1. Spirit Fanfics >
  2. Ilusoriamente (One-shot Bonenzo) >
  3. Capítulo único

História Ilusoriamente (One-shot Bonenzo) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Nada a declarar .... aliás ..pera ...
Leiam por favor, tá grande, mas tá legal.
Pô eu passei uma hora editando essa foto pra deixar bonitinho , cooperem🥰
Alerta de
Hot explícito
Um pouquinho de violência
E um escritora exausta, porém feliz do outro lado da tela.
Boa leitura ❤

Capítulo 1 - Capítulo único


Fanfic / Fanfiction Ilusoriamente (One-shot Bonenzo) - Capítulo 1 - Capítulo único

Impact Fashion Shop, é o evento de moda mais agitado da Flórida, que  ocorre anualmente no mês de agosto. Nele modelos e digitais influencers desfilam apresentado tudo  que há de novo na produção das grandes grifes do mundo, e nesse evento B. Bennett, uma modelo nada  convencional, é a mais aguardada da noite.   

Por ter sido a última modelo a entrar na  passarela, ela era também  a mais aguardada tanto pelos expectadores  quanto pela grande mídia, todos os  holofotes focam nela, assim como todos os  veículos de imprensa a espera ansiosamente do lado de fora, para uma entrevista, ou ao menos um aceno da tão jovem e já tão estimada top model. E enfim   ela sai do evento, e se depara com uma multidão de fotógrafos e apresentadores de TV que a agurdavam ansiosos, e  ela gentilmente acena e responde a algumas poucas perguntas, e logo é acompanhada por dois grandes homens que faziam a segurança do evento até seu Ioniq branco com placa de Dallas.

- Desculpa-me, se o deixei muito tempo esperando - Ela diz ao seu motorista Alaryc,   ao entrar e senta-se no banco traseiro do carro. 

- Tudo bem querida, já estou acostumado, são muitos  anos lhe acompanhado. -Alaryc diz fixando o olhar no retrovisor interno buscando visualizar o rosto, agora tão  cansado da patroa.

Ela estava tão  exausta, que  por mais que gostasse da sua profissão o desgaste de lidar com a imprensa lhe sufoca. Muitos são os bips que agitam seu celular que marcavam as novas mensagens do seu namorado, ela ignora  e larga  o celular de lado ao vira-se para a  janela do  carro buscando apreciar as ruas da cidade, agora mais escuras e com menos trânsito fazendo seus olhos perderem o encanto e lhes pesarem na face, a ponto dela declinar a cabeça e cochilar ali mesmo.

**** 

-Tudo pronto, chefe - Exclama Tyler no telefone, ao trocar olhares de confirmação  com os outros, quatro caras da Mercedes AMG C 63, que eles acabaram de alugar com uns documentos falsos. 

-Otimo, então... Aqui tá tudo preparado também. Tô no aguardo, não demorem. - A voz responde do outro lado da linha.

Tyler então desliga o telefone e enfia no bolso, e  pisa fundo no acelerador e sair em perseguição ao Ioniq branco com placa de Dallas, o qual eles sabiam que sua fonte de dinheiro estava.

-Uhuruuu, adoro a adrenalina que sinto ao ver o carro voar. - Disse Luke o mais recém chegado  do grupo, todo animado.  - Cala Boca novato -Ordena Salvatore, um dos mais serveros e impacientes do bando. O garoto assustado franze as sobrancelhas, e se cala, enquanto Tyler pisando no acelerador, pisa no freio com outro pé,  causando assim uma colisão   traseira no Ioniq.

