História If I Could Fly - Harry Styles Fanfic - Capítulo 39


Escrita por:

Visualizações 301
Palavras 4.326
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amigos!!!
Estou postando hj porque vou viajar esse fim de semana!!!
Eu amei esse capítulo, espero que gostem!!!

Capítulo 39 - Resolvendo


Fanfic / Fanfiction If I Could Fly - Harry Styles Fanfic - Capítulo 39 - Resolvendo

Miami, 1º de janeiro de 2018 – 10:00 a.m.

 

HARRY

___Até que enfim!___digo, sem paciência, quando o médico finalmente entra no quarto.

Qual é? São dez da manhã do primeiro dia do ano e, como se não bastasse eu e a Katy termos passado a virada nessa merda de hospital, o médico só me aparece agora pra, enfim, me dar alta.

A passagem de ano no hospital não foi nada agradável pra mim! Meus pais e Gemma vieram pra cá pra me alegrar, mas tudo que conseguiram foi me deixar mais mal humorado ainda por estar preso numa cama tomando suco de laranja enquanto eles abriam um champagne que praticamente contrabandearam pra dentro do hospital.

A única parte boa foi que a Katy estava aqui também. Ela tem cuidado de mim esses dias todos e isso tem me impedido de ficar surtado por estar aqui, nessa maldita cama!

___Harry!___Katy me reprende, me olhando feio.

Tudo que faço e revirar os olhos e fazer um bico enorme, porque não vou discutir com ela...ela sempre ganha, seria desperdício de tempo da minha parte! Por isso me ajeito melhor entre os travesseiros e faço birra enquanto ela conversa com o médico sobre o que deve fazer comigo agora, pra que eu me recupere completamente.

Estou nesse hospital há uma semana, mas só acordei do coma há quatro dias, por isso eles queriam me manter aqui, nessa porra de cama, enquanto meu caso esta indo a todo vapor do lado de fora, sob o comando de Louis Tomlinson e da Interpol.

Quando entrei na frente da Katy, pra receber o tiro no lugar dela, não sabia o que estava fazendo...mas faria tudo de novo, porque prefiro estar eu nessa cama ao invés dela.

Não sei bem o que houve nos dias em que fiquei em coma, me lembro de pouca coisa, mas ainda posso ouvir a voz da Katy me pedindo pra acordar e, por isso, tirei forças não sei de onde e abri meus olhos, vendo ela ao meu lado.

Achei que tinha sonhado com ela ameaçando me dar uma surra, por isso essa foi a primeira coisa que lembrei quando acordei, mas ela me disse que tinha mesmo me ameaçado, pouco  antes deu acordar, e eu fiquei pensando seriamente sobre o que as pessoas sentem e ouvem em um coma.

Enfim, me safei dessa! Ainda dói pra porra o ferimento, mas os médicos me disseram que estou bem e posso ir pra casa.

Durante esses dias em que eu estava acordado não pude conversar com a Katy sobre nós, porque ou eu estava dopado de remédios dormindo ou aqui estava cheio de pessoas falando na minha cabeça. Mas eu sei, pela forma como ela me olha, pela forma como ficou ao meu lado esses dias todos, que ela me perdoou.

Isso não é o suficiente, quero explicar tudo a ela e dizer que aprendi a minha lição. Quero que a gente vire essa página de investigação, ex namoradas, joias caras...tudo! Vamos começar de novo, da forma certa desta vez! Quase morrer me fez repensar muitas coisas na minha vida e eu quero ser um homem melhor agora, de verdade...e quero a Katy ao meu lado!

___Então é isso!___o médico diz a Katy e me olha sorrindo___ele vai ser um péssimo paciente, mas acho que vai dar conta senhorita Perry!___ele continua e eu faço cara feia.

___Eu estou bem! Só preciso sair dessa cama e ir pra casa, voltar ao trabalho...tenho muita coisa pra fazer, Doutor!___explico ao médico, que ri mais ainda e não parece compartilhar do meu desespero.

