História Ikimasu - Capítulo 41


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Akamaru, Asuma Sarutobi, Boruto Uzumaki, Chiyo, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hashirama Senju, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ibiki Morino, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Kankuro, Karin, Kiba Inuzuka, Kurenai Yuuhi, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Maito Gai, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Personagens Originais, Rin Nohara, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi, Tobirama Senju, Tsunade Senju, Yamato
Tags Kakasaku, Kakashi, Naruhina, Naruto, Nejiten, Saiino, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 129
Palavras 4.838
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yo mina-san!🙂

Desculpem a demora pra postar, é que a minha vida anda muito bagunçada ultimamente e agora que eu fiquei doente as coisas saíram um pouco dos eixos😅

Mas vamos falar da Fic.
Hoje - depois de alguns bons dias sem postar - trago pra vocês mais um cap novíssimo feito com muito carinho❤
Aviso: se você é sentimental, se emociona fácil ou chora com momentos especiais, sugiro que tenha em mãos alguns lenços ou uma caixa inteira. Fica ao critério de vocês.

Mina, estou preparando um especial para o próximo cap e ele é, digamos... Quente. Então eu gostaria de saber de vocês: hentai leve, parcial ou intenso😏? (Só lembrando que eu não sou boa nesse gênero😌). Vocês quem escolhem, é só deixar as opiniões nos comentários👍🏻

Bom, eu espero que gostem do cap de hoje. Se gostaram, deixa lá nos comentários porque - já virou minha frase de efeito kkkkk - eu amo, adoro, gosto do fundo do meu kokoro❤ os comentários de vocês. Desde já peço desculpas por qualquer erro ortográfico presente no capítulo.
Perdoem a demora pra postar e também a demora pra responder os cometários😌

Kissus meus amores❤
E boa leitura😘

Capítulo 41 - Reciprocamente felizes.


Fanfic / Fanfiction Ikimasu - Capítulo 41 - Reciprocamente felizes.

*Kakashi On*

Se engana quem pensou que eu e Kyio nos casamos um mês depois que tudo havia voltado ao normal. Durante esse tempo muitas coisas aconteceram e o mundo parecia conspirar contra mim.

O porquê disso? Eu explico.

Uma semana depois que nossa vida se estabilizou novamente, minha noiva começou a se sentir muito indisposta, tonta, sem apetite e enjoava com tudo.

Ela enjoou até do perfume que eu usava! E olha que ela adorava o aroma...

Achando isso um tanto estranho, fiquei insistindo pra ela ir a uma consulta e, uma semana antes do nosso casamento, Kyio aceitou ir.

Chegando ao consultório da obstetra - isso mesmo, DA obstetra. O único homem que pode ficar no meio das pernas da minha mulher sou eu - ela avaliou Kyio, passou alguns exames e constatou que o que estava deixando minha esquentadinha daquele jeito era a falta de algumas vitaminas.

Passados alguns medicamentos, ela alertou sobre possíveis efeitos colaterais. Eu só não imaginava que esses "efeitos" se manifestariam tão fortemente...

Kyio ficou com um péssimo mal humor.

Qualquer coisa a tirava do sério e ela por muito pouco não matou o Itachi depois dele ficar de zoeira dizendo que minha noiva estava uma bolinha. Realmente, Kyio havia ganhado uns quilinhos, mas comendo do jeito que ela estava comendo, isso não era de se admiriar.

No fim eu consegui salvar o meu amigo Uchiha, mas ele ainda saiu lá de casa com a marca da mão de Kyio inteirinha desenhada no seu rosto devido ao tapa miserável que a ruiva lhe deu.

É como o Gaara diz: se a Kyio estiver com raiva, é melhor correr.

As únicas pessoas que não provaram da ira da minha noiva foram eu e Tadashi. Com meu filho, Kyio era sempre amorosa, gentil e adorava lhe dar carinho. Já comigo ela ficava manhosa, querendo atenção o tempo todo e me enchendo de beijos.

Abençoados efeitos colaterais....

Mas, voltando a falar do nosso casamento - que não aconteceu na data prevista - acabamos desmarcando.

Porquê?

Porque minha noiva amanheceu vomitando pacas e, além disso, estava chovendo horrores, o que era péssimo pra um casamento que aconteceria ao ar livre.

No fim, não casamos no dia que queriamos.