O baque foi tão forte que mesmo com o cinto de segurança Bennett sente o choque,  e acorda assustada e antes que pudesse gritar ofegante o que diabos havia  acontecido ao Alaryc, ele agitado tira o cinto de segurança  e abre a porta e em seguida a bate tão fortemente, que a modelo  sentiu a sua  cabeça laterjar. Ela sabia que certamente aquela noite seria longa, e que ambos os motoristas iriam trocar acusações como sempre acontece em situações assim no trânsito,  e então ela  curva a cabeça para procurar o celular que provavelmente caiu  debaixo do banco, e em meio a escuridão que a parte inferior do carro lhe oferecia, ela enfia a mão com dificuldade no chão do carro, e se amaldiçoa por ser tão estúpida a ponto de deixar o celular jogado no banco,  foi então que  ela ver um vento forte invadir o carro e a  porta ao seu  lado ser  aberta, ela ergue-se na expectativa de ver o Alaryc para lhe repreender, mas não foi bem o que ela visualiza, os seus olhos piscam e o seu cenho franze e quando ia abrir a boca para questionar o que o homem alto,  vestido  preto e de toca preta queria,  ela sente sua boca ser  fechada forçadamente e um cheiro esquisito invade seu nariz e uma tontura lhe domina, o homem de mãos  pesadas então a puxa já desmaiada para leva-lá ao carro, e a joga, no banco traseiro do veloz  carro vazio,  já que  os outros dois  gangsters foram para o mato enterrar  o corpo do motorista  que levou cinco  coronhadas na cabeça, na pista mal iluminada e  cercada pela mata escura.




*****

-Cadê o nosso potinho de ouro? -St John  perguntou aos parceiros enquanto tragava o seu charuto 

-Tá no cofre. - Tyler respondeu.

- Ótimo! Espero realmente Damon, que sua fonte seja abundante como afirmou, pois eu confiei cegamente em você.

- Tenha certeza, que não vai se arrepender. Mas o que importa mesmo é saber  que horas podemos fazer contato com a família?

O maiorial se levanta, ajeita sua jaqueta e joga o charuto no cinzeiro, e se espreguiçando  ele caminha até o parceiro, e dando-lhe tapinhas nos ombros lhe  responde com toda frieza que há em si 

 - Calma, amigo... Posso visualizar a minha  galinha dos ovos de ouro? 

- Claro- Damon responde vendo o seu superior lhe atrevessar. 

St  John como gostava de ser chamado  desce calmamente as escadas, que eram resguardadas por dois grandes homens que ele saúda batendo com alguns tapinhas  nos ombros,  e caminhando até a salinha resguardada pelo novato Luke, e o musculoso Jeremy que estava a olhar fixamente  pela pequena janela a vítima, e após o chefe limpar a garganta buscando sua atenção,  ele se assusta, curva a cabeça e diz

- Mairioal, desculpe-me, não vi o senhor chegar  

St John o encara, enquanto   puxava os pêlos  da barba, um sinal evidente do seu nervosismo, afinal nunca foi permitido abuso as suas vítimas, e o olhar do garoto denunciava a sua luxúria. E erguendo o peitoral ele diz -

 - Como anda a fonte? 

- Tá acuada feito um cachorro ferido ...

  - Cachorro?? Não, né?! Cadela, olha o recorte de gênero  -Luke exprime interrompendo a fala do colega e fazendo os olhos do St John e do Jeremy  se revirarem a ponto deles quase ficarem cegos. O chefe então  tira uma máscara de pano preta  do bolso traseiro e dispensa os dois do seu turno,   e colocando a touca na  cabeça ele a puxa até o início do pescoço. A máscara era necessária, pois ela  impedia que seu rosto fosse visto, e assim só   seus belos olhos  castanhos eram contemplados. Impaciente com o amadorismo dos rapazes ele os atravessa e grita  para que saiam,  e abrindo  a porta, ele visualiza uma moça pequena, de belas coxas cobertas pela meia calça, e um blazer azul  médio,  de mangas longas, curvada em posição fetal com os braços presos as pernas e a cabeça fincada nas coxas,  e  com as mãos e os pés amarradas, por uma forte e apertada corda,  os olhos do rude chefe brilharam  de encanto com a bela, Damon havia lhe dito que ela era uma top model, e logo   ele esperava uma  magrela branca como as das revistas, e para sua surpresa, ela não era nada parecida com elas, ele empurra a porta que bate fortemente, e a assusta e com os olhos inchados de chorar ela ergue a cabeça amedrontada  e visualiza o alto e másculo homem com um jeans preto que marcava suas torneadas coxas e uma camiseta preta, resguardada pela jaqueta escura de couro, sua vontade de grita se intensificou com a proximidade do mascarado, mas não lhe era possível emitir sons, pois a fita isolante a sufocava e a impedia. 

