1. Spirit Fanfics >
  2. I'm Not Cute. - a Soi Fon FanFiction. >
  3. You are so cute

História I'm Not Cute. - a Soi Fon FanFiction. - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - You are so cute


Fanfic / Fanfiction I'm Not Cute. - a Soi Fon FanFiction. - Capítulo 1 - You are so cute

 Os ombros de Soi Fon permaneciam tensos desde o seu último abate. Horas haviam se passado desde que sua Bankai havia sido utilizada, mas aquele consumo percentualmente alto de energia espiritual, havia lhe consumido por completo. Abrindo seu shōji, sentiu uma leve dor aguda em seu ombro, Soi Fon suspirou. Enquanto tirava seus sapatos, ouviu uma voz rígida vindo em sua direção.

 - Boa noite capitã. - Yoruichi em sua forma humana lhe recebia. As cores usadas pela mais velha eram familiar a Soi Fon. Tecidos laranjas e pretos eram distribuídos por seu corpo, dando destaque e liberdade a sua cintura e boa parte superior de seu tronco.

 - Yoruichi-sama? - Soi Fon se assustou com a presença da amiga, fazia tempo que as duas não conversavam casualmente, provido de táticas e treinos feitos com Urahara e outros capitães após os ataques de Aizen.

 -  Está tudo bem? Parece cansada. - Yoruichi chegou perto de Soi Fon, perto o suficiente para a mais nova sentir sua respiração. Soi Fon assustou com o ato e pulou para trás com a última gota de reflexo que tinha.

 - Sim, estou um pouco. Por que está aqui? Omaeda não deveria ter te deixado entrar. - Franzindo o cenho, Soi Fon força sua expressão para passar um tipo de desconforto que não havia ali. A garota ficou feliz com a aparição da amiga, mesmo que apenas desejasse um longo banho quente e horas seguidas de sono.

 - Omaeda foi convencido com algumas moedas, e também, que mal uma velha amiga poderia fazer para você? - Sentando no chão perto de Soi Fon, Yoruichi encara seus olhos.

 - Não sei, só achei estranho. Você também era comandante das operações militares e espionagem. - Soi Fon luta contra sua vergonha, sentindo suas bochechas esquentarem com os olhares da mais velha.

 - Ah, verdade. - Yoruichi prolonga. - Eu poderia ter invadido. Obrigada pela ideia, talvez na próxima!

 - Não! Não foi uma ideia. - Soi Fon se desespera.

 - Brincadeira. Vamos, preparei algo para você comer. 

 - Para mim? - Seus olhos brilhavam. Não era algo que estava acostumada a receber após um longo dia de treino intenso contra hollows. 

 - Se não quiser, vai ser tudo meu! - Yoruichi levantava a provocando. - Vamos, depressa.

 - Ei! - Soi Fon se levantou com facilidade para correr atrás da mais velha. Ver Yoruichi em sua frente lhe fez lembrar dos tempos em que corria por volta do palácio da família Shihoin. Ações que, mesmo sem perceber, aprofundavam o laço das duas. Soi Fon sorriu ao ver os suaves movimentos dos pés de Yoruichi, conseguindo sentir o resultado do extremo treinamento para aperfeiçoar o Shunpo, técnica na qual a mais velha se destacava.

 - Parece que você anda em forma. - Yoruichi se virou para a garota, ainda correndo. Seus cabelos balançavam em frente de seus olhos, fazendo Soi Fon perder um pouco de seu foco por alguns segundos.

 - Em algum momento estive fora? - Soi Fon provoca.

 - Engraçada. - Yoruichi parou enquanto corria uma das portas do enorme corredor. - Aqui, coma!

 O cheiro suave de vinagre de arroz juntamente aos assados impregnaram em Soi Fon, sua boca encheu-se d’água, lhe dando uma fome que nem ela mesma sabia que tinha.

 - Yoruichi, eu.... - Era possível ouvir os ruídos da barriga de Soi Fon. Yoruichi riu.

