1. Spirit Fanfics >
  2. I will protect you >
  3. Capítulo 7

História I will protect you - Capítulo 7


Escrita por: julyaporlen

Capítulo 7 - Capítulo 7




Terça 7 de março - 2018.


O dia que se seguiu foi incomum para os três ômegas. Ambos receberam uma visita um tanto animada de uma ômega loira.


Hailey encontrou Zayn primeiro. Ambos sentaram em um sofá da sala de estar. Ela com um computador no colo e ele um pouco acuado ao seu lado.


Liam havia pedido para que ela providenciasse roupas para os ômegas e ela como uma boa compradora foi rápida em aceitar fazer aquilo. 


Os ômegas chegaram ali com roupas comuns e escuras então ela teria que moldar o estilos de ambos. Zayn foi o primeiro.


A ômega era alegre e simpática em suas falas, enquanto Zayn era o mais vago possível nas suas. Mas a loira ganhou a simpatia do menino quando mostrou as várias camisetas de banda e super heróis, todas pretas. Logo depois deles escolheram calças, moletons, coturnos e tênis que combinavam com o estilo de Zayn. A maioria eram Ralph Lauren, Tommy, Versace e adidas.


No final ela e Zayn tomaram café da manhã juntos e quando o alfa se aproximou da sala de jantar sorriu ao ouvir as risadas que Hailey tirava de Zayn.


Louis foi o próximo. O ômega de olhos azuis foi gentil com a loira ao notar que as intenções dela eram boas.


Harry os deixou em seu escritório, mas não sem antes afirmar que Louis ficaria bem em qualquer peça da Gucci.


E ele estava certo. Louis amou tudo que a ômega mostrou a ele. Greg o deva camisetas e calças pretas para qualquer ocasião, então ele estava feliz com todas aquelas possibilidades. Camisas, calças, tênis e principalmente moletoms foram escolhidos. As peças variavam entre Louis Vuitton, Burberry, Fila e principalmente Gucci.


Hailey Louis e Harry almoçaram juntos e a companhia da loira foi ótima para quebrar o clima entre os dois.


Quando a Bieber apeteceu na casa de Shawn, ele e Niall estavam arrumando a cozinha após o almoço. O alfa sugeriu que eles fossem para seu escritório e assim eles fizeram.


Niall não era difícil de agradar ele era tímido e não queria ser exigente. A loira entendeu rapidamente que o ômega era discreto e preferia coisas mais clássicas.


Juntos eles escolheram peças da adidas, Burberry, Tommy e Calvin Klein. No final Niall estava confortável com a presença da ômega. 


Shawn os observava encostado no batente da porta e um sorriso aprecia em seu rosto todas as vezes que Niall ria de alguma coisa que Hailey falava.


A ômega se afasta do de olhos azuis e se despede. Sai do escritório e arrasta o alfa até a porta com ela. Ela cruza seus braços e o analisa.


― A quanto tempo nos conhecemos? ― ela pergunta.


― Seis anos ― ele responde mesmo sem saber aonde ela queria chegar.


― Sabe quantas vezes eu te vi sorrindo de verdade nesses seis anos? ― ela pergunta e ele nega ― duas vezes ― afirma ― a primeira foi quando Justin pediu pra você ser padrinho no nosso casamento e a segunda foi quando Liam desse que você seria sócio dele ― ela pontua e é a vez dele cruzar seus braços.


― Onde você quer chegar? ― Mendes indaga.


― A lugar algum ― ela sorri ― só estou feliz de ter presenciado a terceira vez e de saber quem foi o causador ― explica como se não fosse nada ― ele é especial ― afirma por fim e se despede, saindo da casa.


Hailey devia estar vendo coisas. Shawn não sorria pouco. Ele era reservado e ninguém podia culpá-lo por isso. A vida o fez assim.


Ele gostava da companhia de Niall. O menino de olhos azuis era doce e não tinha culpa de ser filho de quem era. Não merecia ser distratado por isso.


O alfa respira fundo e caminha de volta para seu escritório. Ele para no batente da porta e observa o mais novo, Niall estava em pé e seus dedos passavam pelos livros na estante do escritório.