Ele a encarava profundamente  e ela tremia, e quanto mais ela sentia que ele se aproximava, mais ela buscava se prender dentro  si,  a ponto de ser engolida  pelo seu  próprio  abraço.  Os olhos verdes da bela, de cor de caramelo,  aguçou a curiosidade do bandido em saber o que mais havia naquele  delicado rosto, a sua curiosidade  foi tanta que ele decidiu tirar a fita para vislumbrar por completo  o rosto da pequena amedrontada, e percebendo a movimentação do mascarado  em sua direção ela se resguarda e treme descontroladamente,  e ele agachando em frente a ela diz- 

- Shi, Shi....fica quietinha, que eu vou tirar isso de você, mas se gritar eu te coloco para ver gnomos

 Os olhos da pequena  se arregalam inudados de  lágrimas, e ele calmamente puxa a fita dando-lhe passagem de ar novamente, quando ela abre a boca como quem ia gritar ele ergue o indicador e diz

- Não adianta amor, estamos em uma mata fechada e esse quarto não emite sons audíveis. 

E enquanto seu indicador repousava sobre os lábios da modelo, ela pisca descontroladamente  e as lágrimas contidas escorrem sua face. E mesmo respirando com dificuldades  ela diz-

 - O que querem de mim? É dinheiro?  Peçam aos meus empresários, a minha família, ou ao meu namorado, mas por favor me deixem ir, me deixem ir.

Ele passa levemente a mão sobre a bochecha marcada pelas lágrimas que corriam da face dela, e diz 

- Calma, já, já, você sai, mas antes precisamos saber se realmente alguém se importa com você. 

Ele  então se ergue e lhe dá  as costas, e sai  caminhando até a porta, e tem seus passos interrompidos pela doce voz que diz 

- Por favor, solte minhas mãos, tá doendo muito essas cordas...elas  estão me ferindo. 

Ele se vira para lhe encontrar com os olhos dela e a responde 

  - Se você se comportar eu penso no seu pedido.

 Ele abre a porta e sai.


***** 

Algumas horas se passaram desde o sequestro e o silêncio dominava o "covil", apelido dado a casa de reuniões dos gangsters. St John raramente ficava lá, quando havia  vítimas no recinto, mas hoje especialmente ele decidiu ficar,  a espera das 12 horas de reclusão, tempo estimado  por ele para entrar em contato com os  familiares, para negociar  a troca. Afinal a sua voz era a mais  perturbadora possível  e impressionava os familiares da vítima.

Ele  se levanta do sofá da sala, e ver o silêncio ser interrompido por fungadas vinda do quarto da fonte, ele  atravessou a porta em direção à cozinha  fingindo não se importar com os gemidos do  choro, mas a verdade é que o choro  lhe  incomodava em um  nível de irrita-ló, pois fazia sua mente  lhe martirizar, e voltando-se a pequena janela ele ver a   moça que emitia sons de tristeza, se derramar, e encantado ele observa  uma das mulheres lindas e delicadas, que ele já viu, e após observa-lá, ele decidi  ir  até a cozinha e pegar um saco de ruffles e uma lata de coca-cola e voltou ao quarto, e dando chutes nos plantonistas da noite ele pede passagem e exclama-

-Saiam daqui imprestáveis.

Os dois levantam atordados de sono, e  caminham até a sala  e se jogam nos colchões espalhados.

Bennett apesar do jeito doce, sempre foi astuta ela sabia que poderia reverter aquela situação usando dos  seus atributos,  e que pelo menos nos filmes que assistia essa  tática de conquista era infalível em situações como essa, e então  ela começa a colocar seu plano em prática ao ver a marceneta da porta de ferro se mover,  ela  volta a curvar a cabeça e fixar os olhos no chão, e então a voz rouca ecoa dizendo após bater a porta.

- Trouxe para você linda 

Ela não emiti nenhuma  reação, ou som  e ele prossegue 

- Hey amor trouxe para você.