 - Coma devagar, não exagere. - enquanto balançava a cabeça negativamente, conseguiu ver Soi Fon se ajoelhar

 - Muito obrigada! - Soi Fon dizia com semblante baixo. Os olhos de Yoruichi transbordavam confusão, não apenas por voltar ao passado com tal movimento dado, mas também, pelo sentimento de acolhimento que aquilo lhe transmitia. Ela sorriu enquanto ficava a altura de Soi Fon.

 - Agradeço muito, mas não preciso disso mais. - com seu dedo indicador levantando a feição de Soi Fon, continua. - Parando pra pensar, ainda posso ser considerada uma princesa, exilada, mas continuo sendo uma princesa. 

 Um sorriso largo foi dado por Yoruichi, onde Soi Fon se perdeu por alguns segundos. A mais velha percebeu, focando imediatamente em seus lábios, balançando a cabeça, negando o movimento.

 - Vou tomar um banho, há décadas não sinto essas águas quentes. Aproveite sua refeição.

 - Ah, tudo bem. - Yoruichi se retirou do cômodo antes de Soi Fon finalizar sua fala. - Obrigada. - sussurrou.

 

 

 Retirando a última tigela que restava sobreposta à mesa, Soi Fon sentiu falta de Yoruichi. Já fazia alguns minutos que a mais velha disse que ia se banhar. Suas mãos repousavam sobre a água corrente, o receio a dominava. Após secá-las, pegou Suzumebachi e foi em direção ao seu quarto a colocando em um pedestal. Retirou seu quimono preto juntamente ao enorme casaco branco, onde havia o símbolo do 2° esquadrão, colocando em si apenas uma leve roupa na coloração laranja e preto. Seus braços estavam dominados por diversas faixas feitas pelo 4° esquadrão, onde seus ferimentos se recuperavam lentamente.

 Indo em direção ao exterior de sua casa, conseguiu ouvir entre suspiros.

 - Ah, que saudade disso.

 Correndo a porta, conseguiu ver Yoruichi em seu lago termal.

 - Yo! - Soi Fon não conseguiu reparar em outra coisa.

 - Yoruichi-sama! - tampando sua boca logo após a inédita reação, a mais velha pergunta.

 - O quê foi? - as bochechas da mais nova esquentaram.

 Seu longo cabelo roxo cobria boa parte de seus peitos, mesmo assim, o fato de pensar que após aquela fina camada de cabelos haveria um paraíso para seus olhos, Soi Fon se sentiu estranha.

 - Venha, me faça companhia. - cortando seu contato visual, Soi Fon foca o chão, enquanto segura com força suas mãos. Yoruichi continua:

 - Ei! Não me faça perder a paciência. Se continuar aí vou ser obrigada a te buscar! - A voz da mais velha ficou rígida. A cabeça de Soi Fon encerrava uma breve luta interna, resultando em se render ao pedido. Correndo para o vestiário, retirou suas peças de roupa e se enrolou em uma toalha.

 Seus pés frios entraram em contato com a água quente, lhe fazendo soltar um leve suspiro, após seu corpo estar totalmente coberto, retirou o restante da toalha que cobria sua parte superior. Indo em direção a Yoruichi, percebeu que seu olhar estava distante.

 -Uma noite de lua cheia, há quanto tempo eu não aproveitava uma dessas. - Seu semblante era sério, Soi Fon o apreciou enquanto podia. Yoruichi continuou:

 - O último, que eu me lembre, foi naquela floresta ao norte de Seireitei. Te salvei de um hollow e acabei adormecendo em seus braços.

 - Não me lembro se te agradeci aquele dia… Obrigada. - seu olhar ficou baixo.

 - Agradecer por te salvar ou por babar em toda sua roupa? - Soi Fon riu.

 - Você não babou…

 Yoruichi sorriu percebendo a reação da garota com a situação.

 O corpo de Soi Fon se relaxava completamente. A temperatura daquelas águas a faziam tranquilizar. Suas faixas estavam encharcadas, mas felizmente, o sangramento havia parado horas antes.

