História I will not fall in love - Capítulo 4


Escrita por:

Visualizações 21
Palavras 2.238
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Perdoem-me pela demora. Eu precisava de alguma inspiração pra continuar e fazer algo bom, e eu tive um monte de ideia sjsjsjjs
Nessa fotinho o Jaehyun tá tão lindo modeuso jjsnsnsnsn
Tenham uma boa leitura ♡

Capítulo 4 - The truth appears at one time or another


Fanfic / Fanfiction I will not fall in love - Capítulo 4 - The truth appears at one time or another

Taeyong on

Analisar papéis nem sempre pode dar em algo. Ou talvez desse. Eu analisei tantos papéis e ingeri tanta informação que já nem sei mais. Além dos papéis, eu avistei um vídeo, um tanto intrigante pra mim. Eu precisava falar com Leeteuk para que o mesmo me ajudasse nessa nova evidência. 

Bati duas vezes na sua porta e o mesmo me pediu para que eu entrasse, me curvei e me sentei em seguida. 

- Precisa de ajuda? - Indagou com um sorriso.

- Na verdade preciso sim. Se lembra do caso do investigador, né? - perguntei, em seguida recebendo um aceno com a cabeça indicando que ele se lembrava. - Então, eu estava analisando umas coisas do caso, e encontrei um vídeo. O vídeo não tinha mais do que 30 segundos de duração, foi feito por uma câmera local da vizinhança, ela parou de pegar um pouco depois do assassinato. - continuei e ele assentiu parecendo entender. - Nos primeiros 15 segundos nao havia nada, mas então um homem com roupas pretas, e touca que cobria o rosto do mesmo, apareceu  e foi entre o horário em que o Investigador disse ter chegado. - falei enquanto rezava para que ele entendesse o que eu estava tentando realmente dizer.

- Entendo. Você está em dúvida com esse cara, certo? Eu também ficaria. É no mínimo duvidoso. - disse pensativo.

- Você acha que dá pra tirar as acusações? - perguntei.

- Se você formar uma prova concreta sobre isso podemos tirar as acusações sim, mas o problema vai ser que não teria nenhum outro suspeito, ja que o rosto dele está coberto. - afirmou. - Nós não podemos ter a primeira audiência se você quiser retirar as acusações. Você sabe que isso pode dar errado, então tenha certeza e cuidado sobre isso. - disse me lançando um olhar preocupado.

- Vou me afirmar de ter sim. Eu só precisava de mais provas para que eu possa tirar as acusações...- fiquei pensando no que poderia me ajudar até que Leeteuk sugere algo.

- E o advogado ? Por que você não fala com ele? Talvez ele saiba de algo.- sugeriu é logo tratou de voltar a organizar as papelarias sobre sua mesa.

- Hmm...- pensei por alguns segundos. - Você tem o endereço de seu escritório? - indaguei.

- Infelizmente não, mas a secretária provavelmente deve saber. - agradeci pela sua ajuda e sai da sala, logo voltando à minha. Liguei pelo interfone à secretária e ela por fim sabia aonde era e me passou o endereço. Estacionei meu carro em frente ao grande prédio, subi as escadas e procurei pelo número de seu escritório, o que não foi difícil encontrar já que era um dos primeiras do corredor. Dei duas batidas antes de entrar. 

O escritório não era grande como também não era pequeno. Era espaçoso o suficiente para ter duas mesas e cada uma com uma barra de identificação, a mesa da direita havia o nome de "Advogado Moon Taeil"  e a da esquerda era "Advogado Jung Jaehyun", a secretária tinha me dito o nome do advogado então eu já sabia com quem falar. 

Ele estava sentado e com o olhar pousado em mim, não emitia sentimento algum, apenas uma expressão de "o que você precisa?". Me aproximei e cumprimentei os dois me curvando, e eles repetiram o ato logo após.

- Olá, eu sou o Promotor Lee Taeyong. - falei ao Jung enquanto me sentava na cadeira em frente a sua mesa. 

- Olá, Promotor Taeyong. Irei poupar apresentações pois acredito que você já me conheça, certo? - acenei que sim com a cabeça e o mesmo continuou. - Do que você precisa? 

- Eu preciso falar com você sobre o caso de assassinato do estilista Hong Gi. - respondi-lhe e o mesmo endireitou sua postura na cadeira e logo me olhou como se tivesse toda sua atenção para mim.

- Estou escutando. - disse.

- A promotoria pensa em retirar a acusação. - falei e percebi um pouco de surpresa em seu olhar, mas logo voltara ao normal.

- Por que? - perguntou.

- Achamos uma prova é, no mínimo, a favor do réu. Mas só com isso eu não posso retirar. Eu preciso saber de algo a mais, preciso de algo mais concreto e por isso eu vim aqui falar com voce. - respondi-lhe um tanto apreensivo, não posso saber com ele vai reagir.

