1. Spirit Fanfics >
  2. Icarus ( Lindos garotos tristes) >
  3. Preocupação...

História Icarus ( Lindos garotos tristes) - Capítulo 68


Escrita por:


Notas do Autor


Olá. Eu desenhei isso uma certa vez. Depois posto um melhor

Capítulo 68 - Preocupação...


Fanfic / Fanfiction Icarus ( Lindos garotos tristes) - Capítulo 68 - Preocupação...

O que era ciúmes?

Ícaro se questionava constantemente como chegou naquele ponto, ao ponto de perder a cabeça completamente.

[...]

Voltando ao início, tudo começou num começo de tarde, ele havia levantado cedo e depois passado o tempo assistindo a novela da tarde antes do Colégio enquanto almoçava olhando para televisão sentado no sofá com Yumi falando por mensagem com aquele menino na qual quase a derrubou na frente do Palácio e dos outros Angels.

As vezes Ícaro olhava para ela esboçando um sorriso para a tela do celular e se questionava se a fase "Tama" já havia passado assim tão rápido, era estranho e as vezes pensava que Yumi talvez estava se forçando a gostar de Charley criando um sentimento por ele como se a antiga paixão por Tama fosse algo como um grande nada. Ícaro balançou a cabeça por estar botando na cabeça a idéia absurda de querer dividir Tama com outro alguém, longe disso, era só que era estranho Yumi estar assim a semanas desde aquele dia, ele cutucou com o garfo o tomate cereja no prato com aquele incômodo no coração por Yumi e voltou a assistir a cena da televisão.

[...]

Quando ele chegou no Colégio, ele foi para o armário automáticamente, os tempos sem falar com Guih fez ele se tornar tão independente que não precisa espera-ló, aliás ele precisava pegar um livro calhamaço de duzentas páginas e capa dura que usaria na aula de Biologia e por conta do peso ele se recusava a levar para casa guardando no armário da escola assim como os outros alunos, foi naquela tarde que ele escutou um comentário pretensioso que fez a pele entre sua sonbrancelhas enrrugar como uma toalhinha molhada ao escutar a fofoca entre duas garotas, o sol entrava pelas janelas de vidro enforma de luz no corredor do segundo andar refletindo no piso branco e Ícaro se via olhando para elas em choque como se aquilo fosse uma grande preocupação que se impregnou dentro dele, nesse tal assunto estava o nome de alguém que ele gostava, elas falavam sobre ele com animação, a garota mais interessada nesse certo rapaz era o que preocupava Ícaro agora. Elas falaram sobre "Status", um status que Ícaro não sabia que foi ao ar hoje de manhã.

ㅡ Você viu? Eles terminaram. ㅡ A garota mais alta que Ícaro, falou com um sorriso orgulhoso no rosto, ela guardava um caderno de física na prateleira de cima, na porta havia vários corações com o nome dele e de algumas amigas.

A garota ao lado mexeu no cabelo curto na altura do maxilar exaltando um charme de uma garota bonita dizendo que ela já sabia sim e que era muito afim de Tama a alguns anos, e Ícaro pensou que Yumi também era, e saber que Tama estava solteiro talvez fizesse florescer novamente essa amor dentro dela, e agora a pista estava cheio de inimigos, inimigos que Ícaro não queria ter que lidar.

Quantos mais haviam além dela?

ㅡ Comece a falar com ele. ㅡ A menina alta falou para a garota de cabelo loiro curto que tinha um sorriso radiante ao se imaginar tendo algo com Tama. ㅡ Ai você vai ser a primeira pessoa que ele vai ficar depois que esse namoro com a maldita da Fanny acabou.

"A primeira?" ㅡ Ícaro se questionou, a primeira ou a única? Se ela fosse a primeira quem seriam as próximas? Sua cabeça se encheu de interrogação, e se ela não era a primeira, talvez já estivesse rolando com outros ou outras? Ícaro respirou fundo atordoado, resolveu sair dali e foi em direção a Guih como a visão de um Tama caindo na ousadia de ficar com outras pessoas como se fosse um rodízio, e a cada pensamento o coração dele acelerava mais e a preocupação mudava de tamanho conforme pensava.

Ele encontrou Guih em um banco do patio esperando o sinal bater, ele falava com Din sentado e Ícaro se aproximou sem perceber que estava atrapalhando. Din olhou para Ícaro com um pouco de recentimente por causa de Sophie ainda existente nele, no entanto notou que Ícaro estava nas nuvens, pôs um sorriso de estranheza no lábios, foi a primeira vez que ele viu Ícaro tão perdido, que acabou somente sorrindo para Guih e dizendo que depois eles voltariam a conversar e depois saiu.

Guih olhou para Ícaro com a mesma cara que Din fez antes e chamou por ele que olhou para a cara do amigo com infelicidade ao tentar sorrir no entanto o sorriso era forçada demais que deu gastura nesse garoto ruivo que recebia um sorriso tão artificial.

ㅡ O que foi? Que cara é essa? ㅡ Guih riu aflito achando Ícaro muito estranho.

Ícaro fez uma cara de arrependido e pensou em fazer uma pergunta a Guih.