 -  Porque você veio aqui hoje, Yoruichi-sama? - seus olhos continuavam focando a água. - Já se fazem anos que você não vem a minha casa, e… demasiada surpresa é algo que eu não poderia aceitar.

 - Aceitar? - Yoruichi corrige. - Somos amigas, Soi Fon. Não podemos nos visitar? Preparar uma refeição que fosse?

 Soi Fon segurou seus braços com força, parecia se culpar pelo seu pensamento. Yoruichi percebeu.

 - Eu a vi hoje, em seu treino.

 - Me viu? - Soi Fon se assustou.

 - Você conseguiu disparar Jahkuhō Raikōben 5 vezes em um único dia. Muito melhor do que semana passada.

 - Você…

 - Tenho te vigiado? Sim, pode se classificar assim.

 - Yoruichi-sama…  - criando coragem, Soi Fon focou em sua face.

 - Estou orgulhosa de você, Suì.

 Após ouvir o apelido, Soi Fon sorriu.

 - Muito obrigada… muito obrigada, Yoruichi-sama!  - os olhos de Soi Fon brilhavam, sendo totalmente ignorados por Yoruichi, que cortava seu contato por vergonha, suas bochechas estavam vermelhas.

 - Hoje você pegou pesado, Soi Fon. Consigo sentir daqui sua exaustão, venha aqui. - estendendo seus braços, Yoruichi deu passagem para a mais nova ficar entre eles, enquanto restaurava seu contato visual com a mais nova.

 Um esforço considerável era dado por Soi Fon para não encostar nos seios da mais velha, a mesma percebeu, lhe puxando para mais perto.

 - Não precisa ter vergonha, você não tem peitos? 

 O contato dos seios de Yoruichi contra suas costas a fez arfar, nunca imaginou sentir essa sensação.

 -  É, como pensei, além da exaustão você está extremamente tensa. Não tira dias de folga?

 - Não muitos. - Soi Fon se aconchegava em seu abraço. -  Queria conseguir ser mais móvel com meu Jahkuhō Raikōben. - uma enorme dificuldade estava presente em sua fala, se concentrar com tamanha intimidade ali era quase impossível aos olhos de Soi Fon.

 - Seu ombro esquerdo está acabado, precisará visitar Unohana o quanto antes.

 - Estou bem… não preciso dela. - seus olhos fecharam.

 - Uh? É óbvio que precisa, por enquanto vou te ajudar com uma massagem, mas logo menos passe em sua casa e peça uma rápida verificação. Idiota. - as palavras de preocupação por parte de Yoruichi a faziam corar. 

 - Obrigada Yoruichi. - Soi Fon se virou lentamente para a mais velha.

 - Não é nada, agora fique de costas novamente. Vou tentar te aliviar um pouco.

 - Oh, tudo bem. - em movimentos desajeitados, Soi Fon se vira.

 - Faça o seguinte, pense que meus peitos são travesseiros. Talvez assim a faça encostar neles com mais facilidade. - Yoruichi a empurrava contra seus seios.

 - Yoruichi-sama! - A cada momento em que partes novas de suas peles entravam em contato, a face de Soi Fon esquentava.

 - Isso, repouse sua cabeça aqui. - colocando a em seu ombro, Yoruichi sentou em uma das pedras que havia por baixo das águas. Soi Fon sentou em seu colo. Sua baixa estatura deixou Yoruichi confortável, possibilitando ver todo o lugar.

 Soi Fon focou seu olhar na lua, seu reflexo na água iluminava seus rostos. Movimentos circulares suaves eram dados por Yoruichi em boa parte da barriga e coxas de Soi Fon, a fazendo fechar seus olhos.

 - Oh, que bobinha, você não desfez suas tranças. Me deixe te ajudar. - apoiando seu queixo sobre o ombro direito de Soi Fon, Yoruichi entrelaça seus braços por volta de seu corpo lhe rendendo um abraço. A mais nova segura na parte inferior de seu braço para não a atrapalhar. Yoruichi efetuava os movimentos com calma. O silêncio das duas destacava o barulho da água corrente.

