1. Spirit Fanfics >
  2. If I am your Nobody, you are my Somebody. >
  3. Chapter 10: My first birthday

História If I am your Nobody, you are my Somebody. - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


AVISO

O capítulo a seguir contém cenas classificadas como +18. Caso você leitor se sinta incomodado, por favor, não leia tais cenas ou simplesmente pule para o próximo capítulo. Obrigado por sua atenção. Aproveite sua leitura.

Capítulo 10 - Chapter 10: My first birthday


Fanfic / Fanfiction If I am your Nobody, you are my Somebody. - Capítulo 10 - Chapter 10: My first birthday

Chapter 10: My first birthday



Riku P.O.V.



Hoje eu acordei bem cedo, antes de qualquer outro na casa. Resolvi fazer uma surpresa para o Roxas e quero deixar tudo pronto antes dele acordar. Desci até a cozinha e resolvi começar a cozinhar um bolo e alguns doces para o Roxas. Vesti um avental e amarrei um pano na cabeça para evitar que cabelos caíssem na comida e me coloquei a trabalhar. Ontem nós ficamos acordados até bem tarde e, como ele ainda está se acostumando ao novo corpo, duvido que vá conseguir acordar tão cedo.

Juntei os materiais na mesa e na bancada da cozinha, quando ouvi passos se aproximando da porta. Pouco depois Naminé adentrou a cozinha com uma cara meio sonolenta. Senti meu rosto esquentar um pouco. ELA É TÃO FOFA!!!

- Bom dia, Riku. - ela falou com aquele sorriso lindo que sempre me faz estremecer, e dessa vez não foi diferente. Senti minha espinha se arrepiar de cima a baixo só por ter visto aquele sorriso.

- B-bom dia, Naminé. - respondi meio sem jeito - Você acordou bem cedo. Não está cansada?

- Não. - outra vez aquele sorriso (>///<) - Eu fui dormir bem cedo ontem, então estou muito bem descansada. Só estou meio sonolenta, só isso. - ela se dirigiu até a estante e pegou um copo, indo até a geladeira e o enchendo com um pouco de água gelada após isso - E você? Não está cansado?

- Até que estou. - respondi, focado em misturar a farinha na massa - Mas é por uma boa razão. Hoje é aniversário do Roxas e eu quero que o primeiro aniversário dele seja inesquecível. - o olhar de Naminé se encheu de brilho ao ouvir isso. Pelo visto Kairi já deve ter explicado para ela o que são aniversários.

- Hoje é aniversário do Roxas?! Que incrível! - ela disse entusiasmada com a ideia e observou mais atentamente ao redor - Você está fazendo um bolo? - acenei que sim com a cabeça.

- É. Ontem nós dois ficamos até tarde conversando e, como ele ainda não se acostumou totalmente com o novo corpo, eu acho que eu ainda tenho um tempinho. Acho que vou fazer alguns doces e salgados também, mas vou ter que correr se eu quiser terminar tudo antes do Roxas acordar. -  falei, derrubando um pouco de chocolate em pó em uma vasilha e extrato de baunilha em outra - Eu pensei em um bolo metade de chocolate e metade de baunilha com um recheio de chocolate e doce de leite com pedaços de morango e pêssego. Depois de acordar eu tive que ir LITERALMENTE voando até o mercado na cidade para comprar alguns ingredientes que faltavam. Por sorte eram bem poucos. O Mestre Yen Sid não economizou nem um pouco no estoque de comida da casa.

- Bom, já que você está com tanto trabalho... - falou, vestindo um avental e amarrando um pano nos cabelos - ...EU VOU AJUDAR!!

- O que? - falei desconcertado pela visão que eu estava tendo. Ela estava fofa demais assim - Ah-ahh!! V-você não precisa se esforçar, eu consigo dar um jeito.

- Bobagem. Um pouquinho de esforço não faz mal. E, aliás, desenhar não é o meu único talento. Sou uma cozinheira de mão cheia, sabia?

- Ahn... - fiquei parado olhando pra ela em transe com um sorriso bobo no rosto. O quanto essa garota ainda é capaz de me surpreender? Só voltei ao normal quando percebi ela rindo da minha expressão e apontando para a massa quase caindo do pote. Senti minhas bochechas esquentaram, com certeza eu havia corado - E-então vamos?

Ela acenou e me ajudou a preparar as coisas. Enquanto cozinhavam eu contei para ela tudo o que aconteceu ontem (com exceção do selinho no final da noite, por razões óbvias). Até que fizemos bastante coisa em bem pouco tempo. Em menos de uma hora já tinhamos feito vários doces, várias jarras de suco e uma das massas do bolo já estava indo pro forno assim como alguns salgados. Assim que colocamos os salgados no forno Kairi e Lea chegaram na cozinha.

- Opaaa!!! O que vocês estão fazendo aí?

- SHHHHH!!! - eu e Naminé fizemos em uníssono.

- Não façam barulho. Os outros não podem acordar. - expliquei.

- Nossa, ok, calminha aí. Por que todos esses salgados? Vai ter festa hoje, é? - Kairi disse abraçando o novo namorado. Eles fazem um belo casal, não há como negar.

- Sim, mas é pra ser surpresa. Segundo a conversa que o Riku teve ontem com o Roxas, hoje já fazem dois anos que ele foi criado. - a Naminé resumiu para os dois recém chegados.

- Ahh, é mesmo. Eu nem me lembrava que era hoje. - Lea falou, organizando os pensamentos.

- Ah, pelo amor de Kingdom Hearts, ele é seu melhor amigo! Como você pode ter esquecido? - Kairi deu uma bronca nele.

- E é o namorado do seu melhor amigo. Praticamente seu cunhado. Você também devia saber.

- Hehehe. Peraí, vocês sabem que ele gosta do Sora? - perguntei, surpreso.

- Ahn, DÃÃÃ. É claro que a gente sabe. - falou Lea.