- Que prova é essa? - perguntou novamente, isso estava parecendo um interrogatório, pfft.

- Um vídeo. Da noite do assassinato. - expliquei-lhe. - Quer vê-lo? - indaguei e ele acenou que sim, tratei logo de pegar meu celular, por no vídeo e dar a ele. Fiquei esperando por uma conclusão por parte dele que não demorou de vir. O mesmo parecia já esperar por aquilo e simplesmente disse

- Você pode retirar a acusação. Seo John é inocente. 

- E como eu posso ter certeza? - perguntei-lhe com uma expressão de dúvida.

- Álibi. - me surpreendi ao ouvir aquela palavra sair de um modo tão simples da boca do outro, nem parecia que aquela simples palavra  poderia fechar um caso. - Como o meu cliente te contou ele estava de plantão no dia e saiu apenas quando Hong Gi ligou. Tem as gravações das câmeras de segurança da delegacia  que provam isso. Mesmo que você não retirasse a acusação, eu ganharia apenas com isso. As "provas" achadas não são suficientes para aponta-lo como culpado. - eu ainda digeria aquilo um tanto quanto surpreso e ao eu também já sabia daquilo, se o álibi que ele havia dado não fosse verdade, então ele seria colocado como o assassino, e não apenas como suspeito.

- Entendo. Mas se ele não é o culpado, quem é? Esse homem que aparece no video? - perguntei mais a mim mesmo do que ao advogado. Mas ele parecia ter ouvido e respondeu-me 

- Se quer saber acho que você precisará falar com meu cliente. Ele é Investigador, você sabe. 

- O que ele tem haver com o caso? - indaguei.

- Como eu disse, fale com meu cliente. Ele lhe explicara tudo. Ou pelo menos, tudo o que ele sabe até agora. - respondeu simples. 

- Entendi. Muito obrigado pela ajuda. Bom, eu vou indo. Obrigado, mais uma vez. - curvei-me diante do mesmo, e saindo logo em seguida.


🔍


Acabei por espera-lo sentado na cadeira. O observei entrar na sala com um sorriso simpático no rosto. Curvou-se diante de mim e eu fiz o mesmo.

- Promotor Taeyong, que bom vê-lo aqui. - disse ainda com um sorriso em seus lábios.

- Olá, Investigador Seo John. - devolvi-lhe o sorriso.- Você já sabe que vai sair daqui em breve, né? 

- Sim, eu sei. Obrigado por retirar a acusação e ter acreditado em mim. - agradeceu-me.

- Ah, não agradeça. Você não fez nada, nao tem porque estar aí. - falei enquanto via-o respirar aliviado. - Mas, você sabe, não há suspeitos diretos em ligação ao crime. Eu falei com seu advogado e ele me disse para falar com você pois você iria me explicar o que você sabe. - terminei e vi ele sua expressão mudar para uma mais seria. 

Ele havia me explicado o que achava sobre o assassinato e como investigador ele parecia bem certo de suas, até então, teorias.

- Agora você entende ? - perguntou e eu lhe afirmei que sim.

- Mas como todos esses assassinatos passaram pelo júri sem nem ao menos levantarem suspeita ou ligação? Essa história está estranha. - falei pensativo.

Pelo que ele me falara não foi há tanto tempo assim, tem que haver algo nisso que vai indicar o verdadeiro suspeito.

- Sim, eu sei. - respondeu-me.

- Eu posso te ajudar a investigar? Como que de longe, sabe? Se conseguirmos provas concretas e descobrirmos quem é essa pessoa, eu poderia fazer um pedido aí júri para que reabram os casos e posso ser o promotor que vai acusar a pessoa. - sugeri enquanto o via se surpreender pelo que eu havia falado, mas logo um sorriso surgiu por parte dele e ele parecia aliviado e satisfeito.

- Ah, isso seria ótimo. Ter k seu apoio e ajuda vai ser uma honra, muito obrigado mesmo. Mas não vai te atrapalhar? Com os outros casos e afins. - falou com certo receio, dei-lhe um sorriso para mostrar que estava tudo bem.

- Não, não, está tudo bem, Investigador. Eu posso lhe ajudar de fora, no que você precisar, e você me mantém informado ok? - Me levantei da cadeira já me aprontando para ir e ele se levantou também.

- Você pode me fazer um favor? - Indagou com a voz calma.

- Sim, claro. Se estiver ao meu alcance. - respondi

- Você pode ir ao escritório do meu advogado e avisar a ele que voce vai investigar conosco também? Peça pra ele te ajudar com as coisas mais necessárias e com as dúvidas que você tem, enquanto eu ainda estou na prisão. - pediu e eu assenti. Apertamos nossas mãos e nos curvamos logo em seguida. 

