História Il destino ti ha portato - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Alec, Alice Cullen, Aro Volturi, Bella Swan, Carlisle Cullen, Demetri Volturi, Edward Cullen, Felix, Garrett, Jane, Marcus Volturi, Personagens Originais, Stefan, Victoria, Vladmir
Tags Abandono, Arobella, Babaca Do Cullen, Romance
Visualizações 89
Palavras 1.551
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Literatura Feminina, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 32 - A história de Marcus


Todos podem falar o que quiserem sobre o que aconteceu, falar que irei ficar bem e protegida em segurança aqui, mas eu sei como funciona a cabeça desse louco psicopata do Laurent, ele me quer e com certeza irá morrer tentando me matar sem nem pestanejar.

Aro nada fala comigo, somente conversa com seus soldados me ignorando em um canto da sala, Aro esta furioso com a incompetência de seus soldados, não sabemos como mais Laurent esta evitando os poderes de Demetri, a Jane está sendo cobrado por ter m deixando sozinha em casa mesmo não sendo a vez dela e de Ginny por não estar sempre por perto.

Apesar da dor que ele sabe que Ginny está passando com seu término ver seu ex se abraçando e beijando outra mulher doi nela, quem deveria amar de verdade ela se recusa a falar a verdade.

Eu me levantei do sofá andei ate onde Aro estava, Sulpicia estava ao seu lado como uma rainha que ela ainda é, mas eu não vou deixar essa situação se sustentar por muito tempo.

__ Já chega, me cansei de ver vocês decidindo o que acham que é melhor para mim sem ao menos notar que eu ainda estou aqui, vive e capaz de opinar __ Falei enfurecida assumindo minha posição entre Sulpicia e Aro, eles me olharam.

Todos pareciam um pouco assustados com minha reação, eu estarei disposta a lutar contra eles com toda minha força.

__ Sei que acham que ainda sou uma mera humana fraca e tola, mas eu não sou, já enfrentei a morte de frente mais de uma vez, me mantive viva para um dia encontrar vocês, encontrar meu companheiro eterno, lutei inclusive com aquele que está colocando medo em um clã inteiro, uma mera humana patética como vocês acham derrotou um rastreador __ Falei olhando seriamente para cada um deles nesse momento.

Eu já não conseguia sentir nada além da raiva de meu sistema, eu sei que tentam me proteger, mas eu ainda sou uma pessoa com ideias e vontades, se eu posso ser boa para Aro na cama, também posso ser boa fora dela.

Me virei para o lado olhando seriamente uma das janelas pela qual eu pude ver a forma que Félix tentou rastrear ele, porém assim que saiu pela cerca da casa seu cheiro sumiu de acordo com a fala do mesmo. O que significa que ele ja se encontrou com Victoria ela sabe como encobrir seus rastros, James era mestre nisso e deve ter ensinado a ela.

__ Eu sei como funciona a cabeça de Laurent, ele não veio me matar, veio nos amedrontar, fazer com que vocês o procurem e assim me deixem desprotegida para poder me matar finalmente __ Eu falei olhando seriamente para todos eles que simplesmente não desviam os olhos de mim __ Eu sou muito poderosa, ele não ira arriscar deixar com que me transforme, ele pode ser tão tolo.

Eu falei olhando para minha dama de companhia, ela parecia decidida a falar algo, Aro não gosta de escultar as outras pessoas, mas eu gosto de ouvir opiniões.

__ Eu sei o que fazer, eu armar o plano ideal para capitura do infeliz desgraçado.

Apesar de todos nao quererem de início ouvir Ginny, afinal para eles minha dama não tem competência para saber como me defender, mas ela se mostrou muito inteligente, ela vai usar de artifícios como se usar de isca para ele chegar até mim da mesma forma que James usou minha mãe, so que dessa vez ela vai ser mais esperta do que eu e bolar um plano.

__ Não, isso esta fora de cogitação __ Marcus falou se levantando de sua poltrona ao ouvir o que Ginny pretende fazer.

Ela olhou de forma indignada para ele, afinal nem para ele contar tudo de uma vez.

__ Quem você pensa que é para me impedir de tentar salvar a vida da companheira de nosso mestre? __ Ela falou furiosa, seus olhos adquiriram um tom muito lindo e brilhante de determinação.

__ Primeiro eu sou seu mestre e segundo não vale a pena arriscar perder minha companheira para salvar outra pessoa e isso eu aprendi da pior forma __ Ele falou segurando o braço dela olhando para minha amiga de forma séria.

Um sorriso brotou nos meis lábios com isso ele acabou de confessar não somente a ela mais ao clã inteiro que ela é sua parceira eterna.

