História I'm Here, Forever - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Seventeen
Tags Adolescente, Boys X Boys, Drama, Homosexualidade, Meanie, Mingyu, Seungcheol, Seventeen, Wonwoo
Visualizações 14
Palavras 1.841
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - Capítulo 11


 

   Mingyu dá um último beijo sobre o cós da barriga do namorado e então se levanta para atender a porta. 

"Mingyu"

"Inspetora"

"Então, é só pra avisar que o ônibus irá sair mais cedo amanhã. Em vez de irmos emboras ás 17:00 sairemos ás 13:00 logo após o almoço okay?"

"Claro.." - Mingyu fez cara de confuso - "Mas porquê?" - Ela expressou um rosto pensativo ao ouvir, desviando o olhar e depois o encarando de novo.

"Trânsito"

"Ah.."

"Boa noite"

"Boa" - Mingyu fecha a porta e deita do lado de Wonwoo.

"O que era?"

"Vamos voltar mais cedo, 13:00"

"Ué, porquê?"

"Diz a inspetora que é trânsito" - Mingyu enfatiza a última palavra fazendo aspas.

"Tiveram o ano todo para planejarem esta viajem e nem pensaram nessa possibilidade? Ah por favor né, que mentira mais mal contada"

"Eu sei" - Mingyu encara Wonwoo - "Mas vamos fazer o que né"

"Hum" - Won diz olhando pro teto.

"Wonwoo"

"Hum?" 

"Você fica muito fofo quando tá emburrado" - Wonwoo vira para Mingyu.

"Tô vendo que ela não é a única boa com mentiras"

"Ah qual é! Você é fofo sim e ponto" - Won sorri de lado.

"Vem cá"

 

   Os dois se beijam e trocam carícias até pegarem no sono, o clima já tinha sido cortado e os meninos decidiram não arriscar de novo. Na manhã seguinte tentaram acordar cedinho para passarem juntos o último momento á sós que tinham, mas o sono era tanto que, novamente, foram acordados por batidas na porta. Won se levanta com dificuldade e vai atendê-la, descobrindo uma professora muito bem desperta pedindo para que os meninos fossem tomar o café da manhã e que já deixassem a bolsa pronta por conta da mudança de horário. 

   Won volta pra cama ainda cambaleando e começa a chacoalhar Mingyu para que acordasse, mas o problema era que Mingyu não hibernava enquanto dormia simplesmente virara um pedra, e Wonwoo não sabia disso. Chacoalhava-o com força e dizia repetidamente seu nome, mas não houve resposta alguma. Wonwoo chegou perto para ver se Mingyu respirava mas não conseguiu ouvir nada; já desperto pelo desespero, Won pega um copo dobrável em sua bolsa e enche-o de água na pia do banheiro, volta pro quarto parando de frente a Mingyu, respira fundo e joga a água em seu rosto fortemente. Sem respostas. Wonwoo arregala os olhos e repete o processo. Nada.

"Será que é porque ele está de bruços?" - Wonwoo começa a pensar.

"Será que ele entrou em coma?"

"Será que ele morreu?? Não.. Não pode ser"

"Eu dormi com um CADÁVER??"

   Tonto pelo mais novo fato, Wonwoo tenta chegar á porta mas cai no caminho, então se arrasta com lágrimas nos olhos ainda segurando o copinho. Olha pra trás e vê um Mingyu duro feito um vegetal na cama, desabando a chorar volta a seu foco e com esforço alcança a maçaneta da porta, abrindo-a o mais rápido que pôde. Wonwoo não encontra forças para chamar ajuda, mas por sorte um garoto da turma deles, Minghao, o vê e vai desesperado ao seu encontro; ele se abaixa no nível de Wonwoo e o pergunta o que aconteceu.

"Mingyu morreu" - Diz wonwoo (sem querer) dramaticamente.

   Minghao adentra a cabana deles e começa a chacoalhar Mingyu contra a cama, chamando seu nome; como não houve resposta o garoto apela pra violência.

"MINGYU ACORDA PORRA"

"Ahn.." - Mingyu abre os olhos desnorteadamente depois de não só um, mas dois belos tapas na cara.

"Quer matar a gente??"

"Hum.." - Mingyu senta-se na cama e esfrega os olhos.