- É bem óbvio, na verdade. - continuou Naminé.

- Rola muita tensão sexual entre esses dois. Dá até pra sentir no ar quando se está no mesmo cômodo que eles. - finalizou Kairi.

- Então acho que os únicos que não percebem isso são eles dois, mesmo. - concluí. Todos confirmaram com a cabeça.

- Os únicos que não percebem o que? - disse Sora, aparecendo de repente na porta por trás de Lea e Kairi.

- ... - todos olhamos para Sora e então...

- AHHHHHHH!!! - soltamos um grito de surpresa que rapidamente silenciamos por medo de acordar Roxas.



Sora P.O.V.



Acordei muito mais cedo do que normalmente acordo. Acho que estou acostumando com isso graças ao Roxas. Eu gosto muito de ver ele dormindo. É tão inocente. Me faz ter vontade de toca-lo, abraça-lo, bei... NÃO!!! Arg, de novo esses pensamentos. Eu tenho que parar com isso. Ele é meu melhor amigo. Eu não posso fazer isso. Fui ao banheiro, fiz minhas higienes, lavei meu rosto e me olhei no espelho. Refleti por alguns minutos o que estava acontecendo comigo e sempre me perguntando, por que com ele?

Me vesti com uma roupa qualquer do armário, bem silenciosamente para não acordar o Roxas, e então me diriji à escada para ir até a cozinha. Quanto mais me aproximava, mais eu escutava as vozes dos outros. Acho que todos já acordaram. Parece que estão tendo uma reunião. Não consigo ouvir muito bem, então me aproximo um pouco mais.

- ... no ar quando se está no mesmo cômodo que eles. - essa era a voz da Kairi.

- Então acho que os únicos que não percebem isso são eles dois, mesmo. - agora era o Riku. Adentrei na cozinha silenciosamente.

- Os únicos que não percebem o que? - perguntei, querendo saber sobre o que eles conversavam.

- ... - todos olharam para mim. Acho que até agora não tinham percebido minha presença. Ficaram em silêncio por alguns poucos segundos e então do nada...

AHHHHHHH!!! - soltaram um grito que acabou fazendo eu pular de susto. Eles rapidamente se silenciaram com as mãos na boca.

- VOCÊS ESTÃO TODOS LOUCOS?!! - repreendi eles com a mão no peito - Quase me matam do coração.

- Há quanto t-tempo você está aí? - perguntou Kairi, se apoiando no namorado.

- Acabei de chegar.

- E o quanto v-você ouviu? - perguntou Riku.

- Só a parte que alguém não tá percebendo alguma coisa. - todos suspiraram de alívio ao ouvir minha resposta - Ok, vocês estão estranhos. O que está acontecendo?

- Ah, nada demais. Ah! Aproveitando que já estão todos aqui, porque não ajudam a mim e ao Riku? - Naminé convidou - Nós temos muita coisa pra cozinhar ainda, então vamos lá. Todo mundo lavando as mãos, vestindo um avental e amarrando o cabelo. 

- Ué. O que está havendo? - perguntei confuso.

- Bem ontem eu e o Roxas ficamos conversando bastante lá no jardim, e ele me disse que hoje é meio que o aniversário dele. Então eu resolvi fazer algumas coisas para que ele tenha o melhor primeiro aniversário de todos.

- Ahh, entendi. - fui juntando as peças. Então era sobre isso que eles estavam conversando ontem de noite. Deve ter algo a mais. O Roxas disse que tinha algo pra resolver. Mas pelo menos minhas preocupações já se foram.

Todos nós nos arrumamos e ajudamos a fazer os comes e bebes. Alem dos sucos, o Lea e a Kairi foram para a cidade comprar alguns refris. Eles também compraram alguns balões, um botijão de gás hélio, confetes e uma pinhata. Essa festa vai ser boa demais. Eu pensei que seria bom convidarmos alguns outros amigos, e como o Riku se tornou um Keyblade Master e já dominou o Power of Waking, pedimos para ele ir até Traverse Town, Radiant Garden, Disney Castle e Twilight Town para chamar nossos amigos. Também demos algum dinheiro e uma lista de coisas para fazer presentes mais significativos. Enquanto ele estava fora, Naminé terminou de fazer a comida, eu e Kairi terminamos a decoração e Lea já havia feito a playlist e organizou algumas atividades e jogos no jardim (como a pinhata, rabo no burro, tomba lata, etc). Depois disso nós movemos uma mesa para o jardim para mais tarde colocarmos os comes e bebes. Em uma hora já haviamos arrumado quase tudo e o Riku já havia voltado com os presentes e os convidados. Ele passou em Disney Castle primeiro pra já pegar a Gummi Ship e carregar todo mundo. Ele trouxe o Rei, Donald, Goofy, Jiminy, Chip e Dale, Leon, Yufie, Cid, Aerith, Cloud, Hayner, Pence e Olete. Essa festa vai ficar bem cheia. Vai ser demais. Com certeza o Roxas vai amar.

- Já são quase onze horas. É melhor alguém ir ver se o Roxas acordou. - sugeriu Riku - Vai lá, Sora. Vamos ficar quietos até vocês dois voltarem.

- Ok. Se ele já estiver acordado eu vou descer enquanto ele se arruma, ok? Aí vocês se preparam.

- Certo. Vai lá.

Subi as escadas e fui para o nosso quarto. O Roxas ainda estava dormindo. Me sentei na beirada da cama e acariciei o seu rosto bem levemente. Outra vez tive que me conter. "Que droga, Sora" pensei. "Ele é seu melhor amigo. Para com isso de vez". Tirei esses pensamentos da cabeça e balancei ele de leve.

- Roxas...



Roxas P.O.V.