Sai da cadeia e o sol já estava se pondo. Parei por um momento e fiquei o observando, o sol era algo tão lindo de se ver que chegava a ser uma pena ele ter que ir embora assim. Entrei no carro e me direcionei ao escritório de Jaehyun, ao chegar lá o Advogado Taeil me avisou que ele não estava, mas que ele não iria demorar muito a chegar e me pediu para que esperasse no escritório deles e assim o fiz. A decoração suave, porém não muito fora do comum foi o suficiente para fazer eu ficar me perguntando os gostos que o Advogado tinha, e eu não estou falando de Taeil. Eu não posso mentir quanto a dizer que nao fiquei impressionado com a beleza do Jung, mas no momento em que nos vimos eu estava com tanto anseio pela resposta que nem dei importância a sua aparência. Sua pele branquinha como neve parecia brilhar, como aquela cena do filme crepúsculo onde o Edward aparece no sol e brilha lindamente, e aquelas covinhas que nao precisavam de muito esforço e já se mostravam presente em seu rosto, enfim, ele é lindo e eu tenho que parar de pensar nisso porque ele acabou de entrar nessa sala. Tenho certeza que o vermelho em minhas bochechas está realmente visível.


Jaehyun on 

Assim que eu terminara de entregar os relatórios a secretaria, passei na cafeteria e pedi dois americanos para mim e para Taeil.

Abro a porta de meu escritório e me deparo com o Promotor Taeyong sentado em uma cadeira perto da minha mesa, Taeil continuava sentado em sua mesa e apenas lançou me um olhar de "Ah você chegou, olha quem tá ai". Me curvei para Taeyong que havia acabado de se levantar e logo fizera o mesmo

- Tudo bem? - perguntei.

- Ah, sim sim, eu preciso falar com você e te dar um recado, por isso vim aqui. - Ele parecia um pouco nervoso e eu tentei segurar o riso ao vê-lo daquela forma, suas bochechas estavam coradas e era visível mesmo à 100m de distância - é, um pouco exagerado -, ele estava bem diferente da nossa conversa há umas horas atrás. 

-  Tudo bem, pode falar. - falei enquanto me sentava em minha cadeira sinalizando para que ele fizesse o mesmo, e ele o fez.

- O seu cliente me contou tudo. - disse. - Ele me pediu para te avisar que eu vou investigar com vocês, de longe é claro. Pediu também para que você me passe as informações mais necessárias para que eu entenda tudo. - terminou com um meio sorriso nos lábios e sem mostrar os dentes.

- Sim, eu esperava por isso. Quando você puder e quiser posso te mostrar tudo. - devolvo-lhe o sorriso.

- Você se importaria de me mostrar hoje? Se você não estiver ocupado nem nada. - falou parecendo meio preocupado. Sem graça.

- Não. Não estou tão ocupado assim, posso lhe mostrar hoje sim. - respondi me direcionando aos armários para pegar os papéis.


🔍


Um longo tempo havia se passado e eu já tinha o mostrado boa parte, desde o começo do caso das moças assassinadas. Agora ele estava analisado o caso da modelo de Hong Gi, e eu não estava fazendo nada realmente. Quero dizer, eu até estava revisando uns papeis aqui e outros ali, mas nada que eu já não tenha feito antes. Taeil já fora embora e eu tambem queria ir. Nao que ter Taeyong ali fosse ruim, ao contrário, eu gostava de sua presença, ele conversava bem e era legal, eu não fico desconfortável com sua presença. Mas, qual é, eu tô exausto hoje e só queria dormir um pouco. 

- Você está cansado, né ? - meus pensamentos foram interrompidos por Taeyong que parecia ter notado que eu estava quase dormindo ali. 

- Pode-se dizer que sim. - falei dando de ombros.

- Entendo. Acho melhor a gente parar por aqui, eu já incomode demais por hoje. Desculpe por isso. - falou dando um riso soprado. - Eu posso levar estes papéis comigo? - perguntou apontando para uma pasta com vários papéis do caso da moça.

- Você não está incomodando. Você pode levar sim. Agora são meia noite e trinta e sete, nós realmente devemos ir. - falei já me levantando e pegando meu terno, ele fez o mesmo só que com os papéis. Papéis, tão chatos. Assim que o vi já com suas coisas na mão fui até a porta e a abri.- vamos?

- Sim, vamos. - respondeu.


Notas Finais


E aí galera, o que tão achando? Não gostei taaaanto desse capítulo, mas eu também não poderia antecipar tanto as coisas, quero ir num tempo legal pros dois, apesar de já terem demonstrado interesse um pelo outro. Nem que mínimo.
Inclusive, eu comecei a assistir miss hammurabi e é muito bom, eu recomendo demais, o ruim é que não tem lugar aonde asisstir. Vocês sabem onde eu posso asisstir? (Eu asissti os dois primeiros eps no Dramafever mas né, vcs sabem)
Qualquer coisa me falem, não melhorarei se não saber os erros:')
~XoXo🌺


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...