1. Spirit Fanfics >
  2. I will love you forever. - TobiDei. >
  3. Capítulo único;

História I will love you forever. - TobiDei. - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi galera KKKK então, eu sou nova por aqui, e eu não prometo que essa One esteja boa. Mas mesmo assim, boa leitura! ♡
Ah, mais uma coisa; o "***" significa "quebra de tempo" ok? Enfim, até as notas finais.

Capítulo 1 - Capítulo único;


Estávamos em um festejamento na casa -mansão- de nossa organização. Já era noite. Como eles conseguem beber tão pouco? O jashionista já caiu!

A maioria dos membros estavam um pouco "exaltados".

Pelo que me parece, apenas eu, junto com nagato e kisame, estávamos sóbrios.

Se eu iria tirar a minha máscara? Não, não mais.

Estava tocando memories -de david Guetta-, eu invejo o bom gosto que o Deidara tem sobre músicas. Não sei em que momento ele colocou aquelas músicas, mas ele sabe que eu conheço, conheço muito bem.

Deidara começou a saltar e dançar com o efeito do álcool, achei que já era um pouco demais.

O próprio se interrompeu de uma hora para a outra. Estranhei. Ele caminhou cambaleante até a mesa das bebidas. Eu o segui até o cômodo para tentar impedir de mais bebidas ou prejuízos.

Tínhamos missão amanhã, não queria que o Dei ficasse com o efeito da ressaca, mas não tem jeito.

-Deidara-senpai, você não acha que já bebeu demais? - Falei com voz fina.

-Me deixe seu imbecil, eu sei cuidar das minhas ~ic- merdas ~ic-. - Soluçava sem parar, enchendo o copo de bebida.

-Deidara-senpai, o tobi se preocupa com você! - Falei com um certo tom de preocupação pelo mesmo. Realmente, eu já estava um pouco preocupado pelo seu estado.

-E quem não se ~ic- preocupa, não ~ic- é? - falou rindo com ironia, e logo em seguida, virou o copo de whisky.

-Senp-

-Tobi, leve o Deidara para o quarto. E se possível, tente cuidar dele. Amanhã, como eu disse antes, vocês dois irão buscar um pergaminho em Kirigakure com o nosso informante. - Pain me interrompeu.

O encarei incrédulo, ele se virou e saiu do cômodo. - Vamos logo Deidara-Senpai, o tobi está com sono! - falei posicionando o seu braço em meu pescoço. Agora eu tinha mais uma missão, que ótimo...

-Relaxa tobi, e-eu sei me virar s-sozinho! - Colocou o copo na mesa e me segurou.

-Vem Senpai, o tobi te ajuda.

-TÁ! C-calma... - Saímos do cômodo e subimos as escadas.

***

Depois de andarmos pelos corredores, chegamos em nosso quarto. Tranquei a porta e o ajudei a se sentar na cama, e logo em seguida, fui pôr a banheira para encher.

-Senpai, quer que eu te ajude a tomar banho? - falei, levando-o para o banheiro.

-N-NÃO, SEU IDIOTA! EU SEI TOMAR UM BANHO SOZINHO! - fechou a porta.

-Tudo bem, senpai. - Deitei na cama com as mãos na nuca. -Acho que ele não sabe que se esqueceu das próprias roupas. - sussurrei, suspirando alto.

***

-Tobi? Ainda tá acordado? - sussurrou, batendo na porta.

-Oi senpai. Claro, o que foi? - Me sentei na cama.

-Você... pode pegar as minhas roupas?

-Qual delas, Deidara-Senpai? - Fui até o guarda-roupas.

-Alguma roupa folgada, seu idiota!

-Certo. - Dei de ombros pelo seu xingamento.

Eu estava em mãos com; um shorts de tecido fino, um blusão preto, sua peça íntima -boxer- e sua toalha. Não sei bem escolher roupas, mas acho que isso é o ideal para ele.