Após isso, Kyio passou mais uns dias ainda enjoada e de mal humor até que finalmente aqueles benditos comprimidos vitamínicos acabaram e ela voltou a ser a mesma ruiva de antes.

Mas, depois disso, muita coisa mudou.

E como mudou...

[...............]

Dois meses depois, num sábado a noite qualquer...

— Então tá apostado! — Minha noiva sorriu vitoriosa.

Era uma noite comum de inverno e fazia um frio de congelar a alma. Dentro de casa, eu e Kyio já estavamos a tempos numa conversa sobre qual seria a aparência do nosso filho.

Só que, no fim das contas, a conversa virou aposta.

— Essa ta no papo! — Lhe puxei delicadamente pra cima de mim.

Eu estava deitado no sofá e a uma hora e meia atrás também estava vendo um filme qualquer. Mas ai chegou a ruiva, toda manhosa querendo carinho, e eu voltei minha atenção pra ela. Kyio sentou no meu colo e eu acariciei sua barriga já bem grandinha de exatos e muito bem acompanhados 5 meses de gravidez.

— Não cante vitória antes do tempo meu querido. — Minha esquentadinha me roubou um selinho. — Só quando ele nascer vamos saber quem ganhou. E, modesta a parte, espero que você esteja preparado pra me pagar.

Exatamente, ELE.

A mais recente ultrassom pra qual eu acompanhei minha noiva nos revelou que o próximo membro da família é um menino forte e saudável. Quando soube disso, fiz a maior festa dentro da sala em que estávamos e, quando cheguei a nossa residência, passei umas meia hora ligando pra todo mundo avisando que era um garoto e convidando a todos pra comemorar com a gente.

Mas voltando a falar da aposta...

Dei um sorriso travesso.

— Tem tanta certeza assim que vai ganhar essa aposta? — Perguntei provocativo.

Ela sorriu maldosa.

— Tenho.

Resumidamente, nossa aposta era essa: se o nosso filho fosse parecido com a Kyio, ela ganhava. Se ele fosse parecido comigo, eu ganhava.

Mas só bastava olhar pra o Tadashi pra saber que minha vitória era certa.

Como minha noiva diz: eu faço bem feito.

Depois de uma troca de olhares, Kyio se debruçou encima de mim e começou a me encher de beijos de forma provocativa. Seus lábios macios passeavam pelo meu pescoço me causando diversos arrepios e eu sabia muito bem que ela estava sorrindo ao ver que meu corpo reagia a seus toques.

— Eu fico muito feliz por ser pai de novo. — Acabei arfando quando ela mordeu o lóbulo da minha orelha. — Mas não sei se aguento ficar nove meses sem tirar uma casquinha de você...

Kyio sorriu maliciosamenre enquanto voltava sua atenção para meu pescoço. Como quem não quer nada, deixou inúmeros beijos ali e, depois, aproximou a boca da minha orelha.

— Se nosso filho nascer parecido com você, eu vou te compensar por aguentar esses nove meses. — Sussurrou. — Esse vai ser meu pagamento da aposta... Isso, se você ganhar.

Um sorriso maldoso surgiu nos meus lábios.

A ruiva, vagarosamente, tirou minha camisa a jogando no chão antes de começar a beijar meu pescoço de novo, depois descer pra clavícula e a passar suas unhas lentamente pelo meu peitoral.

— Não me provoque... — Murmurei rouco.

Mas minha noiva não deu a mínima. Apenas continuou me atiçando até que eu decidi que também queria ter meu "divertimento"

Em questão de segundos tirei sua blusa e a joguei sabe Kami a onde.

— Controle-se Kakashi. — Kyio pediu travessa e com um enorme sorriso na cara enquanto sentia minhas mãos irem de encontro ao feixe do sutiã.

Dito isso, parei o que estava fazendo enquanto ela apenas se debruçou novamente por cima de mim e juntou nossos lábios de forma quente, fazendo com que eles se encaixassem com perfeição num beijo intenso.

— Você é má, futura senhora Hatake. — Respirei pesadamente de olhos fechados. — Sabe que estou louco pra te sentir e fica me provocando...

Kyio não disse nada, apenas sorriu antes de me beijar de novo.

— Também tô com muita vontade de sentir você. — Deitou com a cabeça sob meu peitoral. — Mas temos que nos controlar. Pelo menos até o bebê nascer.

A abracei e, ainda mantendo esse contato, fui me sentando até que ela ficasse em meu colo. Segundos depois nos separamos e eu desci as mãos para a sua barriga.

