1. Spirit Fanfics >
  2. Ilusões do coração - Yaoi >
  3. Bom garoto

História Ilusões do coração - Yaoi - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Hum, hoje eu trouxe 3 Capítulos novos eeee.

Boa leitura

Capítulo 6 - Bom garoto


Fanfic / Fanfiction Ilusões do coração - Yaoi - Capítulo 6 - Bom garoto

(ilusões do coração)
Capítulo 6 "bom garoto"

•durante a aula•

Estava muito estressado com o que havia acontecido que nem prestei atenção, o Son não estava fazendo aquela aula naquele dia então acabei ficando sozinho, na terceira aula o nosso professor atual não havia chegado, todos que estavam na sala acharam inusitado aquele velho faltar.

( Provavelmente seremos dispensados, ótimo para mim que não está com cabeça para aula.) - enquanto todos estavam fofocando e conversando, entrou um cara aparentemente jovem dentro da sala com um terno, seus cabelos eram o que chamava mais atenção ondulados bem castanhos cortados do dois lado laterias das cabeça, sardas estampava seu rosto, mas seus olhos...eram surpreendentes ele tinha aquela síndrome de dois olhos de cada cor, um sendo azul claro e o outro sendo mais escuro. Ele se sentou encima da mesa, com a turma toda o encarando.

- com licença, o que aconteceu com o sensei?? - uma garota levanta a mão para falar.

- hãn? Aquele velhote? Eu não faço a menor ideia, mas agora eu sou seu novo sensei. - ele pega seu celular e começa a digitar alguma coisa

Todos ficam surpreendidos por seu comportamento nada comum sendo um professor.

- com licença, o senhor não vai passar a matéria? - um aluno pergunta.

- matéria? Ah, sim. Onde vocês pararam? O que vocês normalmente fazem? - seus olhos caídos sem nenhuma preocupação atinge o rapaz que havia perguntado.

- normalmente dão tarefas e alguns temas para realizarmos e...

-  o que estão esperando? - ele se senta em sua cadeira, estava um silêncio, alguns alunos estavam cochichando sobre o que estava acontecendo.

(Esse professor parece ter nenhuma classificação para dar aula, será que o Son já sabe sobre esse professor?) - estava completamente perdido em meus pensamentos quando o sensei apoiou sua mão encima de minha mesa, ele ficou me encarando seriamente me olhando de pé a cabeça, eu fiquei sem saber o que fazer, ele apenas virou o rosto soltando um suspiro e continuou andando pela sala.

- irei fazer a chamada agora, prestem atenção.

[...]

A próxima aula seria com o Son, enquanto não começava fomos comer alguma coisa na cantina.

- você viu o novo professor? Ele está chamando muita atenção das garotas, mas ele é meio estranho. - Son falava enquanto pegava uma barrinha de cereal numa máquina.

- eu tive uma aula com ele, foi estranho. - falo me espreguiçando.

- estranho? - ele se abaixa para pegar a barrilha. - De novo!? - ele começa a sacudir a máquina.

- deixa isso comigo. - dou dois soquinhos no lado superior da máquina, fazendo a barrinha cair.

- Uauuu, incrível. Como você fez isso? - ele fala sorrindo.

- hehehe, no Japão tinha várias máquinas de comida, então consegui me virar. - falava com um sorrisinho, com a mão no pescoço.

- Nanmin, não olha, mas aquele cara está te encarando. - ele fala nervoso.

- quem? - me viro olhando em volta, quando nossos olhares se encontraram, Eivan estava com um olhar frio. - vamos ir para outro lugar...- minha expressão estava vazia após lembrar de todo o ocorrido...

- aconteceu alguma coisa entre vocês dois? - Son me pergunta confuso.

- N-não, apenas quero ir para outro lugar...- vou andando.

- ei espera. - Son vai andando atrás de mim.

Algumas aulas depois•
Son foi para sua aula, achei melhor dar uma caminhada pela universidade ouvindo alguma música, mas erros do passado voltaram a tona em minha mente, de algum modo Eivan me fez sentir estranho. Depois que meus pais se divorciaram a luz que havia na minha mãe desapareceu, seu jeito alegre havia sumido, até ela encontrar a pessoa que a faria feliz denovo, Miyaki-kun. Após minha mãe se casar de novo com sua nova esposa as coisas voltaram ao normal, tudo estava bem.. até aquele dia, após um motorista bêbado quase me atropelou mas Miyaki me protegeu, mas teve um preço...sua morte.