___Eu dou um jeito de segurar ele, não se preocupe, Doutor!___Katy diz, os dois falando como se eu não estivesse aqui, vivo e acordado.

___Okay! A alta esta assinada, agora é com você! Me ligue se precisar!___o médico diz e entrega um cartão pra Katy, junto com o papel da minha alta.

Acho que ele sorri demais pra ela, mas vou guardar esses pensamentos pra mim porque não quero deixar a Katy puta agora. Ela vai me levar pra casa dela, pra eu me recuperar. Ela até mandou mesmo limpar a piscina, usando o presente que o pai deu a ela de Natal, pra que eu possa me exercitar nela na fisioterapia.

Carter disse algo sobre coisas dele queimadas na piscina da Katy no dia do hangar, mas eu vou deixar isso quieto, faz parte do passado. Vamos construir novas memórias pra piscina...memórias boas desta vez!

___Ótimo! Ligo sim!___Katy responde, me olhando com olhos acusadores que me dizem silenciosamente pra ser gentil com o médico.

___Obrigada, Doutor!___digo a contragosto, forçando um sorriso___vou ser um bom paciente!___finalizo e, acreditem, foi gentileza o suficiente pra mim nesse momento.

O médico sai do quarto depois de explicar a Katy que uma enfermeira vem me desligar dos aparelhos e, então, podemos ir embora.

___Vou arrumar suas coisas pra gente ir embora___Katy diz, com a voz divertida.

___Que coisas? Eu estou vestindo esse camisolão horrível há dias, não tem nada meu pra arrumar!___respondo, mal humorado, mas logo me arrependo___desculpa, estou irritado com isso tudo! Pode me ajudar a vestir algo descente pra eu sair desse hospital com alguma dignidade?___peço, com olhos suplicantes e tentando controlar meu temperamento.

­­­___Sim, eu posso, Harry!___Katy responde, visivelmente tentando disfarçar sua diversão pelo meu estado de mau humor___e tem muita coisa sua pra arrumar, incluindo essas embalagens de comida que seus pais te trouxeram quando se recusou a comer a comida do hospital___ela continua, se virando de costas pra mim e abrindo uma sacola esportiva onde estão alguns itens meus.

___Mas é lógico que eu não ia comer essa coisa insossa que chamam de comida! Isso deixa qualquer um ainda mais doente___retruco e a olho de forma acusadora quando ela se vira pra mim, com as mãos na cintura___é isso mesmo, e deveria se sentir mal por não ter me trago algo comestível, tive que quase contrabandear comida pelos meus pais___eu continuo, cruzando os braços abaixo do peito e disfarçando a dor que sinto no ferimento ao fazer isso.

___Me sinto péssima por ter levado um tiro por mim, mas nunca por ter tentado impedir que burlasse as regras do hospital!___ela diz, tocando pela primeira vez no assunto após eu acordar, mas ela se vira de costas de novo e, quando vou falar, ela continua___olha só! Temos até uma cueca aqui!___ela diz rindo e balançando uma cueca dessas enormes, que mais parecem um short de pijama, na frente do rosto.

___Aposto que foi meu pai que comprou isso! Não vou vestir...seria constrangedor!___digo, sentindo meu rosto corar de vergonha ao olhar pra cueca nas mãos dela.

___Vai ficar lindo saindo daqui apenas com as calças de moletom e camiseta...sem cueca!___Katy diz e dá de ombros, pegando mais roupas dentro da sacola.

___Esta bem, porra! Separe essa coisa junto com as roupas...Deus, que merda é isso de ficar numa cama de hospital!___digo e esfrego meus dedos nos olhos.

___Se arrepende?___Katy pergunta de repente e eu olho pra ela, no fundo de seus olhos cinzas___se arrepende de ter levado esse tiro por  mim?___ela pergunta e, mesmo sabendo que ela jamais iria querer que eu fizesse isso por ela, sei que quer saber como me sinto sobre isso.

