História Idiot Neighbor - Imagine Jun (Seventeen) - Capítulo 45


Escrita por:

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Personagens Originais, Wen Junhui "JUN"
Tags Imagine Jun, Imagine Seventeen, Jun, Seventeen, Wen Junhui
Visualizações 353
Palavras 1.393
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Quem é vivo sempre aparece, não se esqueçam disso.
VOLTEEEEI!
Fiquei escrevendo esse capitulo por muito tempo, espero que tenha ficado bom rs
E de novo, me desculpem por não estar respondendo os comentários, juro que li e reli todos (quando estou sem criatividade, eu leio os comentários pra ver se ajuda)
Enfim, espero que gostem <3

Capítulo 45 - Baby


Fanfic / Fanfiction Idiot Neighbor - Imagine Jun (Seventeen) - Capítulo 45 - Baby

 

Depois de uma longa conversa protestando sobre aquela ideia absurda, decidimos melhor deixar aquilo quieto e pensar nisso mais tarde, afinal, discutir com aquelas duas não nos levaria a nada. Jun praticamente surtou depois de um tempo, e eu apenas montava algum plano ou desculpa pra não ir nesse viagem, ainda mais sozinha com Wen Junhui.

-Minha mãe e sua tia ficaram loucas de vez! – meu amigo exclamou do meu lado, me fazendo o olhar. – Nem somos maiores de idade ainda, como podemos ir para outra cidade sozinhos assim? – cruzou os braços incrédulo, enquanto se sentava em minha cama.

-Normais elas nunca foram mesmo. – neguei com a cabeça, pegando meu celular em cima da escrivaninha. – Vou ligar para Mingyu, talvez ele saiba o que fazer.

-Mingyu? Outro louco. – Junhui deu uma risadinha mínima, fiquei alguns segundos encarando seu rosto bonito. – Tira foto, dura mais.

-Bobo. – senti minhas bochechas corarem, disquei o número do Kim e logo ele atendeu. – Temos um problema.

-Vocês dois botaram fogo na casa sem querer?

-Não, não é isso. – revirei os olhos, vendo Jun rir colando seu rosto no meu, pra escutar a ligação. Mordi os lábios nervosa, mas voltei a prestar atenção na conversa.

-Uhn...ele te pediu em namoro, mas você não aceitou, e então ele saiu correndo chorando, mas de repente um caminhão apareceu e o atropelou no meio na rua, agora estão no hospital aos prantos. E depois de alguns anos ele vai acordar de um coma e não vai lembrar de nada, e você vai sofrer já que descobrir que sempre gostou dele e...

-Mingyu! – falei, ouvindo ele arranhar a garganta no outro lado da linha.

-Sorry, me empolguei.

-Percebi.

-Se não vou nada dessas coisas, então...S/n você matou o Junhui? Olha, não quero me envolver.

-Mingyu, para de viajar! – ele riu, e Wen também. – É pior que isso.

-O que? – Junhui me olhou incrédulo, me fazendo rir.

-Então, o que foi?

-Aquelas duas vão nos mandar pra uma viagem para Busan, sozinhos!

-Ah, boa viagem. Vou desligar.

-KIM MINGYU!

-O que vocês querem que eu faça?!

-Nos ajude a inventar alguma coisa para não ir!

-Acho que não vai dar certo, pelo o que eu ouvi daquelas duas é meio impossível convencê-las. Mas afinal, por que estão tão nervosos com essa viagem?

-Oras, porque vamos sozinhos! – revirei os olhos.

-Mas vocês são só amigos, não existe razão pra ficarem tão nervosos desse jeito. Amigos normalmente ficariam animados para uma viagem sem adultos chatos para atrapalhar. Ou... você sente algo a mais por ele, S/n?

-Vou desligar, você não ajuda em nada. – tirei o celular do ouvido, mas ainda consegui ouvir sua gargalhada no outro lado da linha. – Idiota...

-O que ele disse? Não consegui ouvir direito.

-Nada não. – sorri nervosa e ele assentiu, pegando meus livros que estavam jogados por todo o meu quarto, os colocando em cima da escrivaninha. –Ei, Junhui.

-Sim, baby?

Baby?!

-A-Ahn... – ele deu um risinho, provavelmente vendo meu rosto corado. – Acho melhor irmos nessa viagem mesmo. Sabe, não tem razões para sermos medrosos, e também vai ser só por algum dias...quero conhecer mais cidades da Coréia.

-Tem razão, você ainda não saiu de Seul. – olhou para baixo. – Tudo bem, mas espero que não fique desconfortável...por ir...só junto comigo.

-Não vou, afinal somos só amigos. – sorri fraco, vendo ele mudar um pouco a expressão. – Você pode dormir aqui hoje? Quero assistir um filme.

-Tá, mas que filme? – voltou a sorrir normalmente, colocando as mãos em seu moletom.

-Um filme de terror.

-Ah, sério? Acho que não vai dar sabe, tenho que cuidar do Jian e...

-Okay, você escolhe o filme. – gargalhei, vendo a expressão de alívio dele.

-Agradeço.

(...)

-Para onde vocês vão mesmo? – Minhyuk perguntou enquanto comia a pizza que tínhamos comprado na lanchonete.

-Busan. – respondi com uma cara de tédio, enquanto via os outros conversando.

