1. Spirit Fanfics >
  2. (im) perfectiom >
  3. Capítulo 4.

História (im) perfectiom - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Oii
Demorei um tiquinho pra voltar, mas aqui está mais um capítulo ^^

Boa leitura :3

Capítulo 5 - Capítulo 4.


Fanfic / Fanfiction (im) perfectiom - Capítulo 5 - Capítulo 4.

Meggie me analisava da cabeça aos pés com aqueles olhos gigantescos. Sua cola envolvia o corpinho peludo em um abraço, e suas orelhas mexiam vez ou outra. 


Suspirei. 

A Felina miou baixinho. 


-Eu sei Meggie. -Respondi. -Jimin vai estar aqui em poucas horas. -Levei meu olhar até a caneca de café que tinha em minhas mãos, observando meu reflexo lá dentro. Eu estava deplorável. Os cabelos apontavam pra todos os lados, meu rosto estava inchado. Eram dez da manhã de um sábado, afinal. Tudo se resume a preguiça nesses dias, especialmente no tempo frio e chuvoso da cidade de Londres. -Mas isso não quer dizer nada. -Murmuro.  -Tipo, ele não espera que eu o espere de terno e gravata… Né?-Levei meus olhos até a gatinha novamente, a vendo coçar as orelhas. -às vezes eu acho que preciso de mais amigos. Estou sentado falando com com a minha gata. Que decadência…-Fui ao meu quarto, visando preparar uma roupa mais apresentável para receber alguém em casa do que um moletom cinza e uma camiseta de pijama. 


Meu humor variava muito durante o dia. Penso nele como um verdadeiro gráfico com um padrão peculiar. Começo com picos elevados de raiva e ódio pela manhã, com um misto de indiferença e cansaço no meio do dia e termino com uma tristeza profunda e um sono arrebatador. 


Bom, isso quando no outro dia não tenho provas. 


Não que o curso de design fosse muito difícil, mas demandava estudo e concentração, coisas que, modéstia parte, tenho de sobra. É um desafio entrar em faculdades em que requerem, além de tempo, dinheiro para os mantimentos. Por isso, tento deixar tudo o mais morno possível, conseguindo levar uma vida… Mediana. 

E mediano é perfeito. Perfeitamente médio. 


Sem preocupações demais, sem preocupações de menos;. 

Sem responsabilidades demais, sem responsabilidade de menos; perfeito. 


Saí do banho quente, sentindo o vapor da água escaldante invadir o cômodo. Optei por roupas mais simples, como sempre. Um conjunto de moletom quentinho caía bem. 

Penteei os cabelos molhados em frente ao espelho, observando por alguns minutos a situação lá fora. Estava caindo o céu. As folhas das árvores balançaram ferozmente, enquanto os pingos nada gentis molhavam as ruas. 


-seria um ótimo dia para dormir… -Resmungo. -Se eu não tivesse que receber um ser sorridente e bochechudo. -Revirei os olhos, ouvindo meu celular apitar. Rapidamente, acabei de escovar meus fios escuros, indo em direção ao aparelho que tocava sem parar. 


-Alô? 


-Oi hyung. -Podia quase vê-lo sorrir enormemente, enquanto um barulho parecido com o de carros soava no fundo. -Estou quase chegando… 


-Tudo bem… 


-Você não esqueceu, não é? -Perguntou hesitante. 


-Não Jimin… 


-Preciso levar algo? Estou com a pipoca, mas…


-Não, tudo bem. Se precisarmos de mais alguma coisa eu  peço para entregarem aqui em casa… Espera, você já está vindo? 


-Sim… Tenho um compromisso mais tarde, não posso ir aí de tarde. 


-Ah… -Aquilo me causou uma certa queimação na boca do estômago. 





"O que é mais importante para ele do que passar um tempo comigo? Fala sério! O idiota me persegue o dia inteiro na faculdade e do nada arranja compromisso bem no dia do nosso…" 


Sacudi a cabeça ao perceber o que estava se passando por ela. Além de soar completamente narcisista, era um tanto -para não falar completamente- possessivo. -Okay. -me limitei a murmurar. - Está muito frio, venha logo. -O mais novo soltou uma risada nasal.


-Está preocupado comigo, hyung? -Usou um tom sugestivo, que me fez revirar os olhos. 


-Tchau Jimin.


-Não, não! Espe… -E desliguei, nem esperando por seus protestos. Logo a campainha tocou, me fazendo suspirar. 


-Ja vai. -Disse sem ânimo, abrindo a porta e me deparando com o sorriso enjoativo. -Pelos deuses, você nunca para de sorrir? 


