História I'll be good - SAMWENA - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Bobby Singer, Charlene "Charlie" Bradbury, Dean Winchester, Gabriel, Jody Mills, Lúcifer, Mary Winchester, Michael, Personagens Originais, Rowena MacLeod, Sam Winchester
Tags Amor, Bruxa, Bruxaria, Bunker, Caçador, Castiel, Charlie Bradburry, Dean, Dean Winchester, Destiel, Escondido, Livro Dos Condenados, Lucifer, Magia, One-shot, Proteção, Romance, Rowena, Rowena Macleod, Sam, Sam Winchester, Samwena, Serie, Spn, Supernatural
Visualizações 75
Palavras 2.566
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


eu nem sei o que falar so sentir, felicidade
MUITO AMORZINHO ESSE CAP! <3

Capítulo 6 - O caminho da floresta - parte I


Fanfic / Fanfiction I'll be good - SAMWENA - Capítulo 6 - O caminho da floresta - parte I

- Bom dia! – Falou Sam com uma voz gentil quando viu que a bruxa começava a despertar enquanto acariciava as costas nuas e descobertas  da bruxa que estava deitada na sua frente.

- Hey gigante! – Ela falou se virando para ele e puxando o cobertor até tampar seus seios e abriu um sorriso. –  Há quanto tempo estava me observando?

- O bastante para agradecer a Deus por te ter aqui comigo. – Respondeu o caçador a beijando rápido e ela sorriu, ele era um ótimo bajulador. – Você sabe, eu estive pensando, nós deveríamos viajar, sei lá, para qualquer lugar, eu e você, como férias, o que você acha? – Comentou o caçador depois de uns instantes de silêncio entre eles. Há tempos pensava que eles merecessem um tempo apenas deles, desligando-se de todo aquele mundo, por que era assim que eles se sentiam sempre quando estavam juntos, desligados do mundo. Mas queria que fosse diferente, que eles pudessem viajar juntos, apenas eles dois, sem se preocuparem em serem descobertos, se bem que fazendo uma viajem dessas sozinhos seria um grande mistério, mas eles estariam aproveitando, e ficando juntos, que era o que mais importava. Rowena estava indo tão bem quanto ser boa, as vezes nem parecia a mesma, quem diria que ela era como uma flor, bastava que alguém a regasse com amor e carinho e de uma semente escondida brotava a mais perfeita de todas as flores, soava tão lindo como uma poesia, e talvez fosse, uma bela rosa e seu jardineiro dentro de um campo de batalha contra todos os monstros, aqueles pesadelos que o  acordavam, aqueles onde os olhos vermelhos brilhavam, Lúcifer.

- Eu acho, que você sabe como e o que uma mulher quer. – Respondeu a bruxa colocando a ponta do seu dedo indicador no nariz do caçador. – Eu acho que seria ótimo, e dessa vez, eu posso me encarregar do lugar, será uma surpresa.

- Mal posso esperar. – Falou o caçador respirando fundo enquanto a olhava e abria um sorriso em pensar o quanto ele tinha sorte em a ter. – Vai me sequestrar? – Ele riu.

- Você gostaria, não? – A ruiva falou num tom sedutor enquanto levantava enrolada no lençol branco e andava rebolando até o banheiro e Sam a acompanhou com os olhos, ela sabia que ele estava sem mesmo precisar olhar.

Depois de terem arrumado algumas malas e terem arranjados algumas desculpas pela viajem repentina, foram embalados pelas músicas calmas numa viajem pelas estradas longas e sem fim dos Estados Unidos, Rowena já tinha em mente aonde o levar e o estava guiando, ela o levaria para sua casa, uma casa no extremo interior de uma cidade pequena, aos pés de uma montanha, isolada de tudo e todos, e agora já confiava suficientemente em Sam para levá-lo aonde dentro de mais algumas horas de viajem chegariam, seria tudo especial, ele seria a primeira pessoa a conhecer aquele lugar, onde Rowena por muitas vezes se escondeu, sentiu medo, e ficou sozinha, mas agora ela tinha Sam, tinha alguém e um motivo especial a levar para aquela casa.