-Senpai? Posso entrar? - Falei, batendo na porta.

-Pode. Mas peço que não me veja, por favor.

Entrei e... porra. Desobedecer uma "ordem" de Deidara -as vezes- é ótimo. Foquei em seu rosto, e depois, cabelos úmidos. Suas bochechas em tons ruborizados, olhos fechados e boca entreaberta, com suas costas se apoiando na borda da banheira. Aquele rosto angelical...

-Tobi... Pode sair, obrigado. - Saí de meus pensamentos com a sua voz suave. Coloquei suas roupas e toalha no cabideiro e me virei.

-A-ah, certo senpai. Se quiser ajuda, é só chamar. - Saí e fechei a porta. Deitei na cama e descansei um pouco.

-Acho que ele já está meio sóbrio. - Sussurrei novamente e foquei no teto.

***

Dormir era impossível no momento.

Não saía da minha mente a imagem daquele loiro. Tentei não ficar excitado, mas é impossível quando se trata do Deidara.

-Você não conseguiu dormir, não é? - Deidara abre a porta do banheiro e sai.

-Sim. Estava esperando você sair do banheiro, Senpai. - Falei levantando e indo pegar a toalha.

-Ah, você também vai? - Se deitou na cama.

-Sim. Pode dormir se quiser. - Entro no banheiro e fecho a porta.

-Merda... por que esse loiro mexe tanto comigo? - Tiro minhas roupas e entro no box. Afinal, o nosso é um dos únicos que instalaram banheira e box. O deidara não gosta de um banho de chuveiro, queria saber o motivo.

***

Cometi o mesmo erro que o Deidara; esquecer algo importante. Decidi sair do banheiro e ir procurar uma roupa, provavelmente ele já deve estar dormindo.

Já com uma toalha em minha cintura, coloco a máscara e abro a porta.

Deidara on:

Estava arrumando algumas roupas, tinham várias espalhadas pelo quarto. Até que, em um momento, a porta do banheiro é aberta e eu vejo um homem com uma máscara igual a do Tobi, com uma toalha na cintura. Só pode ser brincadeira que esse homem seja aquele babaca...

-Tob-bi?! - Eu estava bastante desacreditado. Foquei no seu porte másculo, abdômen definido, seus braços fortes e malhados.

-A-ah, oi Senpai. Esqueci as roupas haha...

-POR QUE VOCÊ ESTÁ DE TOALHA SEU RETARDADO, UN!? - Gritei.

-Quer que o tobi tire? - Falou e levou a mão até a base da toalha, ameaçando puxar.

-N-não seu idiota... VAI COLOCAR UMA ROUPA SEU-

-Você está com vergonha, Deidara? - Falou com uma voz diferente, se aproximando.

-Que droga! - Eu já estava excitado, que merda! AGORA NÃO!

-Por que está vermelho, loirinho..? Quer que eu te ajude com o seu "problema"? - Mesmo com uma máscara, eu consegui enxergar que seu olhar foi para o meu membro.

-N-não, quer dizer-

-Então você quer? - Falou malicioso.

-E-eu...

-Relaxa, Dei. Eu não vou te obrigar a nada. - Após falar isso, ele se vira e vai em direção ao guarda-roupas.

-Não é como se eu não quisesse, un... é que eu-

-Você é virgem? - se virou.

-Não, é que você é meu parceiro, sabe? Isso não é meio...-

-Errado? Não acho. Mas é como eu disse antes; eu não irei te obrigar a nada.

Me levantei e fui em sua direção. Frente à frente. Pensei em selar seu rosto, e iria colocá-lo em prática. Mas essa máscara está atrapalhando tudo.

-O que foi, loirinho?

-Você... poderia tirar a máscara? - Será que estou sendo muito invasivo?

-Tem certeza?

-Nunca tive tanta. Só espero que eu não esteja sendo muito insensível. - Direciono meu olhar para cima, já que aquele homem misterioso era bem mais alto que eu.

