História I'II Be There For You - Capítulo 36


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, EXO, F(x), SHINee
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, D-Lite (Daesung), G-Dragon, Jinki Lee (Onew), Jonghyun Kim, Kai, KiBum "Key" Kim, Kris Wu, Lay, Lu Han, Minho Choi, Personagens Originais, Sehun, Suho, T.O.P, Taemin Lee, Taeyang, Tao, Xiumin
Tags Avril Lavigne, Baekhyun, Bigbang, Bts, Chanyeol, Chen, Exo, Lay, Luhan, Romance, Sehun, Shinee, Suho, Tao, Taylor Momsen
Visualizações 24
Palavras 5.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa Leitura!

Capítulo 36 - I want to know what love is


Fanfic / Fanfiction I'II Be There For You - Capítulo 36 - I want to know what love is


"Eu preciso escalar esta montanha
Parece que o mundo está sobre os meus ombros
Através das nuvens eu vejo o amor brilhar
Ele me mantém aquecido enquanto a vida vai ficando mais fria


Na minha vida
Tem havido sofrimento e dor
E eu não sei,
Se eu posso encarar isso de novo
Não posso parar agora
Eu já fui longe demais
Para mudar esta vida solitária


Eu quero saber o que é o amor
Eu quero que você me mostre
Eu quero sentir o que é o amor
E eu sei que você pode me mostrar"


 


Harley Pov's 

Depois que a Hyun saiu com o Kook, a maioria dos adultos "responsáveis" foram embora. Luhan saiu com a namorada, Jin e Suho foram para casa porque precisam trabalhar amanhã, Xiumin  foi embora. E os outros se espalharam pela praia, também chegaram outras pessoas. 

No momento estou bebendo com Hat e a Vix, enquanto a coreana tentava fazer Lisa beber novamente. 
  - Qual é, você já bebeu uma vez - Disse empurrando a garrafa de cerveja para ela. 
  - Sim, mas ainda lembro da Ressaca - Fez uma careta. 
  - Qualquer coisa o Chanyeol te leva pra casa de novo - Disse em tom malicioso. 
  - Mana, aconteceu alguma coisa? - Vix me perguntou, ignorando a pequena discussão ao meu lado - Parece preocupada. 
  - Esperando uma mensagem, mas não é ninguém importante - Dei de ombros guardando o celular. 
  - Não é importante? - Franziu o cenho - Você tá roendo as unhas por alguém que não é importante? 
  - É, isso mesmo - Peguei a garrafa de Whisky e tomei um longo gole - Ele não me importa. 
  - Ley, sabe que não é verdade -Hat disse, com certeza sabe de quem estou falando. 
  
No mesmo instante meu celular vibrou no meu bolso, anunciando uma mensagem, peguei para ver de quem era.
  - Sehun? - Lisa perguntou.  
  - Sim.- Falei, e senti um sorriso se formar em meus lábios. 
  - "Ele não me importa" - Hat imitou minha voz e começou a rir junto com a Vix. 
  - Quietas!  
  
Sehun
"Oi, Marrentinha, tudo bem aí? Foi mal, tive um imprevisto e irei me atrasar"  

Eu 
"Oi Chato, sim está tudo bem, a maioria do pessoal foi embora, incluindo o Aniversariante com minha Unnie. Já tá começando a ficar sem graça"


Guardei o celular no bolso e comecei a andar pela praia com as meninas. Até que avistamos Chanyeol carregando Baekhyun, que não parecia bem.
  - O que deu nele? - Lisa perguntou. 
  - Resolveu misturar as bebidas, e digamos que ele não é muito forte pra isso - Disse. 
  - Hyun me trocou por aquele Moleque, Chany - Dizia totalmente bêbado. 
  - Acho melhor levá-lo para casa - Disse.
  - Pode usar meu carro - Lisa sugeriu - Mas eu dirijo.  
  
E assim os três foram para fora da praia, parecia que a festa tinha acabado, até a música parou. 
  - É impressão minha ou essa festa acabou? - Vix questionou.  
  - Isso aqui tá um tédio - Hat disse revirando os olhos.  
  - Hat consegue mexer na música? - Perguntei e ela assentiu - Ótimo, coloque alguma pra animar isso aqui. Enquanto eu ligo pro pessoal. 
  - Vou com ela, assim posso escolher algumas que gosto - Vix disse e saiu andando com ela. 
 
