História Identidade Dupla - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 16
Palavras 1.333
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


oi galerão!
Voltamos com mais uma att...
espero que gostem
-bos leitura!

Capítulo 3 - 'Sinal de perigo'


Fanfic / Fanfiction Identidade Dupla - Capítulo 3 - 'Sinal de perigo'

Eram exatamente 20:00 da noite, quando os sinais de televisão foram interrompidos.

A letra "D" aparecia na tela do televisor destacado entre as cores preta e branca.Era mais uma das mensagens de alerta do detetive de polícia, o pai de Gabriel.Ele não sabia a identidade de Ana Júlia, mas a garota sabia de onde vinham aquelas mensagens.Foi horrível pra ela descobrir isso sozinha.Porque por mais que ela querendo ou não, tinha que aceitar de que o pai de Gabriel literalmente a criou por um tempo.Longe de horrível, foi trágico.

"A você Killer B, que não escolhe o melhora caminho.Fique sabendo que não viu parar as minhas buscas por sua causa, não vou descansar de todos os casos que vem causando até agora.Você estará em minhas mãos em breve e isso não é um blefe...É uma promessa..."

Sua identidade secreta estava realmente por um fio.Se ela cometesse um deslize sequer, seria o fim de tudo aquilo que ela gosta.Tudo não teria mais sentido, não mais.

Ela bufou frustrada.Depois da faculdade, ela e Larissa foram pra casa e ficaram o dia inteiro jogadas no sofá, até essa mensagem ser reproduzida na tela 4k da televisão.Passou as mãos no cabelo inteiramente irritada, porque sabia que em menos de alguns minutos iriam ligar para o seu telefone.E quando ligavam ela tinha que dizer que não sabia quem era o tal "D".Esse segredo só quem sabia era ela e Larissa, ninguém mais.Essa era mais uma de suas frustações também, porque se ela contasse para seu chefe quem era o anônimo, o pai de Gabriel seria morto no mesmo instante.

- Meu deus, o que foi aquilo?-Larissa abriu a porta de casa apressada e viu a mais velha andando de uma lado para o outro, puta da vida.-Passei perto de uma loja de eletrônicos e vi o que estava passando na televisão.O pai do Gabriel não vai desistir até ver você morta, não é?-Ela murmurou, enquanto deixava os hambúrgueres em cima do balcão da cozinha.Naquele período de tempo, Larissa havia saído pra comprar algo pra comerem, já que segundo Ana Júlia 'Ela precisava comer um hambúrguer hoje!'

-Você não ta ajudando.-Murmurei com raiva e ela levantou as mãos em rendição.

- Só quero ajudar, Ju.-A mais nova suspirou se apoiando no balcão, enquanto encarava a amiga do outro lado da sala.Aquilo já era difícil pro seu psicológico, imagina para Ana Júlia.Um somo de música com batidas de Rap, ecoaram pela sala e as duas indetificaram aquele som.O celular de Ana Julia estava tocando.A menina se debruçou sobre a mesinha de vidro em frente ao sofá e pegou o celular, atendendo a chamada sem localização.

-O cara está em um lugar chamado S ė B, uma boate recém inaugurada.-A voz robótica falou calmamente pelo telefone, o ressoar dos computadores no final daquele murmuro frio.

-Entendi, chefe.Em menos de 15 minutos eu chego lá.-Ana Júlia disse com o telefone no ouvido, subindo as escadas para se arrumar.

-Se você errar de novo, Killer B, eu mesmo me prontifico de sua punição.-A voz falou com um tom frio e assustador, fazendo a garota paralisar no meio das escadas e encarar o chão.A chamada foi encerrada e a menina balançou a cabeça, tirando seus devaneios dela, tornando a subir as escadas.

Entrou em seu quarto e abriu o armário lotado de roupas para as ocasiões.Ana Júlia gostava dos presentes que a empresa dava.Encarou as peças, percorrendo os olhos pro todo o local e finalmente teve uma ideia do que vestir.Pegou uma meias calça com cinta liga da core preta, mas do lado da calça um to de azul ressoava.Pegou um short jeans preto de cintura alta e uma blusa do 'Nirvana' totalmente maior que seu corpo.Calçou suas botas de coro preto e pegou sua máscara de disfarce.

(...)

Em cima daquele prédio, na qual S ė B-Sex and Bitches
se localizava, Ana Júlia recebia as coordenadas de onde um dos "aliados" estava.Ela estava agachada, enquanto um dos comunicadores dizia aonde o alvo estava, ela sentia os dois fuzis na parte de trás de suas costas apertar sua cintura.

