História Identidade Secreta - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Essa One foi escrita em homenagem a Lili s2

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Identidade Secreta - Capítulo 1 - Capítulo Único

 Pov Marinette

 

Eu fiquei babando ao ver o maravilhoso Adrien dançar na escola, ele seria o ator principal e pediram para acrescentar alguns passos de dança e ele aceitou sempre sorrindo.

 

-Ai ele não é tão lindo? -perguntei suspirando e Alya revirou os olhos sorrindo.

 

-Nunca vou entender o motivo de você não decidir falar com ele logo -me assustei e a encarei

 

-Simples minha querida amiga -disse sorrindo e olhando para ele – Olha quantas meninas muito mais lindas estão caindo a seus pés -o final veio um pouco de uma tristeza.

 

-Ele gosta de você Marinette, desde pequeno -dei risada.

 

-Só por que eu decidi ajudá-lo quando tinha cinco anos? Ele era mais baixo que eu e como sempre quis ser uma heroína, ajudei o mais necessitado -suspirei relembrando aquele dia, ele sorriu alegre do palco para mim acenando, acenei de volta e meu coração quis pular para fora quando ele pulou do palco e vinha em minha direção.

 

-Oi Mari -ele sentou-se conosco me deixando eufórica.

 

-Oi -disse sentindo minhas bochechas queimarem, ele me olhou estranho e depois para Alya.

 

-Ela está bem? -minha amiga pensou rápido.

 

-Ela está com calor -ele riu, como assim Alya? Com calor? Sério? Relamente estava mas não era pra contar pra ele.

 

-Bom, o dia realmente está quente e eu estou pensando em convidá-las para minha piscina, querem ir?

 

-Claro -disse mordendo meu lábio e ele sorriu olhando para minha boca.

 

-Bom, já sabem onde eu moro, pode ser amanha as 9? -seu sorriso doce e gentil me fez esquecer um pouco o mundo- Marinette? -perguntou aflito, não sorria mais já preocupado.

 

-Claro, claro -sorri e ele confirmou com a cabeça e saiu correndo para o palco.

 

-Ele é uma anta em não perceber que você é afim dele -disse Alya cortando os papéis que decorariam o palco no dia da apresentação, dei ombros.

 

[Algumas horas de pois]

 

Estava andando calmamente para casa sozinha, estava em êxtase, eu, euzinha, muá, yo...Marinette ficaria o dia TODO na casa do Adrien amanhã, ai meu amor...suspirei e antes que eu pudesse chegar em casa escutei explosões em algum lugar no centro. Tikki apareceu pra mim e eu a peguei nas mãos olhando para os lados apavorada.

 

-Temos que ir ver o que está acontecendo Marinette -choraminguei um pouco e suspirei.

 

-Você tem razão, é hora de virar a Ladybug – e assim concluí minha transformação, correndo para saber o que estava acontecendo.

 

Corri e cheguei a tempo apenas para ver que se tratava de uma bomba para o festival, suspirei e quando ia ir embora senti um olhar em cima de mim, me virei e lá vi Cat Noir, provavelmente foi chamado pela explosão.

 

-Oi minha Joaninha -disse sorrindo maliciosamente.

 

-Não sou sua joaninha -disse revirando os olhos e ele sorriu mais.

 

-Não diria isso pra mim sem essa fantasia -ele riu um pouco e olhou para os lados antes de se aproximar – Prometo que não se arrependeria.

 

-Já disse que amo outro – ele bufou um pouco e voltou a sorrir e a me encarar.

 

-Podemos fazer um trato?

 

-Que tipo de trato? -perguntei desconfiada.

 

-Pra conhecer o meu eu verdadeiro e ficar totalmente caidinha por mim? -dei risada e continuei a prestar atenção no gatinho – Mas quero um presente em troca ANTES…

 

-Oi? Que tipo de presente -ele fez um bico e olhou para cima.

 

-Você ser a minha joaninha e eu serei seu gatinho, miau -ele riu e eu franzi o cenho.