- Nanmin! Nanmin! - Sua voz vinha em minha direção com sua mão estendida me empurrando para longe.

com a vista embaçada estendi minha mão com as últimas forças que tinha.

Depois daquele dia acabei descontando toda solidão no prazer, assim saindo com qualquer cara que aparecia, acho que o sexo me fazia esquecer completamente dos meus problemas.... Eu sinto vergonha de mim mesmo, eu me odeio. Eu parei de fazer isso já faz um ano, mas quando eu ia ir com aquele cara do bar, me senti sujo. Logo após ver Eivan olhando para mim com aquela expressão de enjoado, eu desisti, parecia que ele estava entendendo o que estava acontecendo...

No mesmo dia 11:30 da manhã.

Estava caminhando pela universidade, logo fui andando até um lugar silêncio onde quase ninguém ia, estava tão enfurecido, que sem perceber já estava batendo a cabeça na parede, apenas escuto um risada vindo atrás de mim, quando me viro assustado era o sensei novo, sentado num banco comendo biscoito de polvilho.

- .... - fico envergonhado por ele ter visto aquela cena patética. - S-sensei, não te vi aí... Não deveria estar dando aula?

- eu posso atrasar alguns minutos, hehehe.

Fico com uma cara de desentendido por tanta falta de responsabilidade.

- estou brincando, a aula da sala 2 foi cancelada, quer biscoito? - ele fala enquanto enchia as mãos de biscoito.

- o que é isso? Nunca o vi aqui na Coréia. - pego um para experimentar.

- eles não são feitos aqui, são mais populares no Brasil, Hehehe. - ele fala sorrindo.

- O senhor já conheceu o Brasil? - falo curioso.

- Jesus, não me chame de senhor, não sou tão velho. Sim, eu vivi lá por um tempo.

- Você parece ser legal para um professor. - falo rindo.

- E você é tão idiota como aluno. - ele fala revirando os olhos.

- Hã? - Ele se aproximou e deu um peteleco na minha testa. - Aí, aí ai... - falo passando a mão na testa.

- por que estava fazendo aquilo? - ele revira os olhos. - alguma coisa aconteceu? problemas com a namorada? - ele fala sem tirar os olhos do biscoito de polvilho.

- nada disso, apenas coisas bobas..- falo virando o rosto com um sorriso falso. - acho eu ir logo..., Desculpe sensei. - faço a reverência.

- me chame de Eri. - ele fala sorrindo. - acho melhor eu te levar até a enfermaria, você pode ter tido algum problema cerebral com essas batidas. - ele fala rindo.

- que exagero. Por acaso você é médico? - falo com um sorrisinho.

- fiz 3 anos de medicina isso conta? - ele se levanta e passa o braço pelo meu ombro. - não saia por aí batendo a cabeça, idiota.

- tudo bem, não irei fazer isso denovo. - falo desviando o olhar. ( Esse sensei não é tão ruim como eu pensei.)

Enquanto andávamos até a enfermaria percebi que ele era bastante interessante e popular na universidade mesmo ele tendo entrado na escola hoje. Pelo decorrer do caminho percebi que várias garotas estavam acenando e sorrindo enquanto passavam por nós, ele foi contando sobre as viagens pelo Brasil e a sua vida, e alguns truques que poderia usar nas aulas.

[...]

Tínhamos acabado de chegar na enfermaria quando Eivan passa por nós dois, o olhar dele não estava em mim mas sim no Sensei, percebi uma atmosfera tensa enquanto os dois se olhavam com rancor, ele estendeu a mão para a porta da enfermaria e disse:

- damas primeiro, meu consagrado. - ele fala com um leve sorriso.

- digo o mesmo, sensei. - falo estendendo a mão para a porta para ele passar.

Yon olha para aquela cena incomum, ela olha com uma cara de sem entender. - só passem logo, restardados...- ela passa pela porta, sua mão estava com um paninho aparentava estava sangrando.

