História I'll Be Good - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Decepção, Dor, Falsidade, Infelicidade, Infiel, Manipulaçao, Morte, Raiva, Separação, Tragedia, Usurpação
Visualizações 6
Palavras 1.092
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


To querendo por nomes aleatorios para não falar os nomes de verdade msm KKKKK mas sou péssima com nomes então FoUda-Se :)

Capítulo 2 - Calada.


"O lobo usa suas ovelhas como belos disfarces que caem em suas mentiras..."

By: Eu mesma KKK


Aquela resposta... me senti como se estivesse sentada a beira de um precipício com almas sussurando ao redor para eu me jogar... pobre menina sendo levada para um mundo em luxúria :)

– Vamos brincar ?

– Já estou grande o suficiente para brincar.

Bufou o mais velho talvez eu não fosse tão ingênua assim.

– Deixa ela, vamos arrumar esse quarto logo por que eu quero sair.

Nem falamos mais nada apenas os ajudei, vim pra isso afinal, parei para pensar no que disse e um peso subiu a cabeça eu via no rosto de ambos a satisfação incalculável.

Eu quero ir embora....

Pensei amargurada engolindo em seco, incomodada. Talvez neles eu encontrasse a aceitação que nunca recebi das pessoas do meu cotidiano, talvez deles venha o carinho de um abraço amigo para confortar-me em momentos de dor... devo ter eles como pilar já que agora sou namorada ? 

Malditas questões que tomavam minha doce mente infantil, um choro preso, um sorriso falso de desconforto era o que me predominava. O mais velho me assustava... esse tinha 16, cabeça perversa a dele so de percerber o olhar que tinha sobre mim quando saiu daquele quarto. 

Ficamos umas horas conversando ate eu ir embora e infelizmente minha bisa gostou da mãe deles o que resultou nos dias seguidos a qual eu acabei indo para lá, logo os meninos contaram para a mãe do namoro que ficou feliz e alertou minha bisa que me tratou com indiferença e apenas aceitou e ainda por cima não quis que eu contasse para meus pais apenas minha bisa sabia (ate hoje so ela sabe e olha que faz uns 3 a 4 anos por ai :V ), conforme os dias passavam eu me sentia como um gatinho domado, minhas notas abaixaram e pararam de me tratar mal, eu tinha me encaixado... ate chegar o dia da falência da escola o que fez ter apenas eu e mais 5 meninos em classe ( sim eu a ÚNICA menina 😖) e fui obrigada a estudar na parte da manhã, eu odiei, passei um tempo em adaptação, novamente a princesa nerd dos professores, novamente a abandonada...

 Todos os dias na hora do intervalo se trancava na sala e ali ficava, chorava, não comia... ninguém via, quem se importava ??? isso ninguém... sem amigos... sem alguém para conversar apenas seu eu e as vozes de um subconciente aonde amizade existia. Garota só se desfazendo... se cortando, tendo ataques de raiva de sí própria, de sua vida bagunçada sem sentido para trilhar... uma ovelha em um pasto vazio e silencioso aonde o pastor desistiu de cuidar daquele frágil animal. 

Naquela sala se via coisas que hoje em dia choro so de lembrar como me traumatizou, os meninos se masturbavam lá no intervalo mas apenas no final dele quando eu saia de sala para ficar no banheiro apenas refletindo mas infelizmente eles passaram a fazer isso quando eu ainda estava lá na sala e eu podia sair? não eles não deixavam mais. Sim presa com aqueles vermes em fase de puberdade ( com a escola em estado instável mal tinhamos coordenadores e nossa sala era a do andar de cima do lado da porta aonde levava ao terraço então FODA-SE OS ALUNOS PUTA MERDA MANO ). Aguentei tudo como sempre calada.

Os dias tinham agora mais prazo para visitar meus supostos amados.

Falsos.

O tempo parecia não correr estava parado... cada beijo roubado, cada mão passeando em meu corpo. Eu guardo cada pedaço dessas memórias abusivas e prazerosas por mais errado que seja.

Mas antes eu não sabia de toda a verdade então obviamente me senti a pessoa mais importante do mundo para eles. Eu ganhava bons sorrisos, bons carinhos mas apenas do mais novo... ate eu ficar cega. 

O amor me cegou.

Um amor platônico, intenso que não largava de estar presente ate surgir uma amiga... também jogava comigo e com o mais novo, o irmão mais velho a trouxe para não me deixar sozinha ele afirmou ser a melhor amiga dele.

A considerei como amiga também.

 Os dias seguiam "Felizes" uma nova amiga ! aquela a qual eu trocava emails e mensagens no face sumiu... não me avisou por que ?!!! não importava. Olha. Nova. A-m-i-g-a chegou.

Facadas pelas costas...

Um dia minha bisa mal podia levantar, ficou doente. 

Fiquei triste não poderia ir ver meus amores.

                          [...]

– Posso ir ver minha bisa mãe ?

– Você tomou seu remédio ?

Me ignorou.

– Tomei.

Mentira !

– Pode ir então.

Sorriu de canto enquanto passava pano na casa, meu pai? estava em casa apenas de  dois em dois dias... tarde da noite voltava e eu sempre estava dormindo, trabalho ruim o dele.

Corri sorrindo animada indo ate a casa da bisa, me deu uma vasilha com alguns salgadinhos e pediu para eu levar... que dó da mesma me partia o coração ao ver ela acamada... perdendo seu vigor.

                          [...]

– Por que está aqui fora ?

O mais velho estava brincando com o cachorro nanico e me olhou chegar sorrindo.

– So não quero estar la dentro .

Mentiroso.

– Então fico aqui com você .

Meu melhor sorriso dei, ele me chamou para sentar a seu lado no pequeno degrau frente a porta, e ali passou alguns minutos.

– Eu amo você mais que meu irmão sabia ? É injusto so ele poder beijar você e te ter por perto so para ele... 

Me abraçou beijando o topo de minha cabeça algumas vezes, seu coração estava batendo rápido, eu fiz isso ? eu deixo ele assim ? 

– O que eu posso fazer ?

– Se empreste um pouco pra mim.

– Mas e se ele ficar irritado ?

– Te garanto que ele não vai ligar.

Estava certo.

Sim eu beijei ele, não era traição a promessa se fez entre nos três então não vi mal naquela ação.

Mas não sabia  que eu estava sendo traída. 

Logo vai saber.

O beijo parou repentinamente ao ouvir um barulho de dentro da casa, algo quebrou.

– O que foi isso ?

– Deve ser meu irmão não liga.

Estranhei ouvi de novo dessa vez uma porta batendo seguido de um berro feminino e não era da sogra por que ela não estava em casa, meu santo hades quem é a vagabunda ?!!!!

– CERTEZA QUE NÃO É SO SEU IRMÃO NÃO PARA COM ESSA MERDA AGORA !!!

Ele me segurou, fiquei alterada, coração a mil, rosto avermelhado com raiva antes de ver os capetas, não tinha tomado a poha do calmante que me deixava mais lesada que usuario de LSD. Ouvi a voz proxima da porta e juro que ali mesmo quase infartei de ódio puro...

 



Notas Finais


:) Bye bye.
Erros ortográficos verifico depois.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...