História I Will Follow You... - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Bring Me The Horizon, Never Shout Never!
Personagens Christofer Drew, Jordan Fish, Lee Malia, Matt Nicholls, Oliver Sykes
Tags Bmth, Bring Me The Horizon, Oliver, Oliver Sykes, Sykes
Visualizações 31
Palavras 1.277
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 20 - Você é o meu calmante, mas eu não sou o seu.


- Não acredito que... Você me deixou lá pra beber.

- Me desculpa, eu... Tô arrependido pra caramba.

- Tá... Tá tudo ok. — respondi, sem muita animação.

- Certo. Eu vou pro quarto, me trocar. — ele disse, hesitante.

- Faz um favor pra mim? Vai no quarto do Matt e pega alguma roupa pra ele... Eu vou ir no saguão.

- Ok. — ele respondeu, e sorriu amarelo, me deu um beijo, mas eu não consegui corresponder.

Ainda estava magoada. Mas, eu preferi apenas ignorar. Eu também não sou uma santa, afinal. Mas eu precisava de uma resposta clara do quê aconteceu. E como ele voltou tão rápido pra casa? Bem, pelo menos quando eu bebo, não ando tão rápido. Enfim, me cansei de criar teorias. Peguei o elevador e fui pro saguão. Procurei um local pra me sentar, e fiquei no celular por um tempo até que recebi uma mensagem de Matt, avisando que ele havia terminado de tomar banho, e já havia saído do quarto.

Voltei para o quarto e ele estava dormindo, apenas de cueca. Suas roupas esparramadas no chão do quarto. Bufei e peguei elas do chão. Percebi que o bolso de sua calça estava pesado. Então, fui ver o quê tinha dentro.

Havia duas coisas, um saquinho plástico com algo que se semelhava à cocaína, e comprimidos coloridos, supostamente, ecstase. Eu fiquei em choque, sem reação alguma, nada se passou pela minha cabeç, por alguns míseros segundos, apenas deixei a ficha cair, lentamente, mas tudo fez sentido. Coloquei as roupas em um canto do quarto, e deixei as coisas de Oliver no criado mudo.

Então, tirei uma foto e mandei para Matt, que visualizou rápido. Saí do "quarto", que parecia começr a ser abafado ao meu ver, e me sentei na varanda, tentando respirar fundo. Quando meu celular apitou, sinalizando que Matt me respondeu:

- Desculpe, achei que você jà estava sabendo.

- ‎Eu nem sequer tinha consciência, foi a última coisa que passa pela minha cabeça. - respondi e ele visualizou imediatamente, mas demorou para responder.

- Ainda estamos procurando um jeito de resolver isso. - ele respondeu.

‎- Quero ajudar, eu acho.

‎- Conversa com ele, acho que isso é uma das coisas que estão ao seu alcance. Ele dá atenção pra tudo que você fala. Quem sabe isso resulte em algo.

‎- Claro. - respondi - vou tentar falar com ele.

(...)

Oliver ficou no quarto e eu o chamei para ir ao supermercado comigo. Saímos juntos, e ficamos absolutamente o tempo todo em silêncio, o quê foi ainda mais embaraçoso. Resolvi dizer algo, mas, a dúvida rondava minha cabeça, ele usa ou passa para alguém? Ele sabe que eu tenho consciência de tudo? Isso não saiu da minha cabeça de forma alguma, mas, por fim, pensei em algo.

‎- Logo depois do show, quero ir embora para casa. - murmurei.

Ele assentiu. - Como preferir. - disse e eu suspirei.

Ele estava sendo grosso? Por quê? Descontar em mim, sem motivo algum, não livra a barra dele, mas, ainda não entendia por quê ele estava assim comigo. Pensei tanto em um por quê, que acabei irritada. Mas, exatamente no momento em que eu ia dar um sermão nele, recebi uma mensagem.

- Compre um daqueles doces estranhos daì pra mim, eu pago mais tarde.

Era de Cassie, e eu ri, quando li, o que me acalmou de alguma forma.

- Tudo bem, vou comprar. Hey, você tem que ver a capinhas novas para celular que comprei.

‎- Ainda bem que vou poder usar também. - nossos smartphones são iguais.

‎- Babaca, não toca nas minhas coisas.

- Haha, não espere menos de mim, enfim, vou te deixar em paz, curte o restinho da viagem.