Liguei pra Amber falando da festa que tinha acabado, e pedi pra mandar algumas pessoas. 
  - Nossa, parece que cheguei atrasado - Ouvi a voz do Kai atrás de mim. 
  - Pois é, a maioria foi embora, e seus amigos estão por aí - Guardei o celular - Tirando Chanyeol que foi levar o Baekhyun pra casa, ele bebeu demais. 
  - Não acredito que perdi isso - Rimos .
  - Você veio sozinho? - Assentiu - Pensei que o Sehun estava com você.  
  - Estava, mas ele resolveu passar em casa, e depois vem pra cá - Explicou. 
  - Entendi. Bom, enquanto o pessoal que chamei não chega, tá afim de beber? 
  - Claro. 
 
Pegamos as bebidas e nos sentamos na areia, até que um tempo depois ele foi se juntar aos amigos dele. 
  - E aí, já te vi mais animada, Harley - Amber chegou e trouxe algumas pessoas da Corrida de Motos com ela.
  - Só estava bebendo e esperando a festa de verdade - Falei virando a garrafa de Soju de uma vez. 
  - Trouxemos mais bebidas, então acho que vai ficar divertido. 
  - Cadê o Chen? - Perguntei. 
  - Acho que ele encontrou sua irmã - Apontou na direção da mesa onde Hat e Vix estavam escolhendo as músicas. 
  - Eles ficam bem juntos - Falei, os vendo conversa.  
 
Fiquei um tempo conversando com ela, até que sinto um toque no meu ombro.
  - Mas e aí será que aguentaria nosso jogo, Loira? - Era Minho da loja de Pranchas. 
  - E aí, Minho, quase não te conheci de camisa - Falei, e ele sorriu - Como sabia o que iria ter aqui?
  - Taemin é meu amigo, e me chamou - Disse.
  - Mas eu pensei que ele tinha ido embora - Franzi o cenho, mas mudei de assunto - De que jogo você estava falando? 
  - Venha comigo. 
  
Me levou até uma roda onde tinham algumas pessoas, um dos amigos dele segurava um funil na boca de um cara, enquanto outro derramava uma garrafa de bebida dentro do funil .  E pelo jeito ganhava quem conseguia beber tudo.  
  - Esse é o jogo? - Perguntei. 
  - Sim, então, topa? - Questionou. 
  - É, pode ser - Dei de ombros, e ele me deixou escolher a garrafa de bebida.  

Fiquei muito mais motivada ao saber que podia apostar uma grana. Comecei a beber como se minha vida dependesse disso, e não tava afim de perder. 
  - Vira, Vira, Vira, Vira....  
  
O céu já começava a girar quando eu virei toda a garrafa, e levantei pulando em comemoração.
  - Foi muito bom fazer negócios com você - Falei, quando me entregaram a grana.  
  
Guardei o dinheiro no sutiã e sai do meio deles, procurando um rosto conhecido no meio das pessoas. 
  - Mana, onde estava? - Vix me encontrou e começou a analisar para ver se estava tudo bem. 
  - Eu tô bem, Maninha - Falei e tirei o dinheiro - Ganhei uma grana virando uma garrafa de bebida. 
  - Tá querendo cair em Coma alcoólico? - Me puxou pelo braço, e começou a andar comigo - Sua louca.   
  -   Onde vamos? 
  - Onde o nosso pessoal está - Disse. 
 
Chegamos no tal lugar todos sentados na areia, alguém tinha feito uma fogueira. 
  - Acho ela? - Hat perguntou e me encarou. 
  - Sim, estou bem, não precisavam mandar a Vix atrás de mim - Me sentei ao lado da Hat e a Vix do meu lado.  
  - Todos nós sabemos o que acontece quando você some, Ley - Tao disse e eu revirei os olhos. 
  - Ele tá certo - Taemin o ajudou.  
  - Pronto. Trouxe dois violões - Chanyeol apareceu segurando um violão, e a Lisa outro - Alguém mais sabe tocar? 
  - Eu sei - Vix disse e Lisa se aproximou dela lhe entregando. 
  - Tem vaga pra mim aí? - Lisa questionou, Hat e eu nos encaramos cúmplices, e negamos restando apenas um lugar ao lado do Chanyeol para ela sentar. 
  