- Roxas, acorda. - ouvi alguém me chamando bem baixinho. Abri bem poucos os olhos e depois os fechei de novo, sequer vi quem estava me chamando. Virei de lado e voltei a me aconchegar - Ei, Roxas. Acorda, bebezão. - a pessoa continuou me balançando e me chamando bem de leve. Então me virei para ele e abri um pouco meus olhos. - Bom dia, cabelo de chocobo. - disse Sora, sorrindo pra mim. Me apoiei em um braço, sorrindo de volta pra ele.

 - Hmm. Bom dia, Sora. - me sentei de frente para ele e cocei a parte de trás da cabeça - E não me chama de cabelo de chocobo. Você que tem uma família deles na cabeça.

- Diz isso porque não tá vendo a bagunça ai em cima da sua. - respondeu, afagando minha cabeça e rindo baixinho.

- Haha. Seu besta. - afastei a mão dele e me espreguicei - Hmm. Que horas são?

- Já são onze e cinco. Todo mundo já acordou. Se arruma e desce. Vou fazer um café pra você. - ele se levantou da minha cama e ajeitou a calça. Minha vontade mesmo era de puxar ele e ficar deitados abraçado a ele até de tarde. Ainda não sei o que eu sinto por ele, mas quero descobrir logo.

- Tá bom. - me levantei também e me dirigi ao banheiro do quarto.

- Ah! Mas antes de você ir... - ele me puxou pela mão e me deu um abraço apertado. Não vou mentir, acho que eu corei com isso.

- Wow! - exclamei em surpresa - S-sora, p-por que isso assim de repente?

- Feliz aniversário, Roxxy. - ele sussurrou bem perto do meu ouvido. Não sei o que me deixou mais arrepiado, se foi ele sussurrando ou se foram minhas orelhas sensíveis, mas foi uma sensação que me fez tremer todo.

- Ah-ahh! S-sora, v-você sabe que eu tenho orelhas s-sensíveis.

- O que me dá mais um motivo pra adorar fazer isso com você. - ele sussurrou de novo e logo depois ainda depositou um beijo na minha orelha.

- AHHH!! - segurei ele pelos ombros e o afastei um pouco do meu corpo. Eu estava todo arrepiado e com o rosto corado. Fechei os olhos com força por conta da vergonha. Ouvi o Sora soltar um risinho.

- Ei. Olha pra mim. - ele segurou meu queixo e levantou meu rosto. Abri meus olhos e vi que ele também estava corando um pouco - Não fica assim. Você fica um fofo quando está com vergonha. - acabei soltando um sorriso fraco.

- V-você acha...? - perguntei e ele acenou com a cabeça - O... Obrigado... eu acho... - virei meu rosto com vergonha - Ahm... Eu já vou me arrumar, tá bom?

- Ok. - ele me soltou e eu fui para o banheiro, mas antes de eu entrar ele chegou por trás de mim e sussurrou no meu ouvido - Te vejo lá embaixo, Roxxy. - e então beijou minha orelha de novo e, assim como da outra vez, aquela sensação prazerosa e estranha percorreu meu corpo da cabeça aos pés.

- SORA!!! - o repreendi. Ele riu e saiu correndo pra fora do quarto. Eu fiquei lá parado, olhando pra porta e corado. Comecei a sentir uma queimação na minha virilha. Olhei pra baixo e notei uma ereção se formando. Todos esses arrepios haviam me deixado excitado. "Droga", pensei. "Eu não posso descer lá desse jeito". Fechei a porta do quarto e me dirigi rápido para o banheiro.

Me despi e abri o chuveiro. Pensei que uma ducha fria fosse ajudar a melhorar a situação. Mas não. Eu estava muito excitado. Ia ter que resolver isso eu mesmo. Me escorei na parede do boxe, deixando meu membro ereto abaixo do chuveiro, sendo continuamente atingido pelos jatos de água fria, aumentando a minha sensação de prazer. Segurei meu membro pela base com certa força e comecei a fazer os movimentos de vai e vem. Comecei lentamente, movendo minha mão para cima e para baixo, e fui frequentemente aumentando a intensidade dos meus movimentos. Logo já estava numa masturbação forte. Em um dado momento, eu cheguei a imaginar o Sora na minha frente. Estava tão excitado que podia até mesmo ouvi-lo gemendo. O imaginei nu junto a mim, chupando meu membro e logo me imaginei o penetrando. Eu não aguentava mais, tinha que terminar isso rápido ou os outros poderiam suspeitar da minha demora. Aumentei ainda mais a intensidade dos meus movimentos. Já não conseguia mais conter meus gemidos. Apertei ainda mais meu membro e aumentei mais a intensidade. Agora eu já estava gemendo e arfando com força. Estava muito bom. Curvei meu tronco para frente e senti o orgasmo vindo. Trouxe meu tronco para trás, empurrei meu quadril para frente e puxei meu pênis o máximo que dava e então... gozei. Esse havia sido de longe o melhor orgasmo da minha vida. Eram jatos e mais jatos fortes que saiam do meu membro, atingindo cada parte do meu corpo. Meu corpo ficou completamente coberto do meu próprio esperma. Voltei a me recostar na parede e suspirei de alívio e prazer. Então pensei no instante em que a imagem de Sora veio à minha mente enquanto eu me masturbava. Agora já estava claro pra mim. Eu estava mesmo apaixonado pelo meu melhor amigo. Não havia mais dúvidas. Pelo menos, não para mim.

Terminei meu banho e fiz minhas higienes. Abri o armário e escolhi a minha roupa "clássica", que eu estava vestido na época em que surgi e que eu sempre usava quando "vivi" na Twilight Town virtual. Afinal, nada mais justo do que comemorar o dia do meu surgimento vestido como eu vim ao mundo, certo? Hahaha. Desci as escadas e do topo da escada do saguão de entrada eu vi o Sora me esperando.

- Demorou. - reclamou - Vem. O seu café já está pronto. - ele entrou na sala de estar e fechou a grande porta que cobria o arco. Desci o último lance de escadas e me dirigi até a porta da sala de estar. E quando eu a abri...