Ela então continua quieta, e ele  caminha em sua direção, curva-se até ela, e eleva a mão direita a sua cabeça e  acariciando  seu cabelo, ele  sussurra próximo ao seu ouvido

 - Eu trouxe algo para comer 

Ela nega com a cabeça e funga, e ele insisti  

-Coma pequena, queremos seu dinheiro não seu  cadáver 

  E ainda com a cabeça debruçada nos joelhos ela diz baixinho 

- Meus punhos estão ardendo

Ele  sabe que não devia se comover com o pedido,  mas acaba olhando para o punho avermelhado e arranhado pelas cordas dela, e se compadece

- Eu vou tirar. Ok?! Mas você sabe... se tentar qualquer gracinha, eu  a mato sem pestanejar.

Ela assenti com a cabeça, e ele então  puxa uma faca grande da bainha da calça e corta as cordas dos pés e das mãos dela. Que respira aliviada ao senti-se livre das amarras, e ele então volta dizer 

- Agora coma. 

Ela pega os alimentos que  outrora  nunca comeria, devido às colorias e a dieta que faz, mas a fome é tanta que ela  devedora  o saco de batatas fritas, enquanto sente-se constrangida pelos olhares que o mascarado que sentou-se no chão do  outro lado da sala, lhe dava, os seus olhares pareciam um raio-x que  iam dos seus pés,  até o topo da sua cabeça. Ela sabia que as  chances dela conseguir pular a pequena janela com ele lhe vigiando eram improváveis,  e ela cria varias suposições que poderiam funcionar, como se talvez  ele dormisse.. Mas ela cai em si ao olha-ló de rabo de olho e perceber que seus olhos estão bem alertas lhe contemplando, um sinal evidente  que  ele não iria dormir tão cedo,   e ela então quebra o silêncio que imperava dizendo 

- Vocês ligaram para alguém? Que horas vai ser a troca?

- Você é muito curiosa sabia?! - Ele diz de forma rude, e ela desvia o olhar para o chão e faz biquinho,  ele sorrir de canto de boca  por atrás da máscara,  imaginando o que aquela pequena boca fazia além de torcer biquinho. 

Ela  então começa a se coçar e inquieta se  levanta e ele fica alerta,  ela se bate  como se algum inseto tivesse  adentrado a sua sua calça e desesperada ela se coça e repuxa a meia calça, ele desconfiado jurou que era algum  um truque seu, mas realmente um pernilingo morto cai ao chão após ela tirar e sacudir a meia calça, e seus olhos percorrem  novamente as belas pernas de firmes  músculos  da modelo, e a segue com os olhos vidrados até ela senta-se novamente  em frente a si, ele se viu enlouquecido quando em um movimento descuidado ela deixa o tercido da calcinha de renda preta  aparecer,  ele então se movimenta inquieto e fecha os olhos rapidamente  para imaginar com a cabeça o que ao seu corpo não era permitido fazer,  afinal ele era um sequestrador mafiaso, não um estuprador,  e acaba por cochilar enquanto imaginava sua mão deslizando sobre a virilha bem depilada da moça.  Ela por sua vez  aproveita do cochilo do bandido,  para aproxima-se dele sorrateiramente ajoelhada, e então  toca sua touca na bainha do pescoço,  que acaba o assustando, e  segurando fortemente    suas mãos ele  diz

 - O que tá fazendo amor?

- Desculpe - Ela exprime desviando o olhar

Ele então abre os olhos e a encara, ela o temendo fixar o olhar no chão,  e ele  prossegue dizendo 

- O que fazia? Tá louca ?

- Desculpe- me, por favor  não me machuque.
Não quis afronta-ló.

Ele aperta o seu punho com mais força e diz 

- O que fazia? 

Ela continua em silêncio, e ele a pressiona dizendo 

 -Fale logo

Ela suspira e sussurra 

 -Só queria vê-lo ...

-O que? - Ele questiona franzindo o cenho


- É, eu só queria ver quem é o homem que me olha com tanta  ternura, e ao  mesmo tempo me  ameaça de morte.

