1. Spirit Fanfics >
  2. I'll give my heart to you in a tsuru >
  3. Capítulo 4

História I'll give my heart to you in a tsuru - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente, muito obrigada pelos comentários no último capítulo, eu fico muito feliz em ver que vocês estão gostando. Esse capítulo é bem maior do que os outros, e eu espero que gostem❤

Capítulo 4 - Capítulo 4



A lua crescente iluminava o céu, e Harry, Ron e Hermione estavam sentados na cama de Harry, a pilha de origamis estava no meio da cama e o trio encarava a montanha de papel. Todos os tsurus estavam ali, até os outros 2 que Harry havia recebido naquele dia. Hermione insistiu em ser a primeira a abrir, Ron estava ao lado dela e Harry os observava atentamente, Hermione pegou um da pilha e começou a desfazer o tsuru cuidadosamente. Potter tinha quase certeza de que os origamis não estavam amaldiçoados ou enfeitiçados, e mesmo assim esperou que alguma coisa ruim fosse acontecer, no fundo ele desejou que não. Quando Hermione finalmente desfez o tsuru, ela encarou o papel boquiaberta e Ron arqueou as sobrancelhas tão forte que Harry chegou a pensar que ele cairia para trás. 

Ninguém falou nada por 20 longos segundos.


- Oh. Oohh - Ron disse surpreso.


- O que foi? - Harry soltou uma risada nervosa, encarando seus amigos - O que tem aí?


- Bem, ahm... - Hermione gaguejou, Harry começou a ficar nervoso, ele se esticou encarando sua amiga e pegou o papel da mão dela. 


- Não pode ser tão ruim - O garoto de cabelos castanhos disse antes de encarar o papel. Potter estava em choque agora. 


- Acho melhor Ron e eu irmos - Hermione disse se levantando, ainda um pouco confusa. Ela pegou a mão de Ron e o puxou para que ele fosse com ela - Vamos estar ali na sala se precisar.


- Espera Hermione - Ron protestou mas continuou seguindo a garota.


- Vem logo - Ela disse antes deles saírem e fecharem a porta.


Harry se esqueceu até de respirar, ele piscou algumas vezes e soltou o ar dos pulmões. No papel, havia um desenho, um rabisco rápido, bem simples, onde Draco e Harry estavam de mãos dadas com pequenos corações em volta. 


- Mas o que... - O garoto disse baixo para ele mesmo, Potter balançou a cabeça como se estivesse imaginando coisas. Ele não estava. Suas bochechas queimaram.


Harry estudou o desenho por mais 5 minutos até colocá-lo na cabeceira e começar a desfazer os outros origamis, um por um. Alguns tinham desenhos, e a maioria, eram textos, alguns eram pequenos e outros maiores. 


Quanto mais ele via, mais emoções sentia. Surpresa, porquê, que diabos era tudo isso, Harry jamais imaginaria. Frustração, por não ter visto nada disso antes. Raiva, pois Malfoy não fez absolutamente nada sobre isso. Tristeza, porquê, como Draco deve estar se sentindo depois de tanto tempo. Esperança, pois talvez ele ainda consiga fazer alguma coisa. Culpa, por antes pensar que tudo isso era algo ruim. E no fundo, ele sentia aquele sentimento acolhedor, algo confortável no peito, que te faz querer sorrir e chorar ao mesmo tempo, ele estava feliz, e aquele sentimento era bom.


"É ridículo como você sorri, odeio o que isso me faz sentir, Potter!"


"Seus olhos são tão bonitos que me dão calafrios"


"Eu também morro de medo dos dementadores, naquele dia no trem, fiquei preocupado com você, mas não disse nada para não parecer idiota, afinal, você é o meu rival"


"Eu já tentei conjurar o feitiço do patrono muitas vezes e nunca consegui. Talvez eu não esteja pronto, mas no fundo, eu sei que não tenho uma memória feliz o suficiente para conjurar um..."


"Eu ainda não entendo por que você não quis ser o meu amigo naquele dia... Sério, Potter, o que eu te fiz? Você nem me conhecia!" 


"Você deve estar se perguntando como eu sei fazer origamis, não é? Eu costumava ficar muito tempo sozinho em casa quando era mais novo, então eu encontrei alguns livros velhos em uma gaveta escondida, um deles tinha instruções de como fazer origami, parece bobo, você deve estar rindo de mim agora, mas eu era uma criança entediada, então eu aprendi" 


"Eu nem sei porquê estou te escrevendo, isso é ridículo, acho que no fundo eu espero que você se importe..."