Deidara off | Obito on:

Coloco minha palma no exterior da máscara e puxo. Vejo o menor sorrir ladino e seu olhar se encontrar com o meu.

-O que houv-!? - Sou interrompido por um beijo do menor. Um simples selar, que se transformou em um beijo com volúpia e paixão reprimida. Seus lábios delicados com um leve gosto de cereja, adentrando sua língua timidamente. Vez ou outra, dava leves mordidas em meus lábios, e eu, fazia o mesmo. Joguei a máscara no chão e segui seus ritmos, descendo minhas mãos pelo seu corpo.

Obito off | N/A on:

Ambos excitados. O moreno levou suas mãos da cintura para as nádegas do loiro. Deidara, com ajuda de seu parceiro, teve ajuda para colocar seus tornozelos em volta dos quadris do maior.

-T-tobi...- O menor gemeu entre o beijo quando sentiu as mãos grandes do maior apertar suas nádegas.

Obito caminhou até a cama de casal, tendo seus fios da nuca puxados por Deidara. Se separou do beijo e colocou delicadamente o menor na cama, ficando no meio de suas pernas.

-Você fica tão encantador assim... - Passou suas mãos pelo blusão do menor e puxou a peça para cima, removendo com rapidez.

Fitou o corpo afeminado de Deidara, comendo-o com os olhos. O menor, percebendo isso, ficou ainda mais corado, se é que é possível.

Desceu sua mão direita até a pontinha do mamilo eriçado de seu parceiro, e apertou.

Umideceu seus lábios e desceu sua outra mão para as coxas do menor, que suspirou em puro deleite.

Sem conseguir esperar nem mais um segundo, atacou o mamilo do garoto, que fechou os olhos com força e apertou os lençóis da cama.

O maior rodeou sua língua por um dos botões rosados do menor, enquanto estimulava o outro com os dedos.

Após ver que o botão estava um tanto maltratado, avançou no outro, sentindo as mãos pequenas do loiro puxar seus cabelos de leve. Mordia e chupava com luxúria.

-Tob-i... v-vai logo..!

O moreno direcionou seu olhar para os olhos oceânicos do pequeno - Você está com muita pressa, loirinho... - Deu um sorriso maldoso. - Já que você pediu, eu vou ir logo. - Saiu de cima do menor e ficou de joelhos na cama, pronto para se levantar e procurar o lubrificante pela escrivaninha. Mas, antes que pudesse-o fazer, o menor puxa seu pulso e seu corpo é jogado contra a cama. Obito se apoia na cama, o loiro apenas sobe em cima de seu colo. Agora, com as posições invertidas.

-Agora, quem fica por cima sou eu. - Prendeu seu cabelo em um coque desajeitado, deixando algumas mechas soltas. Sentado por cima do membro -ainda- coberto pela toalha fina, se apoiando com as mãos na clavícula do maior e com as pernas abertas.

Começou a rebolar, sorrindo para o maior, que apertava sua cintura, ditando alguns de seus movimentos.

Se aproximou do rosto do moreno, rente ao seu ouvido, e gemeu baixinho, fazendo o corpo músculo do maior se arrepiar.

Obito arfou, sentindo sua ereção pulsar. Deidara sentiu que estava provocando mais do que o necessário, e decidiu sair de cima. Porém, os planos do mais velho eram outros.

-Por que não tira as suas roupas, uh? 

-Un, está bem. - Sorriu ladino e agarrou a barra dos shorts e boxer, se levantando um pouco e retirando do corpo com ajuda do mais velho, ficando completamente exposto. O mais velho quase salivou ao ver as nádegas branquinhas do mais novo. Obito tinha certeza; iria fazê-lo seu naquela noite, iria marcá-lo por todos os cantos de seu corpo, para mostrar aos outros que aquele pequeno era seu e apenas SEU.

