História If You Stay - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias 19 Days
Tags 19 Days, Angst, Bromance, Fluffy, High School, Slow Burn, Tianshan
Visualizações 291
Palavras 3.831
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aaand aqui estou eu, that's right u-u

Acabei de terminar o capítulo, e é, fiquei muito tempo me martelando pra terminar.
E eu tô meio fora de órbita então realmente não sei o que achar do que saiu, mas espero que tenham de verdade uma leitura agradável.

E mais uma coisa, cof*cof* MUITO OBRIGADA!!
Eu vi 85 favoritos e fiquei pensando "...ué" tipo, mds do céu como chegou nisso??
Obrigada por cada comentário também, vocês são demais!

Bom, me desculpem, vou deixar em paz agora pra leitura u-u

Capítulo 8 - Unspoken truths


Fanfic / Fanfiction If You Stay - Capítulo 8 - Unspoken truths

A respiração chegava falhada.

A mente em branco. Como um rádio de estática ruim.

Sentia uma respiração uniforme em seu ouvido direito, e calor irradiando de um par de braços envolta dos seus ombros e costas.

Ainda processava os últimos segundos, ali, em frente à porta.

- O que você tá fazendo?

A voz baixa. O que tinha lhe incomodado porque não pretendia que ela soasse assim. Culpou a garganta seca.

Definitivamente, esse cara só podia ser louco. O que tentava fazer o agarrando assim do nada?

Essas brincadeiras já estavam passando dos li-

- Hum – Balbuciou, tão baixo que seria quase inaudível se não estivesse tão perto. Mas não só escutou, como conseguia sentir as vibrações pelo peito alheio contra o seu.

Por um segundo antes de se soltar, sentiu He Tian apertar um pouco mais forte, e soltar a respiração contra seu pescoço. Talvez, se fosse em alguma outra situação, e Guan Shan não fosse Guan Shan, e He Tian não fosse He Tian, talvez, se permitiria rir das leves cócegas que lhe foram causadas.

Mas ainda eram eles, ainda na frente da porta do apartamento. E tudo que pôde fazer foi apertar os olhos e ignorar, até He Tian se afastar, levando parcialmente a sensação de calor. Porque as mãos dele agora descansavam em seus ombros.

Quando abriu os olhos pôde ver os dele correndo por seu rosto, as sobrancelhas levemente franzidas e os lábios em uma linha reta. Por fim, subiu os olhos diretamente para os seus, em seguida levantando o canto da boca em um meio sorriso.

Essa, Guan Shan pensou, era uma das faces que até então não achava que He Tian possuísse. Era tão... Não ele. Ao menos não o que estava acostumado.

Guan Shan abriu a boca, ia perguntar de novo que porra era aquela, e o chamar de louco, e talvez mais alguns adjetivos. Mas foi cortado antes mesmo de pronunciar de fato algo.

- Só checando seus batimentos – Tirou as mãos de seus ombros e deu um passo para trás – Ver se tá tudo bem, questão de saúde – Completou como se dissesse um fato, concordando para si mesmo.

Deus... Mas que idiota.

- Você não faz sentido nenhum! – firmou os punhos e lhe chutou a canela, tirando um “Outch!” de He Tian. Se arrependeu porém depois do impulso. – Ah...

Oh merda.

“Droga”

- A-ah, eu não quis- a culpa foi sua! – Apontou para o garoto curvado, que alisava a perna.

He Tian começou a se por de pé novamente, levantando a cabeça.

Podia esperar pela vingança ali. Vinda de um soco em suas costelas ou um chute que de certo o derrubaria. He Tian não era do tipo pacifista.

- Foi você quem começou, ok? Bastardo! – Disse rápido quando encontrou seus olhos. – Nem foi tão forte...

He Tian o encarou como se ele fosse o louco ali.

- Huh? – Arqueou uma sobrancelha.

- O chute... Não foi tão forte assim – Repetiu apreensivo.

Agora ambas as sobrancelhas estavam arqueadas. E Guan Shan esperou. E esperou. E esperou...

Até que He Tian soltasse uma curta risada.

Não era isso que esperava.

Ele deu um passo à frente, seguro como sempre.

- Nem me fez cócegas, Mountain

Estranhamente Guan Shan sentiu-se drenado da tensão do próprio corpo, aos poucos baixando os ombros.