Chanyeol e Vix tiveram um debate para escolher a música, e começaram a tocar, enquanto o resto de nós os seguiam cantarolando. 
  - Será que cabe mais um nesse meio? - Todos se viraram na direção da voz, era o Sehun. 
  - Sempre cabe mais - Kris disse. 
  
Ele sorriu e me encarou, levantei e corri em sua direção, pulando nele e o envolvendo em um abraço.
  - Finalmente chegou - Falei quando nos separamos. 
  - Tive que resolver umas coisas - Disse colocando uma mecha do meu cabelo atrás da orelha - O que eu perdi ? 
 - Da festa não muita coisa, mas quero que conheça uma pessoa - Ele Franziu o cenho e eu me virei na direção do pessoal - Vix, vem cá, por favor.  

Ela se aproximou confusa, e a abracei pelos ombros.  
  - Vix, esse é o Sehun - Apontei para o moreno - Sehun, essa é a minha irmã Victoria ou Vix.
  - É bom conhecer a pessoa que manteve ela viva - Sehun disse irônico e eu revirei os olhos.  
  - É bom finalmente te conhecer , assim posso deduzir por mim mesma se o que ela me falou de você é verdade - Disse e eu arregalei os olhos, temendo o que vinha por aí. 
  - Ela falou de mim pra você? - Perguntou, e pude notar seu sorriso convencido. 
  - Na verdade,  toda mensagem ela mencionava você, e como você  a deixava - Disse. 
  - É mesmo? - Me encarou com um sorriso travesso. 
  - Tá legal, já chega! - Tampei a boca dela - Nunca mais te dou café puro. 
  - Só te dando uma forcinha, Ley - Disse e voltou a se sentar. 
  - Fiquei curioso e surpreso - Me virei novamente pra ele, que mantinha seu olhar sério em mim - O que você falava de mim? 
  - O quanto esse sorriso convencido me deixa com vontade de te socar - Falei, em um tom irritado que o fez rir fraco.  
  - Acho que não era isso - Se aproximou tocando meu rosto com sua mão. 
  - Então, porque não damos uma volta e você tenta descobrir? - Peguei uma garrafa de Whisky lacrada sobrando - Assim você aproveita e me fala sobre essa viagem que fez. 
  
Começamos a andar perto do mar, dividindo a garrafa, ouvindo as ondas e sentindo a brisa gelada tocar o rosto. 
  - Como foi nessa viagem? 
  - Foi bem, só resolver umas coisas - Disse e parei de andar. 
  - Não pode me conta? - Ele também parou um pouco mais a frente, ficando de costas para mim. 
  - Desculpa, Ley, não é o momento certo - Respondeu, notei como esse assunto o incomodava. 
  -Quer saber o que eu falava de você pra Vix? - Ele continuou parado de costas para mim, e eu respirei fundo para continuar -Que me deixava confusa, não sabia se devia confiar em você. Mas que eu me sentia bem quando estava com você, mesmo que na maioria das vezes sinto vontade de te bater, e em outras apenas está com você já me serve. E agora que está aqui, me sinto completa, todos que amo no mesmo lugar. 


Ficamos em silêncio por um tempo, até que ele se virou, parecia tão surpreso quanto eu e talvez até mais. 
  -Não deveria ter dito isso.
Foi o que respondeu e o assisti se aproximar , tomando meus lábios em um beijo urgente, em um único movimento pulei enlaçando sua cintura com minhas pernas. Nossas línguas se tocando com desejo, em uma sincronia quase perfeita, ele me segurava com força e eu mantinha minhas mãos em seu rosto.  Meu coração estava acelerado, e nossas respirações ficaram descompensadas, fomos obrigados a parar. 
  - Viu? Sabia que sentia alguma coisa por mim - Disse presunçoso, continuamos na mesma posição, e nossos rostos próximos. 
  - Vai começar a se achar? Se for eu retiro o que disse - Falei brincando e ele riu fofo, me fazendo sorrir - Agora você sabe o que sinto. 
  - Agora eu sei. 

