História Identidade Dupla - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 12
Palavras 1.074
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Sempre lanço dois capítulos, então...
Kkkkkkkkkkkkkk
Essa é a universidade da Ana Julia, ela estuda nesse prédio.
Espero que gostem
-boa leitura!

Capítulo 2 - 'National Institute of Japan(NIJ)'


Fanfic / Fanfiction Identidade Dupla - Capítulo 2 - 'National Institute of Japan(NIJ)'

O som do sino foi ouvido da esquina.

As faculdades no Japão eram totalmente diferentes da do Brasil.Ana Júlia, Gabriel e Larissa, viam essas diferenças.O serviço de limpeza era uma dessas coisas, enquanto no Brasil as pessoas faziam senso obrigadas, no Japão eles faziam por devoção e educação.

Uma realidade totalmente diferente...

Mas uma coisa que destacou os três e o fizeram ir pra uma das faculdades mais bem sucedidas do Japão, foi a inteligência.

Ana Júlia desde cedo foi obrigada a crescer tanto mentalmente como fisicamente, isso também se encaixava aos outros dois.Ela aprendeu a mexer com armas, hackear, estudar sobre a planta de um dos lugares mais vigiados de Tóquio e muitos outros.

Larissa e Ana Júlia foram obrigadas a isso...Já Gabriel...Fez por prazer.

Um dos seus maiores sonhos era passar em uma faculdade do Japão, principalmente a NIJ.Ele chegava a babar só de se imaginar pelo campus do lugar.Era realmente um grande feito pra ele.

Mas naquele dia ensolarado, os três ouviram o sino tocar da esquina da faculdade e tiveram que correr antes do portão fechar.Entraram pelo portão alguns minutos antes e seguiram na mesma velocidade para cada prédio diferente.

Gabriel foi para esquerda, porque ele fazia direito

Larissa foi pra direita, porque fazia artes cênicas.

Ana Júlia continuou em frente, porque ela fazia administração.

Esse não era o sonho dela, não era seu sonho fazer administração, mas como o seu passado dizia...Ela foi obrigada.

Seguindo em frente enquanto suas pernas faziam um esforço máximo para chegar até o local, ela adentrou em sua sala de aula.Sentou no fundo da sala cheia de pessoas que ela não queria contato e cruzou os braços sobre a mesa, colocando sua cabeça entre eles.Deu um suspiro longo e cansado, enquanto sua cabeça estava ligada a tentativa de assassinato que deu errado ontem a noite.Aquele desgraçado estava devendo sua paciência a ela.

(...)

Quando o sinal do intervalo soou pelos cantos e Ana Júlia pode finalmente levantar depois de duas horas sentada, a primeira coisa que ela fez foi ir até o pátio do campus.Andou em meio a uma multidão de gente faminta para fora do prédio e as seguiu para um canto mais afastado, onde ela e seus amigos gostavam de ficar.Virou a esquina do lugar isolado e viu os dois sentados em meio ao gramado perto da cerejeira.

- A vontade de mandar todo mundo tomar no cu é maior do que a vontade de estudar.-Ana Júlia chegou atrás dos dois e todos se desataram a rir da menina.Gabriel se levantou e deu um beijo na bochecha de Ana Júlia, assim como ele fazia todos os dias.Os dois sorriram e voltaram a se sentar perto da mais nova novamente.

-Concordo com você.Eu não aguento mais essa vida, eu vou vender balinha no farol que eu ganho mais.-Larissa se pronunciou pela primeira vez naquele dia.Os dois riram e assentiram com a cabeça, totalmente no assunto de uma segunda feira intediante.

-O que vocês fizeram ontem?-Gabriel perguntou, enquanto dava uma mordida em um sanduíche natural, esse que ele comia todas as manhãs e não enjoava.As meninas trocaram olhares cúmplices e sorriram para o menino.