― Gosta de ler? ― o mais velho pergunta fazendo o menor dar um pulo para trás devido ao susto.


― Gosto ― o loiro balança sua cabeça timidamente.


― Você pode ler o que quiser ― Shawn fala se aproximando da estante.


― E-Eu acho que já li a maiorias deles ― fala passando seus olhos pelas bordas dos livros.


― Tem algum gênero que prefira? ― Mendes pergunta.


― Nos líamos livros históricos e biografias ― o loiro conta se recordando das reclamações de Louis sobre o conteúdo chato.


― Na escola? ― o maior pergunta. Estava interessado em conhecer o ômega. Niall nega com a cabeça ― não foram a escola? ― volta a perguntar incrédulo.


― Nós três éramos ensinados em casa ― o ômega explica sem olhar para o outro.


Shawn se perguntava o por que daquilo. Yaser temia tanto que alguém os descobrisse ou será que ele só não queria que os ômegas entrassem em contato com outras pessoas?


― Então acho que nunca leu romances ou contos certo? ― o de olhos castanhos pergunta. Preferia deixar aquele assunto de lado por hora.


― Não ― Niall nega. Ele sempre quis, mas sua mãe dizia que aquilo não o tornaria mais inteligente. Só o deixaria iludido à espera de algo que não o aconteceria.


O alfa passa seus dedos atentamente pelos livros e puxa um de capa vermelha. Ele entrega para o menor, que o olha com receio mas aceita. Romeu e Julieta. Ele lê o título e olha para o mais velho.


― Comece com esse, é um clássico ― diz com um sorriso gentil e o outro concorda.


Niall vira o livro e atentamente lê a sinopse. Ele era adorável. Vestia uma camisa preta grande de Shawn e uma calça de moletom cinza. Era a menor que o alfa tinha mas ainda assim fica frouxa. Os olhos azuis brilhavam em curiosidade e o alfa não pode evitar sorrir com aquilo.


― Obrigado ― Horan diz com um sorriso enorme e sai dali às pressas.


O escritório assim como o resto da casa cheirava a Niall e o alfa agradecia por seus seguranças terem seus ômegas.


Ele sorri involuntariamente ao perceber que deixou o mais novo feliz. Não admitiria em voz alta mas talvez Hailey estivesse certa.



Atrevido e difícil de lidar. Era assim que Greg Tomlinson descrevia seu sobrinho, e Louis sabia disso e tinha certeza de que sue tio era bem pior. 


Incompreendido e inseguro. Era assim que Harry via aquele ômega, mas Louis não sabia disso. Harry queria mostrá-lo que ele não precisava erguer seus muros, pelo menos não para ele, mas aquilo era um processo demorado e o alfa sabia disso.


As poucas horas que os dois tiveram juntas foram resumidas em conversas banais e vagas. O Mais velho tentava iniciar um assunto mas o de olhos azuis sempre o respondia de forma vaga, cortando a conversa.


Louis era curioso é no momento sua curiosidade estava direcionada ao escritório do alfa. A cada cinco minutos Harry pronunciava um palavrão diferente em um tom de pura frustração, fazendo com que o ômega se perguntasse o que estava acontecendo ali. 


O pequeno Tomlinson levanta do sofá e caminha da sala até o escritório do alfa. Harry estava sentado em sua mesa pronto para jogar o computador na parede.


― O que ele te fez? ― o mais novo pergunta encostado no batente da porta.


― Essa porcaria trava a cada cinco minutos ― o de olhos verdes fala insatisfeito.


― Bom, você não precisa quebrar-lo. Ele deve ser caro ― o de olhos azuis comenta e caminha pelo cômodo ― posso? ― pergunta parando ao lado do mais velho. Harry acena com a cabeça e move a tela do computador para o lado do menor. Louis inclina seu corpo e fixa seu olhar na tela ― para sua sorte suas informações são protegidas, mas isso não impede a entrada de vírus ― o ômega fala sem olhar para o outro.


― Como sabe? ― Harry pergunta ― olhou para tela por menos de dez minutos ― comenta.