— Você está linda grávida. — Comentei sorrindo bobo. — E eu agradeço todos os dias por poder admirar sua beleza.

Minha noiva arqueou uma sobrancelha.

— Ta dizendo isso pra livrar a cara do Itachi que disse que eu estava gorda ou você realmente me acha bonita mesmo com alguns quilinhos a mais?

Eu acabei soltando uma risadinha.

Minha noiva sempre teve cuidado com o próprio corpo. De um jeito simples, gostava de está sempre com uma boa aparência e isso não mudou na gravidez.

Tirando o fato que ela ta comendo pra cacete, tudo ainda era como antes.

— Amor, magra ou gorda, vou te amar do mesmo jeito. — Lhe roubei um selinho. — E confesso que gostei desse seu novo corpo. Melhor dizendo, eu adorei.

A minha esquentadinha sorriu e se levantou dizendo que ia fazer pipoca pra gente poder voltar a assistir. Saiu caminhando vagarosamente até a cozinha enquanto eu apenas sorria adimirando a bela paisagem que era seu bumbum redondinho, de pele macia e magnificamente carnudo sendo ainda mais realçado pela lingerie vermelha.

"E como adorei...!"

Depois de perceber que eu estava secando a ruiva e também os tipos de pensamentos que estava tendo, balancei a cabeça negativamente pra tentar afasta-los.

No fim, falhei.

Após suspirar, fui até onde ela estava e a abracei por trás escondendo meu rosto em seu pescoço.

— Amo vocês. — Declarei.

Kyio sorriu.

— Também te amamos.

Finalizadas nossas declarações, eu a virei e lhe beijei apaixonadamente lembrando que em breve ela não se chamaria mais Kyio Otsuba, mas sim, Kyio Hatake.

Minha Kyio Hatake.

E a nossa noite foi resumida a comer, ver filme, aproveitar a companhia um do outro, sentir as provocações da ruiva e, as vezes, deixar que minhas mãos bobas pudesses aproveitar um pouquinho também

[..............]

Quatro meses depois...

Acordei sentindo algo se mexer embaixo da minha mão.

Ao abrir os olhos, sorri enquanto acariciava a barriga grande da minha noiva. Kyio dali a uns dias completaria nove meses e eu estava muito ansioso.

— Ohayio. — Ela sorriu.

Eu acabei sorrindo também.

— Ohayio, futura senhora Hatake.

Ela soltou uma risadinha antes de, com um pouco de dificuldade devido a sua barriga grande, se sentar na cama. Depois disso, fez seu básico alongamento matinal antes de levantar e ir rumo ao banheiro pra fazer suas higiene diária.

Eu, com muito custo pois a manhã estava um pouco fria e minha cama estava quentinha, levantei e a acompanhei.

— Hoje é a última degustação dos doces. — Falei antes de começar a escovar os dentes. — Mas eu tenho uma reunião agora de manhã, outra a tarde e não posso faltar.

Minha noiva suspirou. Mesmo querendo que eu a acompanhasse, ela entendia que a Fundação também precisava de mim e, por compreender isso, concordava em ir com outra pessoa.

— O Itachi vai comigo. — Disse simples me abraçando.

Arqueei uma sobrancelha antes de parar a escovação pra fazer a pergunta que queria.

— Porque não vai levar o Gaara de novo?

— Porque o Gaara comeu todos os docinhos da última vez e não deixou nenhum pra que eu pudesse provar. O Itachi pelo menos come aquelas coisas estranhas que são light e não é muito chegado a doces.

Na verdade, Itachi ama doces. A questão é que, por trabalhar na equipe AMBU, ele precisa ter corpo flexível e com medidas exatas. Por isso que ele tem uma alimentação mais saudável que a minha e evita certas... Guloseimas.

Concordei e continuei a escovar meus dentes até que ouvi um resmungo vindo da minha noiva.

— Porque você é tão alto?! — Me olhou e fez bico. — Nem ficando na ponta dos pés eu consigo te beijar...

Soltei uma risadinha.

Depois de limpar minha boca e lavar meu rosto, me inclinei e passei os braços pela sua cintura. A barriga grande no meio de nós dois.

— Eu não sou tão alto, você que é baixinha. — Sorri.

Ela bufou antes de me dar um beijo.

Quando finalizamos, sorri ao sentir um chute vindo do meu filho.

