1. Spirit Fanfics >
  2. I'M POSSESSIVE. (Kim Taehyung) >
  3. Capítulo 28 - Cansei de ser bonzinho.

História I'M POSSESSIVE. (Kim Taehyung) - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura♡
Espero que gostem♡
Leiam as notas finais♡
Me siga♡
Favorite♡
Comente♡

Capítulo 28 - Capítulo 28 - Cansei de ser bonzinho.


(...)

depois do que a Ryujin disse, Taehyung não quis mais falar comigo. Aish, esse homem ta cada vez mais infantil!

Jungkook acaba de chegar.

—Oi! - abracei ele. —Entra.

—Oi! Tae ja foi? - assenti. Nos sentamos no sofá. —Como foi... o casamento?

—Bem divertido, mas Tae ja está chateado.

—Por que?

—Ah, uma coisa que a Ryujin falou, e eu acho que ele não entendeu que foi na inocência.

—Oque ela disse? - droga, por que ele foi perguntar?

—Eu estava falando sobre ficar com falta de carinho enquanto ela estava na escola e Tae no trabalho, e ela disse "pede pro tio kookie" - eu estava morrendo de vergonha. —Bom, ai o Tae não gostou.

—Ah, entendi.

—Desculpe, não devia ter falado.

—Não se desculpe, bobona. - ele sorriu de lado.

—Eu... vou tomar um banho, já desço. - ele assente e saio.

(...)

O resto do dia foi meio desconfortável, mas eu não deixei ficar aparente. E então Tae chegou, e como de costume o Jeon foi embora. Ryujin ficou com os meus pais.

Estava sentada no sofá mexendo no meu celular, e Tae deita no meu colo.

—Pensei que não quisesse falar comigo. - eu disse ignorante.

—Tem razão. - se levantou. —Já estava me esquecendo da vadia que você é. - ele ia andar mais puxei seu braço.

—DE QUE MERDA VOCÊ ME CHAMOU?! - ele me olha bravo. E me prensa com força ja parede.

—Acho bom você abaixar a porra da voz pra mim. - ele disse entre-dentes. Ele pega meu rosto amassando ele, fazendo minha boca ficar com "biquinho de peixe" —Você. É. Uma. Vadia. - disse em pausas. —Eu me casei com a porra de uma vagabunda. - uma lagrima escorre dos meus olhos.

—Você bebeu-

—CALA A MERDA DA SUA BOCA! NÃO INTERESSA OQUE EU FIZ OU DEIXEI DE FAZER.

—Taehyu-

—EU. - ele puxa meu cabelo. —DISSE. - ele joga minha cabeça na parede com força. —PRA. - fez de novo. —CALAR. - e de novo... —A PORRA. - e de novo... —DA BOCA! - e de novo. Cai no chão e ele me puxa pela blusa pra levantar, ela acabar rasgando.

Eu ja estava me derramando em lágrimas, e agradecendo por Ryujin não estar aqui pra ver isso.

—PORRA DE MULHER! - ele grita sentando no sofá e abaixando a cabeça.

Eu só sabia olhar pro chão e chorar, eu não sabia oque fazer em uma situação dessas.

Então eu fiz uma burrada, me levantei e tentei pegar meu celular, que estava ao lado dele. Corro nada discreta e tento pegar o celular.

—QUE MERDA VOCÊ TA- - ele se cala e só se concentra em tirar o celular de mim. O filho da puta acaba conseguindo, jogando o aparelho pra longe fazendo ele quebrar. —SUA VADIA! IA LIGAR PRA QUEM? HUM? - ele me pega pelos braços. —ME RESPONDE! - ele da um tapa na minha cara. —Pro Jungkook ne? - não respondi. —filha da puta. - ele diz me puxando pra escada, provavelmente indo para o quarto.

—Taehyung, por que você ta fazendo - soluço. —Isso? - choro mais e mais. Ele abre a porta do quarto

—Isso é pra você aprender. - ele me joga na cama com força. —Pra você parar de ficar se oferecendo pra outros. - ele vai até o armário. Ele pega algemas.

—Taehyung, TAEHYUNG NÃO! - tento sair dos seus braços, mas ele é muito forte. —Não, por favor.

—Fica quieta, porra! - ele me da outro tapa na cara.

—Você não ta mais fazendo isso por causa do álcool, você quer isso né? MALDITO! - ele me deu um soco na cara, isso mesmo, um soco!