ㅡ Tama está solteiro. ㅡ Ícaro falou.

ㅡ Ainda bem. ㅡ Guih disse, era bom saber que Tama não estava saindo da linha. ㅡ É um passe livre para você. Não acha?

ㅡ Para mim ou para os outros? ㅡ Ícaro perguntou com esse peso que o estava perturbando.

Guih pôs a mão no queixo pensando ao dizer que não havia pensado nisso ainda, apesar de querer cortar qualquer asa que Tama abrisse depois de se intitular solteiro novamente, ele na verdade queria saber até onde iria era a lealdade do rapaz na qual ele ameaçou naquele dia atrás da escola, e afinal não adiantava nada pressionar Tama a ser um bom rapaz, pois se ele quisesse fazer merda, de todo modo se não pudesse fazer na frente ele faria por trás. Pensando ele ficou por um tempo, Ícaro suspirou percebendo o silêncio e perguntou a Guih se Tama realmente seria capaz de sair ficando por ai com qualquer um.

ㅡ Sim, eu acho. Afinal estamos falando de Tama né, ele é bem disputado, e nem um pouco santo. ㅡ Guih afirmou, ele lembrava do ano passado quando questionaram á Tama sobre com que frequência ele "ficava" e Tama dissera que gostava muito de beijar, mesmo que fosse sem compromisso. ㅡ Ele é bem capaz Ícaro, afinal vocês nem estão namorando. Certo?

ㅡ A gente precisa estar namorando Guih, para um respeitar o outro? ㅡ Ícaro se sentiu triste, ele sabia que ficar não era como um compromisso no entanto ele achava que Tama e ele não precisavam oficializar para se sentir tão bem como eles se sentiam juntos agora.

Ou só Ícaro achava isso?

Só ele se sentia bem assim?

ㅡ Atualmente sim. ㅡ Guih falou, namorar era dizer que você não quer dividir aquela pessoa com ninguém. ㅡ Se sentir bem é bom Ícaro, no entanto quando você deixa alguém sem um nome de relacionamento a dois, outras pessoas se sentem livre para cantar quem você gosta. ㅡ Guih pensou que era mais complexo do que ele explicou, até os comprometidos eram cantados. ㅡ Nem todo mundo gosta de rótulos Ícaro, mais as vezes os rótulos são necessários para mostrar que se gosta de alguém, demonstrar que se importa ou que ama, mais para isso funcionar a outra pessoa tem que colaborar também com esse rótulo, seja de namorado ou ficante. O que você estabeleceu com ele? Ou está ainda aberto para o vento levar o relacionamento de vocês?

Ícaro pensou e disse a Guih que haviam conversado sobre e que Tama havia dito que eles estavam tendo algo como um relacionamento aberto e que queria continuar ficando com Ícaro mais eles podiam ficar com outras pessoas também se quisessem.

ㅡ E você aceitou isso? ㅡ Guih falou um pouco pasmo pensando que Tama era um sem vergonha por colocar seu amigo nesse tipo de relacionamento.

Era certo que Ícaro não era mais uma criança, no entanto ele nunca namorou como Guih também nunca esteve em um namoro, no entanto por outro lado Guih já estava acostumado a beijar na boca desde o ano passado e Ícaro havia aprendido a ter uma relação somente esse ano, lidar com pessoas e cuidar do sentimento de uma eram coisas totalmente cheias de responsabilidades que Ícaro ainda não tinha o domínio de ter que suportar, zelar e lidar emocionalmente constantemente todos os dias de um outro alguém. Era quase como ter um filho, dar atenção todos os dias e isso ainda Ícaro ainda não estava totalmente preparado.

E ali estava Tama querendo ficar com Ícaro e leva-ló para cama tendo a mesma oportunidade de fazer isso com outras pessoas. Ícaro olhou de lado e respondeu a Guih que quando eles conversaram sobre isso, Tama ainda estava com Fanny e ele não ficava com mais ninguém a não ser Ícaro, naquele momento ele não se preocupou tanto como estava se preocupando agora pois o perigo ainda era inimaginável para alguém que nunca namorou na vida.

ㅡ Você deixou isso passar despercebido. ㅡ Guih contestou preocupado também. ㅡ Uma vez a regra estabelecida, talvez não há volta. Você transou com ele de novo depois da primeira vez?

Ícaro balançou a cabeça e explicou a Guih que quase rolou a um tempo atrás mais Ícaro acabou não cedendo já era recente o término, por respeito ele e a ela acabou não cedendo ao desejo de Tama. Guih pensou que eles eram homens, eles gostavam de coisas fáceis, sexo entre caras era algo bem fácil de rolar.

Uma vez Guih questionou Din porque ele queria transar com ele tanto assim, e essa foi a resposta curta e grossa, "Levar para a cama um homem é bem mais fácil de que uma mulher" nessa hora Guih tinha franzido a testa, estando na cama dele sem roupa, no entanto relevou, se Din era sacana, Guih seria ainda mais com ele, afinal eles estavam se usando ao mesmo tempo que esse detalhe de algo fácil assim entre os dois não fazia diferença até o fim desse relacionamento.