— Ele acordou agitado hoje. — Comentei sorridente.

Kyio sorriu de lado.

— Ele fica assim toda vez que você ta perto.

Depois de ouvir aquilo, meu sorriso cresceu numa proporção que podia competir com o do coringa e eu sai guiando a ruiva até a cama onde, na beira, eu sentei com ela virada pra mim.

Aproximei a boca da sua barriga exposta e sorri.

— Oi garotão! — Falei.

Ele chutou.

— Logo logo você vai tá aqui com a gente, vai conhecer seu irmãozinho que ta super ansioso, sua mamãe que é a mulher mais linda desse mundo, e eu, seu papai que te ama demais.

Kyio sorriu acariciando meus cabelos.

— Tomara que você chegue logo pra mamãe me pagar a aposta. — Finalizei dando um beijo na sua barriga.

Soltei uma risadinha quando a ruiva revirou os olhos diante das minhas palavras.

— Vamos. — Ela pegou na minha mão e me levantou. — Você precisa trabalhar, eu tenho que ver os detalhes finais do casamento e nós dois precisamos deixar o Tadashi na escola.

Dei mais um sorriso antes de lhe abraçar por trás e lhe encher de beijos.

Eu sou o homem mais feliz do mundo.

[............]

Dias depois...

O dia do meu casamento chegou e eu estou a pessoa mais feliz e radiante desse mundo!

Acordei minha futura esposa com um delicioso e carinhosamente preparado café da manhã. Eu pretendia aproveitar minha folga pra passar a manhã com ela, já que meus queridos padrinhos disseram que iriam me "roubar" durante a tarde.

Só que, como diz o ditado "tudo que é bom dura pouco", as madrinhas malucas da minha mulher brotaram lá em casa logo cedo.

Resumindo: fiquei sem a Kyio.

— Ora Kakashi, não fique com essa cara. — Itachi deu um tapinha no meu ombro. — Pelo menos você vai ter mais tempo com seus padrinhos incríveis aqui.

Revirei os olhos.

Parecia que eles tinham adivinhado. Quando as mulheres saíram com a Kyio, cinco minutos depois eles chegaram e, como já era de se esperar, o Uchiha já foi assaltando minha geladeira.

— Vam'bora. — Gaara levantou. — Tem a última prova do seu kimono, dar um jeito nessa juba que tá seu cabelo e também você deve querer fazer alguma surpresa a Kyio hoje, então e melhor a gente ir logo.

Suspirei sem escolha.

Depois que saímos, eles me enfiaram dentro do carro e fomos embora.

Ia ser um longo dia...

*Kakashi Off*

-///-///-///-///-

*Narrador On*

As madrinhas saíram arrastando Kyio por ai logo cedo.

Durante o caminho, diziam coisas como "marcamos hora no salão de beleza", "seu kimono ta lindo" ou "é uma pena que você e o Kakashi não vai ter lua de mel ainda hoje"

Enquanto isso, a ruiva resmungava massageando as têmporas.

Seria um longo dia...

[...........]

Finalmente Kyio pôde respirar aliviada.

Era hora de almoçar e tinha conseguido fugir das suas madrinhas loucas. Sabia que elas iriam ficar preocupadas, mas estava pouco se lixando pra isso, queria mesmo era comer.

— O que deseja senhorita? — O garçon do restaurante onde havia entrado perguntou.

Com um brilho nos olhos, fez um pedido ENORME e o coitado do rapaz só não ficou tão surpreso porque viu o tamanho da barriga da ruiva e constatou que ela estava comendo por dois.

Ou por cinco, porque o tanto de coisa que ela pediu...

De repente, Kyio ouviu o celular tocar.

— Moshi. — Atendeu.

KYIO OTSUBA ONDE FOI QUE VOCÊ SE METEU PELO AMOR DE KAMI-SAMA?! ESTAMOS LOUCAS ATRÁS DE VOCÊ! — A voz nada delicada de Karin se fez presente do outro lado da linha.

— Não grita no meu ouvir sua anta! Eu vim almoçar porque tô quase tendo um troço de fome. Não precisa ficar desse jeito que daqui a umas duas horas eu me encontro com vocês no mesmo canto de onde eu fugi.

Dito isso, Kyio encerrou a ligação e desligou o celular.

"Posso nem comer em paz..."

Fez bico. Porem, quando seu pedido completo chegou, tratou logo de por um sorriso na cara.