-bom dia pra você também, hyung. -Revirou os olhos, me abraçando. 


-Seu casaco tá gelado. 


-Eu sei. Está chovendo pra caramba. E ventando. -Esfregou as mãos uma na outra. 


-Me dá aqui que eu coloco perto do aquecedor pra secar. - O vi tirar a peça de roupa, me entregando em seguida. -Eu tenho moletons la no meu armário. -Apontei para o quarto. -Pega um enquanto eu faço a pipoca. 


-Tudo bem. -Sorriu com as bochechas coradas. -Obrigado Hyung. -Me olhou nos olhos. Tinha algo perdido por lá. Eu sinceramente não saberia descrever o que era. Talvez… Compreensão, aconchego… Calor. Assenti, correndo para a cozinha e colocando a pipoca no microondas. 


-Calor… Calor…



_________flashback(on)_______


"-Yoongi, você não vem? -Perguntou o mais novo. Estava molhado. Tinha acabado de sair do mar. 


-Vou sim, Tae. Só espere um minuto. -Disse sorridente. O dia estava quente, ensolarado. Era um ótimo dia para praia. Minha família e eu estávamos na casa de praia em Miami. Taehyung estava tão feliz de finalmente poder conhecer as maravilhas da cidade praiana luxuosa, que nem sequer se importava em esconder seu característico sorriso quadrado.  Tirei minha camiseta, sentindo aquela brisa incrível da praia me abraçar como um cobertor em dia frio. Logo, corri na direção do meu melhor amigo, o vendo rir. 


-A água está meio fria quando você entra. -Gritou sorrindo. -Mas você se acostuma. O segredo é entrar rápido. 


-Não, valeu… -Disse sorrindo, sentindo o frio do mar arrepiar meus pelos. -Prefiro ir aos pouquinhos e… -Senti um arrepio correr em todo o meu corpo, quando Taehyung fez uma conchinha com a mão e jogou água na minha barriga seca. -Você não fez isso! -Fui em sua direção com um olhar incrédulo. -Taehyung Kim, você definitivamente está muito ferrado! 


-Não, não Yoongi! 


Corri até o mais novo, mesmo com os protestos, subindo em suas costas e o puxando para dentro d'água. 


-Ah Yoongi, você molhou meu cabelo! -Resmungou, fazendo biquinho. -Eu demoro quase uma hora pra passar chapinha e você faz isso. 


-há! -Soltei convencido. -Isso é pra você não mexer mais comigo. 


-poxa, mas era brincadeira…


-Ah não reclama! -Sorri. -Você fica bem melhor de cabelo cacheado. 


-Sério? -Assenti, colocando meus cabelos, na época rosados, para trás. 


-Fica mais natural. -Sorri. 


-Tudo bem então… -Sorriu envergonhado. Tae conseguia ser adorável até mesmo quando não queria ser. -Seu sorriso é bonito. 


-O meu? -Agora quem estava envergonhado era eu. 


-Sim. É fofo. -Soltou uma risadinha. Na época tínhamos uns quinze anos. Acabávamos de terminar o primeiro ano do ensino médio. Tae tinha estado comigo desde criança, até aquele momento. Era gratificante ver que nossa amizade não havia mudado uma vírgula sequer. 



Até aquilo acontecer. 


Ele me beijou. E foi nesse dia que, aos poucos, as coisas começaram a desmoronar. 


-D-desculpa… E-eu… -Não dei tempo a ele, envolvendo meus braços em seu pescoço e colando nossos lábios novamente. Eu não sabia o que estava fazendo, não sabia o que iria causar, nem a gravidade do assunto 'sexualidade', principalmente na minha idade. Era tudo muito inocente e calmo. 


Mas a sociedade não é inocente nem calma." 


___________flashback (off)__________



Suspiro 


-hyung? -Ouvi a voz calma do outro, me virando e o vendo com um de meus casacos. -Tá tudo bem? -Assenti. 


-Claro, por que não estaria? -Franzi o cenho. 


-É que… O Microondas está apitando há uns três minutos sem parar e você está olhando para o nada como se estivesse fazendo uma viagem no tempo. -Riu. Suas palavras me fizeram soltar um riso de escárnio. 


-Bom, você não errou totalmente… -Murmurei. -Vamos para a sala. Vou pegar a pipoca. 