A bruxa ajustava o rádio procurando por uma música animada e ajeitava-se ao banco, ora olhando para Sam, ora para as estradas infinitas, e não conseguia evitar os pensamentos. Como tudo estava sendo algo tão diferente, se sentir amada, isso era algo diferente, algo de que nunca pode sentir, mas Sam fez, e ele a amava incondicionalmente por que ele acreditava nela, e antes de ser seu agora namorado, ele fora seu amigo, e ajudou tantas vezes, ele a fez acreditar no amor de novo, foi paciente, soube ouvir, esperar, e acreditar... acreditar por eles dois.

- Do que você está rindo? – Perguntou Sam confuso enquanto a bruxa tampava a boca com as duas mãos tentando segurar uma risada delicada.

- De você gigante, você está tão curioso, posso ver na sua cara. – Respondeu a ruiva rindo fraco enquanto o caçador tentava manter o foco na estrada e fazia uma cara de desentendido.

- Surpresas sempre são surpresas, não? – Respondeu o caçador. – Mas se fosse há algumas semanas atrás, eu realmente acharia que você iria me matar ou me enfeitiçar. – Ele riu olhando para a cara confusa que Rowena fez.

As primeiras vezes em que ficaram juntos foi como um salto no escuro para ambos, era tudo cheio de tantas incertezas, as coisas podiam ter sido piores, ambos precisaram ser corajosos o suficiente para se aprofundar nessa aventura que agora estavam vivendo, precisaram romper suas próprias barreiras e ter fé, muita fé, de que estavam fazendo a escolha mais sabia, deixando o amor ao invés da razão ganhar.

- Então isso significa que quando começamos a namorar você ainda achava que eu tinha te enfeitiçado? – Retrucou a ruiva, por um momento pensou que o caçador ainda quando não confiava totalmente nela havia se entregado,  a  aquele amor também, sem ter certeza se aquela escolha era a certa e não o condenaria para sempre.

- Basicamente. – Falou o caçador olhando para ruiva em piscadelas rápidas. – Mas eu acho que de algum jeito ou de outro nos encontraríamos e ficaríamos assim, juntos.  – Continuou o caçador colocando a mão direita sobre as mãos da ruiva que o deu um beijo rápido e seguiram viajem.

Por mais algumas horas passaram por cidades e imensidões desertas, faziam alguns planos tolos, mas que no fundo era verdade e que desejavam acontecer.

- Chegamos! – Exclamou a ruiva quando desembarcou do carro e respirou feliz o ar gelado e puro do lugar. Como era inverno a temperatura vinha caindo bruscamente dia após dia. Haviam adentrado numa estrada deserta e perdida pela floresta, mas que Rowena sabia de décor, Sam deduziu ser algum lugar especial ou que ela tivesse frequentado muito.

Havia uma casa muito grande marrom escura e de uma arquitetura invejável, um jardim simples mas bem decorado, havia também um cercado atrás da casa onde haviam dois cavalos da raça Friesian pastando perto do pequeno estábulo, e um mato denso e fechado  especialmente de bordos que circulava todo aquele terreno.

- Uau! – O caçador também exclamou, jamais havia visto um lugar assim. Sentia-se num pequeno paraíso. E rodeava-se para pode admira-lo, parecia como aqueles lugares de filme.

- Bem vindo a minha casa. – Falou a ruiva subindo rapidamente os cinco degraus até a grande sacada da casa. – Vem. – Rowena chamou por Sam enquanto destrancava magicamente sua casa e Sam a seguia carregando as malas e as deixando em cima de uma poltrona logo na entrada.

Assim que adentrou pode perceber a decoração rústica e exótica do lugar, espaçoso e decorado inteiramente com coisas de madeira, talvez o lugar mais aconchegante que já tenha entrado, a iluminação era fraca, na sala havia uma grande lareira, sofás grandes e confortáveis com almofadas de xadrez vermelho e cobertas dobradas do mesmo tecido, havia uma grande estante com livros muitos livros, um tapete muito peludo ficava no meio da sala e dos sofás com uma mesa pequena e baixa no seu centro, a cozinha na direita da entrada bem posicionada e um corredor onde era possível avistar muitas portas.

- Então é aqui que você se escondia? – Perguntou Sam analisando  aos arredores e parou quando seus olhos encontraram os de Rowena vindo em sua direção e ela o beijou e abraçou forte.