—Olha como você se refere a mim, puta. - ele subiu em cima de mim. —Eu estava me controlando, ___________. Eu voltei a tomar meus remédio, tentei não discutir com você, tentei não te bater. Mas não dá, parece que você pede por isso, então você vai ter. - ele coloca a mãos no meu pescoço, e prensa elas muito forte. Ele estava mesmo me inforcando. Me contorcia pra tentar tirar ele de cima de mim, mas era em vão, pois minhas mãos e pés estão presos. —Eu não vou te matar hoje. - ele sai de cima de mim, e eu puxo o ar com toda a força desesperadamente. —Nem pense que o Jungkook vai vir amanhã, e você não vai nem tocar em nenhum telefone. - ele se aproxima e eu recuo. —Acho bom você não abrir o bico, você sabe que vai ser pior, não sabe? - não respondi, ele se aproxima mais. —Não sabe, ________? - ele segura meu rosto.

—S-sim... - disse em um fio de voz.

—Que bom. - ele sorriu cínico. Ele me desalgema.

—P-pode dormir aqui. - eu ia sair mas ele pega no meu braço.

—Vamos dormir juntos, amor. - ele sorriu e eu comecei a chorar de novo. —Não chore... - ele secou minhas lágrimas com o polegar. —Estou aqui com você. - ele me abraçou, tentei afastar mas ele forçava cada vez mais. —Vai ir dormir por bem ou por mal? - ele sussurra no meu ouvido. —Cansei de der bonzinho com você, amorzinho. - ele segura minha mão e se senta na cama. —Vem deitar. - assim fiz, não queria apanhar mais, ou até mesmo morrer nas mãos dele. —Boa noite. - ele beija o topo da minha cabeça, e agarra a minha cintura.

(...)

Não, eu não consegui dormir a noite toda. Eu fiquei chorando em silêncio por horas sem parar. Eu me sinto um lixo, vulnerável, incapaz, fraca.

Quando foi que eu virei submissa? Quando foi que eu comecei a abaixar a cabeça pra homem? Quando que eu comecei a perder o juízo?

Tudo faz sentido agora, eu estava tão cega por esse imbecil, eu deixava ele fazer oque quiser comigo. Eu odeio Kim Taehyung, ODEIO!

Eu me odeio ainda mais por ainda gostar dele, mas eu sei que isso vai sumir aos poucos. Taehyung não me ama, quem ama cuida, e não machuca.

Eu estava olhando para o teto e pensando essas coisas, enquanto o filho da puta está dormindo do meu lado. Eu quase me levanto, e sinto uma mão no meu pulso.

—Pra onde pensa que vai? - pergunta ainda meio sonolento.

—Sobreviver. - disse seca. Ele me puxa.

—Responde direito. - sussurrou e me soltou. —Nem pense em tentar alguma gracinha, ou eu vou fazer o pior. - engoli seco. Ele se aproxima e beija minha buchecha. —Bom dia, amor.

—Você ta parecendo um psicopata. - ele sorriu.

—Talvez eu seja, __________. - ia me virar mas ele pega meu braço. —Eu não quero você perto de nenhum homem, muito menos de Jeon Jungkook. - engoli seco.

—Ele é só meu amigo, Taehyung. - ele aperta mais.

—Fodase, amigo de cú é rola. - na onde caralhos ele aprendeu isso...?

—Doente de merda.

—Amor, não me faça perder a paciência. - ele passa os dedos nos meus cabelos.

—Não me chame assim, não estamos mais juntos. - ele ri.

—Como não?

—Você acha que depois de tudo que você fez comigo ainda vamos ficar juntos? Nunca.

—Você é minha, ___________. Está no papel.

—Eu vou conseguir o divórcio, eu não vou estragar minha vida estando com você. - ele ri mais.

—Não vai se livrar de mim, ___________. E eu acho bom você contribuir, sabe porque? - não respondi. —Porquê se não contribuir, quem sofrerá as consequências vai ser você, e quem você ama. - Ryujin...

—Você não machucaria ela.

—Não? Quer apostar? - engoli seco.

A partir desse momento, eu odiei Kim Taehyung como nunca odiei outra pessoa. - toque de celular.

Ia atender mais Taehyung foi mais rápido.

_—Alô? - ele me olhou.

_—Taehyung? Pode passar pra __________?

_—No momento ela não está. - ele fez sinal de silêncio.

_—Hum, ok. - desligou.

—Boa garota, ficou quietinha. - sorriu. —Vou tomar um banho pra ir trabalhar, eu tenho mais oque fazer. - ele ia pro banheiro. —E lembre-se, sem nenhuma gracinha de tentar fugir, ou algo assim. - ele sorriu e entrou no banheiro.

[...]


Notas Finais


Gentee! Está acabando essa fic que tanto gosto! Acabei de fazer esse cap e ja vim postar. Vou postar os ultimos cap's hoje mesmo. (Ou pelo menos tentar...)

beijos espero que tenham gostado!

Ah! Aproveitem e dêem uma passadinha na minha nova fic! <3

https://www.spiritfanfiction.com/historia/between-angel-and-demon-21620813


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...