"Anda logo, temos que tomar café" - Minghao se vira para Wonwoo parando os olhos em seu pé enfaixado.

"Tudo bem?"

"Ahh.. Si.. Sim, tudo. Eu bati na quina da cama na hora da pressa"

"Mas tá enfaixado.."

"Eu estava muito apressado.." - Wonwoo dá um sorrisinho meio convincente.

"Mas.."

"Obrigado!" - Won se levanta com o apoio da parede sem perder o sorriso, vai até a porta e a segura, indicando que era hora do Minghao sair - "Muito obrigado"

"Magina" - Diz Ming com ar desconfiado, saindo da cabana. Wonwoo logo fecha a porta e se direciona á Mingyu.

"O que foi isso??" - Ele diz com os braços abertos e tom de quem quer uma explicação.

"Isso o quê?"

"VOCÊ morto na cama"

"Ah.. Eu apenas dormi"

"Mingyu você morreu isso sim!"

"Desculpa.. Mas tenho um sono pesado" - Wonwoo se senta na beira da cama e segura o rosto de Mingyu com as duas mãos.

"Olha aqui, se eu tiver que ligar pros bombeiros te acordarem  todo dia de manhã pelo resto de nossas vidas, pode acreditar que eu não vou nem chegar perto do telefone, e, assim que você enfim acordar, vou meter a mão na sua cara"

"Nossa mô.." - Wonwoo apertava o rosto de Mingyu fazendo-o ficar com biquinho - "Mas e se eu estiver morto?"

"Eu me mato pra ir de bater nos quintos dos infernos. Capitch?"

"Ca..pitch"

"Bom" - Wonwoo dá um sorrisinho e um selar nos lábios de Mingyu - "Levanta, estou cansado de gente batendo na porta"

 

❅❅❅

 

 

   Durante as férias os meninos mal se viram por conta dos pais de Mingyu. Viviam apenas de mensagens e videos chats, isso quando Mingyu não tinha o celular confiscado para 'checagens'. Não viam a hora das aulas voltarem logo para poderem matar a grande saudade que estavam sentindo, e quando este dia chegou, se reencontraram na frente da escola com um forte abraço e beijinhos aqui e ali, parando apenas quando o sinal tocou. O momento de euforia não durou muito, pois descobriram que não estariam na mesma classe. Expressando carinhas triste um para o outro, e depois de mais um forte abraço cada um foi para sua sala, agora ansiosos pelo intervalo.

   E assim se seguiu o ano, sempre tentando aproveitar cada segundo para estarem juntos, apesar das dificuldades como trabalhos e atividades extracurriculares. De um jeitinho ou outro, eles escapavam da sala para darem uns beijos, com a desculpa de que queriam usar o banheiro. Estavam felizes e se amavam, e isso era o mais importante.

   Como era o segundo ano do ensino médio, os meninos faziam planos para quando terminassem a escola. Assim como antigamente, deitavam debaixo da árvore que tinham no pátio e discutiam onde iriam morar, que carreira gostariam de seguir, o que esperavam do futuro e qual o nome de seus bebês. Mingyu gosta de SoonHoon, ele diz que lembra algodão doce.. Já Wonwoo prefere VergKwan, algo único e fácil de dizer. Mesmo com tudo, nunca perdiam a esperança de que viveriam juntos até o fim.

 

   Durante as férias de Julho, Wonwoo viaja com sua família e fica impossibilitado de falar com Mingyu durante todo o mês, pois o celular do mesmo é confiscado pelos pais. Logo quando volta, descobre que Mingyu terá que passar o dia sozinho por conta de um inconveniente, Won não perde tempo que assim que avista pela janela da sala os pais de Mingyu saírem, corre para a casa do mesmo.

*Knok Knok Knok*

   Mingyu abre a porta e abre o maior sorriso.

"Eu sabia" - Wonwoo pula em seu pescoço o abraçando forte, Mingyu fecha a porta e o aperta pela cintura - "Senti tanto sua falta" - Ming acaricia o cabelo de Wonwoo e dá vários beijos em sua bochecha.

"Eu também" - Wonwoo diz quase num sussurro, voltando ao chão. Estava com lágrimas nos olhos.