 

-Como assim? - senti minhas bochechas queimarem um pouco assim que entendi que ele queria…. -Sexo? -perguntei baixinho como se fosse a pior coisa que ele poderia sugerir e ele balançou a cabeça em sim várias vezes.

 

-É por favor -seus olhos estavam grandes e pidões, me lembravam o gato de botas.

 

-Eu já disse mil vezes que eu amo alguém… -disse meio perdida.

 

-Mas não estão juntos, certo? -fiz sim com a cabeça – Me leve como uma experiência...por favor? Eu te amo tanto que apenas um momento ao seu lado já seria o suficiente….

 

Fiquei encarando seus olhos felinos, seus cabelos loiros rebeldes e aquela roupa colada e suspirei, queria muito saber quem era Cat Noir.

 

-Se eu fizer isso, serei obrigada a mostrar quem sou de verdade? -ele negou

 

-Se quiser é claro, guardarei a sete chaves, mas se não quiser não vejo problema nenhum eu que decidi isso. -fiz sim com a cabeça.

 

-E onde você pensaria em fazer isso? -perguntei cruzando os braços e ele sorriu.

 

-Tenho um apartamento, comprei faz dois dias e ninguém o conhece….posso te levar lá? -respirei fundo e fiz sim com a cabeça.

 

Ele me olhou meio pasmo com minhas palavras, mas, mesmo assim, me pegou no colo e saiu correndo que nem um louco, eu definitivamente não gostava da sua velocidade e não deu tempo de conhecer o local antes de me ver dentro de um apartamento todo delicado, não tinha nenhuma fotografia e havia poucos móveis, deixando bem clear o local.

 

Não deu tempo de ver o restante do local, apenas senti os lábios do loiro aos meus, suas mãos fortes me prenderam quase obsessivamente apenas me apertando contra seu corpo, e pelas roupas finas e extremamente coladas sentia seu membro já dando indícios de sinais de vida.

 

Pulei em seu colo ainda o beijando, enlaçando minhas pernas em sua cintura e Cat apenas aprofundou nosso beijo, era excitante beijá-lo e senti-lo das umas mordidinhas , suas mãos fortes me carregaram até o quarto onde me vi sendo jogada ali.

 

-Como se tira essa roupa sem tirar a máscara? -perguntei rindo querendo saber de sua resolução para esse problema e ele apenas me mostrou o Miraculous e passou a mão nele ficando totalmente nu e com o pênis apontando para mim, pênis rosa cheio de veias e duro, senti um pequeno pânico se formar em mim mas respirei fundo e pequei meu objeto fazendo o mesmo, toquei no rosto para ver se minha máscara ainda se encontrava ali, suspirando aliviada.

 

-Nem nos meus sonhos mais excitantes nunca imaginei o quão você poderia ser perfeita joaninha -ele disse engatinhando na cama sorrindo, seus olhos estavam como quem acabou de localizar a presa.

 

Ele chegou em mim e pulou para um beijo, ele dava mordiscadas e lambidas em meu pescoço e foi descendo, chegou nos seios e ficou ali até deixar ambos sensíveis ao toque e continuou seu trajeto até minha intimidade, eu a fechei com minhas duas mãos mas Cat apenas sorriu olhando para mim e beijou cada uma delas para depois me olhar de novo e eu apenas fechei os olhos para sentir aquela sensação.

 

Sua língua me penetrou devagar me fazendo tentar fechar minhas coxas em torno de sua cabeça, mas fui forçada a me expor mais pois suas mãos abriram minhas pernas. Eu definitivamente não faço ideia do que ele estava fazendo em minha intimidade más estava me deixando louca, puxava seus cabelos loiros com tanta força e gemia tão alto que mais tarde sentiria dó do jovem, mas só mais tarde pois eu queria muito que ele continuasse com esse prazer. Senti que meu corpo foi eletrocutado, apenas aproveitei a sensação e Cat apenas subiu sorridente.