- Eu achei que... – Murmurou inconsciente de que tinha pensado em voz alta.

He Tian pareceu escutar.

- Que o quê? Eu ia te bater? – Disse soando como se fosse impossível. Em seguida viu que Guan Shan lhe olhava com olhos de confirmação. O lembrando. Não era esse o normal? – Oh...

- É – Foi a única coisa que se ouviu dizendo.

Foram segundos sem nada mais ser dito. Relutância pairava no ar. Guan Shan não sabia nem o que ainda fazia ali. Devia só ir embora.

Voltou a atenção ao outro quando ouviu um suspiro.

- Eu não vou – Ele disse – Eu não vou

Andou mais dois passos até Guan Shan. Que por sua vez focava apenas em seu rosto, tendo que erguer levemente a cabeça.

- Se lembra do que eu disse?

- Você diz muitas coisas...

He Tian deu uma breve risada.

- É, eu digo – Silenciou-se por um instante – Então se lembre do que eu te prometo 

 Levou a mão à nuca do Ruivo, quase impercetívelmente mexendo nos fios ali. Guan Shan enrijeceu.

 – Eu quero ser seu amigo. E Isso não é uma brincadeira, nem uma mentira. Eu garanto à você, que nada daquilo vai se repetir... E eu sinto muito.

Dizem que os olhos transmitem muitas coisas. Evidenciam o que tem por trás de palavras.

Dismistificam mentiras. Denunciam.

“Os olhos entregam, Guan Shan”, uma vez sua mãe lhe disse, anos atrás. “Eles são a resposta não dita”

- Não devia prometer coisas em vão

Mas os olhos dele gritavam verdade. Certeza.

- Eu não prometo o que não posso cumprir – Sorriu – Então, o que me diz? Quer recomeçar?

- Recomeçar?

- É – Tirou enfim a mão de seu pescoço, só então Guan Shan notou que ela ainda estava ali. Tinha esquecido. Extendeu ela para o Ruivo – He Tian

- Isso é sério?

A resposta foi um olhar contundente. Yep, totalmente sério.

Suspirou.

- Mo Guan Shan – Apertou sua mão.

- É um lindo nome, Guan Shan

Ele sorriu.

Mo revirou os olhos, sem perceber, erguendo o canto dos lábios.

~~*~*~*~~

Na segunda tinha acordado cedo, como o usual. Era começo de mais uma semana.

Tinha passado o domingo com sua mãe, jogado durante o final da tarde e recebido algumas mensagens de He Tian, das quais respondeu porque sabia que ele insistiria.

Durante a noite pensou mais uma vez sobre o sábado. Era estranho... Pois começava a ficar confuso sobre certezas que tinha a respeito de He Tian.

Descobriu que as certezas não eram tão... Certas assim.

Talvez, só talvez, tivesse o julgado mal.

Quer dizer, ainda era um idiota. Claro.

E irritante. E estranho.

Mas ele não era ruim como tinha achado.

E tinha sido divertido assistir ao filme com ele. Surpreendentemente. Não levou muito tempo pra se acostumar a conversar com ele sem as provocações ou brincadeiras.

Percebeu que algumas das vezes isso vinha naturalmente. Como as piadinhas no meio do filme. E isso não era... Ruim.

“Eu garanto à você, que nada daquilo vai se repetir”

A voz ecoou em sua memória.

Um novo começo, hm?


Chegando à escola, pôde ver a dupla no portão.

Jian Yi o avistou depois de um tempo e acenou animado como sempre.

- Ruivo! – Gritou

Guan Shan suspirou e se aproximou sem pensar muito.

- Como consegue sorrir assim na porra de uma segunda de manhã? – Perguntou monótono.

Zheng Xi curvou o canto da boca em um leve sorriso, com o entendimento de quem convivia com aquilo diariamente.

- Você que é mal humorado sempre – Disse com um beicinho – Já tentou sorrir?

- Eu não preciso – Guan Shan revirou os olhos e respondeu.

- Olha, não sou o único – O loiro apontou em alguma direção atrás de Mo.

Guan Shan virou, pra ver que era He Tian. Vindo cercado de seu fã clube. Falava com um sorriso no rosto que fazia com que as garotas ali ficassem dando risadinhas, animadas.

Ele olhou pra frente, vendo os três. Olhou novamente para elas e terminou de dizer algo, depois acenou dando tchau, as deixando para trás.

