História Ignore O Choro - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Jeff The Killer, Lendas Urbanas, Slender (Slender Man)
Tags Sally, Sally A Suja
Visualizações 34
Palavras 305
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Crossover, Sobrenatural, Terror e Horror

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sinto que as pessoas não gostam muito, mas eu amo escrever sobre a Sally. São tantas as possibilidades!! Enfim, boa leitura.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Eu não deveria ter dado atenção ao choro dela.

Acordei essa noite por conta de um choro. Era um choro infantil, constatei rapidamente, e parecia vir de casa. É uma situação bem estranha: Moro apenas com meu pai, e não conheço nenhuma criança. De primeira, ignorei. E deveria ter continuado assim. Mas o choro permaneceu e eu tive certeza de que estava vindo de dentro de casa.

Sai do quarto e segui o choro. Não me desapontei. Estava vindo de dentro da casa. Da sala, especificamente. Uma garotinha ruiva, ajoelhada de costas para mim na sala.

— Ei, querida, você está bem? — Me aproximei e me arrependi logo em seguida.

O choro foi interrompido e um silêncio absoluto tomou conta. Logo, ela começou a rir. Dei um passo para trás. Ela se levantou e virou a cabeça para mim lentamente. Tudo que eu pude ver era sangue, escorrendo pelo corpo e pela cabeça da criança. Algo me dizia que aquele sangue não era dela. Então eu corri.

Me escondi feito uma criança embaixo da cama e liguei para a polícia. O seu riso infantil e brincalhão era perturbador. Ouvi ele se aproximar e depois se afastar. E então se aproximar novamente. Pudia ver, debaixo da cama, seus pezinhos descalços cheios de sangue. E então, ela deixou cair um ursinho de pelúcia.

A criança se abaixou, me olhando diretamente nos olhos.

— Te encontrei! — Ela riu e senti algo me puxar para fora, sem que ela me tocasse. A menina batia palmas e dava pulinhos, fez por ter me encontrado.

— O que você quer aqui? — Perguntei e ela parou com os pulos. Ficou séria e me encarou nos olhos, seus olhos verdes eram tão profundos e frios que me causavam um arrepio. E então, ela sorriu como uma criança.

— Brinca comigo. 


Notas Finais


Obrigada por ler!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...