- SURPRESAAA!!! - todos estavam lá. Acabei pulando de susto no primeiro momento, mas não pude conter a emoção - FELIZ ANIVERSÁRIO, ROXAS!!! - corri meus olhos pela sala e vi todos lá. O pessoal aqui de casa, Hayner, Pence, Olete, Mickey, Donald, Goofy, Jiminy, os gêmeos esquilos que eu nunca sei diferenciar e alguns que eu só conhecia pelos nomes e fotos que os outros me mostraram, mas que identifiquei rapidamente como sendo Leon, Aerith, Cid, Yuffie e Cloud. Não sei como conseguiram convencer o Cloud a vir. Pelo que o Sora me conta, o Cloud costuma ser bem fechado. Mas não reclamo. Vai ser bom conhecê-los em pessoa.

- Gente, eu... - eu estava sem palavras. Só conseguia sorrir e enxugar as lágrimas que insistiam em cair dos meus olhos. Riku, Sora e os outros se aproximaram de mim.

- Eu contei para eles que hoje era seu aniversário e todos ajudaram a preparar essa festa pra você. - falou Riku com um sorriso no rosto.

- Gente, vocês... Ah, caras. Obrigado. Eu não sei nem o que dizer.

- Eu disse que seria o melhor dia da sua vida, não disse?

- Pois é, Riku. Você disse. E não falhou. Acho que nunca vai ter como esse dia ficar mais perfeito.

- OPAAA!!! Nunca diga nunca, meu querido!!! - uma garota de bandana e luvas de couro sem dedos se aproximou.

- Ah, oi. Você é a Yuffie, certo? Muito prazer. - estendi a mão para cumprimenta-la.

- Tá certíssimo, cara. E o prazer é meu. - ela apertou a minha mão - Mas agora, sobre o que você falou sobre o dia não poder ficar melhor... (inspira) PESSOAAAAAL!!! - ela deu um grito para chamar a atenção de todos - Eu queria anunciar que, desde que Radiant Garden foi recuperada, eu, o Leon e o Cid estivemos trabalhando em um projeto com a ajuda da Aerith e do Cloud. - ela foi explicando, passando a palavra para um cara alto com uma cicatriz no rosto, que eu creio ser o Leon.

- Para comemorar o renascimento de Radiant Garden, será feito um festival daqui alguns dias. O festival vai durar uma semana e terá vários eventos.- ele falou e logo depois um senhor loiro que imagino ser o Cid.

- E no dia primeiro do festival será inaugurado um parque de diversões que eu, Leon e Yuffie construímos com nossas próprias mãos, junto da ajuda da Aerith, do Cloud e de vários cidadãos de Radiant Garden. - Yuffie pegou alguma coisa do seu bolso e levantou bem alto para que todos pudessem ver.

- E nós três, do comitê do festival, decidimos (cof cof de última hora cof) que os primeiros seis ingressos do parque serão entregues para o aniversariante e para os seus amigos que ajudaram a salvar nossa amada Radiant Garden! - ela me entregou os seis pedaços de papel que deviam ser os ingressos e logo depois todos da festa começaram a gritar vivas e aplaudir.

- Uau, nossa! Obrigado, Yuffie! - agradeci ela e guardei os ingressos no bolso.

- Ei! É só ela que ganha agradecimento? - Leon falou e se virou para mim junto de Cid.

- Ah! Desculpem. Obrigado a vocês também, Leon, Cid.

- Haha. Tudo de boa, garoto. É o nosso presente para você. - falou Cid com um sorrisão na cara.

- Pois é. Qualquer amigo do Sora também é nosso amigo. - disse Leon - Qualquer dia desses vai lá pra visitar e treinar um pouco. Quero ver se você é tão bom com uma Keyblade quanto o cabelo de chocobo ali.

- HEY!!! - Sora reclamou - Do Roxas eu ainda aceito, mas todo mundo agora vai me chamar assim? - rimos da frustração do Sora.

- Ha! Pois então se prepara, Leon, porque vai ter que lidar com duas de uma vez. - materializei minhas Keyblades só para ele ter um gostinho do que iria enfrentar.

- Wow! Duas Keyblades? Sora, lamento, mas acho que agora você desceu de rank.

- Hahaha. Nem tanto assim. O Sora já me venceu uma vez em luta séria e o Riku também. - desmaterializei minhas Keyblades e me pus entre o Riku e o Sora, abraçando o pescoço de cada um com um braço - Mas aquela foi uma baita de uma luta, não foi, Riku?

- Haha. Ah, se foi. Acho que se eu não tivesse apelado para as trevas, você teria me matado.

- He. Fazer o que se eu sou poderoso.

- Ah, exibido. - Sora me pegou pelo pescoço e me deu um cascudinho - Esqueceu quem te venceu com o próprio poder e só com uma Keyblade?

- Ah, para com isso, Sora! - empurrei a mão dele para ele parar com os cascudos - Ok, você me venceu de forma legítima, mas ainda assim teve que entrar na Drive Form.

- Bem, eu admito que você foi osso duro de roer naquela ocasião. - demos uma risada e nos soltamos.

- Ok, gente. Muito obrigado mesmo pela festa. Agora, VAMOS CURTIR!!! - todo mundo gritou junto de mim e começamos mesmo a festa.

Foi muito legal. Durante todo o dia nós dançamos, comemos, bebemos, batemos papo e jogamos no jardim. Também tinha uma mesa lá fora com mais comida. E eu ganhei vários presentes. Colocamos todos os pacotes em outra sala. Parece que é uma tradição abrir os presentes mais tarde. Não reclamei. O dia estava sendo ótimo e eu iria abri-los de qualquer maneira, não tinha pra que acelerar as coisas. Acho que eu nunca me diverti tanto. Em dado momento, eu me aproximei do Riku quando conseguimos ficar num lugar mais afastado e mais quieto, embaixo de uma das árvore do jardim.