Iniciamos outro beijo lento, a mão dele passeava pelo meu corpo, e eu enterrei meus dedos em seu cabelo. Se tornou necessitado, e sua mão atrevida adentrou minha blusa apertando meu seio, fazendo com que arfasse entre o beijo.  Estava esquentando e sabíamos onde isso iria parar. 
 
  - Mas olha só - Paramos assustados, fui colocada no chão, e encarei o G-Dragon que estava com Seungri como sempre - Vejo que voltou, Sehun. 
  - O que você quer? - Perguntei o encarando - Não vê que tá atrapalhando? 
  - Ley, deixa que eu cuido disso - Sehun disse ficando na minha frente - Sim, eu voltei, pelo visto ficou sabendo rápido.  
  - Tenho minhas fontes -Sorriu cínico - Mas quis vir pessoalmente saber se era verdade.  
  - Sério? Que coincidência, também tenho um assunto pra tratar com você - Parecia ter ficado mais sério que o normal. 
  - E o que seria? 
  - Você teve a coragem de pagar pra um Barman batizar a bebida da Ley, e achou que ninguém iria descobrir? - As únicas vezes que vi o Sehun irritado assim, foram quando o G-Dragon queria me agarrar, ou quando ele me interrompeu com o Kai, não sabia o que esperar dele agora. Nem sabia  que ele tinha descoberto isso. 
  - Achei que seria divertido...   

Sehun partiu para cima dele e os dois começaram a brigar feio. 
  - Seungri, faz alguma coisa! - Gritei. 
 
Ele tentou separar, mas acabou levando um chute.  
  - Chega vocês dois! - Gritei tentando fazer algo, mas sem efeito, e não seria louca de me aproximar ou levaria um chute que nem o Seungri. 
  - CHEGA! - Ouvimos os gritos, Seungri segurou o Dragon e o Kai segurou Sehun.
  - Você tá bem?  - Hat perguntou, e Vix também chegou preocupada. 
  - Estou. 
  -   O que tá acontecendo aqui? - Kris perguntou. 
  - Esse cara mereceu - Sehun resmungou se soltando - Sabe o que fez. 
  - Tá certo,  admito esse meu erro, mas... - Disse se soltando e limpando o sangue que escorria da boca - Você não sabe de tudo, Sehun.  
  - Foi mal,  acabei contando pra ele - Chanyeol Sussurrou ao meu lado. 
  -De qualquer jeito ele iria descobrir -Falei. 
  - Como assim eu não sei de tudo? - Sehun perguntou, e eu senti minha pulsação acelerar, já sentindo as consequências dos meus atos impulsivos. 
  - Sabe a sua preciosa, Harley?  - Se aproximou dele e me lançou um olhar malicioso - Então,  ela veio atrás de mim algumas noites atrás, completamente sozinha. 
  - O que você foi fazer lá, Harley? - Sehun questionou irritado. 
  - Eu... queria o confrontar, atrás de respostas - Minha resposta pareceu deixar o moreno ainda mais irritado.  
  - Não é culpa dela, eu a deixei bastante curiosa com as coisas que falei e ela mordeu a isca - Dizia com naturalidade.
  - Mas o Lay me tirou de lá antes que acontecesse alguma coisa - Falei e todos me fitaram - Tava tudo numa boa. 
  - É nem pude fazer nada... 
  
Foi acertado por um soco do Sehun, que passou por mim furioso. 
  - Sehun, espera! - Tentei ir atrás dele, mas fui impedida pelo Chanyeol. 
  - Deixa que cuidamos disso - Disse e o Kai se aproximou.
  - Nós dois falamos com ele, e quando estiver mais calmo, te chamamos.  
Os dois foram falar com ele, enquanto eu fiquei ouvindo os sermões da Vix por ter saído escondida, e a Hatsune ajudando. Até que o Kai voltou.
  - Pode ir, ele parece mais calmo, mas o Chanyeol hyung ficou lá pra garantir. 
  
