História I'll Be There For You - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Haikyuu!!
Personagens Akaashi Keiji, Bokuto Koutarou, Kenma Kozume, Personagens Originais, Shouyou Hinata, Tetsurou Kuroo, Tobio Kageyama
Tags Acidente, Eu Não Tenho Limites, Inquilino, Kenma, Kuroken, Kuroo, Perda De Memória
Visualizações 16
Palavras 1.191
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom dia amores meus💕

Tudo bem com vcs??? Espero que sim!!

Como eu disse... O próximo cap de IBTFY no sábado!

Tenham uma boa leitura💖💖💖

Capítulo 2 - 0.2- Sozinho.


***





 Kenma -cujo Kuroo apelidou de "Garoto Misterioso"- estava irritado naquele dia. Kuroo não parava de fazer perguntas e de falar o caminho todo pela vizinhança. 

Kenma não gosta perguntas, Kenma não gosta de dialogar, mas Kuroo não parecia ligar pra isso.


 "Vamos garoto misterioso, responda! Eu respondo tudo oque quiser saber sobre mim se me responder." Kenma respira fundo, soltando a respiração em um longo suspiro.


 "Tenho 14 anos, meu aniversário é dia 15 de outubro, gosto de músicas pops e de rock, gosto de gatos, não gosto de esportes, meus hobbies são ler e jogar videogame, passo a maior parte do tempo no meu quarto, estudo no Colégio Nekoma, tenho apenas 2 amigos e eu odeio perguntas demais e pessoas que gostam de dialogar demais." o olha emburrado. Mais era como se Kuroo estivesse vendo apenas um gatinho irritado em sua frente, e por isso, sorrio. 



 "Você parece um gatinho." ri da expressão irritada que tomou o rosto de Kenma. 


 "Morra." respondeu andando em direção à pracinha que havia ali perto. Kuroo apenas ri, e o segue. 


 "Agora é minha vez. Bem, eu também tenho 14 anos de idade, também gosto de rock e bem pouco de pop, meu esporte favorito é vôlei, meus hobbies são jogar vôlei, videogame e ler um pouco, eu passava a maior parte do meu tempo no quintal de casa antes de nos mudarmos pra cá pra Tokyo." faz uma pequena pausa parecendo pensar no que mais devia falar. "Provavelmente também vou estudar no Colégio Nekoma, aqui em Tokyo tenho 1 amigo, apenas e eu adoro fazer muitas perguntas e principalmente dialogar." 


"Ridículo..." Kenma murmura percebendo o sorriso perverso que Kuroo lançava para si. "Enfim, você já conhece o bairro, agora vamos voltar pra minha casa. Você fica lá com minha mãe ou até mesmo com meu irmão ou sua irmã e eu vou pro meu quarto dormir." diz já se levantando do banco e começando a andar de volta pra casa. Kuroo ri soprado o seguindo. 




 ***





 Não seria tão fácil. Kenma achou que assim que chegassem na casa de sua projenitora- que era onde também morava- iria se livrar do filho mais velhos da família Kuroo. E estava lindamente enganado.



 "Manhêêêêê!! Por que? Eu estou bem sozinho! Já tenho o Shouyo e o Akaashi, pra que precisaria de mais um amigo?" pergunta, irritado, para sua mãe que colocava piscas-piscas na sala enquanto Tetsuro e Haruna lanchavam na cozinha. Ela respira fundo e responde: 


 "Não gosto de vê-lo sozinho Kenma, Shouyo e Akaashi aparecem raramente aqui em casa, você mesmo já me disse que Shouyo não larga do... Como se chama mesmo o garoto?" pergunta, o olhando. Kenma revira os olhos. 



 "Kageyama Tobio." 



 "Isso. Que ele não larga do Kageyama e o Akaashi não larga do Bokuto que voltou recentemente de Tokyo pra cá." vê Kenma olhando para o nada com seus olhos marejados. Seu coração se aperta. Sabia que o que havia dito para ele, tinha lhe ferido profundamente. Kenma nunca teve amigos que julgou serem verdadeiros ou um melhor amigo. Todos eram apenas amigos.