Guan Shan virou de novo para Jian Yi e cruzou os braços.

- Outro idiota

- Qual sua primeira aula? – Zheng Xi se pronunciou, cortando o assunto.

- Matemática – Disse com tédio. A professora lhe dava sono.

- Começou a estudar para os testes?

Droga.

Deixou um resmungo escapar.

- Não... Ainda falta um mês – Respondeu incerto, sabia que precisaria mesmo estudar para os testes bimestrais.

- Não é? – Jian Yi disse – Eu também disse isso, mas o XiXi é o tipo aluno exemplar. Estamos no mesmo barco então – O loiro levantou uma mão no ar, como para fazerem um high five.

Guan Shan bateu, apesar de não estar acostumado.

- O que estamos comemorando? – Um braço pousou em seus ombros, e ouviu a voz ao seu lado. He Tian.

- Não tem comemoração – Jian Yi respondeu.

- São só duas causas perdidas – Zheng Xi deu de ombros.

- Eu não sou uma causa perdida XiXi, eu tenho você – Olhou para o amigo fazendo beicinho de novo.

Zheng Xi olhou-o e bagunçou seus cabelos, puxando o canto dos lábios.

- É – Disse.

- O pequeno Mo aqui também não é uma causa perdida – He Tian disse trazendo Guan Shan mais para seu lado. – Ele tem à mim – Completou sorrindo pretencioso.

Oh... É, tinha aceitado a oferta de He Tian. Ele iria ajudá-lo.

- Você? – Jian Yi perguntou. A mesma reação de Guan Shan da primeira vez.

- Sim, Eu! – Disse orgulhoso.

O sinal tocou. Dando o aviso de que deveriam entrar e seguir para as salas.

- Vamos – Zheng Xi chamou o amigo, e se afastaram após se despedirem.

He Tian seguiu com Mo até metade do caminho, até chegar em sua própria sala.

- Te vejo no intervalo – Ele disse.

- Hm – Guan Shan respondeu.

- Naquele seu lugar

~~*~*~*~~

Levou um tempo para Guan Shan associar. Seu lugar.

Mas onde era “seu lugar”?

Pensou se ele quis dizer sua sala, mas não fazia tanto sentido. Descartou a idéia.

Foi então que, ao olhar pela janela, depois de longos minutos de um falatório excruciante da professora, entendeu.

O gramado. Com algumas árvores em volta e sempre calmo. Era onde Guan Shan geralmente ficava, lembrava-se de ter dito isso. E também He Tian já o tinha encontrado lá.

O sorriso mínimo fora escondido pelos dedos sobre a boca, enquanto apoiava o queixo sobre a palma.

Gostava daquele lugar.


Saiu da sala cansado. E ainda faltavam mais algumas aulas no dia. Sempre ficava assim quando se forçava a prestar realmente atenção ao que os professores explicavam, e tentava absorver tudo ao máximo. Nunca foi lá um aluno dedicado depois do primário, e a escola não era seu lugar preferido. Ainda bem que não duraria mais tanto tempo.

Rumava para o espaço mais afastado da multidão com seu sanduíche em mãos. Quando chegou sentou-se no chão e se escorou na grande árvore, a que permitia maior sombra. Começou a comer em silêncio.

Certo momento quando já tinha terminado, passou a prestar atenção na calma à sua volta.

Tombou a cabeça até ela encostar no tronco. Emergindo em tranqüilidade. Mais algum tempo e poderia acabar dormindo ali mesmo.

- Buh – Ouviu sussurado. Em um segundo abrindo os olhos alarmado e no outro colidindo a própria testa contra a de He Tian.

- Arrgh – Reclamou comprimindo o corpo, alisando o local do impacto.

- Outch... – He Tian não estava tão diferente, sentando-se ao seu lado depois de cambalear para trás. Também com a mão na testa.

- Idiota, puta merda... – Mo começou a xingar em grunhidos, ainda com os olhos fechados.

- Eu deveria dizer isso – Ouviu – Por que tem sempre que reagir exageradamente?

Não respondeu. Mais preocupado em aliviar a dor depois do impacto.

- Eu nem vi você chegar – Disse ao invés.

- Não passei pela frente

Achava que ele estaria aqui quando chegasse, ou que o encontrasse pelo caminho. Mas tinha tomado mais tempo do que Guan Shan pensava. Não que se importasse.

