História I Want Your Love - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Personagens Alex Vause, Gloria Mendoza, Nicky Nichols, Personagens Originais, Piper Chapman
Tags Alex, Drama, Netflix, Orange Is The New Black, Piper, Vauseman
Visualizações 256
Palavras 2.697
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá amores, eis-me aqui novamente.

Irei dividir o capítulo em dois e mais tarde enviarei a outra parte.

Capítulo 7 - It's June 7th. (Parte I)


Fanfic / Fanfiction I Want Your Love - Capítulo 7 - It's June 7th. (Parte I)

| 7 de junho, 8:00 am
 

Era 7 de junho. Meu aniversário. Mas ao contrário de muitas pessoas, eu não era muito comemorativa em se tratando de aniversários. Um "parabéns" ou "feliz aniversário" já estava de bom grado para mim. 

Mas eu sabia que hoje eu não teria apenas isso, pois minha querida mamãe organizou um "pequeno" jantar para a comemoração de mais uma primavera minha. Já estava me preparando psicologicamente para este tal jantar mais tarde. 

Tomei um banho rápido e desci para o café.

 

Balões... Bolo... Família...

Foi basicamente o que eu encontrei ao descer as escadas. As pessoas que eu mais amava na vida estavam ali por mim e para mim. 

- "FELIZ ANIVERSÁRIO!!!" - Gritaram em uníssono. 

Recebi um caloroso abraço e lindas palavras de cada um que aqui estava presente, como os meus pais, Carl, Nicky, vovó Celeste e tia Piper. 

Em cima de um pequeno bolo continham duas velinhas com o número "21".

Após cantarem os parabéns, apaguei as velinhas e apesar de não gostar de comemorar aniversários, e não ser nem um pouco tradicional, optei por segui a tal tradição de fazer um pedido antes de apagar as velas. Fiz. Agora é só torcer para dar certo. 

 

| 07:00 pm
 

Eu consegui convencer a minha mãe à fazer um jantar mais simples e reservado. Ela relatou, relutou mas no fim aceitou.
 

Algumas das poucas pessoas convidadas já estavam chegando. De fato era uma comemoração só para família e amigos. Carl trouxe Marisol, Maritza e a famosa Glória Mendoza, mãe das meninas. Minha mãe se dava muito bem com Glória. A senhora Mendoza era realmente uma pessoa maravilhosa, eu também adorava conversar com ela. 
 

- "Ei Piper, feliz aniversário girl." - Disse Maritza me abraçando por trás. Tomei um susto. - "Perdão - risos - eu não quis assustá-la." - Ela diz.

- "Obrigada. Mas não chega assim garota. Quer me matar do coração?" - Maritza apenas sorri enquanto falo com ela.
 

Ao olhar por cima do ombro de Maritza, avisto Polly entrando com Finn no colo, enquanto Pete segura a bolsa do bebê.
 

- "Me dá licença um minutinho?" - Peço à Maritza.

- "À vontade, Chapman." - Ela diz.
 

- "POOOOLL" - Eu falo eufórica indo na direção de Polly. - "Que bom que vocês vieram." 

- "E eu ia perder o seu aniversário garota, tá maluca?!" - Disse ela enquanto me abraça. - "Feliz aniversário, Piper." 

- "Feliz aniversário, loirinha." - Pete diz e me abraça.

- "Muito obrigada, gente." 

- "Cadê a sua lutadora sexy? Não veio?" - Questiona Polly.
 

Eu havia contado desde o começo para Polly sobre Alex. Ela, juntamente de Nicky, eram as minhas melhores amigas. Eu não lhes escondia nada.
 

- "Bom, eu não sei. Ela não me mandou mensagem o dia todo, e nem me deu a certeza de que viria." 

- "Espera até mais tarde, talvez ela apareça. Aí você pode apresentar sua futura namorada para os Chapman." - Polly diz com um sorrisinho sacana.

- "Vai se foder, Polly. Ela não é minha namorada." - Pete tapa os ouvidos de Finn com as duas mãos. 

- "Oh! Olha o bebê..." - Ele diz.

Eu sorrio junto de Polly.

- "Perdoe-me pequeno Finn." - Falo com o bebê rechonchudo.
 

Finn fisga seus olhinhos verdes em mim e logo em seguida abre os bracinhos me pedindo colo.
 

- "Parece que alguém quer colo." - Diz Pete.
 

Fico meio acanhada pois não tinha nem um pingo de jeito com crianças. Mas olhando Finn com seus bracinhos estendidos, me derreti toda. O coloco em meu colo. 
 

- "Mostre o jardim à ele, Piper. Ele gosta de observar o verde das plantas." - Diz Polly.

