História If i believe in love - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Visualizações 282
Palavras 1.045
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ooi meus amores como vocês estão?
Boa leitura ❤

Capítulo 31 - Grandmam


Fanfic / Fanfiction If i believe in love - Capítulo 31 - Grandmam

A noite chegara e ele não havia mandando mais nenhuma mensagem, eu sabia que ele estava cansado, e que devia esperar, mas eu estava tão errada em querer mais de sua atenção?

Me prendi em meus trabalhos da faculdade e o planejamento do estágio pra semana que vem, eu gostaria muito de pular toda parte cansativa e chegar ate onde eu me formo. Eu sei que não conseguiria terminar a faculdade já quê teria o bebê la pelo fim de novembro. Talvez se eu conseguisse fazer as provas finais e o meu tcc ate lá eu consiga me formar, como eu faria a formatura sem estar realmente formada?  Claro que já estava tudo planejado e pago, desde o primeiro ano de faculdade nos começamos a pagar tudo, eu não podia jogar tudo pelo ralo. E agora tem mais essa, não sei se conto ou não ao pai do bebê,  não sei se ele vai gostar ou se vai me mandar esquecer que é dele.

Guardei meus cadernos e os livros ao sentir minha barriga doer de fome, fui pra cozinha e minha mãe estava sentada comendo algo que eu não fiz questão de reparar, ela sorriu pra mim e eu abro a geladeira em busca de algo que me agradasse, achei um bolo e fiz um copo de leite, me sentei a mesa com ela, e só então percebi que ela comia algum iogurte com grãos. Meu estômago revirou, odiava aquilo.

-Sabe filha, você já esta pra fazer três meses e logo a barriga vai aparecer, vamos ter que mudar seu quarto e bom, tudo vai mudar -a encarei esperando que prosseguisse - Você tem que contar a ele Barbara, ele merece saber, e daqui alguns dias será mais que impossível esconder ate mesmo dele, você sabe que sua vó esta chateada, aliás não só a sua avó,  suas tias também, mas é como eu disse, melhor gravidez que doença, só que você não pode ter essa criança sem um pai. Todos vão te olhar torto nos lugares e te julgar mal, tem que contar para ele.

  Engoli em seco, sentindo a vontade de comer ir embora, então era isso,  eu devia arrumar um pai pro meu filho porque ser mãe solteira seria vergonha a minha família? Eu tinha de ir atrás do famoso que me engravidou só porque minhas tias e avós se sentiam envergonhadas por mim? Claro, era só isso, elas não pensaram em mim. No falatório que isso vai causar e nem nas consequências que contar e ele vão trazer, não pensaram que eu também posso estar chateada.

  -Mãe,  eu agradeço pelo apoio que você tem me dado, e me desculpo por ter sido irresponsável, mas ninguém tem de dar nenhum pitaco sobre a minha vida, eu não estou pronta para contar nada a ele, mas saiba que na hora certa ele ira saber.

Mande que cuidem de suas vidas invés de falarem da minha.

Me levantei jogando tudo na pia e sentindo os olhos arderem. Talvez se eu não tivesse me deixado levar por ele hoje eu não estaria aqui sofrendo por ele, e pelo nosso filho. Talvez eu não tivesse que me expor contando a ele e virando notícia, céus, me chamariam de tanta coisa.  Eu sentia o almoço voltando e quando vi já estava debruçada na patente do banheiro. Eu teria de falar com ele, eu sabia disso, mas esperaria o tempo que eu pudesse antes de fazer isso. Eu tinha de contar mas não me sentia corajosa o suficiente.

  Logo minhas irmãs chegaram e a casa ficou uma bagunça como sempre,  eu as amava tanto, imaginava como seria quando enfim elas tivessem seu sobrinho ou sobrinha, gostaria que as coisas fossem mais fáceis. Chequei o celular mais uma vez e não havia nada dele, só algumas mensagens do grupo da faculdade e de alguns amigos. Eu estava angustiada, mas não o encheria o saco.

Justin pov.

Vovó parecia realmente boa, e eu estava mais do que feliz em vê-la bem, minha mãe resolvera fazer um jantar pra comemorar a volta do hospital, por mais que eu ache desnecessário já que vovó ainda não estava totalmente recuperada. Alguns colegas estavam e também um pessoal da equipe, Scooter e Yael sua esposa, Rudy, e a infeliz da Marta, eu juro que se fosse eu, não a teria convidado. Estávamos sentados a mesa e a comida finalmente parecia estar boa, já que eu nunca me alimentava e quando o fazia era correndo. Os filhos do Scooter eram crianças obedientes e eu me peguei imaginando se meus filhos seriam assim. Mas quem seria a doida a querer enfrentar ter uma vida comigo, quem dirá um filho.

Fomos para a sala e eu procurei pelo meu celular, havia me esquecido de falar com a Barbara durante a tarde, e agora a droga do celular tinha sumido. Encarei minha mãe conversando com a Marta e me aproximei.

-Mãe você viu onde ficou meu celular? Eu tenho certeza que o deixei na mesa enquanto jantávamos e agora ele sumiu.

Marta e mamãe me encararam.

-Ora Justin não sei querido, esqueça dele por enquanto, te garanto que ele vai aparecer. Marta me disse que estão fazendo ligações de números desconhecidos pra vocês, porque não me contou.

Marta bebericou o vinho em sua taça e me encarou.

- A mãe me desculpe, eu estive tão ocupado e preocupado com a vovó que nem me lembrei, você sabe, deve ser algum jornalista ou paparazzi. Logo vão parar, e só me ligaram duas vezes então estou tranquilo. Se não quer falar com eles é só não atender.

-É talvez seja isso. Mas acho uma boa ideia mudar de número querido, vai saber o que eles podem fazer.

- Depois vejo isso mãe, mas não acho que seja necessário.

- Ei Justin, venha ver como o Scooter é um bobão com os filhos.

Rudy me chamou rindo e Scooter fez careta pra ele, parece que as coisas estavam começando a melhorar, daqui duas semanas o contrato com a vaca loira acaba e enfim eu fico em paz.

 Me juntei a eles sorrindo e assim passamos a noite, desde que a deixei eu não sorria e me divertia assim, e agora me pergunto se é certo estar me divertindo sem ela aqui.


Notas Finais


Primeiro me desculpem a demora, passei por uma semana difícil, briguei com meus pais. Quase terminei com meu namorado, fiquei na casa dele sem net e não consegui escrever enquanto estava la. Desculpem algum erro, e por estar pequeno, espero que estejam gostando e não me abandonem. ❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...