Mingyu já estava pegando amizade com os outros meninos, e Gabi me disse que sua relação com o irmão já havia melhorado. Ele até pegou o número dela na última vez que a viu. Junhui estava cada vez mais animado com a viagem, nem parecia que não queria ir quando anunciaram que iríamos pra lá sozinhos.

-Tenho inveja de vocês...não vou pra nenhum lugar nessas férias. – Gabi suspirou. – Só o acampamento me salvou.

-Eu vou pra Jeju visitar uma tia. – disse Sohyun.

-Sério? Eu sou de Jeju! – Seungkwan sorriu animado, gritando no meio da lanchonete me fazendo assustar.

-Não acredito, pensei que tivesse nascido em Seul! – ela sorriu também, e então os dois começaram a conversar animadamente.

Soltei um sorriso discreto assim que vi Dae encarando os dois meio sério.

Ficamos por mais algum tempo conversando, até que minha tia mandou uma mensagem dizendo para voltarmos, pois estava ficando tarde. Nos despedimos de nossos amigos e saímos da lanchonete.

Começamos a andar lentamente, eu observava o céu escuro enquanto suspirava.

-As estrelas são bonitas...

-São satélites, Junhui.

-Não estraga o clima, S/n!

Sorri fraco, indo um pouco para perto dele. Eu olho para meu amigo, e fico assim por alguns segundos até voltar a prestar atenção na rua.

Ele é realmente bonito.

-Está um pouco frio... – disse eu, esfregando as mãos uma na outra. Até que ele me olha com um sorriso, me fazendo ficar confusa.

Junhui abriu seu casaco e me puxou para perto dele.

-O que está fazendo? – quase gaguejei vendo ele me abraçar, me cobrindo com seu casaco.

-Te esquentando, baby.

Se ele não parar com isso eu vou ter um treco.

-Nos filmes os mocinhos dão o casaco inteiro pras mocinhas, não fazem isso. – sorri tentando disfarçar meu nervosismo.

-Quer dizer que você é minha mocinha?

-Quer saber? Vou correr, assim o frio passa! – me larguei dele, correndo para longe.

-Ei, baby, volta aqui!

-Para de me chamar assim! – disse eu, o ignorando e correndo mais rápido ainda.

-Por que? Você não gosta? – percebi que ele também corria. – Devo te chamar de amor então?

-NÃO!

 

SOHYUN POV’S ON

 

Depois de me despedir de todo mundo, menos de Daehyuk que estava no banheiro, saí da grande lanchonete dando de cara com o frio lá fora.

Abracei meu corpo com os braços e segui meu caminho, minha casa ficava meio longe, mas não poderia pegar um ônibus ou táxi. Fui burra de gastar meu dinheiro todo com comida. Mas valeu a pena!

Depois de mais alguns minutos andando sinto alguém pegar em meu ombro, me fazendo virar com tudo assustada.

-Daehyuk? – faço uma careta vendo ele apoiar as mãos na perna, tentando controlar a respiração, por ter corrido muito provavelmente.

-Por que não parou antes? – me olhou arrumando seus óculos no rosto. – Chamei seu nome umas quatro vezes.

-Desculpe, estava distraída. – olhei para baixo. – Por que correu até aqui?

-Já está tarde para ir embora sozinha. Vou te acompanhar.

-Não! Eu estou bem. – puxou meu braço levemente, me fazendo andar junto com ele. – Minha casa é muito longe...

-Mais um motivo para eu ir junto com você. – sorriu e eu bufei, desistindo de fazer ele mudar de ideia.

Depois de longos minutos percebi que ele ainda segurava meu braço, corei um pouco com aquilo, mas sorri depois.

-Ei, chegamos. – parei de andar, e ele se virou para mim.

-Nem foi tão longe assim. – sorriu e eu também. – Oh, desculpa, não percebi que estava segurando seu braço ainda.

-Tudo bem, nem eu percebi. – sorri nervosa vendo ele coçar a nuca. – Então, é melhor eu entrar antes que minha mãe chame a polícia pensando que fui sequestrada. – ele sorriu e assentiu.

-Boa noite, Sohyun.

-Boa noite, Daehyuk. – suspirei, entrando em minha casa.

Depois de fechar a porta corri pra janela, o vendo ainda na rua olhando para baixo. Depois de um tempo ele começa a andar, assim desaparecendo de minha visão.

Eu tenho que te esquecer, Dae.

JUN POV’S ON

-Na verdade, eu fui um pouco com a sua cara desde a primeira vez que eu te vi no avião. – disse eu, enquanto assistia um desenho qualquer que ela havia escolhido.

-Sei.

-É sério! – a olhei e ela sorriu.

-Quando te vi, achei você bonito. – suspirei. – Mas depois vi que você era um idiota. Aliás, você está bem mais legal agora.

-Eu sei... – suspirei. – Mas tive minhas razões pra me tornar um babaca.

Ela me olhou confusa, e eu sorri fraco.

Acho que já está na hora de te contar, my baby.

 

                                                                                                  

 

                                                                                                                 Continua...


Notas Finais


O que acharam, babys? sjksks
Mingyu salvou a pátria, não é mesmo?
Será que o Jun vai continuar com isso de "baby"? rs
Provavelmente o próximo capítulo vai ser eles indo viajar, mas nada confirmado ainda.
Espero que tenham gostado <3
Até o próximo capítulos e desculpa pelos erros :)

Beijos com Yoongi <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...