História I will never forget you-BTS - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan, Bts, Jhope, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Namjin, Taeminseok, Yoongi
Visualizações 28
Palavras 1.596
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 2 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction I will never forget you-BTS - Capítulo 2 - Capítulo 2

Hoseok P.o.v

- Aff, Namjoon. Me dá essa coxinha logo - Digo indignado com a audácia do meu grande e idiota  amigo Namjoon. Esse filho de uma linda mãe, roubou a minha coxinha, e com a minha comida ninguém brinca.

- Compra outra, trouxa -Ele disse me dando um peteleco na orelha (que por sinal doeu muito) e saiu correndo.

- VOLTA AQUI DESGRAÇAA - digo percebendo que o ele não iria parar de correr.

Já estávamos quase chegando no pátio  da escola, um lugar que geralmente poucas pessoas ficam, já que é um lugar não muito bonito e que geralmente pessoas ficam se pegando. Mas por incrível que pareça não havia ninguém lá.

-NAMJOON  SEU FILHA DA PUT* EU SOU SEDENTÁRIO - digo parando de correr e colocando as duas mãos no joelho respirando fundo.

-Para de gritar, escandaloso - disse ele olhando fixamente para um grupinho de meninos que eu não  tinha reparado que estavam no pátio - O que será  que eles estão fazendo - diz se referindo ao grupo de meninos.

-Não sei, não, Nam, mas eu acho melhor a gente sair daqui - Falo receoso afinal, quando se tem um grupo de garotos maior de que você a única coisa que se tem que fazer é correr.

-Para de ser medroso - diz andando mais para perto dos garotos.

[...]

Nunca imaginei que eu iria entrar em uma briga. Mas aqui estou eu, com o nariz sangrando. Obrigado, Namjoon. Eu não teria entrado na briga se o Namjoon não tivesse visto que os meninos estavam batendo em um garoto, que  estava totalmente  machucado, com os olhos roxos e um corte  enorme na cabeça. Não me arrependo de ter salvado a vida dele, ganhei um nariz sangrando e talvez  quebrado... Mas talvez irei ganhar um novo amigo...

- Onde fica sua casa? - diz Nam tentando colocar os braços do garoto machucado nos ombros. Fiz o mesmo.

- Naquela rua atrás da sorveteria Spring Day - diz o garoto totalmente embolado, porém deu para entender. Levamos ele com todo cuidado do mundo  por que qualquer movimento brusco ele poderia gritar de dor. Com muito sofrimento, chegamos a um lugar, que certamente seria sua casa. Namjoon  continua com o menino nos braços enquanto aperto  a companhia. Alguns minutos se passaram e a porta foi aberta revelando uma mulher não muito velha mas também não muito nova, com cabelos  pretos, feito o menino machucado. Mas o incrível mesmo foi que ela não ficou surpresa ao ver o menino, que provávelmente seria filho, todo machucado nos braços do meu amigo.

- Oi... Nós encontramos ele todo machucado no pátio da nossa escola e ele disse que mora aqui - falo para a mulher que continuava com cara de tédio.

- Muito obrigada, garotos. Isso vem acontecendo  com certa frequência... Tenho que tomar providências contra isso - diz pegando o garoto dos braços do Nam e levando para dentro da casa.

- Bom...Temos que ir, melhoras para ele - diz Namjoon para a mulher que continuava com o garoto nos braços.

-Muito obrigada, meninos - Diz dando um tchauzinho com as mãos e fechando a porta.

-So Hoseok, para onde vamos agora? - Namjoon me pergunta.

- Não é óbvio?? Você vai me pagar uma coxinha, otário - disse revirando os olhos e dando um sorrisinho malicioso.

Namjoon P.o.v

Deixamos o menino na casa dele e fomos embora. Reconheci ele da escola, é um garoto do 2° ano, e não podíamos deixar ela apanhando daquele jeito. Nem ao menos perguntamos o seu nome, ele estava muito mal.

Eu e Hobi saímos a procura de alguma lanchonete por ai. O hyung ta me fazendo pagar pela coxinha, aish! Mas se não fosse por causa dessa bendita coxinha, a gente não tinha visto o garoto. Estávamos perdidos nesse bairro, nunca havia passado por aqui. Aquela história com o menino mais novo, realmente havia mexido comigo...

-Hey, Hoseok hyung, acho que você é um folgado! Nem pra dividir uma mísera coxinha, hein - cruzei os braços e fiz cara de indignado - Eu acho isso muito injusto... Mas sei como resolver.

Hoseok levanta uma das sombrancelhas:

- Hum... Essa cara... Já vi que lá vem bomba - revira os olhos.

- Aish, deixa de ser careta! Mas então... Quem chegar por último paga o lanche! - sai correndo deixando para trás um Hoseok com cara de tacho.

Até parece que eu iria pagar uma coxinha pra ele, eu, hein! Corria o mais rápido que as minha pernas permitiam, apesar do Hobi ser meu amigo, não pagaria nada pra ninguém!

Olhei para trás, conferindo se Hoseok me seguia. Porém ele não estava lá. Nem sei pra que me esforçar, sedentário do jeito que ele é, nem se quisesse conseguiria me alcançar. Durante o momento de distração tropecei em algo a minha frente e cai com tudo no chão. Minhas costelas começaram a doer. Abri os olhos e enxerguei um monte de terra e flores ao meu redor.