Depois de longos minutos sentados no sofá discutindo sobre o que assistir, Jimin tomou o controle de minha mão, me obrigando a ver um de seus filmes de super-herói -Que eu odeio com todas as minhas forças, mas decidi não o contrariar porque minha força de vontade pra essas coisas sempre são menores do que a vontade de ficar quietinho no meu canto. 

A chuva ainda caía forte na rua, me fazendo arrepiar até o último cabelinho toda a vez que um trovão dava as caras. 


-Você tem medo de chuva, hyung? -Ouvi a voz suave do mais novo ecoar na sala. "Parece que alguém percebeu meu segredinho."-pensei, revirando os olhos.- Logo você, que mora em Londres? Deveria saber que chove de 11 a 15 dias por mês e que os meses mais chuvosos são os de Agosto e Novembro… E que, ja que estamos em Agosto, é natural que chova tanto assim e…


-Jimin, fica quieto. -Disse baixinho. -Não quero aulas de meteorologia agora. -O outro riu. 


-Só estou brincando… -Suspirou. -O filme está chato, não é?


-Não é isso… Eu só estou com frio. -Disse qualquer coisa para tirar a atenção do mais novo de mim, o que claramente não deu certo, tendo em vista a preocupação excessiva que o cercava quando o assunto era o meu bem estar. 


-quer outro cobertor? Bolsa de água quente? -Veio mais para perto, colocando os dedos gordinhos em meu nariz. -Está gelado. Calma aí. -Saiu apressado pelo apartamento, jogando uma coberta pesada por cima do meu corpo, indo até a cozinha e pondo algo a esquentar na chaleira. Logo voltou, me enrolando na manta e pondo a bolsa de água nos meus pés, me entregando uma xícara em seguida. Estava estático, olhando confuso para o mais novo. -Relaxa, não é algo que tenha calorias. É só chá. 


-E-Eu… -Olhei o líquido, vendo a fumaça sair de lá com um aroma agradável. -Obrigado. -Disse sério, tomando o conteúdo na xícara e vendo o mais novo sorrir até seus olhos desaparecerem. 


-Não precisa agradecer, hyung. -Ditou docemente. -Faço o que faço porque eu gosto. -Soltei, sem querer, uma risada soprada, incrédula. Como poderia existir alguém tão doce e atencioso como o Park? Aquilo me irritava. E essa irritação me dava brechas para pensamentos como "por que ele ajuda um idiota nojento como eu?" Isso definitivamente era uma das coisas que mais se passava em minha cabeça. 


-Você gosta de ser tratado como um lixo por um fracassado e não ganhar nada em troca. Acho que deveria rever sua vida… -Assoprei o líquido quente. 


-Tem razão… -Riu sem graça. -Gostar é pouco pra te aguentar, sinceramente… - Franzi o cenho. Era a primeira vez que ouvia aquele tom sarcástico saindo do loirinho. O olhei, ainda com uma interrogação estampada no rosto. 


-Como assim…? 


-Esqueça. -balançou as mãos na frente do rosto, me observando  terminar o conteúdo. A sala caiu em um silêncio constrangedor, até ser quebrado por Jimin. -Acho que já vou indo, hyung…


-M-mas já? -Pareci meio desesperado. Meu corpo estava estranho. Pela primeira vez, percebi o quão injusto era tudo aquilo. Mas talvez já tivesse percebido antes, só não quisesse lidar. Era mais fácil ignorar.  Meu peito se apertou. Aquilo era muito, muito estranho. -Nem almoçamos e…


-Tenho um compromisso… -Coçou a nuca, já se levantando para pegar seu casaco. -De qualquer forma, valeu a pena passar um tempo com você, Yoon… -Sussurrou, deixando um beijo demorado em minha testa. -Se cuida. E não desligue o aquecedor. -Foi até a porta, saindo por ela em seguida e desaparecendo com um sorriso falso. Parecia… Magoado. 


-Meow! - Ouvi Maggie avisar. 


-O que foi dessa vez? -Perguntei à bichana, impaciente. -Ele já foi. Foi porque quis. Fez essa merda toda porque quis! Não tenho que me redimir ou me sentir culpado por ele ser trouxa! 


-Meow! -miou novamente, dessa vez, balançando a cauda violentamente, parecendo saber o que dizia. 


-De qualquer forma, ele já deve ter ido embora. -Dei de ombros, sentindo o olhar da gatinha me perfurar. -Tudo bem! Que inferno! -murmurei, levantando-me e abrindo a porta. O corredor estava vazio. Me pus a correr até as escadas, visando achar o mais novo. 


Notas Finais


Uuuh as coisas estão andando...

Desculpem pela demora T^T

Beijinhos <33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...