História I'm fragile - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7, Mamamoo, Stray Kids
Personagens Bang Chan, Hwasa, Jackson, Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Pjm Bts Hetero
Visualizações 5
Palavras 878
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tenho algo pra contar
Uma coisa muito irritando, incomoda, frustrante e decepcionante aconteceu cmg hj

Capítulo 5 - Porta do banheiro


Fanfic / Fanfiction I'm fragile - Capítulo 5 - Porta do banheiro

Quando coloquei os pés na escola centenas de olhos viraram para mim. Eu suspirei, coloquei a minha pior cara de mau humorada e segui para meu armário. Bang estava lá plantado, quando me viu acenou feito um idiota e sorriu instantaneamente.

Enquanto eu terminava o meu caminho, várias pessoas que eu nem ao menos lembrava de ter visto na escola vinham até mim para dizer as frases genéricas. "Sinto muito pelo seu pai.". Outros apenas me encaravam e sussurravam. 


_Oi! Você sumiu. O que aconteceu? _ é sério que ele não sabe? Bang é estranho. 


_Tive problemas pessoais.


_Quer desabafar?


_Não.


_Tudo bem... Eu copiei as matérias pra você. _ ele me entregou várias folhas soltas, até que ele não é tão inútil assim.


_Obrigada. É gentil da sua parte... _ ele abriu a boca surpreso e sorriu mais ainda - como se fosse possível -, provavelmente não esperava que eu fosse agradecer.


_Por que tá todo mundo te encarando?


_Por que são idiotas. _ guardei algumas coisas no armário e andei para a sala de aula.


Já havia alguns alunos lá e o professor também. Não sei quem estava mais surpreso o professor ou os alunos. Park Jimin e seu grupo também estava lá, vi loiro ficar mais branco que Min Yoongi - seu amigo extremamente branco.


_Flor... _ Park resmungou. Ele veio até mim e eu já tinha várias respostas para dar, ficar toda esse tempo sem trocar farpas com ele me deixou inspirada. _Como você está? _ os olhos dele estavam estranhos, o rosto dele estava estranho.


_Poderia estar melhor, mas estou falando com você. _ tentei alfineta-lo, mas ele não retrucou, apenas me abraçou. Park Jimin está me abraçando, não que eu esteja retribuindo. _O que pensa que está fazendo, Park?! Tire suas mãos imundas de mim.


_Me desculpe... _ por que ele está assim? _Quer ajuda com alguma coisa? Se precisar de algo, qualquer coisa mesmo pode me pedir.


_O que deu em você, Jimin?!


_Flor, tem certeza que está pronta para voltar a frequentar a escola? _o professor de gramática interrompeu a nossa não discussão. _O que você passou foi bem... Perturbador...


_Mas que porra! Qual o problema de todos vocês?! Estão duvidando de mim?!


_Não é isso... É que você voltou para a escola tão rápido...


_Escute professor, você deveria estar fazendo seu trabalho ao invés de se meter na vida alheia. Eu estou ótima! Apenas irritada com a atitude insuportável de vocês.


_Do que eles estão falando? _ Bang perguntou para mim.


_De nada. Esqueça.


Eu simplesmente saí da sala de aula e fui para o banheiro feminino que ficava atrás da quadra de esportes, um lugar longe demais. Não queria voltar para a sala, não queria ficar lá.

Estava tudo diferente, todos estão diferentes. Jimin está me tratando diferente, o professor agora sabe que eu existo. Diferente. Eu não gosto disso. Eu quero que as coisas voltem ao normal.


Normal


Eu queria ser normal. Lidar com sentimentos estúpidos como uma adolescente normal e estúpida, poder entender o que os outros sentem, o que eu sinto. Eu sinto raiva, mas é o tempo todo. Por quê? É frustrante não entender.

É frustrante ter que viver, viver assim. Uma pessoa normal não pensaria assim, uma pessoa normal iria querer viver o máximo e ter contato como outras pessoas. Eu só quero me deitar, calar o mundo e o bando de estúpidos. Eu só quero o silêncio.


Ele estragou tudo! Ele fez isso! Isso é tudo culpa dele! Está tudo diferente por culpa dele. Aquele egoísta covarde estragou a minha vida miserável! Deixou tudo fora do lugar e simplesmente fugiu de toda a responsabilidade, mas isso não era o suficiente, ele tinha que desestabilizar todo o meu mundo antes de partir.

Que o inferno seja real para que ele pague pelo sofrimento que está me fazendo passar. Que seu corpo seja comido pelos insetos lentamente. Que sua alma não tenha um minuto sequer de paz!


Não sei por quanto tempo fiquei naquela cabine do banheiro, mas foi o suficiente para minhas cordas vocais tremerem e meus olhos transbordarem. Eu chorava outra vez, e a sensação era estranha. Eu soluçava e minha cabeça doía.


[...]


Quando me acalmei liguei para Hwa e pedi para me buscar. Bang estava na porta da sala segurando as minhas coisas, ele parecia preocupado. Hwasa pegou minha mochila em sua mão e agradeceu a atenção do menino, e lá no fundo eu pude ver Park Jimin torcer o nariz.


_Você está bem? _Bang perguntou. Eu apenas neguei com a cabeça e aquilo deixou ele mais aflito, queria poder tranquiliza-lo. Afinal, ele era meu amigo.


_Você é meu amigo... _apesar do receio acabei dizendo _Mais tarde eu te falo. _tentei dar um sorriso mínimo, mas acho que saiu uma careta já que o loiro sorria, um sorriso tão grande que me cegava.


_Tá! Eu aguardo sua mensagem! Por favor melhore logo... E não esqueça de copiar a matéria que te dei! _como alguém consegue mudar em segundos?


_Ele é bonito... _Hwasa sussurrou no meu ouvido, pela primeira vez eu senti vontade de socar essa mulher. Raiva.


_Tá! Tá! Vamos embora!




Fomos para o carro, Seokjin estava lá. O que está acontecendo? Esses dois não desgrudam mais. Cumprimentei meu oppa e fui dormir no banco de trás.


Notas Finais


Minha mãe sendo homofóbica com a filha lésbica dentro do carro. Sem condições de me assumir.

A minha família tem um lavacar, aí chegou uma cliente e deixou o carro dela lavando e minha mãe ia levar ela pra casa. A situação já tava uma merda por eu estar dormindo no carro e minha mãe me mandar pro banco de trás, minha mãe ficou constrangida o cominho todo por eu estar dormindo, aí a mulher foi o caminho todo me difamando pra cliente que não tem nada a ver com a nossa vida.

Aí em um tentativa de ser legal, minha se ofereceu pra buscar a mulher quando o carro dela estivesse pronto e a moça disse "ah. Não precisa, a minha esposa me leva". Depois a minha mãe largou a mulher em casa e na volta a minha mãe disse "minha esposa me leva - imitando a mulher - que coisa feia". Eu sendo boba já perguntei "feia porque?" "porque ela é gorda" minha mãe respondeu "a gente gorda tbm. Somos horrorosas" eu respondi.

Cara, minha mãe é tão estúpida as vezes e ela ainda diz que não tem preconceito. Em uma cena de uma série ela viu um casal de mulher se beijando e achou estranho e eu perguntei "Mas um casal hetero quase roubando a alma um do outro não é estranho né?" e logo depois apareceu uma cena de sexo com heteros e eu perguntei "não tá sendo estranho né?". Sempre que ela pisa na bola eu dou umas tiradas nela, eu sei que pode ser falta de educação, mas minha mãe deveria pelo menos respeitar. Porque ela "sabe" como a filha dela é, ou finge não saber.

Novela mexicana


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...