai.

–  Eu disse! Disse que daria certo.

–  Obrigado Taehy.

–  Eu Te amo, Yoon. E te ver assim, radiante é  a melhor recompensa. E juro, que a partir de agora esse será o meu trabalho, te fazer feliz.

– Você já me faz… Desculpas por demorar tanto pra te perdoar.

–  Não vamos falar do passado. O que importa é o agora e nosso futuro. –  o beijo apaixonadamente. – Agora vamos, levanta daí e vá trocar de roupa, temos que comemorar, e a forma que eu quero, não dar pra ser feita em um hospital. – Deixo um sorriso malicioso surgir em meus lábios.

Yoongi levantou-se e saiu correndo para o banheiro se trocar. Eu tive muita sorte  em o encontrar há anos atrás. E mesmo após todas as minhas burradas e sofrimento, meu príncipe me perdoou e o tive de volta. Conseguir minha segunda chance, desta vez irei aproveitar cada segundo dela. Pois o meu amor por esse baixinho é incondicional.

E se no início de tudo, quando o encontrei pela primeira vez, eu soubesse  que passaria por toda a dor que passei Eu aceitaria a condição. Pois no final, eu o teria em meus braços, e isso é a melhor coisa do mundo, nenhuma fama, curtição ou dinheiro, me traria mais felicidade que acordar todos os dias ao lado do homem da minha vida.  

– Vamos? – Yoongi chama após terminar de se trocar.

–  Com você,  para qualquer lugar!

















































.























Notas Finais


Jennie sua cachorra, feliz dezoito aninhos. Sabe que te amo e nada melhor que uma Taeguizinha sofrida pra dar de presente pra minha parceira de plots que está fazendo 18 aninhos @kappanubeta tá de níver gente!! Dêem os parabéns.
Bom, esse foi o fim e espero que gostem. E não sei quando ou que dia farei um extra hopekook , vcs querem?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...