 

-Minha joaninha gostou ?

 

-Você já fez isso outras vezes? -perguntei meio sem ar e ele sorriu dando uma piscadela.

 

-Não, você foi minha primeira vítima -ele riu um pouco – mas pelos seus gritos mandei muito bem -dei risada e ele se esticou para cima da cama, a prateleira que só notei estar ali apenas agora, ele pegou um pacotinho que reconheci da aula de sexualidade de algumas semanas.

 

-Como ser bom em algo que nunca fez? -ele me olhou sorrindo e deu ombros.

 

-Pegue a lógica, os ensinamentos e ponha em prática - ele colocou na frente do próprio rosto o pacotinho – isso aqui é depois, um gatinho fez sua dona muito feliz eu acho que ele merece ronronar - dei risada me levantando com certa dificuldade.

 

-Eu não sei a lógica ou sei lá o que você queira que eu faça -ele olhou para seu membro e eu abri a boca em O.

 

-Bem acho que já começou bem -ele riu- agora é...hm… eu acho que é como um sorvete, mas não morde -seu sorriso era uma mistura de doce e malicioso, suspirei e coloquei aquilo na boca como se faz quando um sorvete esta começando a derreter e escutei um gemido que pareceu quase um rosnado, voltei passando a língua em toda a extensão e percebi que...ai aquilo seria o pré gozo?

 

Bom, já que teria que ser “como um sorvete” lambi apenas onde ele escorria e voltei a colocá-lo na boca por inteiro, Cat pegou uma de minhas mãos e colocou em seu pênis fazendo um movimento de masturbação. Fiquei ali, masturbando-o e chupando seu membro por uns instantes antes dele me tirar dali e começar a me beijar.

 

O vi rasgar o pacote da camisinha e colocando em seu membro, seus olhos selvagens me encararam e um sorriso doce veio a seus lábios.

 

-Posso continuar minha joaninha? -fiz sim com a cabeça e ele se posicionou em minha entrada.

 

Cat penetrou bem devagar, mas, mesmo assim, aquilo era incomodo, não chegava a ser uma dor como eu imaginei ou como a professora disse que seria ou, pelo menos, deu a entender isso. Com ele todo dentro de mim minhas unhas cravaram em suas costas enquanto escutava frases de safadeza em meu ouvido baixinho do grande galã que pre preenchia, mordi seu ombro e ele deu uma leve risada.

 

-Não provoque uma fera enquanto é a presa meu docinho – ele mordeu minha orelha e começou a se movimentar com calma, aquilo era estranho, uma sensação de prazer com a pequena queimação no meio de minhas pernas.

 

E aos poucos, o loiro em cima de mim começava a me penetrar com mais rapidez, passei as unhas por seu abdômen enquanto o sentia me penetrar mais fundo e mais rápido, berrei “Cat ow Cat” enquanto ele apenas urrava palavras sem nenhum sentido aparente.

 

Senti aquele pulsar de eletricidade novamente e em poucos segundos creio que ele também sentiu pois se permitiu se jogar em meu corpo respirando forte, quase como um ronronar ele beijou meus seios, se retirou de mim, pegou aquela coisa nojenta e a atirou no lixo soltando um “cesta” e ele se jogou ao meu lado me abraçando por trás.

 

Agarradinhos ali ficamos por algum tempo, quando decidi que não poderia ficar mais olhei para o gatinho atrás de mim.

 

-Está na hora, não é? -ele sorriu triste.

 

-Não me mostre quem você é -ele me olhou assustado e eu me levantei, seu olhar ficou me encarando e eu suspirei passando a mão no meu Miraculous fazendo minha roupa voltar ao meu corpo.

 

-Não era por isso que deitou-se comigo? -eu sorri.

 

-No começo era sim Cat, mas agora não interessa, sou sua joaninha, não é? -seu sorriso fez meu coração dar uns pulinhos – Até mais – e sai correndo.

