1. Spirit Fanfics >
  2. If I'm so special, why am I secret? (KakaNaru) >
  3. Capítulo único.

História If I'm so special, why am I secret? (KakaNaru) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Reforço que isso é uma história inspirada em uma música, não incentivo nada que está descrito abaixo.

Não havia pensado em postar isso, mas surgiu uma inspiração, e acabou saindo. Nem sei se vou manter por aqui, mas até então, aqui está.

Capítulo 1 - Capítulo único.


(Fanfic inspirada em Teacher's Pet - Melanie Martinez)


[If I’m so special, why am I secret?]


Eu pensei que éramos o bastante. Acreditei nas juras de amor. Sonhei uma vida com ele. Mas, foi ao abrir a porta da sua sala, que vi. O meu amado professor, o homem que amei por todo o ensino médio, e pensei que era algo recíproco, estava lá, nu com o corpo que eu conhecia também, recebendo os toques que eu sempre dei. Lá estava meu melhor amigo, Sasuke Uchiha, que sempre me disse que deveria continuar investindo em Kakashi.

Os dois homens me olharam com uma nítida surpresa, e definitivamente Kakashi era o mais surpreso, seu rosto suado pela atividade recente simplesmente estava inerte em minha direção, enquanto era possível ver seu diafragma agitado. O Uchiha saiu de cima do birô, inutilmente colocando uma peça de roupa qualquer sobre sua reação, como se isso fosse fazer com que eu esquecesse de tudo.

Juntei toda minha dignidade, ou ao menos a que eu pensei que ainda tinha, e simplesmente sai em disparada pelo corredor, sentindo as tolas lágrimas escorrerem por minha face. Meu coração batia forte, e eu podia ouvir meus batimentos ecoarem pela minha mente, de forma que tudo parecia ainda mais confuso. Os três últimos anos da minha vida pareciam uma bobagem, tudo o que eu acreditei era simplesmente uma mentira, uma bela mentira.

Pude ouvir Kakashi falar meu nome, mas definitivamente agora não é o momento para eu olhar para trás. Eu conhecia tão bem esse maldito caminho, que saia da pátio da escola em direção a sala do homem, caminho que eu fazia quase todos os dias, onde eu me sentava naquele mesmo lugar que Sasuke, e fazia quase que as mesmas coisas. Me entregava para aquele homem por horas, e juro que sentia conforto em seus braços, me sentia poderoso com suas juras de amor em meu ouvido.

A brisa gélida tocou meu rosto, já eram 18 horas, afinal. Hoje eu não fui para a escola, disse a ele que estava doente, o que era verdade, mas assim que melhorei fiz questão de vir até aqui para ao menos conversar com o homem. E bem, ele realmente não parecia me esperar. O pátio da escola parecia ainda mais obscuro, as árvores altas e antigas, junto com a precária iluminação noturna, tornava tudo ainda mais dramático, ou isso era simplesmente a minha mente buscando mais motivos para que eu me sinta mal.

— Você vai conversar comigo, Naruto — A mão do homem segurava meu braço, de forma que eu não tinha forças para ir, ou talvez eu não quisesse ir. Era sempre assim, todas as vezes, ele me chama, diz que ama, e eu simplesmente aceito as juras de amor. — Quem você pensa que é? Invadir a minha sala, e simplesmente sair em prantos por aí? Não era isso o que eu esperava de você.

— Eu sei muito bem que eu sou! — Não pude deixar de olhar para o homem, que tinha um sorriso fraco… ele parecia estar se divertindo. — Não preciso conversar com você, eu sei muito bem o que eu vi.

— Tem certeza? Você sabe mesmo quem você é, Naruto? — A mão do homem tocou meu rosto, aquele toque quente que desejei por tanto tempo. Nem sei como, ou quando, mas seu corpo já está próximo o bastante do meu, próximo o suficiente para eu sentir sua respiração quente.

— Não, você não sabe — Ele respondeu a pergunta que ele mesmo havia feito. — Eu sei quem você é, e por isso digo que você não vai embora. Você vai voltar comigo para minha sala, e terminar o que interrompeu.

— Eu? É claro que não vou fazer algo do tipo — Seus olhos estavam voltados para mim, aquela imensidão negra que sempre parecia olhar dentro de minha alma. — Você acha mesmo que vou simplesmente vou para a sua sala, e terminar o que Sasuke não fez? Você me enoja, Kakashi.

— Todo mundo sabe que você precisa de mim. Você precisa de um homem que diga exatamente o que você deve fazer, ou as coisas que você precisa — O homem deslizou o dedo pelas minhas lágrimas, afastando a umidade. — Não ficas bonito chorando Naruto, isso não é atraente.

— Não… não preciso de você — Sei que eu deveria ir embora, ele já me soltou, mas simplesmente não consigo. Ver aquele homem, em sua imponência, me olhando de cima a baixo, sempre teve esse efeito. — Eu não sou um mascote. Você me disse que eu era especial.

— Mas, você é especial, Naruto — Um sorriso surgiu no rosto do homem. — Os outros só são uma noite, eu sempre volto para você. O meu aluno favorito, sempre o melhor. As melhores notas, os melhores toques, as melhores transas são com você, os outros não se entregam dessa forma a mim.

Pude sentir seu braço abraçando minha cintura, e mais uma vez fui fraco. Deixei que ele me envolvesse em seu abraço, quando me dei conta, já me desmanchava em lágrimas em seu peitoral.

— Você entendeu, não foi? — Ele sussurrou, enquanto afagava meus fios. — És fraco demais para ir embora, sempre vai me procurar, Naruto. Mesmo quando eu disse a você que nunca iria te assumir, você voltou. Quando eu disse que não eras o único, você voltou. Agora que você me viu com outro, vai voltar.

— Sem mim, você é nada — Kakashi se afastou do abraço, abaixando-se para ficar na mesma altura que a minha. — Sem mim, você não passa de Naruto Uzumaki, um aluno qualquer do ensino médio. E não é isso que você deseja, você anseia por atenção, por se sentir especial, e é isso o que eu te dou. Eu faço você se sentir bem, não faço?

— Faz — A confissão escapou de meus lábios sem que eu sequer percebesse. O homem aproximou seus lábios do meu, e selou seus lábios brevemente aos meus.

— Isso mesmo, Naruto — Kakashi contornava meu lábio inferior com o dedo, e eu sentia todo o meu corpo se arrepiar. — Você precisa de mim. Eu sou tudo o que você têm. Quem iria querer você como eu quero?

— Ninguém, Kakashi-sensei — Meu coração doía, eu sei que mais uma vez, fui fraco para ir. — Só você me faz feliz — Se isso era verdade, eu não deveria chorar. As pessoas não choram quando estão felizes, choram?

— Vamos para a minha sala, Naruto — Ele segurou minha mão com firmeza, e eu assenti enquanto olhava para a direção da saída. — Sua mãe sabe que você vai demorar. Não é?

— Sabe — Afirmei, enquanto acompanha seus passos. Mais uma vez, não pude fazer o caminho de volta para casa.


Notas Finais


Espero, que de certa forma, tenham gostado. E se possível, peço que deixem um comentário, e favorito, isso é muito importante.

Relacionamentos abusivos são extremamente negativos, e por favor, se estiverem em uma situação dessas, busquem ajuda. Você é importante.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...