História I'll NEVER love you - Capítulo 2


Escrita por: e The_Lilith

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Anna Heartfilia, Aquarius, Aries, Bickslow, Bisca Connell, Brandish μ, Cana Alberona, Câncer, Capricórnio, Charlie, Chelia Blendy, Crux (Kurukkusu), Droy, Elfman Strauss, Erik (Cobra), Erza Scarlet, Evergreen, Flare Corona, Frosch, Gajeel Redfox, Gemini, Gildartz, Grandine, Gray Fullbuster, Happy, Hibiki Lates, Horologium, Ichiya Vandalay Kotobuki, Igneel, Ivan Dreyar, Jellal Fernandes, Jet, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Kagura Mikazuchi, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Lector, Leon, Levy McGarden, Libra, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Lyon Vastia, Macao Conbolt, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Meredy, Metalicana, Millianna, Minerva Orland, Mirajane Strauss, Mystogan, Natsu Dragneel, Nikora "Plue", Ophiuchus, Pantherlily, Pisces, Rogue Cheney, Romeo Conbolt, Scorpio, Silver Fullbuster, Sting Eucliffe, Tauros, Ultear Milkovich, Ur, Virgo, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Tags Fairy Tail, Máfia, Romance, Tailfairy, Zerlu
Visualizações 72
Palavras 1.882
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Leiam as notas finais!

Capítulo 2 - What does fate reserve for me?


Pisquei algumas vezes para meus olhos se acostumarem com a claridade. Virgo já havia aberto as cortinas? - pensei e não pude evitar de sorri ao lembrar do momento divertido que tive com a rosada na desastrosa noite anterior e como acordei mais leve essa manhã.

-O que seria de mim sem você Virgo? - sorri novamente me levantando e indo ao banheiro, onde fiz minhas necessidades e minha devida higiene, sai do banheiro de banho tomado e vesti roupas confortáveis já que o clima estava bem fresco.

 Enquanto arrumava meu cabelo escuto batidas na porta e logo a voz de Virgo se faz presente.

-Hime? Está acordada?

-Sim Virgo. - respondo dando um pequeno sorriso ao ouvir o apelido que me chamava quando era criança.

-O café já está pronto. - responde meio abafado pela porta.

-Pode trazer meu café aqui? Não estou disposta para encontrar meu pai ainda..- escutei seu suspiro e logo veio sua resposta.

-Ok, já trago seu café. - respondeu e seus passos ecoaram pelo corredor indicando que já havia saído. 

Assim que Virgo trouxe meu café o tomei rapidamente, estava faminta já que na noite anterior não consegui me alimentar direito. Depois de comer, deixei a bandeja em cima do meu criado mudo e voltei a me sentar na cama.

O que eu iria fazer o dia e a tarde toda? A noite eu já tinha um compromisso marcado, Mesmo contra a minha vontade. Não irei sair do quarto para evitar tombar com meu pai no corredor, mesmo eu desejando muito ir para o jardim ver as Tulipas que minha mãe havia plantado quando estava viva. Eram as preferidas dela e simultaneamente viraram as minhas também.

 Olhei ao redor para encontrar algo para me distrair até que avistei meu celular em cima do meu travesseiro, me estiquei e peguei o mesmo, liguei e fui para a lista de contatos vendo seu nome ali, fiquei meio em dúvida se ligava ou não. A amiga havia se casado a pouco tempo com um também dono de máfia,  Gajeel Redfox que estava entres as três mais poderosas máfias, abaixo dos Dragneel's que estavam em segundo lugar e dos Heartfilia's que estavam em primeiro. Não queria atrapalha-lá, mas, casada ou não, ela continua sendo minha melhor amiga e mesmo parecendo um pouco egoísta da minha parte, precisava conversar com Levy, então a "roubaria" um pouco do senhor Redfox.

Apertou no nome "Levy-chan" e logo esperou que a amiga atendesse

Chamando..

Chamando..

Chaman_-Lu-chan?

-Oi Levy-chan, está ocupada? - escutei batidas na porta, vendo Virgo entrar pegar a bandeja e sair de novo fechando a porta

-Não, Gajeel foi resolver alguns negócios e não tem nada de divertido para fazer nessa casa. - bufou entediada e acabei rindo - Mas porque a pergunta?