E, durante aquelas duas horas, a ruiva comeu tranquilamente como se não tivesse preocupação nenhuma enquanto suas amigas a procuravam com um humor nada bom.

[..........]

— Onde você tava?! — Tenten perguntou brava.

Haviam se encontrado novamente com Kyio no mesmo lugar de onde ela havia fugido antes.

— Almoçando. — Foi a resposta da ruiva.

— Porque não avisou?! — Tsunade a fuzilou.

— Eu avisei, só que não na hora em que eu fugi.

— E porque fugiu de nós?! — Ino, a histérica.

— Porque vocês estão me dando dor de cabeça.

Depois dessa resposta, todas se calaram.

E Kyio suspirou.

— Meninas, eu gosto que sejam minhas madrinhas e que tenham tido essa ideia maluca de me dar um dia de rainha e tudo mais... — Passou a mão na barriga. — Só que não da pra ficar andando pra lá e pra cá com vocês o dia inteiro. Eu tô cansada, estressada, a barriga ta pesando e até o bebê ta incomodado.

As madrinhas se entreolharam antes de encarar a ruiva novamente.

— Desculpa Kyio. — Mari pediu.

— Nós acabamos te arrastando pra resolver coisas nossas e nem sequer pensamos em você e no bebê. — Temari abaixou o olhar.

— Acabamos te estressado no lugar de te dar um dia de rainha. — Hinata completou.

— Mas tem solução pra isso. — Uma voz ecoou atrás delas.

Assim que Kyio virou, sorriu ao ver quem era.

— Yo, obba-san. — Disse e abraçou a avó.

Hana, após abraçar a neta, olhou para as madrinhas.

— Meninas, deixem que eu cuido da Kyio agora. — Disse a mais velha. — Ela precisa relaxar um pouco.

Elas se olharam.

— Kyio, você perdoa a gente? — Tenten perguntou baixo.

A ruiva sorriu e abriu os braços na direção das amigas que prontamente a abraçaram.

— Quero ver vocês lindas hoje! — Kyio olhou as amigas.

Após isso, se retirou do lugar junto com sua avó.

[............]

— Então, como se sente? — Hana perguntou feliz.

Kyio sorria abobalhada. Estava aproveitando as fontes termais particulares que eram propriedade de sua família em Tókio e se sentia tão leve que parecia flutuar.

— Tô adorando. — Respondeu sentido as mãos das criadas de sua avó massagearem suas pernas, braços, costas e ombros. — Queria viver aqui pelo resto da vida.

Hana soltou uma risadinha.

— Pelo resto da vida eu não sei se dá, mas durante essa semana inteira você pode aproveitar o máximo daqui.

O lugar era uma casa rústica tradicional do Japão antigo. Tinha dorjos como portas, fontes termais, quartos grandes e bem distribuídos além de uma ótima sensação de aconchego.

A ruiva sorriu.

Realmente estava tendo um dia de rainha.

Quando tudo aquilo acabou, Hana dispensou as criadas e tratou de cuidar pessoalmente da neta. Já Kyio, após cobrir o corpo com um roupão, acompanhou a avó até um enorme quarto onde, pendurado cuidadosamente, estava seu kimono branco com pequenas flores vermelhas...

E um belo buquê de lilases.

— Ora vejam só. — Hana sorriu e levou o buquê até Kyio. — É pra você.

A garota, já sabendo de quem tinha sido, inspirou o aroma das flores e abriu o cartão.

"Com todo o amor para minha futura senhora Hatake.

Amo vocês!

Kakashi"

A ruiva sorriu antes de olhar para o kimono branco uma última vez e constatar o que já era óbvio.

Kakashi a fazia a mulher mais feliz do mundo.

Ama-lo...

Era a decisão mais certa que já fez na vida.

"Narrador Off*

-///-///-///-///-

No fim da tarde, faltando poucos minutos pra começar a cerimônia...

*Gaara On*

Ao meu lado, debaixo daquele enorme arco de flores, Kakashi estava radiante.

Já eu, estava suando.

— Ta tudo bem Gaara? — Lee perguntou.

— Não, eu acho que não ta nada bem. — Arrumei meu kimono pela milésima vez.

— O que você tem?

Suspirei.

— Eu tô com medo Lee... Ver a Kyio se casar é praticamente a mesma coisa de ver minha própria irmã se casar. Nem no casamento da Temari eu fiquei assim...

Meu querido amigo soltou uma risada.