___Não! Eu levaria mais dez tiros pra te impedir de levar sequer um de raspão___digo com sinceridade.

Katy suspira fundo e se aproxima da minha cama. Ela se senta ao meu lado e pega minha mão na dela, entrelaçando nossos dedos.

___Harry!___ela começa a dizer___sei que pode não ser a hora certa de entrar nesse assunto, mas acho que estaremos muito ocupados nos próximos dias e não me iludo pensando que você vai respeitar as ordens médicas, sei que vai trabalhar assim que sairmos desse hospital!___ela continua e desvia seus olhos pras nossas mãos juntas___eu amo você! Amo demais, então quero saber o que houve pra aquela joia sair do seu closet e ir parar no pescoço da sua ex namorada! Eu sei como ela foi parar lá, mas quero ouvir da sua boca!___ela diz, séria, e me olha nos olhos de novo.

___Certo! Eu errei, mais uma vez...mas desta vez foi só com você!___começo a dizer, tentando achar as palavras___eu convidei a Candice pra jantar, mas disse a você que ia jantar com meus pais! Eu não pretendia nada com ela além de me desculpar e foi isso que fiz...mas não era sincero da minha parte, até que ela me disse umas coisas que me deixaram me sentindo um merda___eu confesso de vez, pra gente poder começar de novo sem mentiras___eu queria apenas explicar pra ela as coisas, voltar pra sua casa dizendo que eu tinha sido nobre e pedido desculpas pelo que fiz a Candice, como você queria que eu fizesse, mas não era sincero...não me senti verdadeiramente arrependido até ela me dizer algumas coisas que eu precisava ouvir! Dei aquela joia que achou no meu closet a ela, como sempre fazia com todas as minhas ex namoradas, como uma forma de recompensa...mas não me senti quite com ela e, por isso, fiquei com vergonha de te dizer, meu orgulho me impediu!___eu digo tudo que houve de verdade e sinto a mão da Katy apertar a minha___aquelas esmeraldas foram compradas pra Candice, no dia do seu aniversário, mas eu já tinha decidido terminar com ela antes da gente dormir junto pela primeira vez...eu as guardei e dei a ela quando jantamos juntos, era o fim de um ciclo...mas, desta vez, não me senti aliviado por terminar um namoro com um presente caro!___digo e olho bem fundo nos olhos da Katy___me senti assim porque com você, Katy, eu aprendi a ser diferente...e dar uma joia cara pra aliviar o desconforto do fim de um namoro não me parecia mais certo...e a Candice achou o mesmo, eu acho, porque ela jogou um monte de merdas na minhas cara e eu sei que merecia ouvir tudo aquilo___finalizo e imploro com os olhos pra que ela me entenda.

___Estava errado! Esteve errado por muitos anos, Harry! Em todos os seus relacionamentos___Katy diz séria e eu sinto um medo irracional ao pensar que ela possa me deixar agora...ela vai me levar pra casa dela agora, ela não pode terminar comigo!___mas, eu quero te ensinar a fazer as coisas certas! E não vou te dar mole, então se prepare!___ela aponta um dedo pra mim e sorri...e sinto um alívio indescritível atingir meu corpo agora___vamos ter momentos difíceis, porque temos o gênio forte, mas eu quero tentar mais uma vez, se me prometer que pode fazer diferente agora!___ela me olha séria e eu seguro seu dedo, que ainda esta apontando pra mim.

Beijo a ponta dele e sorrio pra ela, doida pra sair dessa cama e abraça-la como se deve, mas esses malditos aparelhos me impedem.

___Eu te amo! Vai ser diferente, juro que eu sou diferente agora!___digo a ela, parando de sorrir e tentando mostrar a ela como falo sério sobre isso.

___Espero mesmo que esteja dizendo a verdade, porque não vai ter mais chances, Harry!___Katy diz séria.

___Sei que não!___digo e levo sua mão até meus lábios, a beijando de leve___já tive muitas chances, mas vou aproveitar essa última, não vou perde-la!___afirmo com convicção.