― Quando eu tinha seis anos adorava jogar, mas era muito mais divertido entender como aquilo funcionava. Meu pai viu que eu me interessava e insistiu pra que eu aprendesse mais sobre o assunto ― o tom de voz do ômega era tranquilo, isso mostrava ao alfa que ele lembrava de seu pai com respeito e amor. A tela fica preta e o mais Velho observa o ômega digitar algum códigos nas teclas ― prontinho ― fala direcionando a tele para o maior com um sorriso satisfeito.


Aquele momento provavelmente havia sido o melhor que eles tiveram nas últimas horas. Louis falava do que gostava sem pular palavras ou ter receio de falar algo errado. Harry gostaria de vê-lo assim mais vezes.


Os muros do ômega de olhos azuis estavam tão bem erguidos que seu cheiro era fraco. Harry o sentia mas dava pra perceber que aquele não era sua potência normal.


― Obrigado, Louis ― Harry fala verdadeiro e o ômega da de ombros pronto para sair dali ― posso perguntar uma coisa? ― o de olhos verdes indaga 

.

― Sim ― o mais novo concorda e senta no sofá que havia ali.


― Zayn e Niall sempre foram seus únicos amigos não é? ― o alfa questiona levantando de seu lugar.


― Zayn e eu crescemos juntos, Niall veio depois. Eles não são só meus amigos, são meus irmãos ― o de olhos azuis fala com um sorriso leve. Harry senta a sua frente e sorri em compreensão.


― E sempre foram só vocês três ― dessa vez o mais velho afirma e o menor concorda.


― Onde quer chegar? ― Tomlinson pergunta.


― Eu sei como é ter só duas pessoas que realmente gostam de você ― Harry suspira ― eu tinha minha mãe e o Liam, mas minha mãe foi tirada de mim e por muito tempo eu jurei que ele era o único amigo que eu precisava ― o olhar de Louis era atento e ele prestava atenção em cada palavra ― mas então Shawn e Justin apareceram, depois a Hailey, Charlie e Madelaine ― o tom do mais velho era calmo. Louis sentia que podia confiar.


― Por que me contou isso? ― o ômega pergunta. Harry com certeza não lhe devia satisfações sobre sua vida, mas ali estava ele. Um alfa conversando tranquilamente com um ômega.


― Porque quero te mostrar que não a problema em ter outras pessoas em sua vida ― o mais velho fala ― não quero que se sinta preso aqui, gostaria que confiasse em mim e que possamos viver bem ― explica ― quero ser seu amigo, Louis ― diz com cautela ― o que me diz? ― pergunta por fim. O olhar do ômega cai para suas mãos.


Louis tinha que admitir que Harry não era um alfa comum. Ele era gentil e parecia ter boas intenções. Louis poderia confiar nele, mas ele deveria? Conhecia Harry a poucas horas e se no final ele se mostrasse ser como Greg ou Yaser?


Apesar de suas desconfianças, algumas palavras martelavam em sua mente, palavras ditas por sua mãe a muitos anos atrás. Palavras que a alguns anos fizeram o ômega se abrir para Niall e ele nunca se arrependeria disso.


"Não é fraqueza ouvir seu coração, querido. Nem todas as pessoas são más, algumas querem seu bem. As vezes temos que derrubar nossos muros"


Johannah era uma mãe incrível e como sempre tinha razão no que dizia. Louis aprendeu muito com o pouco tempo que teve com seus pais e ele os honraria e seguiria seus ensinamentos.


― Tudo bem ―  os olhos azuis levantam e encontram os verdes ― vamos ser amigos ― fala decidido e estende sua mão. 


― Que bom ― Harry junta sua mão a dele e eles se cumprimentam como se estivessem selando um acordo.


Louis suspira e abaixa sua guarda permitindo que seu cheiro se expandisse por todo o cômodo. Harry inala o cheiro doce e sorri com aquilo. 


Eles eram completos opostos e sabiam disso, mas ambos queriam viver bem um com o outro, sem problemas e sabiam que aquele era o primeiro passo.