- Yon? - passo pela porta fechando a na cara do Sensei.

- Sim, Nanmin?

- o que aconteceu com a sua mão? Está tudo bem? - falo preocupado com ela.

- Nada demais, eu achei um gatinho andando pela Universidade e acabei querendo fazer carinho, mas o demônio arranhou minha mão e saiu correndo. - ela estava muito nervosa.

- hahaha, o Kaminari? Ele é tão quietinho. - falo rindo.

O Sensei abre a porta. - garoto eu já estou indo, melhoras para a sua testa, lembre-se não seja um idiota. - ele acena para mim dando um sorrindo, logo em seguida saindo da enfermaria.

- parece que vocês ficaram amiguinhos. - Yon fala feliz por mim. - AI caralho minha mão está doendo muito! - ela vai correndo até uma enfermeira.

- acho melhor eu ir pegar uma pomada.

[...]

Depois que sai da enfermaria junto com Yon fomos andando até nossos dormitórios, acabamos passando pelos gramados da Universidade.

- AAA! - Yon dá um pulo para longe de mim.

- O-oque foi!? - me viro e vejo Kaminari sentado me olhando com aqueles grandes olhos azuis. - Ah, oiii. - pego ele no colo com um sorriso. - quem é o neném do papai? Hein. - fico fazendo carinho em suas orelhas.

- como você conseguiu domar esse bicho!? - Yon olha assutada. - Nanmin larga isso ai!

- calma, é o gato do Eivan, ele fica vagando pela universidade. - falo sorrindo.

- tal dono tal gato, agora entendi por que ele é tão violento. - ela fala com as sombrancelhas levantas sem nenhuma surpresa. - ser for pelo Eivan esse gato vai te matar Nanmin. Tô falando sério.

- está tudo bem, hehehe. ( Os dois parecem violentos mas.... são até que fofos.) - fico sorrindo.

[...]

no dormitório 19:20 da noite•

Tinha acabado de entrar no quanto com dois copos de miojo instantâneo, vejo Eivan deitado em sua cama mexendo no celular usando fones de ouvido, acho que ele nem notou minha presença.

- Eivan? - vou andando até ele. - quer miojo? - coloco o pote de miojo na frente dele, ele me olha com uma cara de desconfiado e logo pega o pote de miojo.

- obrigado, mas por que está fazendo isso? - ele me olha estranho.

- a Yon pediu para comprar miojo para ela mas acabou que ela teve que ir correndo para a casa, por que o irmãozinho casula dela se machucou, por isso eu trouxe o miojo para você. - falo sorrindo.

- Eu literalmente não estou nada interessado no que você está falando. - ele revira os olhos .

- na verdade o real motivo... foi por nunca ter te agradecido no dia do festival, eu estava inseguro e triste. - desvio o olhar sem ver o rosto de Eivan. - falando nisso, você não era ruivo? - fico confuso, enquanto colocava uma garfada de miojo na minha boca.

- eu fiz aquilo por impulso, sim eu era ruivo, agora me deixe em paz, e sem perguntas. -Ele fica me encarando - agora vaza.

- como você pode me tratar assim, eu trouxe miojo! - faço biquinho com os olhos revirados.

- não lembro de ter pedido nada, se você trouxe foi por que quis. - ele vai comendo o miojo usando o hashi. - pior que não está ruim. - ele come sorrindo,

- hum... -após visualizar aquela cena minhas bochechas coraram, me senti bastante aflito. - E-eh por que você saiu do colégio naquela época? Bem.. eu perguntei para um amigo, mas ele hesitou em falar... - fico um pouco curioso.

N.K - esse amigo é o Yung-tae, para quem leu a fanfic anterior.

- realmente não quero falar sobre isso. - seu olhar frio mexeu comigo de uma forma, parecia que ele passou por alguma coisa bem tensa.

- ...tudo bem, desculpe ter que fazer você lembrar disso.. - vou andando até a porta quando escuto sua voz.

- se quiser realmente saber...

Continua....

Próximo episódio dia 08/02/2020


Notas Finais


Próximo capítulo dia 08/02/2020


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...