"Como você está ahn? Está bem?" - Wonwoo apenas concorda com a cabeça pois começara a chorar. Escondeu o rosto com a mãos mas Mingyu levantou sua cabeça para encará-lo - "Não chora meu amor, estou aqui" - Outro abraço é iniciado - "Estou aqui"

 

   Depois que Wonwoo se calma, Mingyu o guia para seu quarto de mãos dadas e deita-se na cama, levando Wonwoo a fazer o mesmo. Agarradinhos em um abraço, os dois não conseguiam parar de se olharem e roubas beijos aqui e ali.

"Não tem ideia do quanto senti falta disso. Do teu cheiro, seu toque.. de você" - Wonwoo sorri com a declaração.

"Eu muito mais! Gostaria que estivesse comigo quando consegui pegar uma onda grande.. Você teria amado"

"Você foi surfar??"

"Bem.. surfar entre aspas né, eu mais caía que tudo"

"Haha! Meu amor fez dodói?"

"Credo Mingyu! Daqui a pouco tá me chamando de momolado!"

"Meu aegizinhoooo" - Diz Mingyu aperto Wonwoo com força.

"Só vou deixar porque estou com saudades" - Mingyu para e beija a testa do maior, apoiando sua cabeça contra a cabeça do mesmo.

"Vamos ficar juntinhos o resto do dia?"

"Claro meu anjo"

   Dito e feito! Os dois passaram o dia deitados, aproveitando a companhia e amor um do outro, levantaram apenas para fazer pipoca e usar o banheiro. Voltaram pra cama mas não muito tempo depois a mãe de Mingyu aparece á porta, acompanhada do pai do mesmo.Haviam voltado mais cedo do que o esperado..

"QUE PORRA É ESSA MINGYU??" - Os dois se soltam do abraço e logo ficam de pé. Hyo estava um pimentão, e era claro a fumaça saindo dos ouvidos do pai de Mingyu.

"Mã.."

"MÃE NADA! O QUE TÁ ACONTECENDO AQUI?? O QUE 'ELE' ESTÁ FAZENDO AQUI??"

"Eu posso explic.."

"NÃO ESTAVA VIAJANDO??"

  O pai de Mingyu adentra o quarto e dá um tapa na cara do mesmo, fazendo-o cair e logo em seguida dá um chute na barriga do mesmo, que gemia de dor.

"Foi culpa minha, foi minha ideia! Não machuca o Mingyu"

"Eu te proibi de falar com meu filho e você ainda tem a audácia de entrar na minha casa?? Esse viado tá contaminando tudo!" - Ela diz se dirigindo ao marido.

"Me desculpa Hyolyn!"

"NÃO SE ATREVA A DIZER MEU NOME SUA BICHA DE MERDA! FICA LONGE DO MEU FILHO"

  Neste instante Wonwoo encara o pai de Mingyu, mas foi a última que se lembra antes de abrir os olhos e se deparar com a UTI do hospital. Seus pais e seu hyung estavam no quarto com ele.

"Wonwoo filho, como está se sentindo? Está com dor?"

"Cadê o Mingyu?" - Wonwoo fica sentado na cama com a ajuda de seu pai.

"Filho.."

"Cadê ele?" - Os três se entreolham e respiram fundo.

"Ele tá bem. Tá vivo pelo menos" - Coups lhe disse, cabisbaixo.

"Pelo.. menos?"

"Won ele apanhou feio. Quebrou uma costela"

"O QUÊ??" - Wonwoo sente seus olhos encherem d'água.

"Ainda não acordou.. Mas disseram que vai ficar bem"

"Posso vê-lo?"

"Não filho.. Os pais deles estão aí"

"ELES TEM QUE ESTAR NA CADEIA ISSO SIM!"

"Won se acalma! Estamos resolvendo isso" - Wonwoo deita novamente na cama, bufando.

"Assim que ele acordar.. Podem me falar? E.. Se der.. Se vocês conseguirem, diz pra ele que eu o amo"

"Ah Woo" - A mãe de Wonwoo o abraça, chorando. Wonwoo faz o mesmo. Estava sentindo-se culpado por tudo o que aconteceu, se tivesse esperando mais um pouquinho.. Só até as aulas começarem.. Podia ter evitado tudo! - "Você realmente o ama"



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...