___Não pode mais esconder as coisas de mim, isso quebra a confiança que tenho em você, porra, Harry! Confiança é algo que tem que existir entre nós se queremos levar nosso relacionamento em diante! Não estou falando de confiança no trabalho, porque aí você tem a minha e sei que tenho a sua, estou falando de confiança entre a gente, somente nós dois, confiança de que estamos nessa juntos, pra valer!___ela diz e eu afirmo com a cabeça, sabendo que ela esta certa.

___Pode confiar em mim daqui pra frente! Sei que errei com você, mas não vai mais acontecer! Me perdoa?___pergunto por fim, mesmo sabendo que ela já me perdoou, mas sinto que preciso pedir perdão em voz alta agora.

___Eu já te perdoe, sabe disso!___Katy diz e sorri___mas falo sério quando digo que será sua última chance! Se pisar na bola de novo, acabou, Harry!___diz séria.

___Não vai acontecer, eu juro! Eu te amo demais, Katy! Quero que a gente dê certo, não vou mais deixar que meu orgulho seja maior do que nossa confiança um no outro...ou achar que as coisas são pouco importantes ao ponto de esconde-las de você!___digo a ela e passo a língua pelos meus lábios secos.

___Vamos embora daqui, quero te levar logo pra minha casa, Tequila esta com saudade!___ela diz e se levanta do lado da minha cama, recolhendo as coisas do quarto.

___Aquela criatura gorda vai me atormentar, não quero ela na minha cama!___falo sem convicção alguma, porque a Katy sabe que eu me apeguei a cadela obesa.

___Azar o seu...porque Tequila esta te esperando ansiosamente lá em casa___diz e volta pra perto de mim, me dando um beijo rápido nos lábios e se afastando.

___Volta aqui! Quero um beijo de verdade!___digo manhoso e ela ri, mas a enfermeira entra nesse momento e acaba com o clima...odeio hospitais!

___Vamos tirar esses aparelhos pra você ir embora?___a senhora pergunta sorrindo.

___Já era hora, quero sair daqui!___digo, vendo a enfermeira tirar os aparelhos do meu peito e, em seguida, o acesso dos remédios e do soro em minha mão.

Ela troca os curativos do meu peito e olho pro ferimento da bala, vendo que esta com um bom aspecto e deve ficar uma cicatriz pequena, que será escondida pelas minhas tatuagens no local. O pior do tiro foi dentro do meu corpo...a bala causou um estrago nas minhas veias e artérias e eu poderia ter morrido de tanto sangrar.

___Prontinho, senhor Styles! Já pode se vestir e ir embora!___a enfermeira diz e eu me sinto aliviado por me ver livre de todos esses fios em mim.

Ela sai do quarto e eu me levando na mesma hora, mas me sinto meio tonto e Katy me ampara pelos braços.

___Harry, você mal saiu de um coma, pare de tentar fazer as coisas sozinho ou vou chamar sua mãe!___Katy me recrimina, me apoiando até que eu consiga ficar de pé.

___Quero sair daqui! Juro que serei um paciente melhor quando chegar na sua casa!___prometo a ela, mesmo sabendo que não conseguirei cumprir a promessa.

___Disse que não iria mentir pra mim de novo!___ela diz enquanto me leva até minhas roupas.

___Não é uma mentira! É apenas uma promessa que posso não cumprir...talvez!___digo e me solto dela, pegando a cueca ridícula e a vestindo pelas minhas pernas.

___Ver você vestido nisso é, porra, eu preciso rir!___Katy diz e se dobra ao meio, morrendo de rir da cena trágica que na verdade não é nada engraçada pra mim.

___Pode rir, Katy! Vai se arrepender depois...eu prometo!___digo a ela, pegando a calça de moletom e a vestindo pra esconder a cueca.

