História If I could love her. - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Min Yoongi (Suga)
Tags Hoseok!bottom, Mpreg, Yoonseok
Visualizações 26
Palavras 1.254
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu continuo dizendo, tenham fé em mim, não desistam, atualizações eventualmente irão ocorrer... E nessa madruga venho para lhes alimentar a fé e dizer: Aproveitem a leitura ><

Capítulo 7 - Desalento


Mais um mês havia se passado e Hobi reluzia em seu oitavo mês de gestação, sua pele e cabelos brilhavam como nunca e sua barriga grande sob batas brancas com rendas e bordados lhe concediam uma beleza maternal que jamais fora vista antes. Mais controlado agora ele me sorria a cada manhã, enquanto depositava um café saboroso sobre o balcão da cozinha e conversava sobre aleatoriedades antes que eu fosse trabalhar.

O quadro era esse, a família feliz em assenção. Só eramos lembrados do quão distante estávamos da realidade quando em consultas acertávamos detalhes sobre a casária do nosso primogênito, sendo Hoseok cercado de cuidados e remédios, acompanhamento psiquiátrico e aconcelhamento e eu de papeis do registro, funeral e enterro do meu bebê. Uma postura que eu achava deveras injusta, me fora negado não só o prazer como a dor de ser pai e em contraposição me foram delegadas as responsábilidades de “homem”, eu não estava livre para amar ou chorar, porém eu também aceitava a tudo de bom grado, desde que pudesse proteger meu marido dessa dor.


Foi depois de uma dessas tardes de cão que ao me ver no carro com um Hobi de aparencia cansada e desanimada decidi por percorrer um caminho diferente ao de casa, distraído, mesmo olhando através da janela as casas que passavam rápidas, foi confirmado que não era à elas que ele destinava sua atenção, quando apenas após pararmos no estacionamento ele se deu conta que não estávamos em casa.

__Yoon, o que a gente tá fazendo aqui?

__É um shopping Hobi, o que mais se faz por aqui? A gente vai se divertir um pouco, faz tempo desde que não saímos juntos, que tal um sorvete?

Saí do carro dando a volta e parando ao seu lado, ao abrir a porta dei de cara com suas feições desconfiadas e mesmo enquanto estendia minha mão e o ajudava a sair ele permanecia me encarando suspeito. Andamos um pouco pelo ambiente, nos acostumando ao barulho de movimentação que já há um bom tempo não ouvíamos, os cheiros vindos da praça de alimentação despertaram seus desejos e em pouco tempo ele já tinha desfeito a cara emburrada e andava de um lado ao outro me pedindo comida.

Sentamos em uma das mesas e enquanto ele mordia um hamburguer e enfiava um punhado de batatas fritas dentro de seu milk shake e as levava a boca eu, inacreditávelmente, achava linda a cena dele atacando sua comida como godzilla atacaria a Tokyo. Ele quase havia terminado seu lanche, sua bochecha estava suja de molho enquanto ele sorria largo e conversava empolgado sobre um filme que vira na TV quando eu estava no trabalho, eu o observava e dava a atenção certa para que seu entusiasmo não se perdesse no meio do assunto, me perguntava por que eu tinha que trabalhar tanto e perder um tempo tão precioso com o meu Hobiezinho? Esperei ele fazer um pausa para respirar e sugar mais uma golada do líquido em seu copo, para estender um guardanapo até sua bochecha e limpar a manha de ketchup que ali permanecera desde o começo da conversa. O observei desviar os olhos para a superficie da mesa, envergonhado, as bochechas ficando mais vermelhinhas e os cantinhos dos olhos se contraindo, era a mesma criança descontraída e escandalosa que eu conheci no fundamental e era o mesmo Hobie que eu levei para o altar há 8 anos atrás, nada mudara nele mesmo na nossa situação atual e era isso que me deixava ainda esperançoso sobre o futuro.

­­__Olha só, Jisung__ me assustei com a voz próxima demais de mim__ quem encontramos por aqui?

__Realmente uma coincidencia agradável.

Cada um deles se sentou aos nossos lados, de frente um para o outro, mesmo que não os tenhamos convidado. Sunhee deixou o carrinho onde seu bebê dormia ao lado de Hobi, que ao meu ver, o observava de soslaio acanhado.