- E então Roxas, o que está achando da sua primeira festa de aniversário?

- Está sendo perfeita. Nunca me senti tão... Ah, nem sei bem o que eu estou sentindo. Mas é tão divertido e tão bom. Ter um coração é tudo de bom. Eu queria que as coisas fossem assim sempre.

- É, eu também. Pena que em breve essa paz vai acabar. Mas é isso que torna tudo ainda mais especial. Temos que aproveitar os menores momentos antes que eles passem.

- Sim, você está certo. - concordei com ele. Então me lembrei de hoje de manhã e do Sora - Hmm, Riku... Eu preciso de ajuda pra resolver uma coisa. - eu senti meu rosto e minhas orelhas esquentarem um pouco, com certeza eu estava corando. Ele se virou para mim e esperou que eu continuasse - Eu já não tenho mais dúvidas...

- Sobre o que? - me virei e olhei para Sora que estava conversando com Donald e Goofy um pouco mais pra frente. Riku se virou para onde eu estava olhando e logo entendeu - Ah. Sobre o Sora. - Sora percebeu que nós estávamos o olhando, sorriu para nós e acenou. Nós sorrimos e acenamos de volta e então ele voltou a conversar com os outros - E então, o que você concluiu?

- Eu... Eu estou mesmo apaixonado pelo Sora... - olhei para baixo pra esconder meu rosto envergonhado. Riku não disse nada, eu só conseguia sentir ele olhando para mim - Riku, não vai falar nada? WAAA!! - levantei meu rosto e vi ele me olhando com um sorriso enorme, quase assustador - Que sorriso bizarro é esse?!

- Nada não, só besteira. - ele riu - Mas me diz, o que te fez perceber isso? - não falei nada - Ah, Roxas. Já passamos por isso. Já te disse que estou aqui pra te ajudar e que você pode me contar qualquer coisa. Vai lá.

- Então... hoje de manhã... nós meio que tivemos um momento... - Riku me olhou atento prestando atenção nas minhas palavras - Ele foi me acordar e nós conversamos um pouco. Então ele veio e ficou sussurrando no meu ouvido. Minhas orelhas são bem sensíveis, sabe? Sempre que alguém faz isso eu fico arrepiado. E ele ficou fazendo isso de novo e de novo, só pra me provocar. Depois ele saiu e... eu não sei se foi por causa dos arrepios, mas eu acabei ficando... eu fiquei... hmm...

- Ah. Você ficou duro? - acenei que sim com a cabeça - E foi isso que fez você perceber? - neguei - Ué. O que foi então?

- Bem... Eu fui tomar um banho e enquanto eu... "dava um jeito" naquilo... eu não conseguia para de pensar no Sora e em... fazer "coisas" com ele... - o queixo do Riku estava no chão - N-NÃO ME OLHA ASSIM!! Já é vergonhoso demais falar essas coisas em voz alta. - cobri meu rosto com vergonha.

- Tá certo, desculpa. - descobri meu rosto e voltei a encará-lo - Mas tem certeza de que foi por isso?

- Sim. Quer dizer, eu já estava com certeza na hora que ele sussurrou no meu ouvido, mas depois... pensar nele assim do nada enquanto eu fazia algo tão... tão íntimo... Acho que essa era a última confirmação que eu precisava.

- Hmm. Então, o que você vai fazer agora?

- Agora eu vou esperar o momento certo para contar pra ele... e esperar que ele sinta o mesmo por mim... Mas mesmo se ele não sentir, por mim tudo bem. Eu só quero que ele saiba o que eu sinto.

- Ok. Mas quando vai ser esse momento? Você não pode só pensar em esperar o momento certo. Tem que planejar algo, senão pode acabar adiando sua confissão para sempre. - Riku tinha um ponto. Eu tinha que pensar em alguma coisa, um momento em que pudessemos estar sozinhos, mas que não desse suspeitas, como alguma outra festa, ou um evento, ou um...

- Já sei quando! - falei entusiasmado.

- Já? Nossa, que rápido! - ele exclamou, impressionado - E quando vai ser? - tirei um dos ingressos que a Yufie me dera do bolso e mostrei pra ele - O festival! Que ótima ideia, Roxas!

- Sim! Mais cedo eu pedi pro Cid me dar algumas informações a mais sobre tudo, e ele me disse que será daqui três dias e que fez várias atrações, inclusive um Túnel do Amor, que é ideal para você falar com a Naminé, e uma roda gigante, o que é perfeito pra eu falar com o Sora! Vamos estar no alto, sozinhos por vários minutos, e sem falar que vamos conseguir ver praticamente toda Radiant Garden, o que eu acho que é bem romântico.

- Sim, mas... p-porque eu e a Naminé?

- O Sora e a Kairi já sabiam. A Kairi contou para o Lea e o Sora me contou. Não tem ninguém na casa que não saiba. Bom, ninguém além da Naminé.

- A-ah. Ok então, eu acho.

- Ah cara, vamos lá. Eu e todo mundo estamos torcendo por você. E eu te apoio se você me apoiar. Fechou? - ergui meu punho para ele.

- He. É, fechou. - ele retribuiu o toca aqui e então voltamos para a festa.

Ficamos o resto do dia comemorando. Depois de um tempo começamos um churrasco no jardim pra já estrearmos a churrasqueira que parecia até estar lá de decoração. Comemos e curtimos bastante e quando o sol estava começando a se pôr eles cantaram parabéns para mim e chegou a hora de cortar o bolo. O Riku me disse que era um costume dar o primeiro pedaço de bolo para a pessoa que você mais gosta e admira.

- Quem vai ganhar o primeiro pedaço, Roxas? - Naminé perguntou. Eu nem tive que pensar muito. Já era óbvio pra quem eu ia entregar o pedaço. Cortei o primeiro pedaço, coloquei num pratinho com um garfo, andei na direção do Sora e estendi o prato pra ele. Ele corou um pouquinho. Acho que ele não tinha imaginado que ia ser pra ele.