___Suas promessas não são nada críveis, amor!___ela responde, sem perceber que me chamou de “amor”.

___Eu sou mesmo um amor!___não resisto a fazer piada, mas logo paro quando sinto uma dor aguda no ferimento ao tentar vestir minha camiseta.

___Seu teimoso!___Katy diz, com a expressão preocupada, e me ajuda acabar de me vestir.

Quando finalmente conseguimos me ajeitar um pouco Katy me obriga a me sentar no sofá e diz que vai liberar a minha saída na recepção e pedir que tragam uma cadeira de rodas pra que eu vá até a garagem.

Meus pais queriam vir me buscar, mas a Katy conseguiu convencê-los a ir me visitar na casa dela assim que chegássemos lá. Eu gostei muito disso, porque meus pais estão me tratando como um bebê e isso me deixa irritado...não quero ser grosso com eles depois de terem passado por momentos difíceis sem saber se eu sobreviveria.

Pego meu celular e aproveito a ausência da Katy pra mandar mensagens pra Vargas, Tomlinson e o pai da Katy. Sei que eles estão tendo que mover meio mundo pra segurar a minha vaga como promotor do caso da “Quarto Crescente” e vão ficar aliviados de saber que estou saindo do hospital. Katy os proibiu de tocar nesse assunto comigo, mas o que ela não sabe é que eu ando falando como eles por mensagens e ligações todos esses dias e estou bem por dentro de tudo.

Não é uma mentira...gosto de pensar que é uma omissão necessária.

De qualquer forma, marco com eles na casa da Katy amanhã cedo pra gente começar a preparar o julgamento, que deve ser marcado em breve. Então, ela logo vai saber que andei burlando as regras que ela me impôs.

Sei que a Katy tem se mantido informada sobre o caso, Hudson me disse que ela lhe pediu pra tentar ajudar Vargas e Tomlinson a adiar a nomeação de um novo promotor. Ela sabe que eu não posso e não quero ficar fora dessa investigação agora que finalmente temos a “Quarto Crescente” desmantelada e a chance de mandar a maioria dos envolvidos pra cadeia por muito tempo.

Vai ser o maior julgamento que Miami já viu e precisamos estar bem preparados. Hudson me disse que um juiz federal foi nomeado pra presidir a corte e isso me deixou aliviado, porque tinha medo acabar tendo um juiz parcial, já que vários juízes do Estado da Flórida estão envolvidos no esquema.

Tenho que me recuperar pra enfrentar essa verdadeira maratona que será julgar tantas pessoas por tantos crimes. Por isso, vou seguir direitinho as recomendações médicas, menos as que me impedem de trabalhar.

Já estou pensando em tudo, vou pedir pelo menos quatros assessores e farei as reuniões na casa da Katy. Quero Vargas, Katy e Tomlinson comigo, me ajudando a organizar tudo que temos pra mandar esses criminosos pra cadeia.

Eu poderia pedir a pena de morte sem pestanejar...e com o que temos sei que conseguiria a aprovação de 10 dos 12  jurados, mas eu não sou a favor da pena capital. Prefiro pedir perpétua pra maioria dos envolvido, incluindo os três chefes. Passar o resto da vida atrás das grades é castigo mais do que suficiente. Não acho que “olho por olho dente por dente” seja um lema aceitável nos dias de hoje.

___Podemos ir!___Katy entra no quarto e diz de repente, enquanto estou digitando freneticamente no meu celular.

Olho pra ela com a cara mais culpada do mundo e ela suspira fundo, adivinhando o que estou fazendo. Katy vem até mim e toma o celular da minha mão.

___”Vargas, quero mais detalhes sobre o juiz federal que vai presidir o julgamento, acha que dá pra conseguir até amanhã cedo, na hora da reunião na Katy?”___Katy lê a mensagem que eu estava prestes a mandar e me olha feio___esta mentindo pra mim de novo, Harry?___pergunta brava.