 

 

[No dia seguinte]

 

Fiquei me olhando pelo espelho de meu quarto querendo chorar, Cat Noir me pegou de jeito e eu estou achando que transei com um gato, cheia de mordidas e arranhões, sem condições para um biquíni e provocar o meu amado Adrien.

 

Coloquei uma camisa por cima do biquíni e choraminguei pois as mordidas e chupões em meu pescoço ainda ficariam evidentes, soltei meu cabelo para tentar esconder, coloquei um shorts molinho e fui caminhando até a casa dele, chegando lá no portão já estava Alya que ficou pulando de um lado para o outro.

 

-O que foi? -ela riu

 

-To achando que ele me convidou apenas porque você não viria sozinha -pisquei algumas vezes

 

-Como assim?

 

-Não tem ninguém na casa dele sem ser ele e nós….

 

-E como você sabe disso? -ela riu

 

-Eu toquei a campainha e ele disse, então eu precisava falar contigo então disse que esqueci uma coisa em casa e voltaria para buscar, ele todo sorridente disse que tudo bem, pois éramos só nos três… então eu como uma ótima amiga vou pra casa enquanto vocês aproveitam juntos.

 

Vi Alya se afastar sorrindo e dando “joinha” com ambos os polegares, toquei a campainha e Adrien atendeu a porta, seu sorriso aumentou de tamanho quando me viu e pediu para que eu entrasse.

 

Fomos para a piscina e lá ele tinha algumas guloseimas para comermos.

 

-Fique a vontade -ele disse pegando um sonho e mordendo-o – são os melhores de Paris -ele sorriu e tirou a camisa e foi ali que meu coração parou de vez.

 

OS MESMOS ARRANHÕES que eu fiz em Cat Noir no dia anterior. Devo ter ficado verde pois Adrien ficou na minha frente assustado.

 

-Você é o Cat Noir?! - seu olhar de assustado foi para pânico e depois um sorriso surgiu em seus lábios.

 

-Quem dera, teria a Ladybug como namorada -ele riu e eu não o acompanhei, apenas levantei minha blusa revelando as marcas que ele fez na outra noite, seu rosto ficou sem nenhuma reação.

 

-Ainda nega?

 

-Posso tirar uma dúvida? -perguntou olhando para os lados.

 

-Pode -disse sem entender e ele me beijou.

 

ADRIEN ME BEIJOU!

O AMOR DA MINHA INFÂNCIA ME BEIJOU.

Mas o meu amor é o Cat Noir, aquele que eu tentei me afastar tanto tempo e …. eu transei.

EU TRANSEI COM ADRIEN!

 

Adrian se afastou e sorriu.

 

-Oi minha joaninha, senti sua falta -seu sorriso malicioso apareceu nos seus lábios e logo se afastou – Tá, Você é a …. e você disse que amava outro…

 

-Sendo sincera? Estou tentando um ataque cardíaco mas...eu te amo Adrien, não credito que saiu -suspirei em pânico.

 

Ficamos nos olhando por um tempo.

 

-Teria sido bem embaraçoso você desmaiar ontem – ele riu e eu o encarei

 

-Você gosta da Ladybug por ela ser uma heroína que não estraga as coisas, ela é confiante e estrategista e eu...sou desastrada e extremamente tímida -ele deu ombros.

 

-Não, gosto pois ela é meiga, forte, determinada, linda, justa e com aquele jeito de me esnobar -ele riu e passou as mãos no meu cabelo – Então você não gosta do gatinho manhoso? -dei risada e o encarei.

 

-Nunca disse isso

 

-Bom saber minha joaninha -ele se aproximou sorrindo malicioso- agora o Adrien aqui pode te fazer miar a noite toda -tive que dar uma bela risada antes de sentir seus lábios sobre os meus.

 

 

 


Notas Finais


Espero que gostem, talvez (muito provavelmente pq achei várias fotos topzeiras) eu volte a escrever sobre esses 2/4 malucos que eu XONEI....

kkkkk espero que tenham gostado, beijinhosss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...