Estava indo quando fui segurada por alguém. É impressão minha ou tá todo mundo fazendo isso hoje? Me virei para encontrar o Tao me segurando. 
  - Não acredito que vai atrás desse cara - Disse, sem soltar o meu braço.
  - Aquele cara me salvou do G-Dragon aquela vez - Falei séria e ele revirou os olhos. 
  - Ele conseguiu o que queria, fez uma lavagem cerebral em você - Dizia, parecia magoado - Ley, você virou a cachorrinha do Sehun. 
  
Acertei o rosto dele com a minha mão  livre. 
  - Tao, eu.... - Tentei pedir desculpas. 
  - Não precisa - Notei seus olhos marejados - Só não quero que ele te machuque como daquela vez .
  - O Sehun não vai me machucar. 
  
Foi a última coisa que falei antes de seguir meu caminho. Avistei o Sehun em sua moto e o Chanyeol conversando com ele, parei um pouco distante, e o mais velho disse algo antes de vir na minha direção. 
  - Conseguimos acalmar um pouco, mas ele ainda tá com raiva - Disse. 
  - Tudo bem, deixa que eu cuido dele, obrigada Chanyeol - Sorri e ele retribuiu antes de sair. 
  - Então, vai começar a se explicar ou vai inventar alguma mentira? - Perguntou sério. 
  - Sehun, não espero que entenda porque fiz isso, mas... 
  - Você me desobedeceu, te falei pra não ir atrás dele! - Dizia cada vez mais irritado.  
  - Eu só queria confrontar ele, apenas isso -Me sentia ainda mais estúpida falando isso. 
  - Tá, não vamos brigar aqui,  se vamos discutir que seja em outro lugar - Disse sério e me entregou o capacete, fiquei receosa, mas peguei.  
  -   Voltou anos depois pra me fazer confiar em você como antes, e trazer minhas memórias de volta - Me encarou tentando entender onde queria chegar - Eu confio em você, estou relembrando aos poucos. 
  - Ley.... 
  - Você me queria de volta na sua vida, agora aguenta, Oh Sehun! 
  - Sobe e continuamos essa conversa lá em casa. 
Eu subi enlaçando meus braços em sua cintura, e fomos para a casa dele. 


Vix Pov's 
  - Sua irmã sempre te dá dor de cabeça? -  Chen parou ao meu lado, me fazendo levantar a cabeça para encará-lo, pois estava sentada.  
  - Algumas vezes, mas já tivemos dias piores - Falei, e ele sorriu sentando ao meu lado. 
  - Sei bem como é, também tive tempos assim com a Amber, já se meteu em cada uma por causa das corridas - Revelou. 
  - Acho que temos algo em comum, irmãs mais velhas para cuidar - Nos encaramos e rimos.  
  - Gostei de te ver tocando violão mais cedo - Disse me surpreendendo - Você toca bem. 
  - Valeu, quem sabe não podemos tocar juntos algum dia - Deixei escapar o pensamento, e comecei a me xingar internamente por isso.  
  - Eu não toco violão, mas sei tocar piano - Disse e ri de sua pose do tipo "Sou poderoso" 
  - E pelo jeito também sabe cantar - Falei e me encarou como se questionasse - Te ouvi hoje quando todos estavam em volta da fogueira.
  - Então não preciso me sentir culpado por está prestando atenção em você mais cedo -Disse, e o encarei surpresa, ele riu me fazendo sorrir. 
  
Estava começando a gostar da companhia do Chen.



Hat Pov's 
Entrei na competição do funil, e estava ganhando graças a minha resistência ao álcool. Já tinha virado duas garrafas de Soju, e agora estou decidida a partir para Vodka. Todo mundo ao redor começou a gritar para que eu acabasse logo, já tinha caído mais nas minhas roupas do que na boca, mas enfim consegui terminar.  
  - ISSO! - Pulei comemorando - Tomem essa seus idiotas. 
  - Você é bastante resistente, Hatsune - Um rapaz se aproximou, parecia ser amigo de um dos surfistas. 
  - Não sou resistente apenas com bebida - Me aproximei cheia das segundas intenções, mas antes que pudesse fazer qualquer coisa, fui puxada e arrastada para longe - Me solta seu imbecil!
  