___Não estou mentindo!___me defendo, me ajeitando no sofá e me sentindo um verdadeiro suspeito na mesa de interrogatório___sabia que eu iria trabalhar no caso!___eu me justifico.

___Eu sabia que ia atuar no caso, pedi ao meu pai e Tess pra tentar fazer o máximo pra impedir a nomeação de um novo promotor!___ela diz, jogando o celular ao meu lado___o que eu não sabia era que você andava trabalhando enquanto estava nessa cama se hospital, sem me dizer nada!___ela fala de forma acusadora e cruza os braços sob os seios.

___Eu não pude evitar! Preciso saber o que esta acontecendo com o meu caso, me desculpe!___digo por fim, realmente sendo sincero.

Acho que Katy pode ver isso nos meus olhos e sinto quando ela relaxa o corpo. Ela me aponta o dedo e sei que não vai deixar essa passar sem me dar um sermão. No fim, foi bom ela ter descoberto...não quero mais esconder nada dela!

___Falamos sobre confiança há poucos minutos, Harry! Quando ia me contar que estava escondendo mais isso de mim?___ela pergunta firme.

___Ia te contar ainda hoje, porque marquei uma reunião amanhã cedo na sua casa___digo por fim, revelando meus planos___sei de tudo que esta havendo e sei que você também sabe, mas não me contou pra me poupar enquanto eu estava naquela cama___digo e aponto pra cama onde fiquei por uma semana.

___Eu te disse que eu estava acompanhando tudo, mas você me prometeu que ia ficar de fora disso até sair desse hospital! Já estou arriscando demais deixando que você trabalhe nesse caso, Harry! É a sua vida...não podia ter arriscado ela assim! E se ficasse nervoso e piorasse sua situação? Pensou nisso?___ela começa a me dar uma bronca daquelas.

___Eu ficaria mais nervoso sem saber de nada___respondo apenas.

___Não justifica! Eu te disse que estava tudo sob controle, esperando por você! Deveria ter confiando em mim!___ela fala, ainda irritada.

___Eu confio em você, Katy! Mas, porra, é a investigação da minha vida, eu não conseguiria ficar esse tempo todo de fora!___digo a ela, me levantando do sofá e segurando o rosto dela com ambas as mãos___me diga com sinceridade, se fosse você, conseguiria se manter de fora? Mesmo que tivesse levado um tiro?___pergunto a ela, que suspira fundo mais uma vez e segura minhas mãos sob as suas.

___Não! Eu iria desobedecer as suas ordens e fazer exatamente o que fez!___ela confessa por fim___somos assim, Harry! Eu e você! A gente leva o trabalho a sério demais!___diz e sorri, me fazendo sorrir também, aliviado___mas, isso não justifica ter mentido pra mim justamente depois de termos conversado sobre isso! Tem que parar de me esconder as coisas, mesmo que ache que não é algo que vai me deixar puta...ou algo que vai me deixar puta demais!___ela finaliza, séria agora.

___Eu juro, juro mesmo! E não estou escondendo mais nada!___digo e me sento de novo___agora, vamos pra casa, eu te conto meus planos no caminho, pra você estar ao meu lado amanhã na reunião! Estou exausto e com saudade da Tequila...acho que faltava confessar mais isso!___digo a ela, que ri alto desta vez.

___Sempre soube que amava minha cadela!___Katy diz e pisca um olho, se virando pra atender o enfermeiro que entra com a cadeira de rodas pra me levar.

O caminho até a casa da Katy é feito devagar, pra que eu sinta menos dor. Enquanto isso conto a ela tudo que conversei com Vargas, Tomlinson e Hudson esses dias. Ela me dá opiniões sobre como devemos agir e me sinto empolgado pra começar logo a montar o julgamento.

Katy é minha parceira acima de tudo...e eu nunca pensei em dividir meus planos num caso com uma namorada depois de sair do hospital por ter levado um tiro por ela. A vida é mesmo uma caixinha de surpresas!