 Ele sorrir audivelmente, e a puxa, fazendo-a sentar no seu colo, e ela mostrando objeções buscou levanta-se, mas  ele segurando firme seus quadris diz

- Tira... - Ela morde os lábios, e levemente puxa a máscara preta do rapaz  e visualiza seu rosto simetricamente delicado e viril, com seu nariz fino que ornamenta perfeitamente com sua boca pequena, coberta pela barba milimetricamente desenhada, ela então acaricia seu rosto coçando sua barba, fazendo todo o corpo do meliante  arrepia-se,  e ele então a puxa para um beijo veloz,  necessitado e devasso de tanto que suas línguas sugaram uma a do outra, ele se viu tão vulnerável, que não  podia  mais controlar o impulso do desejo que sentia, desde da hora que a viu. E apalpando suas nádegas ele travou os dedos nela, a fazendo morve-se no seu colo provocando sua ereção,  enquanto isso a top model não podia conter a necessidade urgente que tinha de passear com suas mãos pelo abdômen do moreno e assim ela fez, ao encontrar a bainha da camisa, a puxou até o topo da cabeça dele fazendo ambos se  afastarem  do beijo molhado que davam e com  os seus  dedos hábeis ela  começou a acariciar e arranhar com as unhas suas costas e costelas levando ele aos desejos mais impuros possíveis. Era urgente a vontade que ele tinha de possui-lá, foi então que ele ansiosamente subiu suas mãos  das nádegas dela até o botão do blazer desfazendo o feixe, até desabotoa-ló por completo,  foi assim que os seus os olhos se encheram de luxúria ao vislumbrar seus belíssimos par de seios protegidos pelo sutiã de renda e sua calcinha antes singelamente contemplada, agora é vislumbrada por completa, e mordendo os lábios ele  abriu o sutiã dela e como um recém nascido  faminto ele  contemplou os arredondados seios de mamilos morom e bicos pidões que  lhes convidava a chupa-lós, mas antes ele  buscou atiçar mais a excitação da baixinha, quando fez movimentos delicados nos seus mamilos ela  não resistiu  e soltou  um leve gemido, e  assim não era possível identificar  quem  estava mais excitado dos dois.

Ele então  continuou apalpando os empinados seios  e explorando-os com as suas grandes  mãos,  até que seus beijos seguidos de chupões que estavam sobre o pescoço dela descem até os seus seios, e abocanhando um de cada vez, ele os chupa fazendo movimentos de vai e volta,  a ponto de  antes mesmo dela ficar nua por completa, ela já começava  a expelir pré-gozo em sua calcinha já toda molhada, aquilo era tão gostoso que ela gemia e mordia os lábios para não gritar de prazer,  e ele percebendo que ela estava gostando chupava ainda mais seus mamilos a ponto que todas as vezes que soltava-os ele emitia  um grunido enloquecedor, ela não podia negar que nunca desejou tanto transar com alguém como  queria agora, e então ela   desce as mãos até o botão da calça jeans do homem  e abri bruscamente o botão e  puxa o jeans juntamente com a cueca vermelha box do bonitão  até o joelho dele, que também puxou a sua molhada calcinha e jogou em algum lugar da pequena sala e ambos já sem controle de si, uni-se ainda mais e ela não podendo controlar a curiosidade desvia seus olhos para o pau do moreno que estava completamente ereto, ela então seguro-o e movimentou-o com força, e ele não suportortando o toque  gemeu alto,  e antes de sentar no pau grosso e grande  do  rapaz ela roçou suavemente sua intimidade nele, o fazendo senti o quanto ela já estava molhada e ansiando por ele, foi então que tomado pelo desejo insano ele a puxou para dentro si e penetrou nela com uma força tão intensa que a fez gritar "Aí, vai devagar"   e ele retrucou "Não se preocupe, eu não vou te machucar linda". Enquanto ele enfiava seu órgão  devagar dentro dela, ele sentia o seu pau enrijecido ser pressionado dentro da apertada virilha da moça, que não apenas o suagava por completo, como brincava com ele quando quicava em seu colo, em variadas intensidades, fazendo surgir um barulho de entra e sai que aguçava a  ambos, e ao abrir os olhos antes revirados por causa do prazer Enzo ver as pequenas e delicadas  mãos dela passear  por sua cabeça e os seus  cabelos negros serem puxados o fazendo arfar, e em seguida  soltar grunidos, e sentando com mais força e pressionando sua virilha contra o pau dele, ele diz "Senta com força, gostosa, senta", ela sentindo o órgão fortalecido abre -se mais para consumir a penetração, que se aprofunda a fazendo ter orgasmos, e dela  então jorra  o gozo seguido de um alto gemido, e ele  que tanto segurou a ejaculação  para aproveitar ao máximo o delicioso momento  ejaculou também desenfreadamente, e ambos sorriram satisfeitos.