 

 

 - Há anos atrás… devíamos ter aproveitado mais nosso tempo juntas. - Soi Fon fala baixo, sua força estava mínima.

 - E não aproveitamos? - desfazendo a trança da direita, Yoruichi passa para a da esquerda.

 - Sim, aproveitamos mas… - Yoruichi acaba roçando levemente seus pés nas pernas de Soi Fon, a mais nova suprimiu um suspiro. - Você deveria ter me levado. - Soi Fon vira sua cabeça, conseguindo ver o semblante de Yoruichi pela lateral. - Você sabe o quão grande era sua importância pra mim. Você era meu mundo, Yoruichi…

 Os olhos de Soi Fon estavam encharcados, prestes a derramar.

 Yoruichi a olhava sem nenhuma expressão.

 - Eu não tinha lugar, propósito, muito menos vontade. Eu me senti traída, culpada… eu…

 - Não era possível te levar, Soi Fon. - Yoruichi a cortou. - Era algo que não sabíamos se podia dar certo. Arriscamos toda nossa vida na Soul Society por isso. Eu cogitei em te chamar, eu queria muito, mas saiba que essa não era a melhor decisão a se fazer. - Yoruichi falava baixo e devagar próximo ao ouvido de Soi Fon. Continuou:

 - Meu coração apertou quando te vi naquele dia, em Seireitei. Você estava forte, diria até mais forte que eu mesma. Lá eu percebi que fiz a escolha certa. Te ver como capitã do 2° esquadrão, me encheu de alegria e orgulho.

 Soi Fon sorriu levemente, enquanto criava coragem.

 - Eu tinha que te matar, Yoruichi-sama, era minha obrigação. Eu estava pronta para isso. Por anos eu pensei ter parado de te… te…

 Uma pressão foi dada por Soi Fon em seus próprios olhos, virando suavemente seu rosto para a lateral, para não atrapalhar Yoruichi.

 Enquanto abria seus olhos lentamente, repetiu a frase, desta vez, a completando:

 - Por anos eu pensei ter parado de te amar, Yoruichi.

 Yoruichi virou o corpo de Soi Fon para o seu, lhe sufocando com um abraço. Metade de sua trança se desfez com o movimento. As lágrimas que antes estavam difíceis de segurar, foram finalmente libertas.

 - Yoruichi-sama… - desprendendo seu corpo da mais velha, continuou:

 - Eu pensei em alguma forma de enganar meu coração, qualquer uma, mas infelizmente, não consegui. Naquele dia, naquela invasão, eu percebi que nunca havia parado de te amar. - Soi Fon a olha com os olhos embaçados.

 - Eu ainda a amo Yoruichi-sama.

 As pequenas mãos de Soi Fon entrelaçaram na parte de trás do cabelo de Yoruichi, unindo seus lábios, o doce suave da boca de Yoruichi dominava Soi Fon.

 - Eu não… - Soi Fon interrompe.

 - Saiba que os anos sem você foram extremamente doloridos, Suì. Por favor, seja minha esta noite. - Dessa vez, Yoruichi sela seus lábios. Com mais cuidado, suas línguas dançam uma coreografia lenta, e por mais que essa tenha sido a primeira vez, as duas pareciam saber lidar uma com a outra. Suas mãos procuravam o melhor lugar, seja guardado por anos de vontade, ou não. Yoruichi resolveu continuar com os passos de mais cedo, colocando suas mãos no cabelo da mais nova. Enquanto Soi Fon preferiu massagear suas bochechas.

 Uma pressão era suprimida pelas duas. A vontade de seus corpos eram enormes, desejos que estavam dormentes a anos foram despertados de uma só vez, mas elas preferiram ir com calma.