Saio com o bebê em meu colo e dou uma volta pelo jardim. Ele fica abismado ao se deparar com a piscina. Encontro Nicky e vou até ela.

 

- "Olha só quem já está treinando para ser mamãe..." - Disse Nicky enquanto apertava as bochechas de Finn.

- "Cala a boca, Nicky. Só estou dando uma voltinha com ele, não é garotão?!" - Finn agora ergue as mãozinhas batendo palma. Era como se estivesse concordando. - "Isso mesmo, aniversário. Você gosta de aniversários?" - Pergunto olhando direto para o bebê. Ele me sorri.

- "Ok, interrompendo esse seu momento maternal, queria dizer que a Lorna está chegando." - Disse Nicky. Eu a observo falar, então a mesma continua. - "Parece que ela pegou um engarrafamento e se atrasou por conta disso." 

- "Ah sim, tudo bem. Ela não falou se a Alex viria com ela?" - Pergunto.

- "Não, ela não me disse nada a respeito." - Enquanto Nicky fala, ela nota o meu visível desapontamento. - "Ela não te confirmou mais?" 

- "Ela disse que me ligaria para confirmar, mas não ligou. Deve ter se ocupado com coisas mais importantes, deixa pra lá." 
 

Após terminar a minha fala, ergui a vista em direção à entrada do jardim e lá estava Lorna junto de...
 

- "ALEX?!" - Saio com Finn nos braços em direção à ela. Nicky vem logo atrás de mim.

- "Então você veio." - Digo à Vause.

- "Feliz aniversário, Pipes." - Ela diz enquanto me abraça. Logo em seguida me entrega um pequeno embrulho em um formato quadrado. - "É algo simples, mas que foi feito com muito carinho." 

- "Alex, eu disse que você não precisava se incomodar. Só o fato de você vir, já era o suficiente." - Digo a ela.

- "Só não abra agora, tá?" - Pede Vause.
 

Eu olho para o seu rosto confusa, mas por fim acabo concordando. 
 

- "Feliz aniversário, Piper." - Falou Lorna que me deu um abraço carinhoso para depois me entregar um pequeno embrulho. 

- "Obrigada, Lorna. Você também comprou presentes? Não precisava garota." 

- "Nah, precisava sim." - Ela diz sorrindo.
 

Finn não parava de olhar para Alex. Ela logo percebeu e se prontificou à falar.
 

- "E esse bebê, de quem é?" - Ela pergunta.

- "Ah, é o Finn. Filho da Polly e do Pete." - Respondo.

- "Ele é muito fofo. Não para de me olhar, veja só." - As outras concordaram e em seguida sorriram.

- "Você está de olho na tia Alex, garotão?" - Pergunto ao virar Finn em minha direção. Ele sorri mostrando sua gengiva com alguns dentinhos. 

- "Acho melhor você não levar à diante, Finn. A tia Alex aqui come até o caroço da fruta que você irá comer mais tarde." - Disse Nicky para o garoto.

- "Nicky!" - Reprovo-a. Nicky sorri junto de Alex e Lorna.

- "Idiota!" - Diz Alex.

- "E aí Piper, você não vai apresentar Alex aos seus pais?" - Pergunta Nicky rindo sacana.

- "Mas é claro que sim." - Respondo e reviro os olhos. 

- "Se prepare hein Alex? Tia Carol não é uma pessoa fácil." 

Alex me olha assustada. Acho fofo e aperto sua bochecha esquerda.

- "Não liga pra ela. Nicky gosta de ser engraçada, não é priminha?" 
 

Eu me retiro com Alex e Finn. Chego até Polly que está com Pete e lhes apresento Alex. 
 

- "Olha só, então você é a famosa Alex?! Muito prazer, sou Polly." - Polly lhe estende a mão e Alex gentilmente aperta.

- "Bom, 'famosa' eu não sei. Mas sim, sou Alex." - Ela diz sorrindo. 

- "Esse é o Pete, marido de Polly e pai do Finn." - Apresento Alex à Pete e os dois se cumprimentam.
 

Ao longe meus pais se aproximavam para cumprimentar Polly e Pete. 

- "Polly, querida. Como é bom revê-la." - Disse mamãe abraçando Polly.
 

Meu pai após cumprimentar Pete se volta à mim e observa Alex ao meu lado. 
 

- "Você deve ser a Alex, estou certo?!" - Meu pai pergunta apontando à Alex. 

- "Sim. Esta é a Alex, papai e mamãe. Estava aqui apresentando ela à Polly e Pete." - Digo.

- "Muito prazer, Alex. Seja muito bem-vinda à nossa casa." - Diz meu pai de forma gentil enquanto aperta a mão de Alex.

