1. Spirit Fanfics >
  2. I'm a Soldier >
  3. Um leve treino

História I'm a Soldier - Capítulo 2


Escrita por: AurelionSolmein

Notas do Autor


Desculpa pela demora meus queridos, escola e tals, vou tentar me comprometer mais, tamo junto 😎🙏

Capítulo 2 - Um leve treino


No último andar de um prédio na frente do ocorrido estava o herói profissional Snipe, com o dedo no gatilho, observava calmamente a ação do garoto de cabelos verdes, sabia que não podia deixar a situação na mão de um civil  mas estava curioso para ver como iria se desenrolar o ato tão cheio de heroísmo e coragem do adolescente. Depois de tudo ele saiu com um sorriso no rosto, imaginando ter encontrado uma precisão com a arma bem talentosa.

 

 

- Bom dia Izuku, tá na hora de acordar.  Dizia calmamente Inko, mãe de Izuku, do outro lado da porta.

 

Lá estava nosso Izuku Midoriya, mais acordado impossível, na realidade ele nem havia se quer pregado o olho, estava eufórico demais ao se remeter o que aconteceu na tarde anterior.

 

- Bom dia mãe !!!, saiu Izuku de seu quarto pulando de alegria.

- Olha olha quem está todo animado logo pela manhã, vamos venha logo tomar seu café da manhã, e aliás, tem alguém chamando por você lá na porta.

Alguém esperando por mim ? será que é o Bakugou ? talvez ele tenha ficado irritado por ontem ou algo desse tipo, droga, não estava nem um pouco a fim de encrenca logo depois de acordar. Pensava ingenuamente tentando adivinhar quem seria atrás da porta.

- Já vaaaai !, gritei me direcionando a porta com uma torrada entre os dentes.                 

- AAAAA, deixei minha torrada cair no chão com a pessoa inesperada na minha porta.

- H-Herói p-p-profissional Snipe ?, Digo me tremendo e totalmente surpreso por não esperar um herói profissional na minha porta as 8 da manhã

- Parece que você já me conhece jovem, e você é ?

- Midoriya, Izuku Midoriya, m-m-m-mas o que o senhor faz aqui na minha porta.

- Eu vim porque queria falar com você jovem, eu observei todo o ocorrido de ontem e fiquei curioso para lhe conhecer pessoalmente, aliás, qual é a sua individualidade.

- Bem, eu não tenho nasci sem individualidade senhor. Falo olhando para o chão

- Bela piada garoto, deve ser parecida com a minha, mas eu preciso de mais detalhes.

- Na realidade Snipe, eu realmente nasci sem individualidade, eu não sei o que deu em mim, nem muito menos o que aconteceu, mas eu só fiz o que me parecia certo na hora, vários heróis estavam lá e não fizeram nada, eu olhei para a arma do policial e ela parecia estar me chamando, me chamando para ajudar na situação. Falo com sinceridade olhando firmemente para ele.

Interessante, pelo que me parece é um despertar tardio de individualidade, eu só tinha visto falar em livros. Então ele não sabe nada de sua nova habilidade, hum, parece que eu realmente vou ter que instruir o garoto. Sussurrava em pensamentos o herói.

- Garoto, pelo jeito você despertou tardiamente sua individualidade, aquilo que aconteceu ontem a tarde foi com certeza obra de uma individualidade, e, como eu tenho uma habilidade parecida, eu posso lhe dar algumas dicas, e ajudar você a descobrir mais sobre ela.

- S-Sério ? O senhor faria isso por mim ?

- Claro meu jovem, e se tratando de uma individualidade envolvendo arma de fogo, você vai precisar ser treinado por alguém de qualquer jeito. O que me diz de tentar entrar no cursos de heróis da U.A no final do ano, imagino que como a maioria dos jovens da sua idade você queira ser um herói estou certo ?

- ACEITO, p-perdão, eu sempre quis ser um herói e a ajuda do senhor vai ser de extrema importância para que eu possa realizar meu sonho, obrigado obrigado obrigado. Agradecia ao Snipe se curvando e levantando rapidamente em forma de respeito.

- Mas, tem um problema. Indago rapidamente mudando a minha aparência alegre para uma totalmente pálida.