- Já comeu? – Ouviu ele perguntar. Levantou finalmente a cabeça

- Hm – Confirmou. He Tian deu uma risada ao olhar pra si. – O que foi?

- Tá vermelho Mountain

- Huh?

- Aqui – Levou o dedo ao centro de sua testa.

- Ow! – Chiou em dor – Não toca! – Estapeou a mão.

Percebeu agora que ele também tinha uma vermelhidão, não tão notável, no local da batida.

- A culpa foi sua~

- Não foi

- Foi

- Não, não foi!

He Tian suspirou balançando a cabeça, sorrindo de canto.

- Tá, fica aqui – Disse levantando.

- Onde vai? – Questionou perdido.

- Eu volto logo

Falou por fim e saiu, sem explicar. Guan Shan bufou e voltou a se escorar na árvore. Tanto faz.

Três minutos depois e ele estava de volta. Mo olhou pra cima, vendo que tinha duas latinhas de chá gelado nas mãos. Alcançou uma para Guan Shan.

Sentou de novo ao seu lado, um braço sobre o joelho.

- Agora você só... – Levou a bebida até a testa, fechando os olhos.

Ah

Virou para frente e fez o mesmo. Relaxando contra a temperatura fria.

- Isso deve ajudar – Ouviu depois de alguns segundos.

Mo assentiu, mesmo com o outro não podendo ver.

- Por que demorou? – Pegou-se perguntando.

- Imprevistos

- Uhm

- Fui pego no caminho – Pausou – Demora pra tentar não machucar alguém. Bom... Acho que não resolve muito. Elas quase sempre choram.

Certo. Uma confissão, Guan Shan pensou.

- Que bom garoto – Comentou irônico.

- O melhor – Devolveu com uma risada.

~~*~*~*~~

Na volta para a sala de aula, encontrou com Jin no corredor.

- Ei – Ele chamou e começou a andar ao lado de Mo, que lhe olhou mas não respondeu.

- Não te vi no intervalo – Ele comentou – Dong tinha perguntado se tinha ido embora

- Não fui – Respondeu simples.

- Certo... – O garoto lhe olhou de canto – Hm, já faz uns dias desde que te vimos

Guan Shan olhou-o por dois segundos, depois respondeu um curto “Hm”.

- Guan Shan, tem alguma coisa errada? – Jin soltou a pergunta, quase como se estivesse com receio de fazê-la.

- Como o quê? – Mo devolveu sem muito interesse.

- Aquele cara... Era com ele que você estava?

Não precisou pensar tanto pra deduzir de quem estavam falando.

- Não é da sua conta

- Mas se ele tá te ameaçando a gente precisa saber, podemos pegar ele de surpre-

- Eu já disse que não é da sua conta! – Chamou atenção de quem passava perto, bufou e continuou mais baixo – Eu sei me cuidar Jin, e não tem nada de errado

Disse para o garoto, como um mantra para si mesmo em sua própria cabeça.

Estava tudo bem. Tinha tudo sob controle.

Jin se calou por um tempo, só voltou a falar quando alcançaram a porta da sala.

Parou Mo segurando em seu ombro.

- Sabe que pode contar comigo né? Nós somos amigos – Ele disse em um tom de quem queria convencer algo.

Guan Shan conhecia Jin bem antes de qualquer outro do grupo deles. Se conheciam desde os treze anos, quando o garoto se mudou para o seu bairro, e foram para a mesma escola desde o fundamental.

Porém, o tipo de amizade que tinham nunca foi muito bem estabelecida. Talvez pelo jeito de Guan Shan, ou por Jin não ser a pessoa mais intrusiva que quer saber tudo de sua vida, fato que Mo era agradecido, mesmo assim ele era quem mais sabia sobre seus problemas familiares, coletando as informações através dos anos, mas nunca conversaram à fundo sobre isso.

Quando eram mais novos costumavam jogar ou dormir na casa um do outro. E mesmo que não fossem tão próximos, e ambos não forçarem nenhum “sentimentalismo”, Jin era o único que não tinha ido embora por seu modo fechado ou o que falavam pela escola. Nunca falaram sobre. Era como funcionavam.

Guan Shan o encarou, soltou um suspiro e respondeu.