Ginny arregalou seus olhos de uma forma intensa, ela parecia não espera por essa revelação, eu deixei meus braços procurarem por Aro enquanto olhava fixamente para meus amigos a minha frente, Aro somente se colocou ao meu lado dando um beijo em meu ombro.

__ Espera deixa ver se eu entendi, você acabou de dizer que eu sou sua parceira eterna? __ Ela falou batendo a mão em suas mãos em volta de seu corpo.

__ Você é a minha parceira eterna e é por isso que você não vai a lugar algum para proteger alguém __ Marcus falou seriamente olhando para ela, seu olhar tinha uma coisa séria, mas ao mesmo tempo amedrontada.

Ginny olhou para todos os olhos arregalados, eu dei um passo para frente sendo segurada por meu companheiro.

__ Bella eu sei que acha que é melhor interferir na briga, mas não vai ser melhor assim como não foi melhor quando tentam interferir na nossa __ Aro sussurrou em meu ouvido, eu me segurei a ele tentando impedir meu corpo de seguir em frente para consolar minha amiga.

Ginny tem um olhar magoado no rosto, sinto seus olhos ganharem lágrimas, ela se abraçou desolada sem saber como fazer para a dor em seu coração, já me senti assim usada e dolorida.

__ Você não me quis? O que de errado eu tenho? __ Ginny falou dando passos para trás.

Por mais que Aro tenha razão em pedir que me meta nessa história algo no olhar dela me lembrou imediatamente de quando eu fui rejeitada pelo homem que achava ser a minha vida, com cuidado sai dos braços de Aro e andei até minha amiga, com cuidado envolvo ela em meus braços a puxando levemente para meu quarto.

Pela primeira vez eu irei ficar do outro lado da moeda, não tem ninguém por aqui que saiba como é doloroso ser rejeitada por quem se ama mais do que tudo ou no meu caso amava, ela tomou um toco de Félix não tem nenhum um dia e agora ela está descobrindo que na verdade ela sempre foi parte do clã como uma mulher em potencial poder, ela é uma princesa Volturi.

Ginny ainda parecia chocada com a revelação assim que eu sentei ela na cama.

__ Você sabia disso, nao sabia? Por isso você me aconselhou a dar em cima dele __ Ela indagou me olhando seriamente, eu somente segurei sua mão e olhei dentro dos seus olhos.

__ Eu descobri recentemente isso, conversei e aconselhei Marcus a lhe contar a verdade, eu não tinha o direito de falar algo que não tem haver comigo ou com minha história __ Eu falei segurando seu olhar sobre o meu de forma intensa.

__ Vocês me enganaram esse tempo todo? Como você pode? Deveria ter me contado assim que soube, ele simplesmente me descartou como se eu fosse uma coisa sem valor __ Ginny falou indignada eu segurei seu corpo quando ela tentou sair e com muito esforço tento usar meu poder.

Sei que isso exige muito do meu corpo, ainda sinto o cansaço físico das alucinações que provoquei em Marcus.

Mas com um esforço extra eu consigo ver a mente de Ginny com clareza nao foi como a de Marcus que eu nem sabia onde estava. Parecia um depósito cheio de caixas pesadas de utensílios, cada um tinha uma nomeação de pessoa ou lembrança, um em específico fica destacada que é a minha caixa, porém não atrevo a tocar, procuro por uma pessoa de seu passado que possa ter causado nela uma sensação plena de amor.

Um nome em específico apareceu em uma caixa muito bonita contendo lembranças muito delicadas e apaixonantes, Edmundo era nome da pessoa, eu entrei nessa caixa pegando um momento aprensivo de ambos, um assalto pouco antes da viagem dela para Volterra.

Ela tem um sorriso deslumbrante em seu rosto segurando a mão dele com carinho e paixão. Parecia um verdadeiro amor tomado sem pedir permissão, poderia ver a cena na minha frente, a arma apontada para cabeça do rapaz, Ginny desesperada tentando não fazer movimentos brusco para não deixar o homem assustado.

Sei que a cena acaba passificamente, porém com um leve tom meu faço com que a cena acabe em tragédia, eu ouço a pensar em Ginny tropeçar e acabar alarmando o bandido que atirou contra o rapaz.

Tentei por meio dessa lembrança que ela sentisse a mesma sensação que Marcus sentiu naquele momento em que se deparou com o corpo de Didyme no chão para tentar o proteger, eu repito os acontecimentos daquela noite e a dor que ele sentiu, o deboche no olhar do ladrão ao olhar no rosto dela.

Ainda me lembro de quando Marcus me contou sua história a dor em seu rosto. Quase a mesma dor que eu pude ver nos olhos de Aro ao falar sobre sua irmã.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...