E apertando sua cintura ele diz "Isso foi muito bom" -Ela sorrir mordendo a orelha dele e sussurra, "Ainda não terminou". E arranhando suas costas, ela  lhe diz ousadias no ouvido dele, que parece delirar a cada provocação, foi então que ela  escorregou a mão até faca próxima, e segura firme por trás de si e  antes de enfia-lá  nele ela diz, "Pena que você não  estará vivo para uma próxima, gostoso" e enfia a faca no coração do moreno por duas vezes,  que abre a boca para gritar, mas não resisti e  logo cai de lado  ensanguentado, e buscando o seu  blazer o  mais rápido possível ela se veste desesperada  e  tenta travar seus pés na parede, ela estava tão aflita buscando fugir dali o mais rápido possível que  não percebeu  a porta se abrir, até  Luke com a arma em punhos apontar para ela que já  estava próxima da janela,  e ao assusta-se com a voz falha que  grita ao  ver maioral esfaqueado no chão, ela se desequilibra um pouco, quando ele diz 

-Vai pra onde vadia? 

Ela fechou os os olhos incrédula, pois  faltava tão pouco para ela  fugir dali, e ignorando a pergunta ela tenta segurar com uma mão o patente da janela até   passar o pé o direto, mas  logo é atingida na perna pela péssima mira do novato que ao ver que ela caiu no chão após o disparo, chuta o chefe  para  tentar acorda-ló e sem reação alguma,  ele caminha até ela que chora descontroladamente ao segurar a perna baleada e implora choramingando 

 - Por favor, não faça isso, eu te dou dinheiro, te dou  o que quiser...

Luke treme, mas ao olhar para o ambiente percebe pela nudez do chefe  e o sutiã junto com a  meia calça espalhados pelo quarto,  ele deduziu que ela utilizou do seu poder feminino para matar o homem que há alguns meses atrás o havia salvado de um espancamento na rua causado por   bad boys homofóbicos,  e a sua raiva se intensifica  dentro do peito   e apontado a arma para o tórax de Bonnie ele diz

 -Você perfurou o coração dele,  e eu vou estraçalhar o seu, cadela.

Ele pisca forte e deixa uma lágrima cai junto com o disparo que acerta o coração de Bonnie. E antes que todos os outros  que caminhavam em direção ao covil     chegassem para sondar o que era aqueles  barulhos, ele guarda a arma e sai desesperado chamando por  todos que estavam lá fora  dizendo -

-Venham, venham  ver, o triste fim uma noite amor.










****

-Meu Deus... Enzo que filme horroso, odiei -Bonnie exprime se levantando do sofá e tirando o cobertor de si, enquanto Enzo que estava com os olhos vidrados na tv se movimenta ao  ver  ela passando com seu minúsculo babydoll em sua frente, e sedento ele a puxa pelo braço ansiando sua presença, e a fazendo   cai no seu colo,  ele acaricia suas coxas e diz 

 - Para linda,  o filme não foi tão ruim assim...- Enzo diz depositado beijos demorados no pescoço da amada, e prossegue dizendo - Aquela cena deles transando foi legal, e me inspirou- Ele sussurra apertando os quadris da amada que lhe  responde dando-lhe suaves tapas no braço

- Ahhh... te inspirou foi? - Ele assenti com a cabeça, enquanto cheira seu cangote. E provocando-o, ela diz

- Vai ficar inspirado então...

 Ela exclama se levantando e o estigando  enquanto ajeita o short do babydoll. Ele não contente com a renúncia da amada, se levanta em seguida, e ela vendo que sua provocação sutil efeito, corre pela casa, enquanto ele seguiu correndo atrás dela, até que ele se resguarda atrás de uma parede que liga o corredor a cozinha, e ela o procurando é pega de surpresa e pressionada  contra parede pelo seu cheiroso que  lhe enche de cócegas seguidas por  beijos.


Notas Finais


Eu tava muito inspirada quando escrevi isso 😂
Espero que vocês tenham gostado. 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...