ㅡ Não deixa ele ficar te comendo de graça fazendo isso com outras pessoas Ícaro. ㅡ Guih falou pensando a respeito do que ele tinha com Din. ㅡ  Eu sou homem, Din é homem, meu relacionamento e o dele não é tão diferente do seu. Somos amigos com benefícios. ㅡ Guih se sentiu um pouco péssimo por estar explicando isso a Ícaro que no momento fazia uma cara de tristeza ao entender melhor sobre um relacionamento romântico e sexual que ele nunca teve até então. Guih fez uma suposição sobre ligar para alguém. ㅡ Você viu Din aqui mais cedo, ele quando está com tesão, me liga. Guih você está afim de trepar? Eu com um fogo incontrolável que eu tenho, falo: "Claro." E pronto, sexo fácil, sem precisar chorar, e na hora que ele quiser, é como pedir um lanche no Mc' Donalds, em alguns minutos ou horas você vai ser servido no mesmo dia.

ㅡ Não quero isso. ㅡ Ícaro afirmou, vendo o que temia.

Guih entendia e ficava reparando em Ícaro mexer nos próprios dedos pensando em como ele falaria com Tama sobre isso que ele estava sentindo ou que talvez fosse o certo aguentar mesmo não querendo, e pensava também que talvez não fosse o fim do mundo aceitar se Tama quisesse ficar com outra pessoa, afinal eles fizeram um acordo naquela noite, talvez Ícaro estivesse se precipitando.

Talvez...



[...]

Ontem a noite Tama tomou uma decisão, abriu sua linha do tempo no facebook e mudou seu status para solteiro.

Durante a manhã havia emoticons de surpresa na postagem dele, no outro status endereçado a ele, Fanny também subiu ao ar o mesmo status, ele recebeu algumas mensagens em seu Messenger que não foram abertas, ele ainda não estava pronto para começar a respoder-las por educação sem pretensão alguma.

Em seu aplicativo de conversa Line, ele recebeu mensagens dos amigos o parabenizando por ser enfim um idiota solteiro que poderia ir para a balada com eles novamente sem alguém para brigar, no entanto Aniki no grupo falou que se Tama fosse ele iria chamar mais atenção que os outros e os caras ou garotas teriam o infortúnio de não sobrar ficante para ninguém desde que ele cortava para os dois lados, Tama deu um sorriso ao ler isso no entanto ele não respondeu de volta, ele somente olhou e desligou a tela sentado no sofá de casa esperando o horário do Colégio e quando deu a hora ele pegou a Honda e saiu.

Antes do sinal bater, ele chegou e foi até os amigos que pareciam bem contentes, Din veio ao encontro vindo de algum lugar que ele estava como quem não quer nada e questionou Tama que hoje as meninas estavam bem alvoroçadas.

"Flui hormônio. Você não sente?" ㅡ Foi o que ele disse ao puxar o ar com as mãos em direção ao nariz como se fosse tão doce.

ㅡ A culpa é dele. ㅡ Kawã apontou para Tama. ㅡ Ele está dando uma de passarinho fora da gaiola de novo.

Eles falaram brincando entre si, e tiraram uma de Tama como sempre faziam quando o galã novamente ficava solto na pista. Tama deu uma risada um pouco forçada ao achar aquela situação nada demais, ele até gostava de falar besteira entre homens no entanto esse ano ele estava um pouco mais relaxado espiritualmente, talvez fosse o clima ou a presença de alguém que não permitia deixar ele carente depois de um término tão conturbado.

ㅡ Está cheio de meninas querendo te dar. ㅡ Tae falou, ele abriu a postagem de Tama em seu Iphone top de linha e mostrou para a galera.

Mark olhou em seu próprio celular as mensagens que pareciam pretenciosas de algumas garotas e de alguns meninos que falavam que Tama se via realmente muito bem agora, e que se ele não estivesse bem podia chamá-los para conversar.

"Interessante" ㅡ Mark pensou.

ㅡ E os meninos? Não querem? ㅡ Tama questionou em um tom abusado no olhar enquanto brincava ao surgir um sorriso animado no rosto, afinal com os garotos eles não tinham nenhum problema.

ㅡ Para te comer? ㅡ Aniki questionou. ㅡ Acho que tem um monte querendo. ㅡ Abusou com graça da brincadeira de Tama olhando para o Post de solteiro do rapaz no facebook que Tae observava.

Tama fez beicinho e deu de ombros, ele não tinha nenhum problema com isso, as vezes ele só precisava ser apertado e chacoalhando como os homens normalmente faziam como se ele fosse uma boneca de pano que olhava para eles com julgamento como se o que eles fizessem não fosse bom, talvez era por isso que Tama as vezes eram muito maltratado sobre onde quer que ele estivesse nas mãos de um homem enquanto faziam sexo, eles eram ruins, eram insensíveis e pensavam em si mesmo na hora do prazer, Tama nunca se interessou por um cara diferente que se importasse com ele quando se colocava na posição de passivo.

A dor não era nada perto de como ele se sentia todos os dias.

Homens maus, homens que não se importavam com ele, era ruim, mais Tama sempre procurava por isso com mais frequência do que se pode imaginar. Tama não procura pessoas boas, porque não acha que as merece.