- Digamos que sim. -  Ironizou a ruiva.  – Vem, vou te mostrar o resto da casa. – Falou maliciosa sorrindo de canto e Sam entendeu, eles provavelmente iriam para o quarto.

Passaram por algumas portas até entrar na do final do corredor, o quarto inteiro era do jeito de Rowena, sua personalidade estava traçada em todos os cantos e lugares, Sam entrou na frente e depois Rowena entrou fechando a porta tirando o grande casaco de couro e desabotoando a camisa azul escura que vestia ficando apenas com sua lingerie, Sam se virou e eles apenas faziam contato visual, e a ruiva avançava até Sam o puxando pela sinta de sua calça e o ajudando a se despir até que estivessem pele a pele, apenas ainda vestindo suas roupas íntimas.

A ruiva ergueu seu olhar até encontrar novamente os do caçador em movimentos lerdos ficou na ponta dos pés e agarrou-se ao pescoço do caçador e o beijou com ternura e carinho, um beijo faminto e cheio de desejo, suas línguas disputavam pelo controle e conheciam cada parte um do outro, seus corpos tremiam, e suas peles pareciam queimar vivas quando se raspavam como se suas almas estivessem querendo se juntar, seus corpos se arrepiavam fazendo ambos os corpos enrijecerem, inundados por prazer e pelo amor.

Sam a pegou no colo e ela encaixou suas coxas na cintura do maior e ele caminhou devagar ate que seus joelhos batessem na cama, então deitou-se sobre ela na cama e começou a beijar seu pescoço, e pode sentir o perfume extasiante que emanava da ruiva.  Suas mãos foram até os seios dela os libertando do sutiã apertado, os peitos pequenos mas bem empinados estavam vermelhos e irresistíveis, Sam os massageava enquanto beijavam-se e depois começou a o lamber e sugar, enquanto tão cedo a ruiva já soltava gemidos com o seu nome, o fazendo a desejar cada vez mais.

Ele acariciava a ruiva por toda sua extensão sentido a maciez de sua pele como se fosse a primeira vez, passava a mão por sua cintura e voltava a pegar gentilmente em seus seios, e os colocar em sua boca. Estavam bêbados entre cada toque.

Ajudaram-se a despir totalmente, estando livre de quaisquer roupas. A ruiva o virou e tomou o controle, o provocou dizendo palavras quentes em murmúrios no seu ouvido, o encarou com um sorriso de canto malicioso e mordeu o lábio inferior, colocou suas duas mãos sobre os peitos ofegantes do caçador e correu suas unhas sobre ele, desceu seu corpo sobre o peito musculoso dele e o deu lambidas e chupões, desceu rapidamente até o baixo membro do caçador que estava enrijecido e vibrante, o abocanhou, e o sugou com força e vontade, uma de suas mãos a ajudavam nos movimentos de vai e vem e o caçador gemia em satisfação, ela descansava a outra mão na virilha do caçador e ele pegou a mão dela e a acariciava enquanto desfrutava dos melhores prazeres, eles eram carinhosos nos menores detalhes, faziam as coisas com todo o amor que sentiam, e cuidavam um do outro assim também.

Sam a puxou sobre ele e a deitou abaixo dele, antes que houvesse chegado ao seu ápice antes da penetração, então ele desceu até o baixo ventre da bruxa, tão pequenina ali na sua frente, mas de personalidade tão mandona e autoritária, jamais tendo se intimidado pelo caçador mesmo com a enorme diferença de tamanho de ambos. O caçador, a encarando com os olhos que diziam tudo o que suas bocas não se atreviam a pronunciar, ela era tão sensível, branca, como a neve, mas não era mais tão fria como ela. Rowena só queria alguém que a amasse, que entendesse sua dor, nunca admitira para si mesma que era isso o que precisava para se sentir completa, e Sam foi tudo Isso, e era muito mais, ele era sua paixão, como nosso primeiro amor, aquele que não ha limites, aqueles onde são melhores amigos antes de tudo, como na adolescência, onde tudo é novo e é um redescobrimento, Sam era seu protetor, se bem que ela sabia se cuidar, ela é a bruxa mais poderosa, mas a magia não podia cuidar de seu coração e seus sentimentos, que era o que mais precisava, alguém que montasse cada pedacinho e estilhaços que estavam espalhados por ai por cada vez que ela fora machucada, e era exatamente o que Sam, pacientemente fazia.