- Tudo bem, até depois.

‎- * emoji de beijinho *.

Reenviei o emoji que foi visualizado imediatamente, e, bloqueei o celular. Peguei alguns doces para Cassie e comida, e também, alguns itens fofinhos que eu achei.

Só que quando olhei em volta, percebi que Oliver não estava por perto. Bufei, e comecei a procurà-lo, sem sucesso. Ele deve estar lá fora. Passei e paguei as compras, saí do supermercado e ele estava lá, fumando o quê parecia ser o quarto cigarro, de acordo com alguns restos no chão. Estava escurecendo, quase pôr-do-sol, imagino que estava pra dar a hora de Oliver ir se preparar para o show. Passei por ele, peguei em seu braço, e o puxei.

‎- Tá na hora de se arrumar.

(...)

Me vesti (1) no banheiro, arrumei meu cabelo e maquiagem, depois, fui para o quarto, Oliver tinha saído para o local do show. Não trocamos muitas palavras o dia todo. Será que ele sequer sabe que eu sei sobre as drogas? Imagino que sim, pois eu deixei as coisas dele perto da cama, e já não estavam mais lá. Enfim, já estava quase na hora do show. Eu arrumei minhas malas e levei todas elas para o saguão, onde uma moça guardou para que eu não precisasse subir de elevador mais tarde.

Entrei no site de aeroporto se tinham viagens para casa, por sorte, tinha uma 00:30, dava tempo de pegar as malas após o show e ir pro aeroporto. Reservei a poltrona, e como faltava 20 minutos pro show começar, peguei um táxi até là. Enfim, cheguei. Estava cheio, mas eu mostrei meu convite (super-vip) e me deixaram entrar, como se eu estivesse acompanhado a banda.

‎Agradeci aos caras por me deixar entrar, e fui para a entrada de acesso ao camarim. Os meninos estavam todos reunidos no do Oliver, então fui diretamente pra lá. ‎E assim, encontrei todos comprimentei todos, e me sentei no mesmo lugar de mais cedo. Então, um homem bateu na porta e entrou.

- Entramos em 1 minuto. - os garotos assentiram, e ele saiu de cena.

Oliver me fitou, depois, ele veio até mim, meu coração palpitou, seria agora a hora que teríamos aquela conversa? Eu nem havia pensado em algo para dizer.

‎Ele me levantou pelas duas mãos, e me beijou. Eu ainda estava irritada, mas foi impossìvel não corresponder. Oliver é meu calmante, mas, eu não sou o dele.

Ele parou o beijo, acariciou levemente em minha bochecha, mas não consegui olhar em seus olhos. Por fim, ele beijou minha testa e saiu correndo com os garotos para o palco. Peguei uma Coca-Cola no frigobar ali perto do sofá e fui para o "camarote". Os garotos entraram no palco e a cada segundo ouvia-se mais alto o barulho dos fãs gritando, e a pista se lotava lentamente. Os garotos começaram agradecendo pela presença de todos e pela noite que " estava maravilhosa" de acordo com Oliver. Depois, divulgaram que iriam cantar todo o àlbum " That's the spirit", e algumas do Sempiternal, que seriam sorteadas na hora. Começaram à cantar as músicas do álbum em sequência.

Peguei uma cerveja e curti a musica, e tentei ao máximo me esquecer de todos os problemas, e apenas curtir tudo aquilo.

‎(...)

O show acabou, e ainda bem que eu não estava tão bêbada. Me despedi dos meninos, exceto de Oliver, que estava ausente, mas jà era 00:05 e eu não tinha tempo para esperà-lo.

Chamei meu táxi e fui até o hotel. Peguei minhas malas, chamei outro táxi, e fui para o aeroporto quando cheguei, ja eram 00:19. Dei baixa em tudo, e esperei pelo meu vôo. Foram os maiores 10 minutos da minha vida. Até que finalmente, ouvi a voz de uma mulher pedindo para todos que fossem para São Francisco embarcassem, mas, ouvi alguém chamar meu nome, uma voz, familiar.

- Oliver? - foi meu único palpite, olhei para trás e vi ele correndo em minha direção. - O quê faz aqui?

- Não me despedi. - ele disse e eu sorri.

Então, ele me beijou, de novo.


Notas Finais


Já já coloco os sets.
Me perdoem qualquer erro, corrigi correndo.
Amo vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...