Dragon seu chefe era bom, por isso Tama não nenhuma dava nenhuma chance para ele, no entanto fez sexo algumas vezes para não ter que ver ele morrer de vontade mesmo que Dragon disesse que não era bem isso que ele queria de Tama no entanto se contentava com o corpo quente desse menino de dezessete anos, porém Tama achou que só isso ele podia ter dele ao invés de amor.

Apesar de acha-lo bom, Tama nunca sentiu nada por e com Dragon, talvez fosse problema com Tama porém nunca chegou lá enquanto transavam, no máximo ele reclamava diversas vezes e se sentia entediado durante o movimento e o carinho bondoso que ganhava, e quando ele chegava perto do clímax do seu jeito demorado de se sentir bem, Dragon chegava ao fim, então Tama ficava no tédio novamente sem coragem de dizer para ele continuar já que estava acostumado a não ter muita coisa quando estava sendo usado, usado porque desde que lembra foi posse de homens que se satisfazerem como se Tama não tivesse sentimentos, eles entram e fazem o que quererem, se satisfazem e saem.

E agora pensando em Ícaro... Ele queria usá-lo também?

Tama não se importava de ser usado por ele, se ele quisesse, ele iria deitar e ficar quieto como ele costumava a ficar, ele quase deixou naquele dia no quarto quando Ícaro o beijou de volta a uns meses atrás antes de Fanny ligar o xingando para buscá-la em algum ligar da agência de modelos, era bom o que eles estavam fazendo que Tama se viu querendo deixar acontecer. Ícaro era bom como sua ex cunhada disse, no entanto Tama não achava que deveria deixar amá-lo tanto assim, deu beijos, deu sexo pelo menos uma vez no entanto a carga pesada que ele era Ícaro não merecia ter que aguentar.

Era o que Tama achava.

Ícaro estava no escuro, ele não sabia no que estava preste a cair, ele queria por as mãos nisso que Tama transparecia ser, era como um animal ou um inseto colorido aparentemente bonito e chamativo, no entanto Ícaro havia aprendido isso nos canais de vida animal mais não aplicava totalmente a quem Tama podia ser, quanto mais bonito, mas perigoso é. Tama era uma bomba preste a explodir, e se explodisse ele seria capaz de machucar quem estivesse ao redor.



[...]

Durante o intervalo Tama estava brincando com os amigos, eles estavam falando sobre uma situação engraçada ou talvez infeliz que ocorreu hoje um pouco antes do horário da entrada, como Kawã contou que hoje de manhã Mark, ele e alguns amigos de seu prédio encontraram uma nota dois reais na rua durante a Ida para o Colégio.

Eles haviam vindo em grupo com o pessoal do prédio, automaticamente todo mundo se interessou pela nota e como esperado virou uma briga para saber quem iria ficar ou o que seria comprado com ela, Kawã que viu primeiro e não quis dividir, entrou em uma discussão com seu irmão, Lui, Guih, Laryssa e Sophie e Mark que chegou logo em seguida e desceu do ônibus, Kawã pretendiam comprar um salgado no entanto o salgado poderia ser satisfatoriamente dividido em seis como Guih havia dito, no entanto Kawã reclamou sobre quem havia falado que ele iria dividir, esse foi o começo de um pandemônio, todo mundo tentou tomar a nota dele e acabou por ser distribuído tapa para todo lado, eles estavam como tanta raiva puxando Kawã mesmo que ele fosse alto ele não era dois, Kawê com a cara maldosa que tinha encontrou um deslize do irmão e conseguiu pegar ao torcer a mão de Kawã e jogou para o cunhado por maldade que caiu flutuando em direção a Guilherme que enfim pararia essa briga, quando ele pegou com ódio o papel virou cinzas na mão dele, o papel pegou fogo e em um segundo não tinha mais nada, Lui, Mark e as meninas abriram a boca chocados como Kawã que já estava com a roupa amarrotada de tanto ser puxado também ficou. Kawê começou a rir e Guih disse que a briga tinha acabado por ali e eles foram para a escola como um cão com o rabo entre as pernas de ter pedido dois reais.

Tama automaticamente teve uma crise de riso absurda, e Din falou que era bem feito isso ter acontecido depois de um ato tão egoísta.

ㅡ Fala isso porque tem dinheiro. ㅡ Kawã acusou, ele que levou uma surra de cinco pessoas hoje de manhã por um mísero dois reais que não pagava nem uma lata de cola-cola.

Din e Tae balançaram a cabeça discente com um sorriso no rosto e Tama que estava do lado de Kawã foi empurrado de leve por Mark que falou que aquilo não tinha graça e que pelo menos daria para comprava dois Halls.

ㅡ Eu achei. ㅡ Tama secou os olhos, era raro ele rir assim ao pensar que Guih foi capaz de acabar com dinheiro assim tão fácil e a imagem dessa briga que ele montou na cabeça parecia uma piada e não um conto.

Dali Ícaro olhava Tama se divertir com os amigos em pé encostado na parede e pensava o quanto ele estava preocupado que se pegava observado Tama com mais frequência do que o esperado, ele não era assim no entanto se via agindo como alguém obcecado. Totalmente preocupado.