— Tudo bem Gaara. — Pôs a mão no meu ombro. — Todos nós estamos nos sentindo assim também. E, se pra você ta difícil, imagine pra Tenten... Mesmo com esse sentimento, sabemos que o Kakashi sempre vai cuidar bem dela e ama-la com todas as suas forças.

Suspirei e, ao olhar pra Tenten, a vi chorando emocionada.

E olha que a cerimônia nem tinha começado.

— Tem razão. — Me dei por vencido. — Temos que ficar felizes.

Ele concordou e sorriu.

— A noiva chegou! — Ouvi alguém dizer baixinho.

Em seguida, os músicos começaram a tocar uma lenta e bonita melodia. Segundos depois, a figura de Kyio apareceu metros a frente de nós.

Assim como a música, o casamento da ruiva com Kakashi era simples e tradicional. Embora tivesse alguns detalhes mais modernos - como os padrinhos e as madrinhas - tudo ainda relembrava o Japão de anos atrás. Desde o lugar onde a cerimônia acontecia, até os trages dos ali presentes.

Minha amiga usava um kimono branco com pequenas flores vermelhas. Seus cabelos curtos estavam soltos e apenas algumas poucas mechas eram perdidas por um belo enfeite com uma pedrinha verde no centro. A maquiagem era leve e nas mãos ela carregava um discreto buquê de rosas. Sua barriga de exatos nove meses lhe deixava ainda mais linda.

Vi que Kakashi sorriu tão largamente que dava pra ver até na máscara.

— Está linda. — O ouvi dizer ao segurar a mão da sua futura esposa. — Sou o homem mais feliz do mundo por ter você.

Após essas palavras, a cerimônia foi iniciada.

E eu...

Bom, eu não contive as lágrimas.

[.............]

— Eu vos declaro marido e mulher. — O ministrador da cerimônia sorriu sem jeito. — Pode... Han... Beijar a noiva.

Todo mundo na espectativa.

Todos achando que iríamos ver o rosto de Kakashi Hatake...

Mas ai a Kyio acabou com a nossa alegria e colocou o buquê na frente bem na hora em que eles se beijaram. Aplaudimos, mas no fundo estavamos nos corroendo de curiosidade.

— Hora da festa! — Itachi disse todo animado.

Saímos dali e fomos para um enorme salão todo decorado onde um maravilhoso buffet estava a espera dos convidados que não demoraram a atacar aquelas delícias.

A festa rolava a todo vapor.

Na pista de dança, os parentes de Kyio mostravam que o talento pra dança estava no sangue da família Otsuba. Meus amigos bebiam enquanto dava risadas e as mulheres também não ficaram atrás quando o quesito foi "encher a cara".

Num canto, Kakashi conversava com algumas pessoas.

Porém, teve algo que eu estranhei.

— Cadê a Kyio? — Perguntei.

— Eu... Vi ela indo pra o... Banheiro. — Mari, que já estava no terceiro copo de uísque, respondeu bêbada.

Revirei os olhos quando ela se juntou as amigas na bebedeira e fui atrás da Kyio.

Quando eu estava na metade do corredor...

— AAAAAAAHNNN! — Ouvi um grito vindo do banheiro.

Corri desesperado e entrei lá dentro com tudo sem dar a mínima com o fato de ser o banheiro feminino. Assim que entrei lá, vi a ruiva apoiada no mármore da pia e um líquido transparente descia nas suas pernas.

— Merda... — Resmunguei sem saber o que fazer.

De repente, Tenten e Tsunade chegaram. Segundos depois, Itachi e Kakashi deram as caras.

— Vou pegar o carro! — Kakashi disse e saiu correndo.

— Ajuda aqui Itachi! — Chamei.

Ele rapidamente veio e nós dois saímos carregando a Kyio até o lado de fora do lugar onde o prateado já estava esperando com o carro ligado.

— Eu vou também! — Tenten disse firme.

E a ruiva gritava.

Quando a colocamos no carro, Kakashi saiu "cantando pneu" o mais rápido possível rumo ao hospital.

[...........]

Kakashi dirigia loucamente enquanto Itachi se mantinha suando frio no banco do carona.

Atrás, eu e Tenten tentávamos dar apoio a Kyio.

— Fica calma Kyio... — Pedi no desespero.

Ela gritou.

— NÃO ME PEÇA PRA TER CALMA GAARA! EU TÔ PARINDO! AAAAAAHN... E ISSO DOI PRA CASSETE...!