__Veja só como sua barriga está enorme, já sabe o sexo?

__A gente escolheu manter a surpresa.

Respondi de imediato, observando Hobi se encolhendo cada vez mais, os olhos dançavam a procura de uma saída enquanto apertava o antebraço direito em nervosismo.

__Que escolha interessante, não era você que estava maluco para descobrir se era um menino?__Voltou a se dirigir à ele.

__Ah, mas conversamos sobre isso e decidimos juntos que assim seria mais emocionante.__espondi novamente, mantendo o contato de meus olhos nos dele, tentando acalmá-lo__A gente já estava de saída, Hobi precisa descançar, então foi bom termos nos encontrado, mas...

__Jura? Então foi bom termos nos encontrado? Engraçado dizerem isso, quando não retornaram nossas ligações e sequer foram ver nosso Mingie, mesmo que tenhamos certeza de ter mandado os convites por correio...

A mulher fingia confusão enquanto puchava para si o carrinho azul cheio de frufru e brinquedinhos.

__Acho isso interessante, por que antes você parecia tão interessado em dividir sua experiência de paternidade, não é, Hobie? E de repente sumiu de nossas vistas... Eu achei realmente estranho, mas sabe? Meu Mingie permanece perfeito e saudável, mesmo que vocês tenham se nagado a vê-lo.

__Sunhee, chega, vamos indo?

__Não Jisung, quem nega a minha cria nega também a mim!__continuou, se aproximando demais de Hobi, bufando raivosa perto de si__E pensar que cogitamos esse casal de invejosos para serem os padrinhos.

Pegou seu bebê no colo e se voltou novamente á ele, me levantei em reflexo pensando em uma maneira de me colocar entre eles.

__Eu engravidei e você decidiu o mesmo, eu tive meu menino e você queria um pra sí... O que foi? Descobriu que era uma menina remelenta que estava esperando?

__CHEGA!

Gritei e espalmei contra a mesa, atraindo pra mim toda a atenção da praça de alimentação, Hobi assustado deu um pulinho contido em sua cadeira.

__Você vai calar a sua boca, pegar o seu filho e seu marido e vai sair daqui em silêncio.

Completei baixo, voltando a me sentar enquanto arrumava minha gravata no lugar. Ela ainda retomara o falatório, mas não sem ser enterrompida mais uma vez por mim:

__A-go-ra.

Eu permanecia sério, o olhar baixo e a raiva contida se manifestando em meus punhos serrados, ela recolocou o bebê no carrinho, afivelando bem o sinto, se levantou junto com Jisung e antes de sair se curvaram temerosos. Respirei fundo, me acalmando, enquanto os observaca sumirem por trás de algumas lojas, quando voltei a me dirigir ao Hobi ele permaneceu calado.

__Desculpe por isso, meu bem, eu deveria ter tirado você daqui assim que eles se sentaram e...

Quando finalmente me concentrei em sua imagem ele estava encolhidinho, diminuto, abraçando o próprio corpo e mantendo a cabeça baixa, alguns leves calafrios eram visíveis em sua tez mais clara que o normal.

__Yoon__ergueu seu olhar e pequenas lágrimas saíam de seu rosto que tomara um tom pálido__acho que tem algo errado...

Ia me levantando quando ele tentou fazer o mesmo, porem ele pendeu pro lado quase indo de encontro ao piso gelado, me apressei pegando-o da melhor maneira possível, me ajoelhando ao seu lado e colocando sua cabeça sobre meu colo, as pessoas em volta olhavam surpresas e algumas sacaram seus celulares a fim de filmar toda a situação, enquanto eu tentava acordá-lo observei seu jeans azul claro se tingir de carmim e no alge de meu desespero comecei a gritar a plenos pulmões a quem pudesse ouvir.

__SOCORRO! AJUDA! Alguém, por favor?

Abracei seu corpo molinho e leve enquanto lágrimas grossas rolavam por meu rosto, eu estava perdendo meu Hobie, eu estava perdendo meu mundo...

 


Notas Finais


Bom, por hoje é isso... Talvez eu não demore tanto para postar o oitavo capítulo, pelo menos não é o que eu quero...
Obrigada pela leitura,
XoXo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...