Mau sabia ele que alguém ali perto também olhava essa mesma pessoa, do lado de uma amiga, um certo rapaz que entrou na Ac!Monster a um mês atrás que se via constantemente costumado a achar Tama uma pessoa muito bonita, ele achava o sorriso dele bonito, era difícil vê-lo sorrir tanto e isso doeu no pobre coração adolescente de Lenny que se viu sorrindo junto totalmente hipnotizado no entanto descobriu que Tama tinha namorada e seu Chush foi por água a baixo.

ㅡ Gato demais. ㅡ Minnie a amiga comentou, ela olhava como ele no entanto nada afim de furar o olho do melhor amigo.

Ela observava Lenny, ele estava no primeiro ano e talvez um ano mais novo que Tama e Minnie ainda estava na oitava no entanto eles se encontravam no intervalo já que moravam um do lado do outro e vinham juntos para o Colégio todo o dia.

Pobre Lenny bissexual, Minnie achava ele um garoto que não podia ser dispensado no entanto eles se deram uns amassos algumas vezes no entanto deixaram essa relação de lado e viraram somente amigos, nada mais e nada menos que isso. No entanto Lenny se pegava pensando nesse tal Tama que via só de vista e que nunca conversou, era alguém intocável que fazia sua bissexualidade gritar, uma atração adolescentes por homens se tornava extremamente louco galopando no peito e seus olhos fixos nessa obra que roubava grande parte de seu campo de visão sempre que entrava em foco era digamos que especial.

"Doce porém tão azedo." ㅡ Lenny pensou e se sentou com Minnie na fonte do pátio alguns metros distante dessa pessoa, a água parada, era verde por conta do lodo no fundo e nas paredes de cimentos. Minnie olhava para fonte e o seu reflexo parecia envelhecido, ela arrebitada o nariz e fazia uma careta de nojo, seu cabelo azul escuro complacente com a pele negra pareciam misturados no reflexo, o batom escuro de tom preto que ela usava parecia borrado na imagem como as costas e ombros largos de Lenny no reflexo que Minnie via na água quando se mantia com a cabeça virada naquela direção da água suja afim de ter algo parecido como um espelho para checar rapidamente o visual.

Na visão real Lenny era melhor, ele tinha a pele dos músculos rígida porque toda manhã desde o começo do ano passado ele inventou de correr toda manhã tentando ter uma vida mais saudável depois de pensar que era alguém bem sedentário, não estava sendo fácil mais ele estava tentando, um corpo sexy para a idade e as roupas deles sempre em tons claros se ajustável bem ao corpo mesmo que a camiseta fosse folgada, os ombros sempre demonstravam a boa forma do rapaz, o cabelo escuro e os olhos no mesmo tom transparência alguém muito simpático.

Bom até demais. ㅡ Minnie avacalhava na própria mente. Pessoas boas sempre eram passadas para trás, era o que ela pensava. No entanto naquele mês de março escaldante antes da frente fria de junho vir massacrando os pobres Amazonas nascido e criando aqui, mais tarde Lenny soube sobre o término de Tama por minnie que vivia xeretando a vida de Tama das redes sociais porque ela o achava bonito e outra porque Lenny tinha um crush, enfim uma chama de esperança brilhou em seu coração.

Talvez fosse o distinto enfim juntando as partes, era muito muito interessante.



[...]

Ícaro estava na casa de Tama por zelo, durante o final de semana ele foi atrás dele como quem não queria nada afim de saber se Tama havia mudado em algum aspecto e se não havia algo diferente na qual fizesse ele parar de se preocupar.

No entanto ele de fato encontrou Tama em casa, se Tama reparasse nele ele perceberia que tinha alguma coisa de errado com aquele menino, ele de vez em quando perguntava a Tama se ele iria sair nesse final de semana.

Tama que estava sentado meio deitado na cama com porta entre aberta lia um livro do mestre Stephen King "Cujo" um terror sobre um cão São Bernando que contrai raiva de um morcego e sai matando pessoas pela cidade de Castrel Rock, parecia bobo no entanto era bem interessante, bem montado, um terror dos anos 80. Ele levantou o olhar acima do livro de capa vermelha que a estampagem eram a pegada de cachorro, Ícaro que havia terminado a um bom tempo One Man Guy hoje havia devolvido, Tama estreitou os olhos achando Ícaro diferente, ele nunca havia se interessado sobre o que ele fazia fora de casa ou nos tempos livres e repentinamente ele estava perguntando esses tipos de coisas que não o interessava.

ㅡ Que eu saiba não. ㅡ Tama falou meio intrigado. ㅡ Porque?

ㅡ Por nada. ㅡ Ícaro se sentou direito nq ponta da cama com os pés descalços sobre o lençol branco de Tama e fingiu mexer no celular evitando o olhar do rapaz.

Tama não deu importância, voltou a ler quando Ícaro voltou a falar de novo.

ㅡ Deve ter muita gente chamando você para sair não é? Sabe... Agora que está solteiro.

