História Illuminated - EunHae - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Super Junior
Personagens Choi Siwon, Heechul, Kim Jongwoon, Kim Ryeowook, Lee Donghae, Lee Hyukjae "Eunhyuk", Park Jungsu, Shin Donghee
Tags Donghae, Eunhae, Eunhyuk, Sichul, Super Junior, Yewook
Visualizações 130
Palavras 1.226
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi de novo, pois então... Vim deixar aqui esse humilde - e dramático - capítulo, deixando claro que eu estou sobre ameaças KKKKKK Por isso apareci '-

Vão ler 😅👌

Capítulo 6 - Se arrependimento matasse...


A volta para casa foi totalmente silenciosa, eu apenas apertava as mãos no volante para controlar a vontade de pisar firme no acelerador. Mas não estava sozinho, não podia fazer aquilo.

Shindong não disse uma só palavra e eu nem saberia o que dizer depois daquela “notícia". Parei em um sinal vermelho, puxando lentamente o ar pela boca, tentando não demostrar o quanto estava… Triste? Essa é a palavra que devo admitir?


-  Hyuk, você quer conversar?


Shindong disse em uma voz baixa e suave, me despertando para o sinal que já estava verde. Neguei com a cabeça e tentei sorrir da forma mais decente que consegui.


- Está tudo bem, Shin… Está bem!


Repeti, mais para mim do que para ele. Logo estávamos chegando em casa. Desci o carro até o estacionamento e subimos o elevador no mais completo silêncio. Destranquei a porta e entrei primeiro, indo em direção ao corredor e em seguida para o quarto. Precisava de um tempo sozinho, e agradeci por Shindong me dar esse tempo, sem me chamar ou vir atrás. Tranquei a porta e deixei a bolsa em qualquer lugar, me jogando na cama, com a cabeça entre os travesseiros.

O travesseiro que depois de tanto tempo, nem tinha mais o seu cheiro… Afundei ainda mais a cabeça, como se a força do ato me fizesse sentir mais uma vez o seu perfume.


Mas não o senti. Nada mais.


Todos os momentos começaram a passar em minha mente, todos os momentos em que ele era somente meu, sempre que eu quisesse… Somente meu.


“Você achou que ele não iria seguir em frente?”


Minhas mãos aos poucos começaram a formigar, e a estranha sensação trouxe a dor em meu peito. Assim como a ardência em meus olhos, a umidade que eu jamais permite que ocupasse os meus olhos.


“Ele já encontrou alguém melhor”


Molharam o seu travesseiro, enquanto aqueles momentos passavam em minha mente. Seus olhos sumindo junto ao sorriso que sempre foi direcionado a mim, mas que agora eram para outro.


“Você o perdeu”


Apertei a mão que insistia em repetir aquela estranha sensação, levando-a ao peito.

Não podia mais conter as lágrimas que se apossaram do meu rosto, não conseguia conter o sentimento da perda, de finalmente deixá-lo escapar por entre os meus dedos, como areia... De perder algo importante, uma jóia única. Que jamais foi cuidada como merecia.


- Donghae…


Sussurrei, não me importando em limpar o meu rosto e os respingos que chegavam ao queixo, assim que me sentei na cama, olhando para o nada, sem expressão alguma.


- Eu amo você, Donghae…


Falava sozinho, como se pudesse ser ouvido, como se alguma força maior que eu, o trouxesse de volta para mim. Tão desolado naquele estado em que reconheci como fui tolo. Como fugi de algo que sempre esteve dentro de mim.

Meu peito doeu mais uma vez, para me lembrar que era um sofrimento real, como um que eu jamais havia sentido na vida. E eu só queria vê-lo, trazê-lo de volta para mim, o envolver em meus braços e lhe dar o mundo.



                       ×××



Não sei quantas horas se passaram. Mas uma luz forte me despertou. A claridade que vinha da janela com as cortinas abertas me fizeram piscar várias vezes antes de finalmente conseguir enxergar algo.


Me levantei e passei as mãos sobre o rosto, caminhando em direção ao banheiro, tirando as roupas do dia anterior, e deixando por onde passava. Não me importei em olhar as horas, não havia um lugar em que precisasse me importar em ir.