Sorriu satisfeito e beijou o menor, sentindo-o voltar a rebolar em seu colo.

Apertou as nádegas branquinhas de uma forma pouco possessiva, incentivando o pequeno a rebolar mais os quadris em seu colo.

O mais novo gemeu entre o beijo quando sentiu dois dedos de seu parceiro invadirem seu interior, quase atingindo seu ponto mais sensível.

-A-ah...- Cravou suas unhas nos ombros do parceiro, curvando seu quadril inconscientemente, uma onda de prazer jamais sentida pelo menor. -M-ais... po-r f-favor..!

Implorou, suspirando alto, escondendo o rosto na curvatura do pescoço do mais velho.

-Se quiser mais, eu irei te dar. Mas não vai ser só com os dedos, meu bem. - Agarrou seu rosto, lhe obrigando a olhar nos olhos. Parando de movimentar os dedos e sorriu ladino. - Vai ser melhor que isso. - Falou e juntou seus lábios em um selar rápido.

Deitou o menor na cama e separou as bocas, ficando de joelhos na cama e segurando a barra da toalha branca.

O de olhos oceânicos engoliu em seco após ver o membro do maior. Era grosso, grande e com várias veias aparentes. Estava duro, Deidara se perguntava se aguentaria tudo.

Um sorriso de puro orgulho brotou nos lábios de Obito. Ele imaginava no que o menor estava pensando, e isso aumentava seu ego. Obito chamou o menor com o indicador e se sentou na cama. O loiro entendeu o recado e sentou em seu colo. Se apoiando nos próprios joelhos, o loiro segurou o pênis ereto do parceiro e desceu devagar, apenas penetrando a glade em seu 'buraquinho. Mordeu o lábio inferior e continuou descendo, sentindo-se ser rasgado pelo meio.

Deidara subia e descia pelo membro alheio, quicava e rebolava, provocando o seu parceiro, que apertava a sua cintura e gemia rouco.

-T-obi... Uh..!- Gemeu manhoso, mas sexy, descendo e subindo mais rápido.

-Vai Dei, geme pra mim... - Jogou a cabeça para trás, gemendo rouco. Moveu os quadris para cima, penetrando ainda mais no menor, acertando em cheio seu ponto sensível. O menor entreabriu a boca em um gemido mudo e apertou os ombros do mais alto.

O mais novo parou de se movimentar, tentando recuperar o fôlego com as bochechas vermelhas e suado.

-O que aconteceu? - Fez uma feição confusa.

-E-eu não... cons-igo cont-tinuar...

-Jura? - O mais velho o encarou, com um sorriso maldoso, que desesperou ainda mais o menor.

-Você não conseguiu me satisfazer direito, loirinho. - O loiro não conseguiu responder, e mais uma vez, as posições foram invertidas. Mas dessa vez, o mais alto colocou o menor de costas para si, deixando-o exposto. Segurou ambos os braços com uma mão, e a outra, segurava a sua cintura.

-Calm-! - Gemeu alto quando o mais velho penetrou forte e fundo, tocando o seu ponto sensível de primeira.

-Achei. - Riu nasal, e voltou a estoca-lo fortemente. Sempre procurava acertar o ponto doce do menor, que lacrimejava de prazer.

-Por f-favor, va-i dev-agar... - Implorou entre gemidos, enquanto escorria algumas lágrimas pelo seu rosto.

-Ou o quê? - Levou sua mão para o cabelo do loiro, puxando com uma certa força, o forçando a encarar a parede.

-P-or favo-or... - Implorou para o mais velho, que sorriu ladino e diminuiu as estocadas, mas continuou forte e fundo.

O de olhos azuis gemia alto, sentindo que seu ápice estava próximo. O seu membro não foi tocado em momento algum, mas a onda de prazer lhe fazia tocar as nuvens.