Tama suspirou, era a décima vez que ele era interrompido lendo, mais com a maior paciência do mundo ele fechou o livro Cujo e se sentou ao cruzar as pernas e questionou Ícaro se ele na verdade queria era sair com ele e se essa era a razão por trás dessas perguntas.

ㅡ Não, não é isso. ㅡ Ícaro deu um longo suspiro, seu coração preocupado estava sendo insuportável de segurar. Ele olhou para o livro nas mãos de Tama e se sentiu mau. ㅡ Estou te atrapalhando não é? Desculpa.

Tama observou Ícaro, ele negou com a cabeça, definitivamente essa pessoa em sua frente estava estranha e com uma cara de quem não faz algo certo e o fato de se sentir arrependido que deixava Tama ainda mais preocupando.

ㅡ Você está bem? ㅡ Tama questionou com as sobrancelhas tensionadas estranhando a situação.

Ícaro olhou para Tama com um olhar triste e negou com a cabeça, esse diferente mais não novo sentimento alojado no peito era horrível, e ele não aguentava mas senti-lo.

ㅡ Por que você tem que ser tão popular?


Ícaro murmurou frustrado, todo mundo olhava, todo mundo tocava nesse menino e diziam coisas que somente Ícaro ouvia com mais frequência do que Tama que quase todos os dias fazia ele criar uma situação louca na cabeça e ranger os dentes sempre que escutava ou via alguém mencionar Tama pelo Colégio.

ㅡ Não sei. ㅡ Tama olhou para Ícaro com mais preocupação. ㅡ Por que diz isso?


ㅡ Pessoas populares dão trabalho. São difíceis de lidar. ㅡ Ícaro falou arrependido de estar falando sobre isso assim desse modo. ㅡ Todo mundo fala de você, e eu estou me sentindo péssimo ultimamente.

Tama escutou palavra por palavra encarando Ícaro que evitava seu olhar tentando entender o que ele queria dizer.

ㅡ Não gosta? ㅡ O questionou. ㅡ Não que eu queira ser assim, mais as pessoas sempre vêem algo a mais onde não tem.

Ícaro talvez também estava tendo uma alucinação frequente, Tama era como o calor escaldante de um deserto, a desidratação era como o amor que fazia você desmaiar ou imaginar coisas.


Tama sorriu para Ícaro que olhava para ele tendo aquele pensamento de confusão, ele tocou nas mãos dele e perguntou se havia algo errado e se tinha haver com o fato de mencionar sobre Tama ser popular e onde se descide quem vai ser popular ou não, e que Ícaro pelo amor de Deus fosse até lá e tirasse o nome dele porque ele já estava bem cansado.

Ícaro escutou a voz suave porém agitada com um tom de graça vindo de Tama e sentiu o toque leve e acolhedor dos dedos delgados dele sobre sua pele e se questionou se era certo sentir o que estava sentindo, ele se sentia uma pessoa horrível por querer as vezes que Tama não fosse alguém atrativo, não fosse alguém que se consegue conversar fácil, alguém dono do olhar de admiração e desejos alheios, essa era o ponto baixo que um ser humano ou animal pode chegar de querer trancafiar alguém, cada vez que ele pensava nisso mais ele se sentia uma péssima pessoa que não tinha direito de exigir restrição para alguém.

Longe disso.

Ele só queria parar de sentir isso.

ㅡ Eu tenho preguiça. ㅡ Ícaro murmurou apoiando totalmente as costas no batente da janela, como se estivesse cansado, cansado de tudo isso, o sol da tarde brilhava lá fora, ele deixou de trabalhar hoje na loja do pai para estar aqui.

ㅡ Preguiça? ㅡ Tama repetiu confuso.

ㅡ Preguiça de ter que me preocupar com você. ㅡ Ícaro disse enfim a verdade por mais constrangedora que fosse. ㅡ Eu quero saber onde você está ou que está fazendo. Se você está com alguém ou não.

Tama se perguntou se escutou bem e não pode evitar deixar escapar um riso de dedeboche, não por zoação mais por ser algo inesperado de se ouvir ainda mais vindo de Ícaro.

ㅡ É sério. ㅡ Ícaro fez uma cara de infelicidade. ㅡ É bobo não é?

Tama pôs um sorriso intrigado no rosto, ele não acreditava que Ícaro estava tendo uma crise interna, e chegava até ser fofo.

ㅡ Muito bobo. ㅡ Tama assentiu para Ícaro. ㅡ Você... por acaso, está com ciúmes?

Ciúmes?

O diagnóstico de Ícaro era o tão doloroso e fatal ciúmes de alguém que não é seu, um ciúmes bobo que matava, Ícaro sabia o que era ciúmes, ele sentia o tempo todo, de Kenny com seus avós, principalmente de sua avó, de seus irmão com aquela pitadinha de inveja com o pai, uma relação que ele não tinha de paternidade e ele se via com ciúmes as vezes, o que ocasionava a maldita cosquinha que sentia de Kenny e de seus primos porque as únicas pessoas que davam realmente atenção para ele estavam ocupadas dando atenção para outra pessoa, ciúmes de Guih com Chris Angel quando ele chamava mais atenção de seu amigo quando a único amigo que Ícaro tinha era Guih, que quando Guih ia para casa dele e Chris magicamente aparecia e chamava a atenção de Guilherme mas do Ícaro. Bem... Ele sentia mais nunca manifestou, nunca brigou com Kenny, nunca discutiu com os irmãos quando achava injusto ele ter menos do que os outros no quesito preferência por filho, e a única vez em que explodiu com Guih foi agora e Ícaro não queria cometer o mesmo erro com Tama ou com qualquer outra pessoa.