A não ser aquele para onde fui quando estava sem rumo. Como agora.


Terminei o banho e me arrumei, disposto a fazer aquilo que pensei. Quando sai do quarto e passei correndo pela sala, Shindong  estava na cozinha, possivelmente preocupado e talvez chamando para o café. Mas não dei ouvidos, não o queria ver com pena, nem com alguma lição de moral do tipo “Eu te avisei


- Eu como na rua.


Menti. Foi a única coisa que me limitei a falar antes de sair pela porta e descer até o térreo, saindo com o meu carro dali para a movimentada manhã de Seoul.

Parei em uma cafeteria, que já era bem conhecida. Pedi o meu café de sempre, puro e meio amargo. Em seguida procurei me sentar à mesa que ficava de frente para a lateral de vidro. Levei a xícara próxima ao rosto, inalando o cheiro reconfortante que o café me trazia, antes mesmo de toma-lo. Observei as pessoas que passavam do outro lado do vidro, apressadas, ocupadas com seus afazeres, assim como eu deveria estar… Mas não hoje.

Tomei mais um bom gole do café, suspirando e fechando brevemente os olhos quando o sabor tomava conta dos meus sentidos.


- Hyukjae.


Ouvi o meu nome ser chamado por uma voz rouca, que talvez pudesse ser familiar. Me virei para olhar e encontrei o que estava a minha frente. O calouro da faculdade, o que estava no curso errado, Yesung.


- Olá, biólogo… Já está matando as aulas?


Yesung riu e eu apenas sorri enquanto ele puxou a cadeira ao meu lado, sem ao menos pedir. Me olhou por algum momento depois para a minha xícara vazia.


- Nonna, traga outro café para o meu amigo aqui, por favor!


- Ei, não precisa…


- É por conta da casa!


Estreitei os olhos, sem entender e ele sorriu, esperando enquanto a mulher me servia de outro café, que não pude recusar.


- Essa cafeteria é dos meus pais, Hyuk. Perdão, posso chamá-lo assim?


- Aaah… pode sim, e porque nunca o vi aqui?


- Eu acabei de me mudar dos Estados Unidos, então agora vai me ver!


- Legal.


Sorri fraco, sem muito esforço para retribuir toda gentileza e atenção que me dava. Voltei os olhos para a minha xícara e tomei o restante do café, voltando a olhar para as pessoas pelo vidro.


- Onde está o seu namorado, Yesung?


- Ahn? Namorado? Aaah… o Wook, nós não temos nada, é só meu amigo!


- Eu vi o jeito que você olha para ele… Não perca isso!


Ele me olhou sem entender, mas assentiu com a cabeça, sorrindo com o canto dos lábios finos.


- Bem… Então vou indo, muito obrigado pelo café!


- Obrigado também, pelo conselho… eu acho, até mais Hyuk!


Acenei com a cabeça depois de passar pelo caixa e pagar pelo café, sai da loja com um sorriso fraco. Eu deveria voltar lá e pedir desculpa pelas bobagens que disse, mal conheço o garoto.


Estou muito afetado, por Deus…


                  ×××


Deixei a mesma playlist do Coldplay tocar enquanto dirigia, atravessando a cidade para o lugar em que já acordará pensando em ir. Ao longe já podia ver a construção antiga, o lugar que eu havia passado a muitos meses atrás, uma única vez, mas que por um milagre não havia esquecido.

Suspirei tranquilamente, depois de estacionar e descer do carro. Caminhei até a porta, aberta da mesma forma, assim como o tapete vermelho por todo o caminho.

Me sentei no mesmo banco, suspirando e voltando a ditar mentalmente a mesma oração, a qual não foi interrompida no meio, como da última vez. Suspirei outra vez, pronto para ir embora, um pouco desapontado por esperar algo que não aconteceria ali.


- Eu o estava esperando, Hyukjae.


A voz reconfortante me fez abrir os olhos, pude ver o maior novamente sentado ao meu lado. Sua mão foi ao meu ombro e ele sorriu gentilmente, como me lembrava, mas não fui capaz de retribuir, apenas o olhei de volta, me sentindo um pouco melhor.


- Oi Teuk...


Notas Finais


Obrigada e até o próximo se eu sobreviver 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...