 Em uma das pausas para repor o fôlego, Yoruichi partiu para o pescoço da mais nova. Sua língua descia e subia lentamente sobre boa parte de seu trapézio. Soi Fon aumentava sua força sobre o cabelo de Yoruichi conforme a mesma a beijava, talvez assim lhe dando uma coragem que antes não existia. Suas mãos deslizaram sobre o corpo da mais velha, acariciando sua intimidade. Yoruichi parou seus movimentos por alguns segundos, descansando sua cabeça no ombro de Soi Fon. A mais nova sentou sobre seu colo, entrelaçando seus próprios braços por trás de Yoruichi, voltando seu foco à boca. Pequenas e suaves mordidas eram depositadas em seus lábios, e por alguns segundos, Soi Fon acariciou seu nariz com o de Yoruichi. A mais velha riu.

 - Miau. - Yoruichi interrompeu durante a risada. - Minha vez.

 Agarrando as coxas de Soi Fon, levantou seu corpo apoiando suas costas na pedra, que servia como uma parede para o lago, enquanto segurava sua mão esquerda a altura de sua cabeça. Com a ajuda de sua perna, a elevou um pouco mais, deixando seus seios fora d’água. Yoruichi lambeu-os suavemente, a mais nova se surpreendeu com a calma de seus movimentos enquanto, sem perceber, mordia a parte inferior de seu lábio, resultado de sua impaciência. Soi Fon queria que aquilo fosse mais rápido, que pudesse finalmente chegar à seu êxtase. De contrapartida, ela não queria que acabasse, queria sentir Yoruichi mais vezes, por mais tempo. Soi Fon se culpou pela sua hipocrisia.

 As unhas de Yoruichi passeavam sobre o seio esquerdo de Soi Fon, enquanto sua boca brincava com seu queixo, lábio e orelha, lhe resultando em uma leve mordida em seu lóbulo, Soi Fon não conseguiu conter seu gemido.

 - Venha. - Ajeitando seus braços, Yoruichi ergueu Soi Fon em seu colo, a segurando.

 - O quê você ‘tá fazendo? - Soi Fon disse entre risadas e pequenos gritos enquanto saíam da água.

 Yoruichi não respondeu, apenas selou seus lábios novamente. Seus corpos estavam quentes por conta da temperatura do lago, rendendo um leve choque com o vento frio que soprava, os cabelos de Yoruichi caiam sobre o pequeno corpo de Soi Fon, que agora com a diferença de temperatura, estava todo arrepiado.

 Durante todo o caminho, erraram 5 portas. Resultando em diversas risadas e alguns escorregões por causa de seus corpos molhados. Cada sorriso ali dado era motivo para as duas quererem tanto sua união naquela noite. O cansaço de Soi Fon havia passado parcialmente, enquanto Yoruichi só aumentava sua sede pela mais nova.

 A jogando na cama, Yoruichi sobe sobre seu corpo feito um felino. Segurando seus braços, voltou a brincar com seu pescoço, desta vez, deixando algumas marcas. Não tão fortes, pois os amigos capitães e tenentes de Soi Fon iriam a olhar estranho. Com este pensamento, a mais velha desceu seu foco. Conforme beijava sua barriga, as pernas de Soi Fon entrelaçavam em suas costas, a puxando para mais perto.

 Soltando suas mãos e parando o movimento, Yoruichi chegou perto de sua boca.

 - Posso? - suas mãos passavam pelas coxas de Soi Fon, enquanto abria suas pernas.

 - Que pergunta… idiota. - seus olhos estavam famintos.

 Yoruichi acariciou suas coxas enquanto depositava beijos suaves por volta da intimidade de Soi Fon. A garota gemeu.

 - Ei, Ei! - parando seu movimento, Yoruichi tampou parcialmente a boca de Soi Fon com seu dedo indicador. - Tenha respeito, existem pessoas que moram aqui perto.

 Sua voz suave e manipuladora entrou na cabeça de Soi Fon, que balançava de cima para baixo concordando com o que foi dito. Yoruichi sorria maliciosamente.