- Eu sei Jin, obrigado

Esperava que ele acreditasse, pois era a verdade. Tinha sido pego de surpresa pela insistência do outro nisso. Não achou que ele poderia considerar desse modo o que tinham, ainda mais depois de terem se juntado ao grupo que todos evitavam. E Mo ser colocado como o “chefe” pela personalidade explosiva e ter todos os requisitos para tal. Porém Jin só o chamava de chefe perto dos outros.

Guan Shan não iria mentir, ter voz e o mínimo de poder em algo em sua vida lhe deixava satisfeito. Não se vangloriava por isso, nem nunca falaria em voz alta. Mas diante de tanta merda que recebia, ter esse tipo de coisa lhe dava algum ânimo. Mesmo que no fundo soubesse que era vago.

Era algo que podia controlar, sem ninguém lhe dizer o que fazer.

Mas como Jin havia dito, já tinha um tempo que ele não agia como o líder. Tinha se afastado nos últimos dias.

- Então, vamos sair com o pessoal hoje depois daqui? – Lhe sorriu.

- Não – Balançou a cabeça – Não dá, tenho uma entrevista depois das aulas.

- Mais um trabalho? – Arqueou as sobrancelhas.

- É – Escorou ao lado da porta.

- Ok... Então, almoço com todo mundo amanhã?

Mo pensou, e pensou, até pensar por que estava pensando tanto. Não era grande coisa, nada fora do usual.

- É, tudo bem – Disse simples.

~~*~*~*~~

Enfim, as aulas tinham acabado. E Guan Shan se despediu de Jin que conversava com alguns outros garotos. Saindo da sala ouviu ele gritar algo sobre amanhã, acenou sem olhar para trás.

Ao sair do prédio e sentir o sol bater em sua pele, o aquecendo automaticamente na medida certa, esticou os braços no alto, se despreguiçando e deixando a cabeça pender só um pouco para trás. Fechando os olhos, deu um longo suspiro.

“Confortável”

Alguns segundos depois relaxou os músculos e voltou a andar. Não deu nem cinco passos direito e sentiu, mais uma vez no dia, o familiar peso em volta de seus ombros.

Se assustou só um pouco, apenas o tempo de um segundo, até voltar ao normal e não precisar olhar para o lado.

- Deve ter uma coisa por me assustar né? Idiota – Disse meio irritado.

- Talvez - Conseguia sentir o sorriso no seu tom. Mo revirou os olhos. – Ou você que se assusta fácil demais, pequeno Mo~

- Vai se foder – Bufou.

He Tian riu, o ignorando.

- Vai agora naquela entrevista de emprego? – Perguntou enquanto alcançavam o portão.

- Sim

O mais alto concordou com um “Hmm” e não disse mais nada.

Quando saíram pelo portão ele retirou o braço. Mo ficou mais uma vez confuso quanto à despedida, ainda parecia estranho virar e dar tchau para o garoto, mesmo que essa fosse a coisa mais normal à se fazer.

Então, sem nem olhar em seu rosto direito, murmurou um “tchau” e começou a andar.

Porém sua blusa foi puxada, fazendo com que voltasse um passo para trás. Olhou irritado para o garoto, que tinha um sorriso estúpido na cara como se tivesse algo ali de engraçado.

- O que você quer-

- Boa sorte – Cortou.

Ele tinha soltado sua blusa, e as mãos foram aos bolsos da calça. Aquela pose segura e calma como sempre, os cantos da boca levantados e estampados em um sorriso que deixava claro um das razões porque era admirado de uma forma ou de outra por tanta gente.

He Tian era confiante. E ele fazia isso de uma forma que agora fazia Guan Shan pensar que... É, isso combinava com ele. Demais.

E por pelo menos uma vez, isso não tinha o deixado com raiva.

Quando percebeu que ainda estava só encarando sem dizer nada, piscou algumas vezes.

- Hm, Obrigado...

Se virou de novo e começou a se afastar.

- E Mountain – Ele chamou, Guan Shan olhou pra trás – Não esquece de sorrir!

Guan Shan revirou os olhos e lhe deu o dedo do meio, dando as costas ao garoto e o sorriso provocativo.

- Até amanhã! – Ouviu ele gritar.

Balançou a cabeça.

Idiota

~~*~*~*~~

Foram vinte minutos trancado em uma sala, respondendo perguntas e tentando passar o máximo de positividade que conseguia à mulher em sua frente, uma senhora que aparentava estar entre os cinquenta e poucos anos.