-Tobi, e-eu vo-u... - Obito entendeu o recado e as investidas aumentaram novamente, ele também sentia que seu ápice estava próximo, então queriam buscar prazer ao máximo.

O corpo do mais baixo se estremeceu e foi possível ver um líquido esbranquiçado sujar sua barriga e os lençóis da cama abaixo de si, contraindo sua entrada e revirando os olhos em um gemido alto.

Obito veio em seguida, sentindo-se ser esmagado pela entrada violada do mais novo.

Sorriu ofegante, vendo a expressão de raiva do menor.

Se retirou do interior de Deidara e se inclinou, selando sua testa e ouvindo o menor resmungar algumas coisas incompreensíveis.

-Desculpe, Dei.

-Tá... t-udo bem...- Se deitou na cama, já prevendo como seus quadris iriam ficar no dia seguinte.

-Vamos tomar banho? - Encarou o mais novo. - Olha seu estado Dei, haha! -

-Seu desgraçado! - Deu um tapinha no ombro de Obito. - Não ria do meu estado! A culpa foi sua, esqueceu?! - Fez bico e desviou o olhar para qualquer canto do quarto, com vergonha de encarar o homem mais alto.

-Desculpe, mas foi você que me beijou.

-Tanto faz, vamos para o banheiro. - Se levantou lentamente e sentiu as pernas ficarem bambas. Iria cair no chão se não fosse por Obito, que segurou a sua cintura e o pegou no colo.

Em estilo "noiva", foi em direção ao banheiro e pôs -novamente- a banheira para encher, deixando o mais novo sentado no mármore da pia.

-Está com sono? - Tentou puxar um assunto, o que funcionou para o mais novo.

-Um pouco... - Levou uma de suas mãos para o lado direito do rosto do maior, fazendo um leve carinho ali. - Por que usava aquela máscara?

-Longa história... - Soltou um suspiro pesado.

-Você é lindo, Tobi.

-Obito. O meu nome é... Obito Uchiha. Tobi era apenas um apelido durante o tempo que eu estava na akatsuki. Na verdade, ainda estou... - Olhou para o mais novo.

-C-calma... - Raciocinou um pouco, tentando ingerir a informação, o encarando surpreso e incrédulo. - Uchiha?!

Obito entrou em pânico. Sabia que o mais novo odiava uchihas, só não sabia que odiaria justo ele. - A-ah... é, Uchiha. Espero que você não comece a me detestar por causa desse clã.

-E-eu não imaginava que você era um Uchiha, Tobi. - Encarou o mais alto com mágoa. Se inclinou e apoiou sua cabeça no ombro do moreno. - Mas eu não irei deixar te de amar por isso, senhor Uchiha. - Deu um beijo no ombro do maior e voltou para a sua posição.

O mais velho corou em saber que seu sentimento era mútuo. Por fora, estava "calmo", mas por dentro, estava com milhões de borboletas no estômago. As vezes, ficava confuso com a bipolaridade do mais novo, chegava a ser um pouco engraçado.

-Eu também te amo, Dei. - Beijou a nuca do mais novo e fez um breve cafuné bem ali, que aproveitou as carícias do seu mais novo amor.

***

Obito se levantou da cama logo após perceber que o pequeno havia adormecido. Caminhou lentamente até a cadeira giratória que havia no quarto, se sentando, e apoiou seus braços na mesa.

-Eu nunca imaginei que iria me apaixonar novamente. E por você... - Se virou e o olhou apaixonado. Iria desistir do plano da lua, tudo para ficar ao lado de seu loirinho. Amava aquele loiro desde que o viu pela primeira vez, e não estava de brincadeira. O amor que sentia por Deidara nunca iria se comparar ao amor que já sentiu pela Nohara. Deidara era extraordinário demais para ser deixado de lado, por isso, iria proteger aquele pequeno com a sua vida, e era uma promessa.


Notas Finais


É... eu não sei escrever lemon KKKK me desculpem se tiver algum erro ortográfico, e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...