- Você sempre me apoia em tudo e se preocupa comigo. Não chega a ser uma retribuição, mas por enquanto dá pro gasto, não é. - ele soltou um sorriso fraco e pegou o prato. Por um instante nossas mãos se tocaram e eu corei um pouquinho - Sem falar que sem você eu não existiria, literalmente e figurativamente falando. Sabe. Nobody e tudo mais. - todos riram da gracinha. Comemos e depois fomos buscar os pacotes de presentes para eu abri-los.

Todos se reuniram para ver minhas reações. Até que era legal ser o centro das atenções por um dia. Comecei a abrir os presentes e fui me impressionando com cada coisa que eu recebia. Foram muitas roupas, livros e algumas outras coisas que eu nem fazia ideia do que eram, mas que eu adorei. Vou descobrir o que são logo.

E então chegou a vez dos presentes do pessoal da casa. Primeiro eu abri o da Kairi. A Kairi fez um colar com o meu símbolo como pingente e um par de pulseiras de concha.

- Nossa! Que lindo Kairi. Deve ter dado trabalho de fazer.

- Que nada. Demoramos algumas horas para fazer tudo, mas o Rei deu uma ajudinha com magia de tempo. - não pude conter o sorriso. Saber que eles trabalharam tanto só por mim me alegrava demais - Ah! E essas pulseiras. Uma fica com você. A outra você tem que dar pra alguém muito especial para você. - Meu rosto esquentou um pouco. Vocês já sabem em quem eu pensei, né? O próximo foi o da Naminé. Ela fez um retrato de nós seis na praia com o pôr do sol ao fundo. Estava lindo demais.

- Fiz tudo rapidinho. Trinta minutos e um pouquinho de magia pra secar rápido. Gostou?

- Adorei! Vai ficar ótimo em cima da minha cama.

O próximo que eu abri foi o do Lea. Era um conjunto de roupas comum, mas eu gostei muito. Era bem estiloso. As cores eram bem vivas e combinavam bastante umas com as outras.

- Eu sei que não é nada demais. Pedi pro Riku comprar essas específicas que eu tinha visto em Twilight Town. Achei que combinariam com você. Tudo bem se você não gostar.

- Mas eu gostei. Eu vi essa roupa na loja quando estava na Twilight Town virtual. Eu gostaria de ter comprado. Valeu, Lea. - abracei ele de lado e depois peguei o presente do Riku.

Abri a caixa e vi um par de luvas pretas com detalhes em vermelho e uns botões de decoração dourados.

- Caraca! - exclamei em surpresa - Riku, elas são lindas!

- É. Deu um trabalhinho pra fazer. Eu demorei um pouco pra pegar o jeito daquela máquina de costura, mas até que ficou bom pra primeira vez. - deu pra sentir um pouquinho de orgulho na sua voz. Também fiquei orgulhoso dele - Agora só falta o do Sora.

- Ah. Sobre isso... - ele começou - Roxas, eu vou te entregar meu presente mais tarde. Ainda tenho que terminar de ajeitar algumas coisas nele. Tudo bem?

- Claro. Só de saber que vocês fizeram tudo isso por mim, eu já fico satisfeito. - sorri para Sora.

- Ok. - ele sorriu de volta - Ah, Riku. Falando nisso, você pode vir comigo rapidinho? Tem uma coisa naquilo que só você sabe mexer direito.

- Tá certo. - respondeu, e foram andando para dentro da casa.

O sol estava quase se pondo. Resolvemos mudar a festa do jardim para a praia. Fizemos uma fogueira e passamos o final da festa lá conversando, cantando e assando salsichas e marshmallows. Depois de algumas horas, todos se despediram de nós e embarcaram na Gummi Ship. Nos reunimos para vê-los partir e então voltamos para dentro da casa. Arrumamos a bagunça, limpamos a sujeira e nos preparamos para dormir. Eu resolvi ficar no jardim um pouco mais. A noite estava linda e eu estava muito alegre. Queria aproveitar ao máximo o restante do dia. Sentei naquele mesmo balanço de ontem e me pus a olhar as estrelas. Hoje elas pareciam mais brilhantes, mais vivas que ontem. Senti alguém se sentar ao meu lado, me virei e vi o Sora sorrindo pra mim. Sorri de volta e olhei para o céu.

- E então, o que achou do seu primeiro aniversário? - ele disse e se voltou para o céu assim como eu.

- Foi ótimo. Sabe, no final o Riku estava certo. - ele me olhou de novo meio confuso - Hoje foi o melhor dia da minha vida. Ele acertou em cheio nessa.

- É. Ele sempre tenta fazer o que é melhor para todos. Eu me espelho bastante nele. - ele voltou a olhar para as estrelas - Ele é como um irmão mais velho. - soltei um riso fraco - Que foi?

- Nada não. É que ontem ele disse o mesmo de você. - expliquei - Disse que você é como um irmão mais novo, só que mais atrapalhado que o normal.

- Ah, é? - ele disse - Bom, então ele é... Ah, eu não tenho muito do que reclamar dele. Ele é bem responsável.

Rimos um pouco e voltamos a olhar as estrelas. Em um certo momento, nossas mãos acabaram se tocando. Eu corei de novo, mas não tirei a mão. Este momento estava bom demais. E como eu já disse, eu quero aproveitar ao máximo qualquer instante de hoje. Sora também não tirou a mão. Espero que tenha pensado o mesmo que eu. Ele se moveu um pouco mais para perto de mim, logo depois eu o imitei. Ficamos apenas a um ombro de distância e entrelaçamos nossos dedos. Já tinhamos ficado desse jeito antes, mas agora é diferente. Pelo menos para mim. Não sei se ele sente o mesmo, mas nesse instante não importa. Só de poder passar um tempo assim com ele eu já fico feliz. Não falamos nada durante todo o tempo. Ficamos só sentados de mãos dadas, em silêncio, contemplando os milhares de mundos que brilhavam acima de nós.