Você não pode evitar magoar quem ama. Não é?

É mais fácil magoar alguém próximo do que um estranho, as vezes o estresse do trabalho, um dia ruim no Colégio, ou vários outros fatores vai fazer alguém jogar todo esse mau sentimento para cima de alguém próximo, alguém amado, seja nos seus amigos, nos seus país ou até mesmo em seu parceiro romântico, seja esposa ou esposo, namorado ou namorada.

É inevitável. Porém não um ato inconsciente.

Talvez fosse um pensamento egoísta de Ícaro de querer a atenção só para si mesmo e na maioria das vezes ele se odiava por querer mais do que tinha e tudo voltava a tona agora quando ele se via nessa situação novamente só que dessa vez em um alvo diferente, de alguém que ele estava amando.

Péssimo.

ㅡ Tem uma cura para isso? ㅡ Ícaro o questionou. ㅡ Eu não quero sentir isso.

ㅡ Eu não sou uma pessoa ciumenta. ㅡ Tama falou com uma breve pena de Ícaro estar tornando um sentimento universal em um Dragão de sete cabeças, claro que tudo dentro de um limite, Ícaro não parecia aquelas terríveis namoradas de Diego que chegava até feri-lo por um ciúme insano. ㅡ Sentir ciúmes e normal, até eu sinto ciúmes as vezes apesar de ciúmes não ser um ponto mas forte em mim.

ㅡ Não é bom Tama. Eu não gosto disso. ㅡ Ícaro já havia intitulado a muito tempo que isso era um defeito que fazia você perder a cabeça. ㅡ Eu magoei Guih por causa disso, foi horrível ver ele chorar e me ficar me pedindo desculpa por algo feito no passado. Algo que ele não tinha culpa.

Tama assentiu ao pensar que as vezes uma pessoa com ciúme pode realmente perder o controle, mas não era o fim do mundo, era inevitável porém tinha que ser trabalhado.

ㅡ Então... Você tem que começar a se expressar Ícaro como você fez hoje.

Tama tocou novamente as mãos de Ícaro como um consolo. O rapaz mais baixo lambeu os lábios com ressentimento enquanto Tama dizia que isso só aconteceu porque ele guardou esse sentimento, e quando você guarda um sentimento ele te come por dentro até destruir todas as suas qualidades boas, Tama sabia disso mais do que ninguém, um sentimento ruim que te corrói só te torna uma pessoa ainda mais fraca.

Ícaro pensou ao longo do que Tama dizia e o tocava dizendo que realmente devia se expressar, no entanto ele não era capaz com o próprio pai, seja por vergonha ou pelo pensamento de quê o pai vai pensar, se ele vai julgá-lo por ser tão egoísta ou qualquer outra coisa que Ícaro não se achava capaz de um dia ter tal conversa como essa com o pai.

ㅡ Está bem.


Ele assentiu para Tama que olhou para Ícaro com mais empatia e o aconchegou em seu abraço acariciando a cabeça do garoto ao dizer que ele não devia se preocupar com ele, que ele não iria fazer nada de preocupante e que ele não era mais tão capaz. Ícaro estava ocupando um buraco em Tama que ele não se via sentindo necessidade de procurar outra pessoa, ele estava em paz.


Ícaro era apertado ao seu corpo e suas costas escontavam contra o peito de Tama que apoiava o queixo no topo da cabeça de Ícaro em um abraço gostoso, era certo que Tama não tinha Ícaro por completo, era só um pedaço, era carinho, eram palavras bonitas ditas um para outro, eram beijos, no entanto não tinha mais que isso.

Ele podia até não pensar muito em sexo antes, mais apesar de dizer a Ícaro que ele não faria nada com mais ninguém, as vezes ele pensava que não poderia ter tudo de Ícaro, ter ele em espírito, emocional até que era bom no entanto o contato físico íntimo não devia mais fazia falta, e como ficaria o corpo? Não era essencial mas mesmo assim sentia vontade no entanto Ícaro não cedia tão fácil, ele estava em paz agora porém um dia ele se pegaria muito afim de fazer e Ícaro talvez negasse, não era o fim do mundo porém era preocupante e Tama não queria ter dor de cabeça agora.

Ele acariciou mais a cabeça de Ícaro que se sentia muito bem nos braços e no aperto de Tama, era questionável, fazia tempo que o rapaz sexualmente ativo não tocou em alguém, ele acariciou Ícaro mais como se gostasse muito dele, talvez ele gostasse bastante, mais do que imaginava. Era bom o toque, o sentimento talvez não eram iguais mais eram parecidos, cada um ama de um jeito diferente, Ícaro amava os defeitos de Tama, amava o toque, amava o sentimento que ele fazia ele sentir e a emoção que Tama transmitia, o sentimento de Tama era parecido nesse aspecto mais tinha algo mais, ia além do que Ícaro queria dele, havia acréscimos, ele pensava no alto sexual, ele gostava de como era tratado, ele queria ser tocado dessa forma que Ícaro desejava tocar e mais ainda de outra também, uma pessoa de ato físico acostumada e criada com o toque íntimo não tinha como pensar de outro jeito.