Tentava me soltar mesmo sendo em vão, pelo simples fato de Seungri ser bem mais forte. 
  - Precisamos conversar, Hatsune! 
  
Seu tom calmo porém sério, me fez perder a paciência de vez, com a ajuda do álcool toda raiva que estava sentindo dele aumentou. 
  - AGORA VOCÊ QUER CONVERSAR? - O fiz parar e ele me encarou surpreso - NÃO TEMOS NADA PARA CONVERSAR. TUDO QUE TÍNHAMOS, SE É QUE VOCÊ SENTIA ALGO POR MIM, ACABOU! 
  - Hat, se acalma... - Parecia preocupado com as pessoas olhando.
  - ME ACALMAR? TÁ COM MEDO DE QUE? SEU BASTARDO! - Aproveitei que ele tinha me soltado, e tentei acertar um tapa na cara dele- Te odeio, Lee Seung-hyun. 


 Mas segurou meu braço, me puxando para ele e me beijou.  Tentei resistir colocando a mão no peito dele e o tentando empurrar, só que ele desceu as mãos até minhas nádegas apertando. Desse jeito colando mais os corpos, aprofundando o beijo e sua língua encontrou a minha em um beijo com gosto de álcool. 
  - CHEGA!  - O empurrei com força. 
  - Seu desgraçado! - Monster chegou acertando  um soco na cara dele - Fica longe dela. 
  - Desculpa, mas eu não tava beijando sozinho - Riu em deboche. 
  - Hat, não acredito que beijou esse cara depois de tudo que ele te fez - Namjoon me encarou decepcionado. 
  - Ele me pegou de surpresa e...
  - Você poderia ter separado se quisesse - Disse e parecia triste.   
  - Nam, eu separei,  você viu quando o empurrei - Me aproximei dele colocando as mãos em seu rosto, o fazendo me encarar nos olhos. 
  - Sim, eu vi, também vi como reagiu antes de o empurrar - Disse e tirou minhas mãos de seu rosto, me dando uma última olhada antes de sair seguindo uma outra direção. 
  - Ah qual é! Só foi um beijo, e tinha gosto de Whisky barato - Falei indignada, mesmo sabendo que ele não poderia me ouvir da distância que estava.
  - Ei, eu ouvi isso - Seungri disse ficando ao meu lado. 
  - Acho bom - Fiz uma careta - Nam, SEU INFIEL! 
  - Ele não vai te ouvir - Disse com ar de deboche - Posso te dá uma carona. 
  - Prefiro ir de pé do que aceitar uma carona sua! 

Me afastei dele procurando algum conhecido, e achei Lisa, Chanyeol,  Chen e Vix sentados conversando.  
  - Gente, não sei vocês, mas pra mim a festa acabou - Todos me fitaram - Quem vai me dá uma carona? 


