1. Spirit Fanfics >
  2. Ice Boy and The Loose >
  3. Apologies for leaving

História Ice Boy and The Loose - Capítulo 51


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii

É, há alguns meses atrás eu havia decidido que iria voltar, porém, muito pela abstinência, eu não fui capaz.

Hoje, estou de volta, após tanto pensar, tanto querer, enfim, decidi lutar contra a minha abstinência e consegui produzir este capítulo de hoje.

Espero que gostem :)
e me desculpem pela falta de compromisso. Amo isso daqui, porém não tenho valorizado.

Capítulo 51 - Apologies for leaving



    =Capítulo 46=

Dawn: Sim, e minha mãe quer sair de lá comigo antes que possa acontecer algo de se caso tiver algo sujo naquela casa, que falem que foi minha mãe ao invés daquele desgraçado. =Engrossou a voz no final=

Paul olhou para a Dawn e logo seus olhos se cruzaram, ele perguntou. 

Paul: Dawn, você vai morar longe de... nós? 

Dawn olhou para o Paul e se preparou para responder... 

    =Capítulo 51=
    =Dawn POV ON=


Há um tempo atrás, revelei aos meus amigos que eu iria sair de casa. Infelizmente, não terei muito tempo por aqui e o fato é que morarei um pouco longe, uns 50 minutos, nada que um trem não resolva né? 

Mas outro fator também é que não terei mais tanto tempo com o Paul e me preocupa esse tempo que ficaremos longe... claro, temos as redes sociais, aplicativos e tudo mais para conversarmos, porém, não é a mesma coisa presencialmente. 

E também... eu não quero sair daqui sem fazer uma coisa com ele... 

Minhas bochechas... só de pensar, elas começam a fritar. Tenho me preparado para este momento. Como será o corpo de Paul? 

Aaaaahh esqueça disso – Comento comigo mesma

Decidi ir para a janela de meu quarto. Fiquei observando o céu, estava nublado, provavelmente choverá. 

“Ótima oportunidade pra ficar na casa dele” – Penso comigo mesma. 

De fato. E também, certamente a Korinha estava por lá, então vai ser muito legal. 

Então, liguei para Paul. Passou uns segundos e ele atendeu. 

Eu: Oiiii -Dou um sorriso-

Paul: Oi. 

Como sempre, esse tom frio e seco... hhhmmppfff... nem pra esse idiota disfarçar...

Eu: Ei, você nem pra disfarçar a sua seca tu serve hein -Franzi uma das minhas sobrancelhas-

Paul: Tá tudo bem, na próxima eu imito um maluco. 

Isso acabou tirando um sorriso da minha boca

Eu: Bobo... ei mor, sabe... -Olhei pras nuvens- Eu quero ir pra sua casa passar um tempinho com você, pode ser? 

Paul: Aqui? Mas, irá chover logo logo. 

Eu: Tsc tsc tsc, dá nada meu bem, qualquer coisa minha mãe me busca, ou mesmo... eu passe a noite por aí hehe.. o que acha? 

Fiz a pergunta, mudando um pouco o meu tom de voz, será que ele percebeu?

Paul: Preciso ver com meu velho sobre esse segundo caso. Mas, já que quer vim, aproveita e traz um salgadinho pra mim. 

Eu: Uaaai, você bem que poderia fazer um bolinho pra mim então -Dou um sorriso-

Onde já se viu isso? Aiai, aceita que eu vá pra casa dele, mas tenho que levar alguma coisa... 

Paul: Eu? Nem sei se tem massa e sou horrível nisso. 

Eu: Horrível?? Não foi o que a Kori disse pra mim uma vez. Ela disse convicta que seus bolos são bem gostosos... já sei, tu não quer perder seu tempo comigo né? -Fiz um leve drama-

Paul: Uh, talvez eu faça. 