Ele era assim, Ícaro o reconhecia assim no entanto não era tão capaz de ceder a tudo que Tama exigia dele, não porque não queria, era só que não passava de um mundo desconhecido, um mundo cheio de mistérios em relação ao seu corpo, dava medo inicialmente porque não conseguiria lidar com o depois caso algo desse errado.

Medo.

Ele não estava pronto.

Não era exigente. A vida adulta ainda o esperava mais cedo do que imaginava. E ela iria cobrar cedo ou tarde.


[...]

Durante o intervalo Ícaro estavam monitorando o corredor como faziam as vezes, Tama devia estar no andar de baixo, Ícaro havia estado por lá antes, ele passou na cantina e comprou um suco de caixinha sabor laranja e ganhou um Brownie de castanha de Tama que passou por ele durante a ronda para afungetar os desordeiros e alunos que insistiam em correr nos corredores ou nas escadas, Tama havia dito que havia ganhado de alguém e ele aceitou por educação mais não estava com fome para comê-lo e preferiu dar a Ícaro.

Ícaro nem havia comido ainda, ele olhava com carinho para o oferta e logo em seguida olhava pela janela no segundo andar e via a luz do sol querendo ir embora ao deixar o prédio e se arrastando na grama e nas folhagens das árvores do pátio lentamente, ele andou mais um pouco terminou o suco da caixinha de papelão com belas laranjas estampadas de uma maneira desejável e a jogou no lixo.

O Brownie parecia apetitoso, ele andou até a escada, parou ali e abriu a embalagem, a cobertura mais ou menos grossa de uma camada de chocolate duro envolta escondia uma espessura de massa de bolo por dentro e castanhas espalhada pela massa talvez fofa como um Brownie devia ser, realmente chamava a atenção de Ícaro porque ele realmente gostava de castanhas e com chocolate era melhor ainda.

Ele desceu a escada pronto para dar uma mordida no entanto na volta para chegar na escada de baixo ele escutou duas pessoas conversando por onde ele passaria, uma das vozes ele conhecia bem e a outra pessoa na qual Ícaro não conhecia estava falava com Tama, Ícaro antes de surgir que era o que pretendia fazer olhou novamente pelo corredor curto quando realmente confirmou que era Tama acompanhado de um outro rapaz então acabou exitando, ele não queria se esconder e xeretar no entanto a preocupação foi tanta que ele deu um passo para trás e escutou a conversa, ele não queria ter visto e nem escutar no entanto o coração acelerou tanto que ele petrificou no lugar, incapaz de sair.

O outro rapaz era até um garoto bem bonito um pouco mais baixo que Tama que pela aparência jovem transparência ser mais novo que eles dois, ele tinha um sorriso que Ícaro não tolerou e olhos bastante impressionados quando Ícaro mais uma vez olhou para a cena e assumiu que eles pareciam até confortáveis um com o outro e Tama pelo tom de voz não parecia nada descontente.

Ele disse: É mesmo? Eu recebi.

ㅡ Eu te admiro, por isso pedi para te entregar.

O rapaz mais novo falou e Ícaro se questionou o que Tama havia ganhado dele, apertou o doce na mão sentindo aquele incômodo de novo. Ícaro olhou para a própria mão e pensou que era azar demais, não podia ser que Tama era tão cara de pau de ser presenteado por alguém que dizia admirá-lo e entregar o presente dessa pessoa a outro alguém no caso Ícaro que dizia que gostava dele.

Fechou os olhos com um pouco de raiva e apertou o bolinho e abriu a mão novamente, enquanto isso o outro garoto questionou Tama se estava ao menos bom, Tama riu e fez um gesto sem graça que Ícaro não viu e falou que estava ótimo então agradeceu, e Ícaro pensou que se ele nem ao menos havia provado e simplesmente desfeito como poderia saber o gosto, era um belo de um mentiroso.

Lenny ficou bem contente com a aprovação de Tama e disse que queria ter a oportunidade de vê-lo novamente, o coração de Ícaro já estava por um fio, ele deu meia volta nada afim de incomodar os dois e acabar tendo uma dor de cabeça persistente, o que podia ser só um jeito de Tama ser educado na cabeça de Ícaro era outra história, ele encheu o peito de ar e saiu dali mais irritado do que estava antes de começar a suponhar maneiras de Tama trair sua confiança.






Notas Finais


Ah gente eu prometi um Hot, eu irei fazer mais eu iria demorar postar se eu fizesse agora. Vamos ver eu to desenvolvendo isso mais a hora ainda vai chegar, tem q chegar na hora certo eu nao posso simplesmente jogar na história
Me perdoem a promessa descumprida e a demora
Sinto muito
Ate a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...