Isso ajudava Mo à relaxar mais.

Não que estivesse nervoso, afinal já tinha mesmo se acostumado à estar na frente de alguém, e responder quase as mesmas perguntas de sempre, mas a mulher lhe passava calma. Não a rigidez que alguns adultos lhe mostravam, ou olhares que davam na cara que julgavam se ele era mesmo apto à trabalhar em seu estabelecimento.

Poderia até dizer que ela era fofa. Bem fofa.

Com a estatura mediana e óculos redondos que enfeitavam o rosto, cabelo loiro preso e vestida de forma elegante.

Parecia até aquelas avós que faziam crochê e mimavam os netos com biscoitos caseiros e bolo de chocolate.

O que lhe fazia pensar no quão fora do padrão aquilo parecia. Seria ela dona de uma loja dessas?

Quer dizer, se tivesse que imaginar um proprietário para o lugar. Pensaria em alguém mais jovem, julgando pelo estilo do local, com toda aquela modernidade.

Então seria mesmo surpreendente se isso fosse totalmente jogado de lado.

- Guan Shan, querido – Ela chamou, tirando-o dos devaneios – Terminei de avaliar sua ficha, e parece que você é mesmo um jovem bastante esforçado

Guan Shan nunca sabia muito bem o que dizer quando lhe elogiavam ou algo do tipo, então como sempre, disse um obrigado, assentindo de leve. O que a fez continuar.

- Gostaria muito de um garoto bonito e com energia trabalhando aqui conosco – Ela sorriu com doçura – Disse que podia ficar tanto na cozinha como no atendimento, certo? No momento o pessoal da cozinha já está no número certo, mas sempre acontecem imprevistos, então se quiser pegar o serviço extra nós pagamos à mais por ele, posso te colocar como garçom fixo, tudo bem?

- Sim, claro – Se apressou em responder. Dinheiro extra era sempre bem-vindo.

- Então, acho que terminamos por aqui – Se levantou – Eu e meu marido somos os donos, mas também sempre estamos por aqui ajudando nas coisas. Ele diz que devíamos descansar, mas gosto de fazer parte do que crio, e ele também, mas se faz de difícil – Ela riu, falando de forma contagiante. Guan Shan não pôde deixar de dar um sorriso de canto – Bom, qualquer dúvida pode nos perguntar, ou para a Hui, ela é minha sobrinha e também serve as mesas. Pode começar amanhã – Terminou.

- Tudo bem, muito obrigada senhora Fang – Apertou-lhe a mão e se despediu satisfeito.

~~*~*~*~~

“Comida na geladeira, é só esquentar

Amo você, mamãe”

Encontrou o bilhete em cima de sua mesa ao lado da cama.

Às vezes sua mãe os deixava, mesmo podendo mandar uma mensagem ao sair para o trabalho, mas ela preferia eles, dizia que passava mais carinho. Com o tempo Guan Shan aprendeu a achar o mesmo.

Largou a mochila em um canto qualquer e se jogou em cima da maciez da cama, onde ficou por pelo menos cinco minutos.

Sentiu o celular vibrar junto com o toque em seu bolso.

[He Tian 14:02] Conseguiu?

Leu a mensagem na tela.

[14:02] Sim

[He Tian 14:02] Ótimo! Meus parabéns pequeno Mo~

[He Tian 14:03] Quando começa?

[14:03] Amanhã

[He Tian 14:04] Vou ir te fazer companhia, pra não se sentir sozinho

[14:04] Não, você não vai

[He Tian 14:04] Yep, vou sim

[He Tian 14:05] Posso provar mais vezes da sua comida :)

[14:05] Não vou ficar na cozinha

[14:05] Não vai

[He Tian 14:06] Então acho que vai ser só meu apoio moral mesmo ;)

[14:06] ¬¬


Notas Finais


Desculpe qualquer erro, vou revisar melhor depois~

Obrigada por ler~ ^-^

Ah, é! Quero só avisar que tenho uma outra fanfic de Tianshan, na verdade uma Oneshot, baseada em um dorama ;)

Ps: quase me esqueci de comentar sobre o Jin
O amigo platinado do nosso Mo!
Eu dei esse nome ao personagem, já até hoje não se sabe o nome dele de fato.
E aqui, ele vai ter certa participação.
Se alguém ficou perdido, era isso, bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...