Eu não disse mais nada e agradeci mentalmente quando a palavra "chegamos" foi dita por Tenten.

Assim que chegamos ao hospital, uma equipe de enfermeiros veio ao nosso encontro com uma maca. Depois que colocaram Kyio encima dela, saíram nas pressas correndo pelos corredores do hospital enquanto a gente ficava na cola dele.

— Só o pai pode entrar agora. — Um dos enfermeiros disse.

Ficamos lá, parados no corredor enquanto Kakashi foi com eles.

"Que tudo dê certo."

Pedi mentalmente enquanto me dirigia junto com os outros para a sala de espera.

*Gaara Off*

-///-///-///-///-

*Kakashi On*

Desesperado e com medo.

Era assim que eu estava.

A única coisa que ouvia enquanto colocava as roupas entregues pela médica eram os gritos dolorosos de Kyio e a voz da equipe dentro da sala ao lado.

Assim que abri a porta, vi minha esposa naquela cadeira própria para partos. Ela estava suada e sua respiração estava ofegante, apertava o lençol entre os dedos e grunhia devido a dor.

— Calma, eu tô aqui. — Cheguei ao seu lado e segurei sua mão.

Kyio me olhou.

— Kakashi... Eu tô com medo... — Disse ofegante.

Acariciei seu rosto.

— Não precisa ficar com medo. Eu tô aqui com vocês e não vou sair do seu lado em momento algum.

Minha esquentadinha concordou com a cabeça e fechou os olhos os apertando com força.

— Senhorita, eu preciso que você faça força. — A médica já posicionada no meio das pernas da minha esposa pediu. — O máximo de força que puder.

Então, Kyio fez força.

— Isso mesmo! Continue! — A médica incentivava.

— Ka... Kashi... — Minha esposa balbuciou antes de gritar.

— Vamos lá Kyio, você está indo bem. — Senti ela segurando mais forte a minha mão. — Continue, nosso filho já vai nascer...

E ela continuava. Entre gritos e com a respiração descompassada, ela forçava o máximo que podia enquanto eu me mantinha firme ao seu lado lhe dando apoio.

— Mais força! — Novamente a médica pediu. — Está quase lá!

— Eu... Não co-consigo... — Kyio disse já fraca.

Respirei fundo e aproximei meu rosto do seu.

— Você consegue. — Balbuciei. — Você é a garota mais forte e corajosa que eu já conheci. Eu sei que ta doendo, mas também sei que você consegue... E eu estou aqui, contigo... Vamos trazer juntos o nosso filho ao mundo!

Dito isso, entrelacei nossas mãos e a vi concordar.

Depois de reunir todas as forças que ainda lhe restavam, Kyio forçou o máximo que conseguiu deixando que um grito ainda mais intenso escapasse de sua boca.

Seguido a esse grito, ouvi um choro alto.

— Nasceu... — Sussurrei sentindo as lágrimas descerem pelo meu rosto que estava colado ao da minha esposa. — Nosso filho... Ele nasceu...!

Percebi que a respiração da ruiva estava diferente.

Ao levantar a cabeça e a olhar, vi Kyio suspirar antes de fechar os olhos e não reagir.

— Ela desmaiou! — Um enfermeiro disse chegando ao meu lado. — Senhor Hatake, precisamos que você saia.

Eu fiquei sem chão.

"Kyio..."

Foi a única coisa que veio na minha cabeça antes de deixar a sala e me encaminhar até o quarto pra onde levariam minha esposa depois.

*Kakashi Off*

-///-///-///-///-

*Narrador On*

Kyio vagarosamente foi abrindo os olhos.

— Onde eu tô...? — Perguntou baixo.

— No quarto. — Ao olhar para o lado, viu Kakashi sorrindo fraco. — Você desmaiou. Pelo que eu entendi, o tanto de força que você fez acabou te deixando fraca demais e você acabou apagando.

— Quando tempo fiquei apagada?

— Meia hora.

A ruiva suspirou e olhou ao redor.

— Cadê nosso filho? — Olhou seu marido.

— Hanabi já vai trazê-lo. — Kakashi respondeu se sentando na beira da cama. — A Tenten trouxe a bolsa com as coisas dele e as suas. Então a Hanabi o levou logo pra o banho.

A ruiva concordou antes de sorrir.

— Como se sente? — O prateado acariciou seu rosto.