Ele puxou a ruiva para mais perto e depositou sua língua em movimentos circulares e ferozes no clitóris da ruiva, fazendo o pequeno corpo da bruxa se remexer por prazer e ela murmurar o nome do caçador entre as respirações descompassadas, a língua do maior percorria por todo o interior quente, húmido e apertado da ruiva e acrescentava um dedo e depois mais um de seus dedos o ajudando em movimentos vai e vem enquanto ele instigava o clitóris da ruiva que remexia seu quadril em sua boca.

Pegou seu membro na mão e o colocou devagar no interior da ruiva para que ela se acostumasse com o tamanho de seu membro, e então as estocadas começaram a ficar ligeiras quando a ruiva murmurou pedindo pra que ele fosse um garoto mau. Seus corpos colidiam, pele e pele, encaixando-se, não apenas seu corpos, mas suas almas também, era um só, eles, a noite fria, e a luz da lareira do quarto que havia sido acessa magicamente por Rowena.

A bruxa encaixou suas pernas nas contas do caçador o puxando para mais perto se é que na proximidade que estavam isso fosse possível, o caçador respirava ofegante no pescoço da ruiva durante  cada estocada, ficavam o tempo todo abraçados,  deixando ser inundados por cada sentimento misturado que passava por suas mentes.

Ela o abraçava apertado, e arranha o caçador em suas costas, enquanto tentava segurar gemidos que escapavam em respiradas abafadas. Aquelas arranhadas provavelmente deixariam marcas, mas não importava.

O caçador sentou-se e a trouxe unida a si, ela agarrava-se aos cabelos do caçador e ele a segurava firme na cintura a ajudando nos movimentos e ela jogava a cabeça para trás deixando que ele beijasse seu pescoço. Então numa troca de posições ela estava sobre o caçador e quicava sobre ele e ele segurava firme suas coxas a ajudando, grudados pelo olhar, olhar que via a alma um do outro e que entregava qualquer sentimento. Beijavam-se mais lentamente sentindo que os dois estavam chegando ao ápice juntos, e deixavam que os orgasmos os consumissem e aos poucos suas respirações e os espasmos musculares voltassem ao normal.

 - Uau gigante. - Exclamou a ruiva o encarando virada a ele apoiada sobre seu cotovelo.

- Você sempre me surpreende. - Falou Sam respirando fundo sem conter um sorriso de satisfação. – Essa viagem realmente foi uma ótima ideia.

- Ainda não acabou, tem uma banheira com água quente nos esperando. - Falou a bruxa levantando rápida e nua, e andou em direção a porta do banheiro do quarto, e virou um pouco a cabeça sedutoramente. - Vem?

O caçador a seguiu e ambos deitaram-se na banheira, estava com muita espuma, a temperatura estava perfeita para aquela noite, aproveitavam para relaxar, admirando aquele banheiro incrível e   a grande banheira, Sam estava apoiado na beirada e Rowena estava no meio de suas pernas com suas costas apoiadas do peito do maior, abraços em meio as espumas enquanto devagar ajudavam-se a limpar um ao outro, limpar também a alma de todas as feridas, e esquecer de todos os horrores que passaram com Lúcifer, que agora estava preso em outra dimensão com Michael.

Depois do longo banho e de terem se vestido, foram ate a sala e la ficaram, sentados e abraços no sofá em frente a lareira, assistindo pela janela alguns flocos de neve pairarem devagar ate o chão, tomavam chocolates quentes e estavam aquecidos no calor do corpo um do outro e dos grossos cobertores, aquele estava sendo um dos melhores momentos que ambos já tiveram e adormeceram ali mesmo, junto com os barulhos da neve la fora, e das madeiras que estavam sendo queimadas.

Capítulo dedicado a minha soulmate, Keila <3

 


Notas Finais


ahhhh me digam o que acharam, isso sempre me deixa muito felizonaaa, adoro saber a opinião de vocês, criticas construtivas são muito bem vindas também <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...