- Onde vamos conseguir uma arma para eu treinar ?

- Pode deixar comigo garoto, eu me encarrego desse trabalho, agora volte pra sua rotina, nos encontraremos amanhã às 5:30 na praia, não será tolerado qualquer atraso.

- SIM SENHOR, ATÉ AMANHÃ. Gritei por algum motivo prestando continência sem ao menos perceber.

 

- Isso vai ser divertido.

 

Time Skip

 

No dia seguinte estava Izuku na praia determinada pelo Snipe as 5:29 da manhã.

 

- Muito bem garoto, ao menos você é pontual, vamos direto ao ponto, primeiramente vamos descobrir com qual tipo de arma você tem mais afinidade. Aqui nessa mesa estão algumas que eu trouxe especialmente para você.

 

As armas na mesa eram essas:

Glock 18

Desert Eagle

M4

M16

AR-15

   Barret M82

 

 

- Eu posicionei os alvos a uma distância de 300m, pode escolher uma arma e começar os tiros, terá 30 balas para cada arma.

 

- Caramba, já é assim, tem nem um lanchinho pra começar. Sussurava Izuku.

- Falou alguma coisa ?

- NÃO SENHOR. Gritou Izuku suando frio

- Então pode começar. Você tem 5 minutos para gastar todas as balas.

 

Izuku optou por seguir a ordem da mesa pegando primeiro a Glock. Ele foi péssimo, nenhum dos trinta disparados chegaram perto do alvo

 

- Droga, porque não ta funcionando ? naquele dia parecia tão fácil. Falava Izuku dando um leve chute na areia da praia e colocando a arma de volta na mesa.

 

Agora Izuku pegou a Desert, ele não conhecia a arma, por consequência disso, não segurou tão firmemente a Eagle, achando que o coice seria parecido com a Glock, Infelizmente ele estava enganado, a arma voltou com tudo na sua testa, no primeiro tiro ele já estava no chão derrotado.

 

- Vamos levante, ainda tem mais quatro armas e quatro alvos esperando por você. Dizia Snipe encorajando o jovem que agora com um “galo” na cabeça levantava acabado indo pegar os fuzis e o rifle de precisão.

 

E assim se repetiu com as outras armas. Izuku agiu como um civil comum que nunca tinha pegado numa arma antes. Não havia acertado um tiro sequer. Ele deitou na areia da praia cansado e estressado por seu teste ter sido um completo fracasso pensando que havia decepcionado o herói que separou um tempo para treina-lo.

Mas Snipe pensou em um plano genial, ele percebeu o que estava acontecendo, ainda não entendia nem sabia ativar a sua individualidade, foi ai que ele pensou.

 

- Midoriya, levanta. Disse seco.

- Snipe, me descul...

- Não se desculpe ainda, está vendo aquele casal correndo a uns 500 metros daqui ?

- Sim senhor.

- Você sabe o que a minha individualidade faz ?

- Claro senhor, você consegue travar uma mira no seu alvo a uma distância máxima de 600 metros, fazendo com que o seu projétil adaptado o persiga.

- Exato, então dessa distância eu não irei errar.

- Como a...

 

Snipe efetuou um disparo em direção ao casal, Izuku estava vendo tudo, e novamente sentiu aquela sensação, seus olhos começaram a brilhar em verde e seu corpo a queimar, quando ele pegou o rifle de precisão Barret M82 em cima da mesa, deitou rapidamente na areia e puxou o seu bipé, em questão de 2.40 segundos, Izuku estava no chão em posição, pronto para atirar, ele lambeu a ponta do seu dedo e levantou sentindo a direção e força do vento e disse.

 

- Fácil.

 

Izuku disparou, o disparo da Barret acelerava cada vez mais, o casal se assustou com todo o barulho, mas não viu nada chegando, a bala de Izuku foi encontro ao disparo efetuado por Snipe, que não cumpriu todo o seu trajeto, sendo completamente destruída por ter sido interceptada pela bala de Izuku.

 

- Nada mal garoto, foi muito melhor do que eu esperava. Disse calmamente Snipe.

 

Izuku ainda na areia olhou para o agora então mestre e, sem dizer nenhuma palavra voltando a si mesmo, desmaiou.

 


Notas Finais


😴


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...