— Feliz. — Respondeu entrelaçando suas mãos. — Um pouco fraca, mas feliz. Muito feliz.

Ao ouvir aquilo, Kakashi sorriu abertamente e deitou-se ao lado da sua esposa que prontamente o abraçou. Ficaram ali, aproveitando a companhia um do outro, até que ouviram batidas na porta.

— Com licença. — Hanabi entrou segurando o bebê. — Olha pequeno, da oi pra os seus pais.

Depois de se aproximar da cama, a Hyuuga sorriu.

— Quem vai segurar primeiro?

Kakashi olhou para a esposa e ela sorriu como se dissesse pra que ele segurasse primeiro. Com muito cuidado, o Hatake pegou o garotinho nos braços e sorriu abobalhado enquanto as lágrimas caíam do seu rosto.

— Vou deixar vocês sozinhos. — Hanabi disse se retirando. — Kyio, boa sorte na sua primeira amamentação.

Dito isso, ela saiu.

Vagarosamente o prateado sentou na beira da cama e afastou um pouco o pano da manta que enrolava o bebê pra que Kyio pudesse vê-lo.

A ruiva sorriu.

— No fim das contas, seu pai acabou ganhando a aposta. — Comentou olhando Kakashi.

O pequeno era a cópia do pai. Os mesmos cabelos prateados, os mesmos olhos escuros, a mesma pele branca e a mesma tranquilidade.

Depois de pegar o pequeno em seus braços, Kyio descobriu seu seio e logo o mini-Kakashi o abocanhou com vontade fazendo com que a ruiva fizesse uma careta devido a sensação.

"Guloso."

Pensou sorridente.

Ao olhar para seu marido, que assistia a cena da ruiva amamentando, viu que ele ainda chorava. Com amor, secou as lágrimas que escorriam pelo rosto masculino antes de sentir os braços do maior lhe envolver delicadamente.

— Eu amo vocês. — Disse choroso encostando o rosto no rosto da garota. — Obrigado por me fazerem tão feliz...

Kyio sorriu antes de juntar seus lábios num beijo apaixonando.

Minutos depois, quando o pequeno já estava satisfeito, ouviram batidas fraquinhas na porta e em seguida um Tadashi com olhos brilhando apareceu.

— Posso entrar? — Perguntou baixinho.

Kakashi caminhou até o filho e o colocou nos braços o abraçando em seguida. Quando desfizeram o carinho, o maior o levou até a cama, onde lhe sentou ao lado da ruiva que sorria.

— Quer dar oi pra o seu irmãozinho? — Kyio lhe deu um beijo na testa.

— Hai! — Respondeu contente.

Após afastar o pano, a ruiva revelou o rostinho do bebê que se encontrava acordado em seus braços. Tadashi o olhou de perto e ficou sério por alguns instantes até que sorriu abertamente.

— Yo, nii-san! — Falou feliz e olhou seu pai. — Qual o nome dele?

— Ainda não demos nome. — Kakashi acariciou os cabelos do filho. — Resolvemos deixar você escolher o nome dele.

O pequeno de sete anos arregalou seus lindos olhos.

— Verdade? — Olhou a ruiva.

Kyio concordou sorrindo.

Novamente Tadashi olhou seu irmãozinho de perto e pensou durante longos minutos.

Depois, sorriu e olhou para os adultos.

— O nome dele vai ser Hiro! — Declarou contente.

— Hiro? — Kyio sorriu.

— É um nome raro e único. — O mais velho ali presente a olhou. — Assim como o seu.

A ruiva sorriu feliz.

"Bem-vindo a família, Hiro Hatake."

Disse mentalmente.

Estava casada, tinha sua família e uma vida regada de felicidade pura e genuína. Kakashi e Tadashi lhe faziam feliz de um jeito que numca imaginou ser e por esse motivo agradecia todo os dias por ter os dois.

Ou melhor, os três.

— Watashi wa anata o aishite iru. — Ouviu Kakashi sussurrar antes de lhe dar um beijo na testa.

Sentiu o coração aquecer.

— Watashi wa anata o aishite iru. — Declarou de volta.

Depois de sorrirem, ficaram ali, juntos, dizendo mentalmente o quanto eram sortudos de terem uns aos outros.

Era felizes.

Reciprocamente felizes.


Notas Finais


Por hoje é só pessoal.
Espero que tenham gostado🙂
Kissus😘 até o próximo😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...