-Queria conversar com minha melhor amiga que depois que casou me deixou de lado! - ironizei fazendo drama e escutei sua risada alta do outro lado da linha

-Casei recentemente Lu-chan, precisava dar mais atenção para meu marido, desculpa. - soltou um pequeno riso e logo completou - Quando você se casar você vai saber como é, mas encalhada do jeito que tá, acho meio difícil. - fiquei muda, ela não sabia sobre meu casamento, até porque, depois que se casou, eu fiquei meio pé atrás para ligar para ela e acabar atrapalhando no momento dos dois -..han..Lu-chan?..hey Lu-chan? Ainda está aí? - acordei do meu transe, notando só agora que ela me chamava preocupada

-S-Sim, estou aqui. - respodi e escutei ela suspirando aliviada

-O que aconteceu que você ficou muda do nada? Pensei que tinha desligado mas a chamada ainda estava rolando. - explicou ainda mantendo a voz preocupada

-Levy..você pode vim aqui em casa? Preciso conversar com alguém.. - minha voz saiu meio cortada pelas lágrimas que já queriam marcar presença, mas me segurei para não preocupa-lá ainda mais

-Para você ter me chamado pelo meu nome o assunto é sério, chego aí em 20 minutos. - a chamada foi encerrada. Deixei o celular no colchão e me deitei olhando para o teto, o casamento da Levy também foi arranjado, mas para a sorte dela, o seu noivo era o homem com quem ela estava terrivelmente apaixonada coincidentemente ele sentia o mesmo por ela, só demonstrava do jeito dele.

 Fiquei tão imersa em meus pensamentos que dei um pulo quando minha porta foi aberta bruscamente e uma azulada baixinha passar por ela indo em minha direção.

-O que aconteceu Lu-chan? Vim o mais rápido que pude! - sua respiração estava ofegante, assim como a minha pelo tremendo susto que levei

-Quer me matar do coração?!! - perguntei indignada colocando uma mão no peito e sentindo meus batimentos acelerados

-Eu que devia te perguntar isso! Que tom triste foi aquele no celular? O que aconteceu? - seus grandes olhos castanhos me fitavam preocupada, ficava feliz de certo modo, é bom saber o quanto sou importante para ela aponto de se preocupar tanto comigo.

Levy arregalou os olhos quando contei tudo o que tinha acontecido comigo nesse pouco tempo, contei exatamente tudo sem esconder nenhum mínimo detalhe.

-Você vai conhecê-lo hoje? - perguntou e eu assenti dizendo um "sim" baixo - Não fique assim Lu-chan, olha, talvez você até se apaixone por ele. - comenta

-Talvez sim, então eu vou fazer de tudo para que isso não aconteça! - respondi firme - Imagina se eu começo a nutrir sentimentos por ele, mas não sou correspondida da mesma forma. Eu iria ser infeliz pelo resto da minha vida! - falei e recebi um forte tapa na cabeça - AI! LEVY-CHAN! - exclamei fazendo bico, passando a mão no lugar atingido

-Você só tem pensamentos negativos das coisas, pense positivo! - iria retrucar, mas seu olhar sério e firme me fez ficar em silêncio - Escute Lu-chan, nós nunca sabemos como irá ser o nosso futuro, o destino nos prega peças no caminho, e tudo o que você precisa, é estar preparada para enfrentar as surpresas que a vida ainda lhe reserva. - passei a encarar minhas mãos. Que  outras surpresas o destino ainda me reserva?

Depois de encerrarmos esse assunto, demos início a outros aleatórios, e,  quando notei já era final de tarde e beirando as seis horas, Levy-chan se despediu falando que tinha que voltar para casa antes que seu marido ficasse preocupado, e novamente o silêncio reinou naquele quarto e suspirei. 

Ainda faltava um tempo para Virgo vir me ajudar a me arrumar, e nada melhor do que um bom livro para se passar o tempo. Peguei um romance que ainda não tinha terminado e retomei a minha leitura e após algumas horas que pareciam apenas alguns minutos, Virgo bate na porta e após dar a permissão ela adentra o quarto.

-Está na hora Hime, pode ir tomar seu banho que eu separo suas roupas. - com as mãos cruzadas a frente do corpo, a empregada dizia calmamente, novamente citando meu apelido de infância, o que, de fato, me deixou muito feliz e mais calma do nervosismo que aos poucos me  consumia.

Fiz o me dissera, me despi e fui para baixo do chuveiro, e, como se fosse automático, minha mente começou a "viajar" e mais uma vez me encontrava imersa em meus pensamentos, como se tivesse apertado um botão de "ligue" de um controle remoto. 