 "Desculpe querido, mas eu sei que você sabe que eu estou certa." se aproxima dele. "Dê uma chance a ele." quando iria colocar sua mão na cabeça do Kozume mais novo, o mesmo corre escada a cima, fechando a porta do quarto em um estrondo. Kuroo estava ali perto, e ouviu tudo oque ambos os Kozume's conversavam, apesar de ter sido sem querer. Decidido, foi até Ran Kozume, mãe de Kenma, ofecer-lhe ajuda a lidar com o jeito antisocial do filho. 



"Sra.Kozume?" chama receoso se aproximando lentamente. 



 "Ah, diga Tetsuro-kun." fala sorrindo leve e forçado para Kuroo. 



 "Desculpe parecer meio intrometido, mas acabei por ouvir a conversa dá Sra com o Kenma." diz lentamente vendo Ran assentir, a mesma parecia magoada.


 "Desculpe ter feito você ouvir nossa discussão querido, Kenma infelizmente sempre fora assim, nunca consegui fazer ele deixar de ser assim... Achei que se deixasse vocês um pouco sozinhos, ele abriria uma brecha para você se aproximar... Mas já vi que não." sorri triste continuando a enfeitar a sala. Kuroo a observa. 


Ran havia conversado com ele antes de este comparecer em sua residência. Pediu para Tetsuro se aproximar de Kenma e tentar conversar com ele, mesmo que tivesse que agir como um pré-adolescente desesperado por atenção. E Kuroo o fez. Pareceu um pré-adolescente desesperado por atenção? Sim, mas valeu a pena. Porque Tetsuro realmente se interessará por aquele garoto misterioso, como o apelidou.


 E Tetsuro não era de desistir fácil. 





 ***





 Kenma se encontrava no canto da cama, suas pernas estavam contra seu peito, um enorme edredom o cobria, desde sua cabeça até a frente de seu corpo. Seus olhos estavam vermelhos e cílios molhados depois de tanto chorar. Tinha quase certeza de que sua voz sairia um fio quando fosse tentar falar de novo. 


 Sabia que realmente estava sozinho. Sempre iria haver alguém melhor, alguém mais legal e interessante, alguém mais sociável e que saiba conversar. Kenma sabia que era uma pessoa substituível. Sua presença um tanto sombria fazia com que as pessoas não quisessem ficar muito tempo por perto, sua voz sempre tão baixa e rouca fazia com que as pessoas não o ouvissem bem e desistissem de falar com si para procurar alguém melhor. Não quis tentar ser amigo de Kuroo porque "sabia" que assim que o garoto alguns meses mais novo, encontraria um amigo melhor quando, no ano seguinte, entrasse para o Colégio Nekoma. E por isso, não queria aprofundar uma amizade que no final só iria deixar seu psicológico mais magoada e destruído do que já estava. 


Uma batida foi ouvida tirando o garoto de olhos felinos de seu turbilhão de pensamentos. Kenma ignorou. Outra batida foi ouvida, dessa vez mais alta. Kenma ignorou outra vez. 



 "Kenma." a voz de Kuroo é ouvida do lado de fora e uma terceira batida é ouvida. O coração de Kenma dispara novamente. O mesmo limpa a garganta com um pigarro e em seguida fala o mais alto e firme que consegue. 



 "Vá embora!" se ouve um suspiro pesado depois de sua fala, e logo a voz com um leve tom grosso e rouco fala novamente, calma e paciente. 


 "Só quero conversar com você, pode ser?" pergunta, Kenma olha para a porta como se estivesse vendo Kuroo por entre ela. E talvez, de fato estivesse. Mesmo que fosse na sua imaginação. 



 "Não tenho nada para falar contigo." responde de volta. Uma vozinha irritante lhe dizia "abra" o fazendo se irritar.



 "Eu vi sua discussão com sua mãe..." ignora a fala do Kozume e começa a falar. Do lado de fora do quarto, Kuroo estava sentando no chão em frente a porta do quarto do Kozume. 


Não sabia de fato oque queria com aquilo. Talvez quisesse apenas uma amizade para não se sentir tão sozinho no início. Talvez queria apenas ser honesto e o ajudar. Bem, no início, realmente era por isso. 



 Mas depois um sentimento de afeto surgiu por aquele garoto misterioso, sozinho e frágil.


Notas Finais


E aí??? Gostaram??? Espero que sim morangos!! A fic está só começando😊💖💖

Até o próximo sábado💕💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...