 - Se você continuar a gritar, eu paro novamente. - retirando seu dedo sobre a boca de Soi Fon, continuou: - Entendido?

 - S-sim… - a feição de Soi Fon residia em impaciência, até Yoruichi começar a massagear seu clitóris. Mordendo seu lábio, seus peitos subiam e desciam lentamente, conforme Yoruichi pressionava o local. Soi Fon tampou sua boca com as duas mãos, segurando a mais velha com as pernas.

 A língua de Yoruichi a acariciava levemente, a mais nova estava prestes a gritar pedindo para aumentar a velocidade, mas não queria que aquilo acabasse, não queria a desobedecer.

 Soi Fon estava perto de seu êxtase, Yoruichi percebeu. Com a ajuda de seus dedos, a penetrava levemente enquanto sua língua estimulava seu clitóris, a mais nova retirou uma de suas mãos da boca e a pressionou sobre a cabeça de Yoruichi, enquanto revirava seus olhos. Seu corpo tremeu sutilmente por alguns segundos. Soi Fon tomou posse do controle durante seu orgasmo, Yoruichi a olhava sutilmente enquanto retirava o excesso do líquido de sua boca.

 Ainda recuperando seu fôlego, Soi Fon disse:

 - Sua vez. - pegando os braços de Yoruichi, a jogou embaixo de seu corpo, retirando uma de suas mãos e a colocando sobre a intimidade da mais velha. Soi Fon se assustou com tamanha excitação de Yoruichi, ela sorriu por saber que o motivo daquilo, era ela. Com a ajuda de dois dedos, a penetrou. Seus lábios estavam extremamente próximos, mas sem se encostar. Suas respirações roubavam uma à outra enquanto seus peitos subiam e desciam em um ritmo frenético.

 - Suì… eu… - Yoruichi não conseguiu terminar sua frase.

 - Shh… tenha respeito, existem pessoas que moram aqui perto. - tampando sua boca, Yoruichi jogou sua cabeça para trás, enquanto contraia suas pernas. Soi Fon recolheu seus dedos lambendo os vestígios de seu líquido

 Um silêncio se instaurou por alguns segundos.

 - Você não… - Soi Fon segurou a risada. - A gente não…

 - Sim, a gente sim. - Yoruichi entendeu, rindo por completo.

 - Eu não acredito. - A face assustada de Soi Fon fez Yoruichi a olhar apaixonada.

 - Pode começar a acreditar. - Enquanto apoiava seu queixo sobre sua mão, Soi Fon balançava a cabeça negativamente, escondendo sua face com suas mãos.

 - Você é muito fofa. - Yoruichi riu enquanto retirava sutilmente as mãos de Soi Fon, mostrando seu rosto vermelho.

 - Eu não sou fofa. - respondeu em um sorriso desajeitado

 - É sim… - jogando seu corpo sobre a cama, encarou o teto. - Topa um banho agora?

 - Por favor!

 

 

 

 - Por aqui. - ajudando Yoruichi a se aconchegar, Soi Fon sorri.

 - Você precisa de uma cama maior. Na próxima vez, faremos na minha casa.

 - Próxima vez? - Soi Fon a olhou assustada.

 - Sim, na próxima vez. - Yoruichi fechava os olhos, enquanto apoiava um de seus braços em sua testa.

 Soi Fon suavemente a beijou.

 - Boa noite, Soi Fon. - Yoruichi disse, próximo ainda a seus lábios, a entrelaçando em seus braços.

 - Boa noite....

 


Notas Finais


cara...

kkkkkkkkkkkkk, sério, eu amei escrever isso daqui!

É minha primeira vez fazendo uma hot de verdade, e sinceramente, tô bem feliz com o resultado!!!

Foi apenas um capítulo, mas nada me impede de fazer um bônus, certo? Talvez futuramente.

Confira mais obras do autor: everything i need - a Akalynn Fanfiction. (confia, essa é boa também)

Muito obrigado pela sua leitura, te vejo em breve.
@couteauddany in twitter.

;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...