História I will never forget you-BTS - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan, Bts, Jhope, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Namjin, Taeminseok, Yoongi
Visualizações 34
Palavras 767
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura💖

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction I will never forget you-BTS - Capítulo 1 - Capítulo 1

Jungkook O.P.V

A luz bate agressivamente em meu rosto, o qual está muito dolorido, pois estão desferindo vários socos sobre o mesmo. Eu não entendo porque estão fazendo isso, deve ser por causa da minha aparência ou porque sou gay, pois ouvi várias vezes se dirigirem a mim com palavras extremamente pesadas o que terminou de abalar meu psicológico, espera! Acho que um deles está dizendo alguma coisa:

- Isso é pra você deixar de ser essa bixa imunda, seu pau no cú, você não devia existir ,seu lixo!- Um deles disse desferindo alguns chutes sobre meu abdômen que estava totalmente acabado. 

Isso é tudo minha culpa, tenho certeza, meus pais me disseram que eu estrago tudo, sempre, inclusive a vida das pessoas. Talvez esses garotos estejam certos, eu não devia estar nesse mundo . NÃO MAIS.

Não acho que eles vão parar de me bater tão cedo, pois se eu não me engano faz mais ou menos uns 30 minutos que estamos nessa e eu já estou quase totalmente desfigurado: meu nariz sangra ,muito, e minha cabeça lateja tanto que acho que fez um corte profundo, meus olhos já nem conseguem ver a paisagem de tão inchados que estão e roxos também, meu abdômen deve estar destruído pois não consigo avistá-lo na posição que estou. Particularmente não acredito em milagres, mas nessa altura do campeonato torço muito para que alguma alma boa venha me salvar desse mar de dor e violência. Porém algo inesperado acontece eu não estou sentindo mais os socos, nem os chutes e nem ouvindo xingamentos. Não consigo ver o que tá acontecendo mas acho que devo rever meus conceitos sobre supostos milagres. 

  Sinto mãos pegando no meu braço e me levantando pra cima, consigo ver borradamente que são dois garotos e vejo que um deles tem o cabelo meio esverdeado e o outro o cabelo meio vermelho escuro quase um castanho e agradeço aos céus por eles terem aparecido. Eles me perguntam algo:

-Onde é sua casa?- O de cabelo meio esverdeado diz tentando aconchegar o meu braço melhor em seu ombro.

-Naquela rua atrás da sorveteria spring day- digo tentando organizar as palavras, mas vi que falhei miseravelmente.

Me levaram até minha casa, a qual não sei como acharam apenas com a minha tentativa de explicação,  esperaram minha mãe sair e explicaram tudo, me colocaram no sofá e assim partiram para casa antes mesmo que eu pudesse agradecer. Eu preciso agradecê-los, mas não sei nada sobre eles,e é nessa hora que  prometo pra mim mesmo  tentar encontrá-los e dizer à eles o quanto sou grato por tudo.

Depois que eles saíram minha felicidade acabou, pois o momento em que pessoas realmente se preocuparam comigo passou muito rápido e eu nem pude aproveitar direito. Minha mãe, como sempre,se fingiu de boazinha na frente dos dois garotos, porque isso é o que ela sabe fazer de melhor: ser maldosa e falsa o tempo todo. Quando ficamos só nós dois eu já sabia que não seria diferente das outras vezes, ela olhou para mim como se eu fosse uma aberração, tocou o meu rosto e desferiu mais tapas sobre ele, dizendo:

-Você não para de trazer problemas, você devia morrer nessa briga ,pra ver se para de ser um fardo na vida das pessoas.- Ela disse, agora puxando meu cabelo e meu braço em direção ao meu quarto.

Ela me jogou na cama como se eu fosse um enorme saco de lixo, sem se preocupar com meus hematomas q que ficavam  cada vez mais roxos e meus cortes que sangravam cada vez mais. Esperei que ela saísse para depois tentar amenizá-los com água,  pois nem curativos meus pais compram pra mim.
   Eu já estou meio acostumado em ser um..."zé ninguém", todos os dias eu acordo para fazer e sentir as mesmas coisas: eu vou para a aula, apanho, lancho no banheiro, depois apanho de novo e volto pra casa. Esse ciclo nunca teve fim desde a 6° série ,o que não me assusta muito, porque se nem meus pais se preocupam ou até mesmo gostam de mim, porque as pessoas iriam gostar? Então. Eu nunca tive amigos,não de verdade, ou eles queriam enfiar o pau deles na minha boca e na minha bunda, ou queriam notas escolares. 

O pior de tudo é que dói saber que as pessoas não te tratam como um ser humano e sim como um objeto que a qualquer minuto pode ser trocado por algo melhor, na verdade muito melhor. Eu só queria que existissem pessoas que pudessem enxergar o meu verdadeiro lado, e que estivessem sempre comigo...é quase totalmente impossível mas n é proibido sonhar ner?!







Notas Finais


Alainer
Isabel e
Thalita

Espero que tenha gostado!💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...