- Essa piranha me fez ir até a esquina pra comprar uma porra de hambúrguer, se acredita?Quando eu cheguei em casa, eu quase taquei essa merda no cu dela!-Ana Júlia disse parecendo revoltada, mas era mais uma de suas mentiras contra o garoto.

O garoto que ela era apaixonada...

-Eu não duvido mais de você, Aninha. Depois naquele dia na sua casa que eu te pedi pra comprar o hashi, você quase me jogou da janela.-O menino disse rindo e lembrando da época em que tinha 17 anos e estava no último ano do ensino médio.As duas riram concordando com ele.Na verdade, Ana Júlia estava se tremendo por dentro, "Aninha" era o apelido que Gabriel lhe deu quando tinham apenas 5 anos de idade.

Suas memórias se voltaram para aquela época de novo e ela teve um pequeno espasmos em seu corpo.Era ruim se lembrar da pior época da sua vida, aquilo mexia com seu psicológico.Deu uma leve balançada em sua cabeça e afastou seus pensamentos daquele dia.Voltou a atenção aos seus amigos, que conversavam animadamente.

-O que acha de eu ir visitar vocês hoje?Não vou cuidar da delegacia, meu pai voltou da folga.-Gabriel deu de ombros enquanto amassada o pequeno guardanapo que usou pra limpar a boca.Ana Júlia mordeu os lábios nervosa e a mais nova teve que tomar uma atitude.

- Não vai dar, Biel.Eu vou ter que trabalhar até mais tarde e Ana Júlia também, deixa pra outro dia.-Larissa disse dando um de seus sorrisos doces e enganadores para o garoto, era por isso que a maioria das pessoas acreditavam nela, o sorriso doce.

-Okay, tudo bem.Só me avisem no dia em que não estiverem ocupadas, para que eu possa ir.-Ele disse retribuindo o sorriso e comendo o resto de seu sanduíche.

-Como está na delegacia?-Ana Júlia perguntou com um pulga atrás da orelha, doida pra saber o que eles andavam aprontando.

- Ah, esses tempos tem sido difíceis.Killer B, não está facilitando nada e está cada vez mais perigoso andar por aí.Tomem cuidado quando forem andar na rua de noite, tudo bem?-As suas assentiram.Mal sabia ele que as duas maiores assassinas procuradas estavam na sua frente.

- Qual foi o último ataque?-Larissa perguntou e eu a olhei com repreensão, assim ela se tocou de que estava fazendo perguntas demais.

- Ela não conseguiu matar o último "aliado", ela deve estar com raiva e a noite deve descontar em alguém.-Gabriel riu sozinho e com seus próprios pensamentos.Ana Júlia arregalou os olhos surpresa, ele estava certo.

Ele realmente a conhecia demais

-Meu pai esta mais furioso que o normal, ele não tem paciência pra nada ultimamente e chega em casa totalmente exausto.-O garoto deu um suspiro.-Não vejo a hora de poder assumir o lugar dele e tirar esse peso de suas costas. É o que eu mais quero na vida, dar orgulho a ele.-Aquilo fez o clima ficar mais pesado derrepente e o coração de Ana Júlia pesar como nunca.

O pai de Gabriel era o chefe de polícia e o pior inimigo de Ana Júlia.

Se sua identidade caísse, iria ser um choque pra todos eles.

Quando o sino tocou novamente, eles tiveram que se separar de novo e voltar aos seus devidos prédios.Ana Júlia voltou séria e se irritou por se sensibilizar desse jeito.Ela não podia dizer a Gabriel que o amava e assumir um relacionamento com que ele.Aquilo era totalmente proibido dos dois lados.Ela não sabia se era recíproco e se ele descobrisse sua identidade...

Seria o fim.


Notas Finais


Tenso...😨
Eai, alguem ja sabe do passado da Ana Ju? 😊
Kkkkkkkkkkkkkk
É complicado, é complicado...😧
Quem quiser me dizer teorias, estamos ae...😉
Espero mesmo que tenham Gostado😍 e
Até a próxima! > <
Bjs da tia lari 💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...