- "Muito obrigada, senhor Chapman. O prazer é todo meu." - Fala Alex.

- "Mamãe, Alex. Alex, essa é a minha mãe Carol." - Apresento uma à outra.

- "Prazer, Alex." - Disse minha mãe abraçando Alex. 

- "Igualmente, senhora Chapman." 

- "Apenas Carol, meu bem." - Pede mamãe.

- "Ooh, sim. Claro, Carol." - Risos.
 

Meus pais se retiram e eu aproveito para levar Vause para conhecer a casa.
 

- "Nossa, fiquei tensa, não vou mentir." - Disse ela à mim.

- "Sério? Mas por qual motivo? Foi tudo tranquilo." - Nós sorríamos.

- "Sério, Pipes. Principalmente com a sua mãe. Ela tem um olhar tão..." 

- "Enigmático?" - Pergunto e ela afirma sorrindo.

- "Bem isso. Parece que a gente nunca sabe o que ela tá pensando." 

- "Isso é verdade." - Digo.

- "Você tem um toca fitas não tem?" - Vause me pergunta.

- "Tenho." - Respondo. - "Como você sabe disso?" 

- "Ué, esqueceu que me falou outro dia? Quando estávamos no meu apartamento..." 

- "Aah sim, verdade. Falei mesmo." - Risos. - "E pra quê você quer um toca fitas?" 

- "Pra você escutar o meu presente." 
 

Olho para Vause sem entender muito bem. Ela então continua.
 

- "Eu passei a manhã e a tarde gravando covers de músicas que eu sei que você gosta. Reuni todos nessa fita e quis lhe presentear." 
 

Eu realmente estava surpresa pra caramba. Como assim, Alex Vause cantora?! Essa mulher não cansava de me surpreender. 
 

- "Alex, eu não acredito. É sério mesmo?" - Pergunto abobalhada.

- "Muito sério." 

Alex me sorri e eu sinto meu coração pulsar cada vez mais forte. 
 

Saio arrastando-a comigo até o andar de cima. Ela fica sem entender pencas, mas mesmo assim me acompanha. 

 

POV ALEX
 

- "Ei, para onde estamos indo?" - Perguntei enquanto era arrastada pelo braço por Piper.

- "Para o meu quarto." 

- "Para o seu quarto?" - Pergunto-lhe.

- "Sim." - Ela diz enquanto balança a fita. - "Escutar a fita." 

- "Oooh... Claro, a fita." 

 

O quarto de Piper era espaçoso e acolhedor. Ela me mostrou todo o espaço e ao olhar para a janela, lembrei do dia que fiquei com o carro estacionado em frente à sua casa e ela apareceu na janela. Fiquei tentada a comentar sobre isso, mas deixei quieto, pelo menos por enquanto. 

Ao lado de sua cama tinha um criado mudo e, em cima dele continha algumas fotografias da Piper quando pequena. Fotografias que por sinal eram de tamanha fofura. Peguei uma para analisar.
 

- "Você era uma gracinha quando criança." - Falo olhando para a foto. 

- "E agora não sou mais?" - Piper pergunta e finge uma carinha triste..

- "Agora você é mais que uma gracinha." - Digo olhando em seus olhos.

- "Você é gentil." - Risos.

- "Apenas sincera." - Falei.

Piper fica vermelha igual um tomate. Eu acho redondamente fofo quando ela fica tímida. 
 

Chapman logo se afasta e pega um toca fitas dentro do closet. Sentamos na cama, uma de frente para a outra e com o aparelho entre nós.

 

Ao abrir a caixa da fita cai um pequeno papel de cor vermelha.

- “O quê que é isso? É uma lista de músicas?” – Pergunta-me Piper.

- "Bom, já que não deu de fazer uma capa, eu escrevi as músicas que gravei e as coloquei junto da fita." – Eu disse.

- “Hum, ok.” – Piper diz sorrindo. Ela continua. – “ ‘Only You – Yaz’, ‘You Wouldn't Like Me - Tegan and Sara’, ‘The Pussy is Mine – Miguel’. “

- “Miguel.” – Digo juntamente de Piper a última palavra.

- “ Isso é tão legal e tããão gay." – Disse Piper.

- "Eu sei." – Concordo entre risos.

- "Obrigada." – Piper me abraça.

- “Você gostou mesmo?” – Pergunto.

- “Se eu gostei? Eu mais que gostei. Eu amei! É um presente único, eu irei guardar com todo carinho.” – Ela diz.

- “Que bom que gostou, Pipes.”

- “Sabe de uma coisa Alex?”

- “Hum?”