"Eu sei que não sou a melhor pessoa, mas não tenho escolha, Potter, eu tenho medo, e odeio admitir isso, mas acho que uma parte de mim quer que você saiba disso"


"Eu não sei o que deu em mim, Potter, talvez o meu ódio precisava ser dissolvido, eu estou tão assustado quanto você"


"Muitas vezes eu sinto que não sou bom o suficiente, porquê não importa o que aconteça, não importa o quando eu tente, sempre vai ter alguém melhor do que eu"


"Meu pai ficaria furioso se descobrisse o que eu estou fazendo, mas acho que não me importo, você pareceu feliz em receber os pássaros, acho que vale a pena"


"Eu estou com raiva de você, Potter. Eu não precisava de tudo isso, mas não, você precisava ser tão você e me fazer sentir essas coisas"


Harry deve ter ficado horas lendo, tinham muitos tsurus, depois de ler o último, ele estava sentado no chão, com a cabeça encostada na cama, seus olhos estavam cheios de lágrimas e as bochechas queimando. O garoto fechou os olhos e fungou, colocando a mão gelada na bochecha, que parecia realmente estar pegando fogo. Então seu cérebro deu um click, como se tivesse acordado de uma hibernação. Harry deu um pulo para ficar em pé, e ficou tonto por um momento, então saiu correndo pela porta do quarto, desceu as escadas correndo e passou rápido pela sala, apenas para parar e encarar Ron e Hermione, que olharam para ele surpresos.


- Eu preciso encontrar ele - Harry disse, respirando fundo.


- Encontrar quem? - Ron levantou e deu a mão para Hermione levantar também. Os dois encaravam Harry confusos.


- Draco. Eu preciso encontrar o Draco - Harry começou a andar para a porta.


- Harry! - Hermione disse, andando para encará-lo de frente - Eu não sei o que você está pensando, ou o que você viu, mas todos estão em seus dormitórios agora, está muito tarde, você não vai encontrar o Malfoy agora.


- Mas eu... - Harry respirou fundo, ela tinha razão, e ele não podia simplesmente entrar no salão comunal da Sonserina - Tem razão.


- Você pode procurar por ele amanhã - Hermione disse, sorrindo de leve.


- Mas o que aconteceu? - Ron disse, se aproximando deles.


- Eu não tenho certeza - Harry andou até o sofá e sentou, respirando fundo - Mas acho que é bom.


- Como assim? - Ron perguntou, se sentando ao lado dele.


- Eu não sei ao certo - Harry balançou a cabeça e depois sorriu de leve - Mas acho que o que eu sinto é bom. E eu preciso mesmo encontrar o Draco.


- Você não chamou ele de Malfoy nenhuma vez - Ron riu - Isso é estranho.


- Concordo - Hermione disse, sentando ao lado de Ron - Mas se for o que você quer, nós vamos te apoiar.


- Isso - Ron sorriu.


- Obrigado gente - Harry sorriu, relaxando no sofá.


*


No dia seguinte, Harry levantou e se arrumou bem rápido, ele, Ron e Hermione agora estavam na mesa do café, Harry encarava a mesa da Sonserina, em específico, um garoto de cabelos loiros.


- Cara, para de encarar, as pessoas estão começando a estranhar - Ron cutucou Harry levemente.


Harry balançou a cabeça e passou a mão pelo cabelo, ele não tinha certeza do que ia fazer, só sabia que estava nervoso.


- Vai dar tudo certo - Ron o acalmou, como se estivesse lendo os pensamentos do garoto de cabelos castanhos. Harry sorriu para ele.


Três aulas se passaram e Draco ainda não tinha enviado nenhum origami para Harry, isso era estranho, muito estranho.


- Por que ele não me mandou nada ainda? Será que eu fiz alguma coisa? - Harry sussurou para Ron.


- Relaxa, tenho certeza de que não aconteceu nada - Ron disse sem se virar para Harry, escrevendo alguma coisa no papel.


Harry grunhiu, ele encarou Draco do outro lado da sala e fez uma expressão preocupada. O dia inteiro se passou e Harry não recebeu nada de Draco, isso nunca tinha acontecido desde que ele começou a enviar os origamis.


- Eu preciso encontrar Malfoy, alguma coisa aconteceu - Harry disse, parando no corredor. Hermione e Ron olharam para ele.


- Nós vamos com você - Disse Hermione, mas Harry fez que não com a cabeça.


- Eu preciso ir sozinho - O garoto de óculos disse começando a andar para a direção oposta - Eu encontro vocês depois.


Harry correu pelos corredores, estava anoitecendo, alguns alunos estavam nos corredores, então, Harry avistou uma figura, de cabelos loiros claros, andando sozinho pelos corredores.


- Draco! - Harry falou alto, andando rápido até o garoto.


- Potter? - Malfoy disse, se virando. E pela primeira vez em 3 anos, ele disse aquele nome de forma sutil, e mesmo assim carregava muito sentimento. Pela primeira vez em 3 anos, ele olhou para Potter com transparência, parecia outra pessoa.


- Eu preciso falar com você - Harry parou, ficando a alguns passos de distância.


- O que foi? - Draco disse com a voz amargurada, arqueando uma sobrancelha.


- Eu li os seus origamis. Todos eles - Potter disse, engolindo o seco. Draco o encarou, sua expressão era ilegível, ele parecia aliviado e com medo ao mesmo tempo, também esperançoso, como se estivesse esperando alguma coisa acontecer.