Quando chegamos na casa dela eu saio do carro, coloco os olhos escuros e olho pro céu azul de Miami. Agradeço por poder estar vivo e poder olhar pra ele de novo...isso é tão surreal!

Paro com esses pensamentos estranhos e sigo a Katy pra dentro de casa, onde sou recepcionado por uma Tequila enlouquecida, que quase me derruba no chão e me faz gemer de dor. Katy tenta impedi-la, mas eu acho que a cadela gorda sabe que estou ferido e logo se contém, apenas me lambendo as pernas e balançando o rabo.

Katy me deixa sentado no sofá enquanto vai preparar a cama dela pra mim e, em seguida, um banho relaxante na banheira. Eu posso me acostumar a ser mimado assim...gosto disso! Talvez minha convalescência seja boa...

___Entre aqui comigo!___digo a ela quando finalmente consigo tirar minhas roupas e me sentar na banheira de água quentinha e cheirosa.

___Nem pensar! Não quero que fique empolgado demais e acabe rompendo os pontos internos___ela me diz, rindo e se sentando na borda da banheira pra lavar meus cabelos.

Fecho meus olhos e me recosto na borda, apenas sentindo a água quente nos meus cabelos e as mãos leves da Katy ao esfregar eles com shampoo.

Estou muito feliz e relaxado agora! Eu estou vivo, porra! Eu poderia ter morrido, sei que estive muito perto disso, mas ao invés estou na banheira da casa da mulher que eu amo e prestes a começar o maior julgamento da minha vida. Parece que tudo esta dando certo pra mim agora...e eu só posso agradecer a Deus por isso.

___Como é bom tomar um banho sem um enfermeiro, na nossa casa!___digo manhoso e ela ri baixo.

___Nossa casa? Quer morar comigo, Styles?___Katy diz, em tom de brincadeira.

Abro os olhos e me viro pra ela, vendo que seus olhos estão curiosos, apesar do sorriso tentar soar brincalhão.

Eu nunca tinha pensando sobre morar com a Katy, afinal estamos juntos há pouco tempo e a maioria dele foi em meio a uma investigação que nos impediu de pensar em nós mais profundamente...e ainda tivemos as brigas nesse meio tempo.

Mas, quer saber? Eu acho que adoraria morar com ela! Dormir com ela todas as noites e acordar com ela todas as manhãs. Já vou ficar na casa dela por um bom tempo, talvez a gente possa pensar nisso de morar juntos mais seriamente.

___Eu acho que quero...se você me quiser!___digo a ela, sério.

Sinto Katy engolir em seco e fico com medo dela dizer que ainda é cedo demais. É cedo demais, porra! Onde eu estava com a cabeça?

___Harry, eu acho que temos que pensar nisso melhor, conversar sobre isso e...___ela vai continuar, mas o som dos nossos celulares soa ao mesmo tempo.

Katy se levanta e atende o seu, me trazendo o meu ao mesmo tempo.

___Pode falar, Tess___ela diz e eu atendo o meu próprio telefone.

___Tomlinson? O que houve?___atendo e pergunto de uma vez.

___Marcaram o julgamento!___eu e Katy falamos ao mesmo tempo, olhando um pro outro.

O julgamento foi marcado pra começar dia 15 de janeiro, daqui a duas semanas. Vão ser dias e dias de muito trabalho e tensão.

Eu e Katy desligamos os telefones e sabemos que nosso assunto sobre morar juntos vai ter que ser adiado.

Vai começar...o caso das nossas vidas vai começar!

E, quando isso tudo terminar, eu acho que vou pedir a Katy não apenas pra morar comigo...vou pedi-la pra se casar comigo! Estou ficando louco, mas não ligo!

 

 


Notas Finais


Gente, o Harry não tem jeito...hahahha
Mas, agora vamos caminhando pro desfecho disso tudo...e pro fim da fanfic, infelizmente!!!
Beijos e vejo vocês no outro sábado!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...