Pensei em tudo que tinha acontecido comigo em tão pouco tempo, em como minha vida dera uma grande reviravolta, em um dia encalhada (como Levy se referiu mais cedo) e no outro noiva, com um completo estranho ainda por cima. Lembrei da discussão com meu pai, e que ainda estávamos brigados. Lembrei de minha mãe e que ainda não a "atualizei" desses últimos acontecimentos, e, por fim, meus pensamentos foram para minha conversa com Levy-chan, mais especificamente no que ela disse..

"..Escute Lu-chan, nós nunca sabemos como irá  ser o nosso futuro, o destino nos prega peças no caminho, e tudo o que você precisa, é estar preparada para enfrentar as surpresas que a vida ainda lhe reserva."

Suspirei desligando o registro, peguei minha toalha me enxugando e enrolando a mesma em meu corpo, peguei uma menor e a enrolei em meu cabelo saindo para o quarto. Virgo me esperava sentada em minha cama. Me aproximei e observei a peça que ela escolhera, um vestido rendado soltinho com decote "canoa". Simples mas bem elegante. Vesti minhas peças íntimas e depois o vestido. Virgo penteou meus cabelos os prendendo em um coque bem feito com alguns fios soltos para moldar meu rosto, me fez uma maquiagem leve e por fim, cansei um salto nude. Me aproximei do espelho do meu guarda-roupa que pegava corpo inteiro e contemplei minha imagem. 

-Está muito bonita Hime.- Virgo comentou um pouco atrás de com um sorriso gentil e olhando sua imagem pelo espelho retribui o sorriso 

-Obrigada Virgo. - agradeci e logo batidas na porta foram ouvidas 

-Lucy, está pronta? - escutei a voz de meu pai abafada pela porta 

-Sim. - respondi pegando uma bolsa de mão preta, apenas para carregar o meu celular e fui em direção a porta, abrindo a mesma e dando de cara com a pessoa que eu evitei o dia inteiro.

-Está linda minha filha. - seu sorriso sincero era tão reconfortante.

-Obrigada. - respondi meio sem jeito e fomos para o andar de baixo saindo de casa em seguida.

 No carro o chofer dirigia e eu e meu pai ficamos no banco de trás em completo silêncio, até que escuto um som de sacola ao meu lado, e como sou muito curiosa, deixei de observar a paisagem para olhar meu pai que esticava uma sacola na minha direção.  

-O que é isso? - perguntei pegando a sacola me oferecida.

-O presente do seu noivo. Sei que está me odiando agora e que, provavelmente, devo ter piorado as coisas entregando esse presente a vo_

-Está tudo bem. - o cortei - Não importa o que você faça, eu nunca seria capaz de te odiar papai, estou apenas..chateada. - suspirei, sentindo seus olhos atentos em mim - E sobre o presente, se ele vai fazer a gentileza de me dar algo, nada mais justo que retribuir sua gentileza. - expliquei calma e o homem ao meu lado não escondia sua surpresa, até eu estava surpresa com o que acabara de dizer. Claro que ainda não aceitava nada daquilo e que, provavelmente demoraria MUITO para eu aceitar tudo o que estava acontecendo..ou talvez.. eu nunca aceite. 

-Ouvir isso me deixa muito feliz. - sorriu de lado me dando um abraço desajeitado 

O chofer parou o carro na frente de um restaurante aparentemente caro e chique, saímos do veículo e entramos.  Papai olhou ao redor como se procurasse alguém e quando encontrou, me puxou para uma mesa onde um homem de cabelos pretos e roupas sociais nos esperava. Engoli em seco quando seu olhar se voltou a nós, mais demoradamente em mim.

-Desculpe a demora. - meu pai se desculpou se sentando à frente do homem esticando a mão para que a apertasse e assim ele fez, me sentei do seu lado e quando o olhar do homem a minha frente parou em minha direção, senti um arrepio estranho subir pela minha espinha e tentei não transparecer meu nervosismo. 

-Bom, essa é minha filha, Lucy Heartfilia - apresentou-me

-É um prazer finalmente conhece-lá. Me chamo Zeref, Zeref Dragneel. - pegou minha mão e gentilmente beijou as costas da mesma.


Notas Finais


Olá de novo, primeiramente quero agradecer a quem favoritou e pedir para que deixem seus comentários. É muito importante para nós a opinião de vocês :). Bom, é só isso, até o próximo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...