Riku P.O.V.



Sora e Roxas estavam conversando no jardim, então eu reuni todos os outros no corredor do primeiro andar pra conversarmos. Eu estava bem feliz por ele ter gostado da festa, mas mais ainda pela novidade que eu ia dar aos outros.

- Tudo bem Riku, o que você quer nos contar? Você está animado demais. - perguntou Lea.

- Ok. Eu vou direto ao ponto então. - respirei fundo e falei - Ele percebeu!

- Quem percebeu o que, Riku? Do que você está falando? - perguntou Kairi.

- Estou falando do Roxas! - expliquei - Nós conversamos ontem e hoje. Ele enfim percebeu que está apaixonado pelo Sora!

- Não brinca! - todos ficaram surpresos e espantados - É sério?!

- Seríssimo. Ele até fez um plano pra contar pro Sora. Ele pensou em contar pra ele no topo da roda gigante no dia do festival de Radiant Garden.

- Que maravilha! E quando vai ser o festival? - Naminé perguntou.

- O Cid disse pro Roxas que festival é em três dias.

- Três dias?! - Kairi disse surpresa - Olha, ele é direto. Contar algo importante assim tão rápido...

- É preciso muita coragem. - Lea completou.

- Exato. E é por isso que nos próximos três dias nós temos que fazer de tudo para que o Sora perceba o que ele sente pelo Roxas. - falei.

- Mas nós já sabemos que o Sora ama o Roxas. - Lea comentou.

- Mas ele não sabe. - Naminé concluiu - Ou então ele está em dúvida sobre o que sente.

- E se eu conheço o Sora, e eu o conheço muito bem, se for a segunda opção, ele deve estar em conflito tentando se convencer de que não sente isso. Foi igual quando vocês começaram a ficar juntos, lembra Riku? - confirmei.

- Sim, ele ficou numa crise interna danada. E então cabe a nós fazer eles se aproximarem ainda mais nos próximos dias para que o Roxas não fique de coração partido logo depois de ganha-lo.

- Então temos que criar situações para fazer com que o Sora comece a aceitar seus sentimentos, mas de forma sutil para não levantarmos suspeitas. - Lea pensou.

- E como vamos fazer isso? - Kairi perguntou e todos se viraram para mim.

- Vamos deixar o planejamento para amanhã de manhã. - terminei - Por hoje, acho que só a reação do Roxas ao presente que o Sora preparou já vai servir.

- Aliás, o que é que ele fez? Eu não consegui entender aquele bando de peças e luzes que ele estava montando. - perguntou Naminé.

- Nem eu. Pra mim parecia um bando de sucata iluminada. - Kairi continuou, fazendo Lea rir com o comentário.

- Amanhã o Roxas conta pra vocês. Por hoje, vamos só deixar ele aproveitar.

- Certo. Amanhã vamos começar a Operação  Cupido. - Kairi disse e colocou a mão no meio de nós e todos colocamos as nossas em seguida - Operação Cupido! Três, dois, um...

- VAI!!! - todos falamos em uníssono e então fomos todos para os nossos quartos.



Sora P.O.V.



Estava muito bom ficar assim com o Roxas. As estrelas estavam lindas, o ar estava fresco e a noite estava calma. Por mim, eu ficaria daquele jeito para sempre. Mas estava ficando tarde e eu ainda tinha que entregar o presente do Roxas. Me levantei ainda sem soltar a mão dele e o puxei para irmos.

- Pra onde a gente vai, Sora?

- Pro nosso quarto. - respondi - Está tarde, e eu quero te entregar o seu presente antes de irmos dormir.

- Ah é. A noite estava tão boa que eu até esqueci do presente. O que é? - ele perguntou.

- É uma surpresa. - respondi, sorrindo de lado pra ele - Só vai saber quando chegarmos lá em cima.

- Então o que estamos esperando? Vamos logo. - ele correu em disparada sem soltar minha mão, me fazendo correr junto dele. Era tão bom vê-lo feliz desse jeito. Chegamos no quarto e ele me soltou - Cadê? Tô curioso com todo esse suspense.

- Espera aí, apressadinho. Vamos nos arrumar pra dormir primeiro. É melhor pra ver isso no escuro. - ele fez uma cara de confuso, mas não retrucou. Foi pro banheiro primeiro e se arrumou. Depois eu fui e fiz o mesmo. Enquanto escovava os dentes eu imaginava a cara que ele ia fazer quando visse o que eu preparei.

- Ok, Sora. Agora vai? Eu tô muito curioso. - ele já estava na cama dele, sentado de pernas cruzadas e se balançando para frente e para trás. Ele é muito fofo, e quem discordar, por favor, morra.

- Ok. Espera só um instante. - fui até o armário e peguei o presente, que eu não havia empacotado, e me virei para ele - Ta-dah! - ele olhou para o objeto em minhas mãos e ficou com cara de confuso. Me aproximei dele e perguntei - Você sabe o que é isso?

- Não. - respondeu - Para mim parece um cilindro de metal com uma bola de metal cheia de furos. O que é?

- Bom, tecnicamente é isso que você falou, mas no escuro é que isso faz a sua mágica. Olha só. Conecta ali na tomada e liga o interruptor quando eu mandar, ok? - ele confirmou com a cabeça e eu fui fechar a porta e apagar a luz. Então fechei a janela e por um instante tudo o que viamos era a silhueta um do outro no meio da escuridão. Fui até a cama dele com cuidado para não cair, peguei o objeto e o coloquei no chão no meio do quarto. Voltei tomando cuidado pra não tropeçar na tomada e me sentei ao lado do Roxas - Pode ligar.