- Ah - Draco olhou para o chão, depois voltou a encarar Potter.


- É eu... - Harry começou, mas foi cortado por um movimento rápido. Malfoy segurou o braço dele com força e o arrastou para uma sala de aula vazia, trancando a porta atrás dele.


- Por que você não me mandou nenhum hoje? - Harry falou, seu coração batia a mais de mil por hora, a sensação era de que ia sair do peito.


- Olha, me desculpa. Eu percebi que você não queria mais que eu te incomodasse, talvez você estivesse destruindo os origamis, eu não sei. Eu parei de te mandar hoje porquê você parecia com raiva, você olhou para mim com uma expressão que eu nunca tinha visto antes - Draco disse tão rápido que Harry teve que prestar muita atenção para absorver tudo - Eu vou parar, eu juro que paro, Potter. Você vai poder viver a sua vida sem aquelas merdas te incomodando.


Draco respirou fundo antes de encarar Harry com aqueles olhos azuis acizentados que Potter adorava, as pupilas do garoto loiro estavam super dilatadas, a sala estava escura, a não ser pela luz das tochas que passavam pelas janelas. Harry soltou o ar e sem pensar duas vezes abraçou o garoto a sua frente, ele passou seus braços pelos ombros do garoto loiro e enterrou o rosto no pescoço dele, sentido o perfume.


- Draco, não... - Harry disse segurando o garoto firmemente junto a ele - Eu amo aqueles origamis.


Harry ouviu Draco fungar baixinho e ele abraçou Harry com força, suas mãos seguraram Harry pelas costas e ele descansou o rosto no ombro do mais baixo.


- Eu não estava irritado eu só... - Harry parou para escolher bem as palavras - Eu só queria me aproximar, mas não sabia como.


Draco riu baixinho no ombro de Harry e o mesmo sentiu seu corpo aquecer.


- Você não é muito bom com sinais, Potter - Draco disse, o segurando com mais força.


- Cala a boca - Harry riu, respirando fundo o cheiro do garoto e sorrindo de leve - Você não é muito melhor do que eu.


- Então você leu todos os origamis...? - Malfoy disse, com a voz abafada no casado de Harry.


- Li - Harry admitiu.


- Não pode falar nada pra ninguém - Malfoy falou, sua voz vacilou no final.


- Eu não vou falar nada - Harry soltou o garoto mas não se afastou. Ele olhou bem nos olhos de Draco - Eu prometo.


Malfoy sorriu de leve e soltou o ar, aliviado.


- Então quer dizer que você gosta do meu sorriso? - Harry brincou, as bochechas de Draco se tingiram de vermelho.


- Você é tão idiota - O garoto loiro olhou para o lado e sorriu.


Harry sorriu de leve e segurou o rosto de Draco com as duas mãos, Malfoy segurou o ar.


- Eu sinto muito - O garoto de cabelos castanhos disse - Por tudo. Mas você não tá mais sozinho agora, eu vou estar aqui, tudo bem?


Draco o encarou e seus olhos começaram a lacrimejar, ele devia estar segurando tudo isso a tanto tempo, todas essas emoções pesando nas costas dele, e pela primeira vez, ele não estava mais com medo, ele se sentia seguro. 


- Eu não acredito que acabei de ouvir isso do meu rival - Draco sorriu, aproveitando o calor das mãos de Potter em seu rosto.


- Você que começou com isso - Harry riu, balançando a cabeça.


- Eu sei, foi bem estúpido, mas você recusou ser meu amigo - Draco disse brincando, mas Harry sabia que tinha uma mágoa ali.


- Nós dois éramos bem idiotas - Harry mordeu o lábio inferior.


- Verdade, mas olha pra gente agora - Draco sorriu, e o coração de Harry bateu mais rápido.


Harry sorriu, e sentiu aquele peso sair das costas, algo que ele nem sabia que estava sentindo.


- Então, você vai me beijar ou vai só ficar segurando meu rosto que nem um idiota? - Malfoy riu, segurando uma mão de Harry na sua.


- Você é o idiota - As bochechas de Harry queimavam e ele sorriu, aproximando seu rosto do de Draco e selando seus lábios em um beijo, nossa, ele nem sabia o quanto tinha esperado por isso, a quanto tempo ele queria aquilo, e só percebeu a algumas horas atrás.


Draco segurou a cintura de Harry, intensificando o beijo, e o garoto de cabelos castanhos passou as mãos para o pescoço do garoto loiro, eles se beijaram com ternura até precisarem de ar novamente. Quando se separaram, Draco segurou Harry perto de si, descansando a testa na dele, o garoto loiro sorriu de leve, e seu coração batia rápido. Ele estava feliz. 


Tudo tinha valido a pena.


Notas Finais


O próximo capítulo é o último, eu não ia fazer um, mas eu simplesmente amo escrever personagens só ficando juntos e felizes, e eu pensei que vocês iam gostar de um cap assim, ent é, o próximo é o epílogo. Obrigada dnv por lerem, eu amo vcs💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...