História Igualmente Diferentes! - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Drama(tragédia), Escolar, Novela, Romance
Visualizações 8
Palavras 704
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Gente desculpa pela demora é porque eu viajei para comemorar meu aniversario mas esqueci de levar o computador e apesar do cap já estar pronto não deu para mim postar no dia então me desculpa pela demora e não pensem que eu desisti da fic!!!!!!

Bjs!!!!!

Espero que gostem

Capítulo 4 - Show de horrores


Fanfic / Fanfiction Igualmente Diferentes! - Capítulo 4 - Show de horrores

Pov’s Logan

 

      Eu e Amanda fomos à primeira dupla a entrar, e nos primeiros 10 minutos já tínhamos achado praticamente todas as dicas para encontrarmos a frase. Entramos em um labirinto, pois uma dica falava que a frase estaria na saída do labirinto.

      Estávamos procurando a saída do labirinto quando percebemos que tinha sangue escorrendo pelo chão, no começo pensei que fosse falso, mas logo depois vimos que era sangue de verdade. Amanda estava desesperada, mas decidimos ver de onde o sangue vinha. Depois de seguir o rastro de sangue paramos em um canto onde nós víamos quem estava do outro lado, mas quem estivesse do outro lado não via.

      No chão estava um homem deitado- Nota-se ele estava morto- tinha sangue escorrendo no chão e o assassino estava procurando alguma coisa dentro da mochila do homem. Tive um susto ao reconhecer o assassino que não usava mascara, era o Chris um garoto da minha sala. Amanda começou a chorar silenciosamente para ele não nos ver, mas quando tentamos nos afastar ele ouviu o barulho dos nossos passos.

      Segurei a mão de Amanda e comecei a nos guiar em direção à saída, mas tivemos que parar em um canto escondido para ele não ouvir mais os nossos passos. Parece que deu certo, pois ele foi ficando cada vez mais distante.

      - Aquele homem morreu! Ele morreu na minha frente! Eu... Eu... – Amanda estava chorando muito, mas chorava silenciosamente.

      Tentei achar a palavra certa para consola-la, mas não consegui afinal oque eu poderia falar para ela?- Aquilo não era um homem de verdade era só um boneco!- Claro que não! Ela viu que não era um boneco. Enquanto eu pensava no que dizer sinto que ela esta me abraçando e então como um bom “amigo”- Afinal: se dependesse de mim não seriamos somente amigos! Já deixei bem claro que gosto dela a chamando para ir ao baile- então me sentindo o homem mais feliz do mundo retribui o seu abraço.

      Ficamos esperando ali durante um tempo então vamos em direção à saída, mas Chris novamente nos encontra então começamos a correr. Chegando à saída o guarda nos barra falando que não temos a frase em mãos, tento explicar para ele a história do Chris, do homem morto e que estávamos fugindo para não morrer também, mas o cara não nos deixa passar mesmo assim, nesse momento um casal de idosos com duas crianças aparecem na saída e Chris também, ele faz o idoso de refém e manda todos saírem do brinquedo menos eu e Amanda- Lembra-se daquele guarda que não acreditou em mim e não nos deixou sair? Pois é, agora ele estava nos empurrando para a saída. – Eu e Amanda saímos e fomos ao encontro de nossos amigos. Quando chegamos ainda deu tempo de impedir que Ana e Eduardo entrassem na mansão- Tinha acabado de passar meia hora entre o horário que a ultima dupla entrou e eles então chegamos na hora certa para impedi-los de entrar.

      Depois de muito tempo explicando o que aconteceu na mansão fomos embora e pouco depois a policia chegou ao local. Parece que o idoso que havia sido refém também foi morto pelo Chris.

      Cheguei em casa depois de levar Amanda e Luana na casa delas e me joguei na minha cama e comecei a pensar um pouco – Oque é estranho já que eu não costumo fazer isso.- E acabo lembrando da Amanda me abraçando e em como eu fiquei feliz quando ela fez isso apesar da situação horrorosa que estávamos naquele momento, também penso em como ela estaria agora pois aquilo balançou muito seu emocional e quando estava indo a deixar em sua casa ela mal respirava do tanto que chorava eu já estava até ficando preocupado com isso.

      Acabo adormecendo depois de um tempo e tenho um sonho muito estranho onde eu e todo mundo estávamos talvez sete anos mais velho e nesse sonho eu e a Amanda estávamos nos casando. Sim agente estava se casando e isso só pode significar uma coisa: eu tenho que pedir ela em namoro logo antes que outro cara faça isso no meu lugar, e eu não aguentaria ver ela namorando outro então tenho que fazer alguma coisa e rápido.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...