Com os óculos de visão raio X, ela observava o cara fumando na ala viP, completamente rodeado de seguranças.A menina ria sozinha, aquilo seria muito fácil.Um dos pontos fracos de seu alvo, eram as mulheres do qual o ar era sexual.O plano já estava formado em sua cabeça, ela sabia exatamenre o que fazer.

Ana Júlia levantou e andou sob as telhas do prédio com estrutura rica e dourada.Parou em cima de onde ficava o banheiro e entrou por um vasculhante, que ela teve que quebrar cim um chute.Passou pelo local apertado e tirou a máscara colocando dentro da bolsa, ajeitando oa cabelos longos, enrolados e pretos.Andou até a porta e abriu uma brecha da mesma, espiando o homem que se encontrava com a cara de tédio.Saiu do banheiro e passou pelo canto, esbarrando em algumas pessoas e ouvindo a música eletrônica explodir em seus ouvidos.

- Seu passe viP.-Um segurança a parou antes que entrasse e estendeu a mão em sua direção, esperando pelo cartão verde florescente.

- Eu...Hmm...-A menina finjiu procurar o cartaz dentro da bolsa, mas um homem entrou na frente do segurança.Mais uma parte do plano completa.

- Deixa ela passar, a moça bonita está comigo.-O alvo estava ali, garantindo sua passagem para a ala mais importante da festa.Ana Júlia sorriu charmosa para o homem, que passou os braços pelos ombros da menina.

- Muito obrigada, senhor...-Fez menção para saber o nome do moço.

- Me chame de senhor Yoshida, mas por você eu aceito qualquer apelido.-O homem piscou galanteador e Ana Júlia deu uma risadinha forçada, esperando a hora certa.Eles andaram até onde ficava a ala das bebidas e sentaram sobre a mesa do barman.-Quer uma bebida, minha linda?-O cara chegou perto de seu pescoço e tentou beijar a menina, mas mesma passou os braços pelo seu pescoço, jogando todo o charme e paciência que sobrava.

- O que acha de avançarmos isso, huh?-Ana Julia forçou sussurrando no ouvido do alvo e o homem sorriu malicioso, assentindo freneticamente.Ele estava entregando de bandeja sua vida a pessoa mais perigosa de Tokyo.Aquele pensamento fez a garota sorrir.

Levou o cara até uma entrada apertada, entre o corredor banheiro e o corredor onde ficava o barman.O alvo a encurralou na parede, descendo as mãos sujas pelo corpo desejado.O homem já estava bêbado o suficiente para ficar atiçado e extasiado o suficiente.

- Você é um pecado, meu deus...- O alvo murmurou dando beijinhos no maxilar de Ana Julia.O sorriso de psicopata crescendo cada vez mais no rosto da garota.

- É?E o que você gostaria de fazer comigo?-Ana Júlia disse tirando uma 38 de sua cintura e lentamente a levando para atrás da cabeça do homem.

- Eu...Uh!Porra!Você é ....-Um barulho oco foi escutado por todos de dentro do lugar cheio.

A diversão começava agora...

A menina tornou a colocar a máscara, sentindo o cheiro de ferro do sangue entrar em sua narinas.O liquido vermelho, agora, deslizava pela camisa do 'Nirvana'.Ana Júlia andou para fora daquele cubículo e tirou os dois fuzis de suas costas, dando diversos tiros para o alto.A atenção de todas as pessoas e o espanto e susto implantado no rosto de alguns, foram voltados para ela.

O silêncio era horripilante.As pessoas simplesmente pararam, a musica foi pausada e Ana Júlia sorria abertamente para todos eles.Em algum lugar em meio aquele aglomerado de pessoas, Gabriel olhou para uma mulher com a mascara horrenda e a roupas ensopada de sangue.O garoto arregalou os olhos.Eles estavam sendo vítimas de um atentado.

Os saltos da bota da bota da assassina foi ouvido e aquilo chegava a parecer um filme de terror.Killer B andou até o Dj de olhos puxados e ligou o microfone com a voz metálica que saia da máscara.

- Hoje é um dia muito importante, se alegrem!-Ela disse rindo.Aquela risada fez todos os pelos do corpo de Gabriel se arrepiar.

-Hoje vai ser a descida de vocês para o inferno-

 


Notas Finais


oiiiiiish!
porrada vai comer solta, só acho...:3
kkkkkkkkkkkkkkkkk
eai? estão gostando?
espero mesmo...^^
até apróxima e
bjs da tia lari+2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...