Zayn estava parado no corredor. Ele estava decidido a falar com Liam, havia feito seu caminho até o escritório mas parou ao notar o quadro na frente das portas do cômodo.


Era lindo. A pintura retratava um grande navio sobre o oceano azul que fazia contraste com o céu limpo e o sol bem detalhado, era uma obra impecável sem dúvidas.


Liam abre a porta de seu escritório e se surpreende ao ver o moreno ali de costas para ele, usando um moletom maior do que seu próprio corpo. Liam se coloca ao lado dele e o observa.


Os olhos âmbares iam por todos os cantos da obra, o ômega olhava para o quadro com um brilho radiante e cheio de admiração.


― Zayn ― Liam o chama e os olhos bonitos caem sobre si ― você queria falar comigo? ― pergunta.


― É lindo ― o moreno fala sobre o quadro.


― É sim ― eles não estavam falando sobre o mesmo assunto. O alfa estava mais focado nos olhos do menor do que na pintura.


― Eu queria saber se... ― Zayn cruza seus dedos na frente de seu corpo nervosamente.


― Se...? ― Payne incentiva o menor a continuar.


― Lápis e papel ― o moreno fala apenas. Esperava que aquilo bastasse para que o alfa entendesse.


― Gosto de desenhar? ― o castanho indaga.


― Sim ― Zayn balança sua cabeça.


― Tem alguns papéis em branco na minha mesa e algumas canetas ― Liam abre a porta da sala e o moreno entra. Ele pega duas filhas, uma canela e sai da sala parando a frente do maior.


― Obrigado ― o moreno fala e se vira para sair dali.


― Eu gostaria de ver quando você terminar ― o castanho fala e o mais novo se vira para ele novamente.


― Isso não vai acontecer, eu não mostro para ninguém ― o ômega explica e o alfa cruza seus braços sem acreditar nas palavras do Malik.


― Nam para seus amigos? ― Liam questiona erguendo uma de suas sobrancelhas.


― Não ― Zayn fala rapidamente ― Louis tentou uma vez. Eu teria matado ele se o Niall não tivesse se colocado no meio ― conta e ganha uma risada do alfa. Liam adoraria ter visto Zayn zangado com uma carranca no rosto, deveria ser comicamente adorável.


― Tudo bem ― o castanho levanta suas mãos se rendendo ― não vou te atrapalhar, pode ir ― fala por fim colocando suas mãos nos bolsos.


― Te vejo no jantar ― Zayn se despede e sai dali.


Liam havia terminado de trabalhar naquele dia, mas ele volta a entrar em seu escritório e pega seu celular no bolso. Clica no contato da ômega loira e digita para a mesma.


"Hailey, preciso de material de artes. O que você tiver sobrando em casa e o que poder comprar. Sem pressa para receber. Obrigado."


Ele guarda o aparelho no bolso e se vira na direção da porta ao ouvir um barulho. Grace estava entrando no cômodo com um sorriso. Ela olha para o alfa e levanta uma de suas sobrancelhas.


― O que está aprontando senhor Payne? ― ela pergunta brincalhona para o maior.


― Senhor Payne é meu pai. Você sabe que eu prefiro que me chama de Liam ― ele cruza seus braços e ela concorda.


― Sei sim ― ela concorda docemente ― mas não desvie da pergunta, eu conheço esse sorriso sapeca desde que você era criança. O que está planejando? ― é a vez dela de cruzar seus braços.


― Uma surpresa para o Zayn ― fala decidido ― você me ajuda? ― ele pergunta.


― Que lindo, querido ― ela bate suas mãos alegre ― lógico que ajudo. Do que precisa? ― ela pergunta.


― Pedi pra Hailey comprar algumas coisas e gostaria que você vagasse um dos quartos de hóspedes. Pode tirar os tapetes, a cama e os móveis. Ele vai ter um lugar só pra ele aqui ― explica com um sorriso e a mais velha concorda.


Um lugar para Zayn chamar de seu, para que ele se sentisse bem ali, para que ele pudesse ser ele mesmo. Era o que Liam queria, que Zayn se sentisse confortável e feliz ali.








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...