Dei um leve sorriso, depois marcamos e desliguei a chamada. Comecei a me arrumar 10 minutos depois, tomei um banho, vesti uma roupa que me protegesse mais de um possível frio, enfim. Fui indo pra sala e avisei a minha mãe

Eu: Maaaeeee, me leva pra casa do Paul? -Digo com um sorriso nos lábios-

Ela estava de costas para mim

Johanna: Tá eu levo mas... o que que é isso??? -Suspresa- Menina, mas já tá arrumada?! -Botou as mãos na cintura- Meu Deus, se isso é tudo pra não levar “não” acalme-se. 

Acabei rindo da forma como minha mãe falou e reagiu

Eu: Aaaahhh mãe, sabe como sou né? Gosto já de estar pronta pra ficar suave. 

Johanna: É né suave... sei... 

E a vi olhar para mim, de cima a baixo, botando seus dentes de cima sobre seu lábio inferior. Dei uma certa estranhada. 

Johanna: Ele tem camisinha? 

Eu: Que?! 

E eu esperando que ela ia me elogiar ou algo assim. Na verdade, eu já ia perguntar o porquê daquele olhar, até parecia que tava querendo me comer pelos olhos, algo assim, mas aí ela me manda uma dessa... PORRA MÃE!! 

Pior, ela percebeu que eu comecei a ficar corada, daí...

Johanna: HHhhhhmmm ele tem camisinha então né? -E ela deu um olhar malicioso- Uuii, mas a minha filha não tem juízo mesmo hein. Quer usar o “mal” tempo como desculpa só pra ir mais além com o namorado, né? 

Eu: PARA MÃE!! 

Acabei gritando com ela, mas ela como sempre, riu da minha cara. Mas que droga... 

Johanna: -Depois da risada- Tá filha, eu te levo, vai pro carro.   

Agradeci e fui ao carro. Passado uns minutos, ela apareceu e ligou o motor. Logo, fomos saindo. Porém, mal saímos e vi os primeiros pingos. Em questão de segundos, começou a cair uma chuva bem forte, tanto que os para-brisas estavam no talo, o trânsito naturalmente foi ficando mais pesado. Em geral, de carro demoramos cerca de 3 a 7 minutos até chegar na casa do Paul, coisa que a pé se transforma em 20, 25 minutos.

Porém, com essa chuva e esse trânsito, demoramos um pouco mais, nada de tão alarmante também, porém, quando chegamos, estava uma chuva muito forte. Mandei mensagem pra Paul enquanto minha mãe buzinou o carro. Passou uns segundos e vi uma das janelas de frente da sua casa ser aberta, era Kori. 

Kori: -Balançou os braços, sorridente- OOOOOIIIIIIII!! QUEREM ENTRAR OU PREFEREM DEIXAR A CHUVA PASSAR?! 

Kori é uma gracinha, tanto ela quanto Yellow, as vezes queria morar junto com as duas só pra ficar apertando-as de tão fofas que são, aliás, eu shippo as duas, hhmm... Kollow, é, KOLLOW. 

Eu: VAMOS ESPERAR!! 

Confirmei ao perguntar a minha mãe. Claro que nesse processo, eu abaixei o vidro para escutar a Kori, depois disso eu fechei o vidro de minha porta. 

Vários e longos minutos depois, a chuva foi ficando mais de boas, foi aí que decidi sair do carro. Perguntei minha mãe se ela iria sair, porém ela negou, disse que tinha umas coisas pra fazer em casa. 

Mandei uma mensagem pra Kori, dizendo que ela podia vir me pegar. Assim que ela chegou, fui saindo do carro e indo para debaixo de seu guarda-chuva. Ela me cumprimentou e a minha mãe, também me deu um abraço e depois, tive de ouvir da minha mãe...

Johanna: Kori, fique de olho nela hein, aliás, nela e no seu irmão. -Obviamente ela botou malícia-

Kori: Claro, pode deixar. -Sorriu-

O sorriso inocente de Kori me faz acreditar que ela não tenha entendido o que minha mãe realmente queria dizer, mas tudo bem. Fomos entrando, aliás, eu tenho aqui guardada uma, caso preciso. 

Bom, fato é que logo eu vi o meu roxeado...

    =P.O.V Dawn OFF=
    =To be continued=  


Notas Finais


Como estamos?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...