Merda! Uma floricultura. Será que da tempo de correr? Me levantei o mais depressa que pude, o que não foi muito rápido, ja que o meu corpo doia. Comecei a andar depressa, quando esbarrei em alguém e fui ao chão novamente.

- O que você fez com minhas rosas? - elas estavam crescendo lindamente, mas você estragou tudo. Aish.

Merda. Não acredito que é ele. Ele não se lembra de mim? Não vou criar expectativas... Pode ser alguém qualquer... Alguém parecido, certo? Acordei da transe e sai de cima do garoto, que corria para acudir as suas plantas.

- E-eu... Hã... Foi mal - disse com a mão atrás da cabeça, envergonhado. Isso sempre acontece, sempre me meto em confusão. - Não foi por querer - parei de falar quando o garoto a minha frente começou a chorar.

O menino segurava uma flor vermelha na mãos, e lágrimas corriam pelo seu rosto. Eu entrei em desespero, não sabia como fazê-lo parar de chorar. Cheguei perto, com cuidado para não assusta-lo e toquei em seu ombro.

- Ei, não chore, por favor... Eu vou dar um jeito, ok. Qual o seu nome?

- O-o meu nome e-é Jin.

Meu mundo parou. Nesse momento tive certeza que era ele. Não acredito, depois de tanto tempo... Nos encontramos desta forma tão inesperada. Ele nem ao menos se lembra de mim.

Tomei a flor de suas mãos e coloquei em um vaso, tentei não destruir mais ainda a planta vermelha, porém não teve jeito, e ela perdeu mais algumas pétalas.

- Aqui esta, ela ta bem, ta vendo? Ela não morreu, ok - coloquei o vaso em suas mãos, olhei em seus olhos e segurei seu rosto com minhas mãos, fazendo-o olhar para mim - A gente vai dar um jeito nessa bagunça, não se preocupe. Me desculpe pelas suas plantas, eu não fiz por mal, juro! - disse limpando suas lágrimas.

O menino apenas assentiu e deu um breve sorriso. Ah, esse sorriso... Eu me lembro tão bem dele. Esse simples gesto despertou em mim diversas emoções trazendo nostalgia a tona. Não registi e o puxei para um abraço. O garoto aceitou e retribui o abraço. Sentir o seu corpo tão perto do meu, seu cheiro, seus cabelos com um perfume único, sua respiração em meu pescoço... Isso era tão bom, por um momento me senti como se estivesse em um sonho, tudo estava perfeito.

- O-obrigado.

Ouvir a sua voz novamente era como se eu estivesse flutuando em alguma outra dimensão. Aquela voz manhosa, como sempre, estava me fazendo... Me fazendo ficar duro? Me soltei do abraço. Não queria estragar aquele momento tão incrível de reencontro com Jin só por causa da minha maliciosidade.

- O que é isso, Seokjin? - uma voz estridente ecoou. Ah, eu me lembro bem dessa voz.

- M-me desculpe, Jisoo. Eu fui apenas compra um pouco de pipoca para os pombos e... E... - Jin começou a chorar novamente, escondendo o rosto em meu peito. Eu o abracei e disse, me dirigindo a garota, que era cópia do Seokjin:

- Não grite com ele! A culpa foi minha, Jisoo. - quando disse isso ela finalmente me reconheceu

- Você de novo?  Você esta nos seguindo, é? Aish! - disse batendo o pé no chão e cruzando os braços - Ótimo, pois então trate de pagar o estrago que causou.

Nesse momento arregalei os olhos. Não tinha caído a ficha que teria que pagar tudo aquilo.

- E-eu não tenho como pagar... Sinto muito, eu... - abaixei a cabeça, envergonhado, quando encontrei um folheto que dizia "precisa-se de funcionários". Apanhei o papel mostrei para a garota - Eu posso trabalhar. Eu não tenho dinheiro pra pagar por isso.

- Hum... Pois que assim seja - Jisoo me lançou um olhar malicioso. - Comece amanhã, então - incrível o poder de bipolaridade dessa víbora - Tchauzinho, Nam, não se atrase, afinal vai ter que trabalhar muito para pagar por tudo isso. Vamos trabalhar juntos, e então você vai perceber o quanto sou incrível, Namjoonie - disse se aproximando de mim e empurrando Jin para o lado, quase fazendo-o cair. A garota chegou perto do meu ouvido e sussurrou baixo o suficiente para que Seokjin não ouvisse: - Irá se arrepender de tudo que ja me fez, Kim Namjoon.

Aquelas palavras me fizeram arrepiar. Eu conhecia Jisoo, ja fomos muito próximos, mas isso foi a muito tempo. Aquela garota não tinha limites pra conseguir o que queria. Aquilo me deixava ansioso. Por um momento esqueci como se fazia para falar.

- E-eu venho logo depois da escola. - gaguejei para Jisoo. - Tchau, Jin.

- Tchau... - Aquilo doeu. Ele não se lembrava do meu nome. Kim Seokjin não se lembrava de mim. Virei as costas e sai, tentando esconder a tristeza em meu rosto...


Notas Finais


Alainer
Thalita e
Isabel


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...