Sehun Pov's 
  - Vamos brincar de médico?  - Se  aproximou com algodões e álcool pra limpar meus machucados.  
  - Se acha que isso vai te livrar da bronca - Comecei, mas ela me parou colocando o algodão em um dos machucados, sorriu satisfeita com minha careta.
  - Eu não acho nada, Sehun - Disse, jogando o algodão sujo e pegando outro - Apenas não quero te ver machucado, em partes isso é culpa minha. 
  - Não é culpa sua ele ser um idiota - Falei e ela sorriu. Passou o algodão no canto da minha boca, e me deu um selinho demorado, se afastando em seguida. 
  - Terminei.  
Foi guardar o kit no banheiro, e quando voltou parou no batente da porta. 
  - Então, quem começa? - Perguntou.  
  - Onde exatamente estava com a cabeça quando foi atrás do Dragon?Ainda mais sozinha no meio da noite - Levantei e cruzei os braços a encarando.  
  - Em cima do pescoço?  - Perguntou, usando seu péssimo humor para se livrar de um assunto sério. Sempre foi assim, apenas revirei os olhos - Ah qual é, Sehun. Já disse... 
  - E por um segundo não pensou no que poderia ter acontecido com você? Droga! E se ele tivesse tentado te agarrar? E o Lay não tivesse te tirado de lá? 
  - Eu teria dado um jeito, como sempre faço, sei me defender - Tentou se justificar, e eu ri sem humor. 
  - Sua defesa não iria servir de nada se ele tivesse te drogado, sua inconsequente! - Me alterei.
  - Quer saber? A culpa disso também é sua, "Sr. Sei o que estou dizendo" - Se aproximou irritada, e quase ri pela diferença de altura. 
  - Como assim a culpa é minha? - Franzi o cenho. 
  - Se você não ficasse tentando me impor limites, eu não faria essas coisas - Começou a bater o dedo no meu peito. 
  - Só fiz o que deviam ter feito, você é um perigo, Harley Armstrong! 
  - Você que é Mandão, Oh Sehun! 
  - Eu não sou mandão, você que é infantil... 
 - Não tô ouvindo, Lá, Lá, Lá - Tampou os ouvidos, deixando claro o que mencionei, mas puxei seus braços - Não sou infantil, você que é carrancudo. 
  - Encrenqueira! 
  - Birrento! 
  - Impulsiva! 
  - Insuportável! 
  
Em cada adjetivo trocado nos aproximamos mais, e já não estava mais ligando para briga nem uma, só o quanto queria a calar com um beijo. Foi quando a puxei pelo braço e coloquei uma de minhas mãos em sua nuca, aproximando nossos rostos.
  - Safada! 
   -Cafajeste! 

Iniciei um beijo quente, colando os corpos e ela pulou no meu colo, enlaçando minha cintura com as pernas. Nossas línguas se moviam em sincronia, ela arranhava minha nuca, aprofundado o beijo e o tornando molhado. Encostei ela na parede, e a fiz arfar passando a língua em seus lábios, fui para o seu pescoço onde deixei alguns selares, depois passei a chupar e morder deixando marcas vermelhas.  Retirei sua blusa e ela fez o mesmo com minha jaqueta, fitei seus seios ainda com o sutiã vermelho.  
  - Belo sutiã, pena que ele tá atrapalhando meus planos - Falei, o abrindo e jogando em qualquer lugar, fitando seus seios agora livres. 
  - Digo o mesmo dessa sua camisa - Disse e a ajudei a tirar, e ela arranhou meu abdômen mordendo o lábio inferior. 
 
Apertei seus seios e depois os abocanhei com desejo, fazendo a mesma gemer e enterrar os dedos no meu cabelo, sugava um enquanto apertava o outro. Ela desceu as mãos até minha calça, desabotoando com pressa, abaixou e por cima da cueca boxe começou a estimular meu membro.
  - Oppa - Sussurrou perto da minha boca e arfei sentindo ela aumentar os movimentos, com a mão livre apertou meu ombro e começou a passar a língua no meu pescoço. Se aproximou da minha orelha e mordeu o lóbulo - Quero sentir você.  
  
 Nos livramos da roupa ficando apenas com peças íntimas, e sentei na cama a chamando para sentar em meu colo. Assim ela fez enlaçando meu pescoço com seus braços, voltamos a nos beijar lentamente, mas apertando ela em meu colo. Gemeu entre o beijo sentindo minha ereção, começando a rebolar e me deixando louco, mas minha intenção essa noite não era deixá-la me dominar.  


Harley Pov's 


Sehun me derrubou na cama e o encarei indignada, mas ele sorriu me beijando. Colocou sua mão dentro da minha calcinha, e invadiu minha intimidade com dois dedos, mordi o lábio inferior dele contendo o gemido. Mas parou o beijo e me encarou nos olhos enquanto começava as estocadas. 
  
  - Vai aprender a me obedecer por bem -  Deu uma estocada mais funda - ou por mal. 
  

