1. Spirit Fanfics >
  2. Idol ( Jikook) >
  3. Capítulo Sete;

História Idol ( Jikook) - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei.
Hehe.
Espero que gostem.
Boa leitura, amorehs.

Capítulo 8 - Capítulo Sete;


Fanfic / Fanfiction Idol ( Jikook) - Capítulo 8 - Capítulo Sete;

Park Jimin ficou ali parado próximo da árvore por longos minutos, não sabia exatamente o que fazer, estava perdido. Um lado dizia; Ajude-o, o outro dizia; Ele não merece. Dois grandes dilemas. No fim o baixinho apenas suspirou e decidiu seguir seu anjinho do bem.

— Vamos ajudá-lo, Teddy! — afirmou.

O rapaz praticamente correu, entrando em seguida na mansão.

— Jeon! — segurou o mais velho pelo braço. — Me deixa te ajudar, pelo menos a subir as escadas, por favor!? — pediu com um biquinho insistente nos lábios.

— Aish, não preciso da sua ajuda. — resmungou tentando a todo custo esconder a tremenda dor que estava sentindo no tornozelo.

— Foi culpa minha, e eu não quero me sentir assim. — o ruivo comentou. — Por favor, prometo ficar quietinho.

— Huh, ok. — o moreno falou.

Assim que recebeu carta verde, Jimin ajudou o mais velho a subir as escadas, por sorte Jungkook não era pesado e os degraus não eram muitos, o que facilitou bastante para ambos. Park levou Jeon até o quarto, e o deitou na cama.

— Licença. — sussurrou enquanto afastava um pouco a calça do idol. — Tenho que ver se está inchado. — complementou ao ver o olhar “carnívoro ” de Jeon sobre sua pessoa.

— Não disse nada. — ditou de braços cruzados.

“Se tudo isso não fosse tão incomodo, tenho certeza de que eu estaria dando pulinhos por toda a mansão, soltando purpurina” Jimin pensou de formatei distraída, deixando uma risadinha baixinha escapar.

O moreno apenas ficou o garoto, não importa como, ele sentia que conhecia aquele jovem de algum lugar.

“Tão familiar, seus traços, seu jeito” o idol pensava.

— Ai! Caralho, toma cuidado. — rosnou entre dentes. — Não é seu tornozelo.

— Me desculpa. Ah, bom, vou pegar gelo pra fazer compressa. — Jimin deixou Teddy sobre a cama e saiu correndo.

— Gato, seu dono é maluco. — comentou olhando para o gatinho fofo que apenas se lambia tranquilamente. — Maluco...e fofo. — suspirou. — Como aquela pessoa. — apontou para a foto. — Que me deixou.

Jungkook ficou olhando para a parede onde havia alguns retratos, fotos dele com a mãe, com os irmãos. Sorriu ao ver a foto do dia em que conseguiu entrar para a empresa.

— Sabe, gato, esse dia...exatamente este dia...deveria ser o mais promissor e mais lindo da minha vida. — antes que o moreno pudesse concluir seu raciocínio, Jimin entra com um saquinho em mãos.

— Eu trouxe o gelo, vou por com cuidado. — comentou. — Não quero que seus fãs me matem. — riu.

— Tenho certeza que o MochiStar te mataria.

Ao ouvir aquele nome, o ruivo engasgou com a própria saliva, iniciando uma tosse desesperada no mesmo.

— Ei, você está bem? — Jeon indagou ao ver o rapaz ficar cada vez mais pálido.

— S-Sim, é que às vezes eu me esqueço que não posso viver sem oxigênio.

O cantor tentou processar aquela informação, mas ao final só conseguiu sorrir e confirmar, desta vez não era um sorriso; irônico, debochado, fingido ou maldoso. Era apenas um sorriso, cálido e verdadeiro.

— Não se esqueça de respirar, Park.

— Me chama de Jimin, porque pelo meu sobrenome...me sinto velho. — deu de ombros.

— Certo, Jimin. — suspirou. — Por que? Sabe, eu juro que tentei entender você, mas não consegui nenhuma explicação lógica. 

— Não entendi. — o ruivo comentou ainda segurando o saco com gelo sobre o tornozelo alheio.

— Se fosse outro...já teria corrido e feito fofoca, já teria destruído minha carreira, e aproveitado para fazer fama.

— Eu jamais faria isso. — sussurrou com um meio sorriso nos lábios. — Jeon, você pode estar longe da forma como te imaginei, entretanto, se você está onde está. É por causa do seu talento, isso eu sei que não é mentira. — o mais baixo afirmou.

— Ainda sim, eu te tratei mal, e foi totalmente consciente da minha parte. — afirmou. — Eu iria ser bem pior, iria te fazer desistir de ficar na minha casa por uma semana.

— Eu sei, eu estava preparado para ir embora. — riu. — Eu sou...ou eu era… Não tenho certeza, mas eu te amava muito, e era um fã seu.

— Deixe-me adivinhar, sua admiração por mim foi pelo ralo? — riu entre um suspiro. — Eu desconfiei.

— Jungkook, estou tentando te entender, sabia? Eu tenho certeza que você não era assim, você era alguém legal, engraçado, amoroso, fofo e cheio de luz.

— Como pode afirmar isso? — Jeon perguntou de forma óbvia. — Como tem tanta certeza de que eu era assim?

— Não preciso dizer sobre isso. Apenas me diga, Jungkook, o que te fez mudar tanto? 

Park tinha juntado toda a sua coragem para perguntar sobre isso, e não iria voltar atrás com sua pergunta.

— Eu mesmo. — ditou com um meio sorriso nos lábios. — Talvez eu apenas tenha mudado. Talvez pelo dinheiro? 

— Não mesmo. — o baixinho se levantou e se afastou. — O Jeon Jungkook que eu conheço, o que eu conhecia, jamais mudaria por dinheiro. E eu tenho certeza disso. 

— Por que diz isso assim? Quando na verdade te tratei tão mal? É estranho!

— Não importa, você não precisa saber agora. Boa noite, Jungkook, eu vou dormir.

Park Jimin saiu do quarto, sentindo um peso grande no corpo, sua cabeça se tornou um caos completo.

“Será que foi isso? Dinheiro? Apenas por dinheiro!?” Jimin pensou enquanto se afastava do quarto.

As lágrimas começaram a cair, dentro do quarto de Jeon, ele tentou ser forte e não mostrar o quão aquelas palavras estavam lhe abalando, mas ali fora, ele só queria expor um pouco da sua dor.

“É impossível que alguém que me deu tantos motivos para continuar seguindo, tenha desistido de tudo...por isso” o ruivo continuava pensando, seu choro só cessou quando ouviu o miado de Teddy.

— Vamos dormir, Teddy, estou cansado. — comentou.

Jeon respirou fundo e fechou os olhos, assim que o rapaz saiu de seu quarto deixando-o sozinho, sua mente começou a fazê-lo reviver aquele dia, logo estava ouvindo o barulho da sirene da ambulância, os policiais, os paramédicos. Tudo aquilo ainda estava tão vívido nas lembranças do cantor, que machucavam na mesma intensidade


Notas Finais


Aah meu core chega a doer.
Unnie ama vcs!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...