- “Hoje cedo fizeram um café da manhã especial para mim, com bolo, velinhas e tudo mais...” – Falou Piper.

- “Que legal, Pipes. Mas pelo o que eu sei, você não é nada tradicional em relação à aniversários.” – Digo observando-a.

- “Pois é né? Mas hoje foi tão diferente. Eu fiz até pedido na hora de apagar as velas.” – Sorrimos. – “Quer saber qual foi?”

- “Oh não. Se você contar, ele não irá se realizar.”

- “Mas ele já se realizou.” – Ela diz me olhando nos olhos.

 

A encaro confusa, sem entender nada. Chapman então prossegue.

- “Eu pedi para que você viesse, e aqui está você.”

 

Ela finaliza e por fim dá um sorriso que poderia iluminar o mundo inteiro. Olho em seus olhos e encontro pupilas dilatadas. Piper então chega mais perto e pega em minha mão. Eu acompanho cada gesto seu sem desviar os olhos dela.

 

- “O que foi? O gato comeu sua língua?” – Risos.

- “Não, é que... Isso foi fofo Pipes.” – Respondo.

- “Eu sou tão fofinha, olha como eu sou fofinha.” – Ela diz enquanto segura em seu próprio rosto com as duas mãos.

- “Sim você é.”

 

 

POV PIPER

 

Eu estava tão perto de Alex. De repente senti sua respiração pesar e, a minha não estava tão diferente assim. O olhar daquela mulher me fazia sentir mais viva do que nunca. Alex tinha um olhar forte e seguro. Eu sempre mergulhava e me perdia nele.

- “Alex?”

- “Sim, Pipes?” – Ela responde.

- “Me beija?”

Vause arregala os olhos espantada. Ela não esperava por isso, e nem eu. Mas segui meus instintos. “E agora, meu Deus? Se ela disser não?” – Questiono à mim mesma. Alex permanece me olhando.

 

- “Me desculpa, Alex. Deixa isso pr...”

- “Espera.” – Ela interrompe minha fala tocando docemente em minha mão.

 

Alex então troca a mão pelo meu rosto e passa à acarinhá-lo de uma forma tão suave que me faz fechar os olhos para aproveitar mais daquele momento. Em seguida sinto lábios macios beijando a pontinha do meu nariz. Ela beijou também meus olhos, bochechas, queixo e por fim chegou aos meus lábios.

 

O beijo que inicialmente começara tímido, logo foi ganhando um tom mais sensual. Ela devorava a minha boca com vontade. Pedi passagem com minha língua e esta foi concedida. Alex logo começara a chupar minha língua e aquilo me deixava completamente louca. Eu enlacei meus dedos em seus cabelos, apertando sua nuca afim de aprofundar ainda mais aquele beijo.

Saindo da boca, Alex começou a explorar meu pescoço com seus lábios quentes. Ela beijava, mordia e de quebra ainda deixava pequenos chupões, destes que não marcava. Eu estava realmente excitada, e percebi que ela também. Nossas respirações extremamente alteradas se misturavam. Eu a queria, e queria aqui e agora. Peguei sua mão direita e coloquei dentro da minha calcinha que já estava completamente úmida. Comecei a fazer pressão de seus dedos contra o meu clitóris enrijecido.

 

- “Pipes, Pipes, espere...” – Ela interrompe o beijo. – “O que você está fazendo?” – Sua respiração ainda estava desregular. Ela retira sua mão de dentro da minha calcinha.

- “Eu...” – Não consegui formular uma frase. Puta que pariu, será que ela não percebeu o que eu queria? – “Que vergonha, me desculpe por isso Alex.”

- “Não se desculpe.” – Disse Alex beijando meu rosto. – “Eu desejo você Piper, e acho que você já percebeu há muito tempo. Mas eu acho muito arriscado aqui. Você não acha?”

- “Não, tudo bem. Você tem razão.” – Eu estava realmente desconcertada. – “Eu acho melhor a gente descer antes que notem a nossa ausência.” – Tentava ser o mais natural possível.

- “Ei, vem cá.” – Diz Alex me abraçando por trás.

- “É sério, Vause. Acho melhor voltármos.” – Eu tentava convencê-la à descermos, mas estava difícil.

- “Você não precisa ficar assim envergonhada.” – Disse Alex acariciando o meu rosto após girar meu corpo na sua direção.

- “Tudo bem. Eu não estou envergonhada.”

- “Se eu não te conhecesse, poderia até acreditar.” – Vause fala.

- “Hen hein sua boba, já chega. Vamos descer.”

 

Pego a fita e guardo no meu closet. Em seguida saio com Alex rumo à festa.

 

 


Notas Finais


Volto já,
cheirin' pra todo mundo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...