Começou a depositar selares em meu pescoço, e foi descendo beijos molhados pelo meu corpo. Chegou perto da minha intimidade tirou minha calcinha, e para provocá-lo passei meu pé direito em seu peito, descendo até a barra da cueca e sorri safada demonstrando o que queria. Sehun parou me encarando sério, e eu sentei na cama. Lambi seu abdômen arranhando em seguida, e puxei a cueca para baixo, quando estava pronta para começar, ele envolveu meu rosto com a mão e me fez encará-lo. 
  - Desculpa, Ley, mas hoje você está de castigo - Seu olhar sério me deixava ainda mais excitada.  

Antes que pudesse questionar ele me empurrou na cama, me fez ficar de quatro e se deitou, fazendo com que ficasse com a intimidade em seu rosto. Mordi o lábio inferior com força, já sentindo um frio um na barriga. Começou a chupar minha intimidade com sua língua maravilhosa, fazendo movimentos rápidos em meu clitóris, me agarrei aos lençóis e comecei a me movimentar no ritmo em que era chupada.  
  - Cretino! - Gemi sentindo as fisgadas, e o calor aumentando, senti minhas pernas dormentes e me derramei em sua boca.  
  
Desabei de bruços na cama tentando recuperar o fôlego, ele beijou meu rosto e foi descendo beijos pelas minhas costas, até que o senti abrir minhas pernas. Se colocou entre elas, deu dois tapas em minha bunda me fazendo gemer, deitou sobre mim. Me deu um selinho antes de me penetrar sem aviso. 
  - Sehun! - Gemi arrastado me agarrando ao travesseiro. 
 
Começou com movimentos lentos, quase preguiçosos, como se me torturasse. Mas não deixava de ser prazeroso, acertando os lugares certos, e me fazendo revirar os olhos.  Aumentou os movimentos fazendo a cama ranger,  assim como os meus gemidos, que se tornaram mais altos. O quarto se tornando cada vez mais quente, nossos corpos suados, os gemidos dele na minha orelha me deixando cada vez mais excitada. 
  
  
Começou a ir cada vez mais fundo, o barulho das nossas intimidades se chocando, estava me levando a loucura.  Sentia meu ápice cada vez mais perto, mas ele parou se retirou de dentro de mim, mudando de posição ficando por cima . Me agarrei as suas costas, e senti ele entrando bem fundo dentro de mim. 


Nos beijamos com desejo abafando nossos gemidos, quando ele começou a entrar e sair de mim, se a cama antes rangia, agora ela batia na parede com a velocidade em que ele me estocava. Enlacei minhas pernas em sua cintura, e o incentivei a continuar, cravei minhas unhas em suas costas descontando o prazer. Sentia meu ápice se aproximar,  e meu corpo se tornando mais mole. 
  - Hunnie... - Gemi passando minhas unhas em suas costas, sentindo o meu líquido escorrer pela coxa, com mais algumas estocadas também chegou ao seu ápice, se derramando dentro de mim e gemeu rouco no meu ouvido .  


Se jogou exausto ao meu lado, e eu fechei os olhos tentando voltar ao normal, acabei perdendo toda minha linha de raciocínio. Sehun me puxou para deitar em seu peitoral e nos cobriu.  Beijou  minha testa e começou a fazer carinho na minha cabeça.  
  - Se toda nossa briga terminar assim, podemos brigar toda semana -Brinquei e ele riu fofo. 
  - Se você me desobedecer outra vez - Ficou em cima de mim, me prendendo na cama - Vai ser bem pior, não quero que chegue perto daquele cara outra vez.  
  - Se eu desobedecer, minha punição vai ser pior? - Perguntei e ele assentiu - Estou pensando em ir lá essa semana, e ficar bem louca. Cara, até o Snoop Dog vai ter inveja.
  - Sua tarada!  - Começou a rir, e não resisti acabei rindo também, ele me puxou para deitar em seu peito e me deu um selinho - Te amo, Marrentinha. 
  - Também te amo, cretino. 
  
Nos beijamos com carinho e deitamos de conchinha, enlaçou minha cintura com seu braço, e coloquei minha mão em cima da dele entrelaçou  nossos dedos, sentindo a respiração dele no meu pescoço logo peguei no sono.  
 


Notas Finais


Queria divulgar minha nova fanfiction,deem uma olhada **-** por favor

https://www.spiritfanfiction.com/historia/teenage-lobotomy-13830728


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...