Roxas P.O.V.



- Pode ligar. - apertei o interruptor e logo vários pontos luminosos foram se movendo pelo quarto. No primeiro momento eu não entendi, mas assim que analisei melhor os padrões dos pontos percebi que não eram só pontos de luz aleatórios: eram estrelas. Ele montou um mini-planetário.

- Sora, você... Nossa! - eu não conseguia dizer nada - Como você conseguiu fazer isso?

- Não foi fácil. - ele começou - Eu queria fazer um desses desde que eu era pequeno, mas nunca tive muita motivação... até hoje.  O Riku me contou que você também gostavas de ver as estrelas, então pensei em tentar de novo. E também, ver você sorrir desse jeito... isso me fez ter vontade de fazer tudo de uma vez. Eu já tinha algumas peças aqui, o Riku trouxe as que faltavam.

- Isso é incrível, Sora. - hesitei um pouco, mas peguei na mão dele de novo. Ela estava quente - Você é incrível.

- Isso ainda não é nada. - ele falou e eu olhei para ele - Lembra quando eu pedi uma ajuda pro Riku? Então, eu pedi pra ele ir ver se o Mestre Yen Sid conseguia fazer algo a mais nisso e, bem... Você vai ver. - ele conjurou sua Keyblade, deu um toque de leve no planetário e desmaterializou a espada logo depois. Achei que não tinha acontecido nada, mas alguns instantes depois o quarto começou a se iluminar de um azul brilhante e as estrelas ficaram ainda mais vivas... mas agora elas não eram só feixes de luz. Elas estavam flutuando no ar. E não só isso. Pouco depois apareceram planetas, cometas e meteoros. Depois as constelações ganharam forma e as figuras começaram a voar pelo quarto como se estivessem mesmo vivas, mas as estrelas continuavam no lugar. Era incrível. Era perfeito. Me levantei e comecei a andar pelo quarto e olhar ao redor. Meu deus... A cada instante eu fico mais apaixonado por esse garoto.



Sora P.O.V.



Eu me levantei e me encostei numa parede. Fiquei olhando para ele. Aquele sorriso no rosto, aqueles olhos brilhantes. Ele estava tão lindo. Quade me dá vontade de... Não!! De novo isso... Esquece isso, Sora. Ele é seu amigo. Você não pode se permitir a sentir essas coisas. E mesmo se eu me permitisse... ele com certeza não vai sentir o mesmo.

Acho que eu viajei por um instante. Quando levantei meu olhar, vi o Roxas me olhando sorrindo pra mim. Aquele sorriso... Ele dificulta muito a minha situação. Andei até ele e arrumei o cabelo dele que estava caindo no rosto. Ele corou e eu senti meu rosto esquentando também. Nós somos praticamente da mesma altura, mas nesse instante eu me senti tão pequeno diante dele... Esse sorriso acaba comigo. Então ele se aproximou de mim e me deu um beijo na bochecha. Eu já estava corado antes, mas agora eu acho que minha cara esta brilhando em vermelho mais do que aqueles asteróides passando ali no canto.

- P-por que você fez isso, Roxas?

- Bom... p-porque você fez alguma coisa incrível que deu muito trabalho só para me deixar feliz. Você faz muita coisa pra mim. E eu... eu gosto de você, Sora. - ele falou e eu sentir meu coração pular uma batida - Você é meu melhor amigo. - e agora eu senti como se um buraco se abrisse no meu coração.

- Roxas, eu... - eu queria poder dizer o que eu estava sentindo. Queria poder soltar minhas mágoas, explicar todo esse meu conflito... mas eu não quero destruir o que nós temos... Então só falei a única verdade que eu conseguria falar no momento sem medo de estragar nossa amizade - Eu só... quero te ver sorrir. Nada mais. - ele sorriu e me abraçou. Eu retribui o abraço e me deixei relaxar nos braços dele.

- Obrigado, Sora. Por tudo. - apertamos ainda mais o abraço e eu dei um beijo na cabeça dele.

- Feliz aniversário, Roxxy. - senti uma lágrima solitária escorrendo pelo meu rosto. Ainda não sei o que eu sinto por você, Roxas, mas não importa. Mesmo que eu sinta algo, se você não sentir o mesmo, não me importa. Eu só quero poder continuar tendo e aproveitando esses momentos com você. Para sempre.

- Vamos dormir, Sora. Está ficando tarde. - ele falou e nos separamos do abraço. Ele colocou o planetário em um lugar mais para o canto e fomos cada um para sua cama - Boa noite, Sora.

- Boa noite, Roxxy.

- Agora esse é meu apelido oficial? - ele riu.

- Sim, mas só eu posso te chamar assim. Você é meu Roxxy. - percebi o que eu havia falado e corei um pouco, mas não me arrependi.

- O-ok... - acho que ele também corou. Não dá pra ver muito bem nessa luz - Boa noite. - ele desligou o planetário da tomada e então nós dois fomos dormir.



Roxas P.O.V.



O dia de hoje foi ótimo. Eu me diverti, fiz novos amigos, e construí memórias que vou querer guardar para sempre. Sem falar que eu pude ter vários momentos especiais com o Sora. É, esse foi o primeiro e com certeza o melhor aniversário da minha vida.


Notas Finais


Pois é gente, voltei de novo depois de mais de um ano sem parar nada. Podem me torturar, eu mereço. Então, eu gostaria de avisar que eu vou voltar com as postagens, mas elas ainda vão ser pouco frequentes. Nem sempre eu vou conseguir postar algo, mas eu vou tentar voltar com a fica ou então postar algo diferente de vez em quando só para não ficar sem postar nada. Este é com toda certeza o maior capítulo que essa fica vai ter, mas vocês merecem por eu ter demorado tantos séculos para postar algo. Espero que tenham gostado. Obrigado pela atenção. Até breve. Ah! E feliz Dia dos Namorados para vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...