História Im Stupid - Capítulo 3


Escrita por:

Visualizações 71
Palavras 1.407
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yoo galera, só passando pra avisar que provavelmente amanhã não vai ter cap por motivos pessoais, mas, se tudo der certo, sexta vamos ter dois, bom, assim espero…

E só para avisar: esses dois próximos capítulos VÃO TER ROMANOGERS PÁ CARALEO

De nada ;)

(Ps: vou fazer um especial quando chegarmos a 10 favoritos, só aguardem)

Capítulo 3 - Arrependimentos


O dia após a festa não tem muito o que contar, Nat apenas teve sérias dores de cabeça e se assemelhava a um zumbi; passou o dia em sua cama, apenas esperando aquilo passar. Mas o dia de sua viagem chegou, então decidiu reunir seus amigos antes de viajar, mas devido ao trabalho, alguns não chegaram, mas Natasha se divertia naquele dia.

 

Você tá pensando que dinheiro cai do céu? - a atual ruiva dirigiu-se a sua amiga Wanda, que pedira a ela uma infinidade de presentes.

 

Um pouco… talvez - ela se zoou, dando uma risada - eu vou ir no banheiro, volto logo.

 

Deu uma rápida olhada pela sala, notando que Bucky não estava na sala, achou estranho e teve um mal pressentimento, mas apenas continuou seu caminho: ao chegar no corredor que lhe levara para a casa de banho, a Maximoff escutou Barnes no telefone, ele estava de costas e distraído, nem notaria se a ruiva lhe espiasse. E foi o que ela fez, enfiou-se atrás de uma estante, numa distância favorável, ela conseguiu ouvir tudo.

 

Sim, sim, sim; é hoje que eu volto para aí - ele de uma pausa - você ficou doida? Ela vai desconfiar - pausa - você acha que ela é tão burra assim? Melhor deixar para a segunda, aí eu vou ter a desculpa de dizer que vou para a faculdade. - ele parou - tá bom, depois a gente se vê de novo; se encontrar a Natasha em algum momento, se finja de desconhecida e não deixe ela saber - pausa - você acha mesmo que eu vou querer que ela saiba da nossa relação? - a ruiva se surpreendeu - tá, beijos, tchau.

 

Ela se sentia infeliz em dizer aquela frase, mas aquilo não era só uma besteira sua, uma paranoia, algo inventado; era a realidade, ela estava certa, por sorte, conseguiu gravar a conversa, só precisaria de tempo para mostrar a ela sem Bucky por perto, e isso antes das 15:00, onde ela partiria para o avião, se desesperou. Esperou o moreno se distanciar para entrar no banheiro, demorou um minuto e saiu de lá, como quem tivesse feito suas necessidades. Voltou para a sala, e rapidamente, agarrou o braço de Nat

 

Eu preciso falar com você - a sua amiga fez um sinal para a mesma falar - a sós, é urgente

 

Ambas subiram para o andar de cima, a feiticeira começou a mostrar o áudio, e, ao notar que era a voz de seu namorado, Natasha imediatamente parou a gravação, sem dar brechas para a Maximoff lhe provar algo

 

Continua com essa conversa? Porra Wanda, você deveria tá feliz por mim: eu vou viajar, passar um tempo num local estrangeiro, me divertir. Mas você só tá querendo que eu me distancie do Bucky, por quê? Para que eu fique sozinha quando você e a Gamora saírem com o Visão e o Quill? Eu pensei que você era minha melhor amiga, mas você só quer me deixar triste! - ela falou num tom alterado - você só é uma vadia que implora por atenção! Está inventando tudo isso, não tenho mais dúvidas. - ela falou sem ter noção de suas palavras, se arrependendo em seguida

 

Não é nada disso, caralho - a amiga falou também irritada - vai tomar no cu… - saiu de sua casa com lágrimas no rosto

 

O que aconteceu com ela? - Sam falou para os demais quando a mesma passou pelo corredor, chateada

 

O que houve com… ela? - Stephen apontou para a protagonista, que também se encontrava chorando, com as mãos no rosto e rodando o corredor

 

POV’s Natasha On

 

No meio de toda aquela confusão, Steve subiu para o meu quarto e fechou a porta atrás de si, eu tentei me afastar dele, mas o mesmo apenas se aproximou, pôs suas mãos na minha cara e me fez o olhar, ele não fez uma cara muito boa ao me ver chorosa daquele jeito, e me perguntou

 

O que houve? - eu só o abracei 

 

Eu peguei pesado com a Wanda, eu a chamei de coisas horríveis, fiz ela chorar enquanto ela só queria me ajudar. Eu sou uma estúpida… - logo desabafei com o loiro

 

Não, você não é, você errou, é normal. Mas… você se arrependeu, e isso não te faz ser estúpida, engolir seu ego e admitir não é algo fácil, mas você o fez. Agora… só precisa ir atrás dela e pedir desculpas

 

Ela não vai querer olhar na minha cara, nem eu quero me ver de novo - falei soluçando 

 

Se ela queria te avisar algo, quer dizer que ela se importa com você, e se ela se importa com você quer dizer que ela vai querer te ver de novo, só que não agora… ela deve estar chateada com você

 

Eu não quero mais viajar… eu quero ficar aqui

 

Eu também quero, mas vai passar mais rápido do que parece, eu prometo… - ele se separou do abraço 

 

O agradeci por ter me deixado um pouco melhor, estendi meus pés ficando na ponta deles, iria lhe dar um beijo na bochecha, mas, o mesmo se virou para mim, me fazendo o dar um selinho acidentalmente, fiquei vermelha

 

Desculpa… não foi intenção minha - ele concordou - só vamos esquecer que isso acabou de acontecer

 

Sim, é melhor assim - ele falou saindo de meu quarto 

 

Deitei em minha cama, e puxei meu celular, a culpa de ter magoado Wanda voltou; respirei fundo e abri o Wathsapp, mandei uma mensagem pra Okoye e em seguida, abri o perfil de minha amiga, vendo que a mesma me bloqueou. Por mais que queria, eu não tive tempo de chorar, logo, meu celular apitou, alertando-me sobre uma nova  mensagem.

 

Okoye: Não se preocupe, eu vou falar com a Wanda

 

Queria a dizer que não precisava fazer isso, mas, no fundo eu precisava daquilo, precisava saber o que se passava com ela: estava triste ou raivosa? Onde estava? Com quem estava? Mas obviamente, não iria a perguntar isso pessoalmente, enxuguei minhas lágrimas e desci as escadas, meus amigos me encaravam, com um ar preocupado

 

Não se preocupem, eu estou bem - sorri, mesmo que não seja totalmente verdade, brigar com a melhor amiga é algo complicado, principalmente por ser culpa minha

 

POV’s Wanda On

 

Não acredito nisso! Eu tentei ajudar ela, eu juro, mas não adianta o que eu faço, sempre vai ser uma “baboseira” minha, sai de sua casa e apertei fortemente o botão do elevador, que já se encontrava no andar. Quando as portas se fecharam, recebi um susto: Visão entrou no local, atravessando as paredes do local; eu o abracei e comecei a chorar, não adiantava negar, Romanoff era alguém importante para mim, minha melhor amiga, e ela apenas me xingou, sem nem se importar com minhas emoções

 

O que aconteceu? - ele falou retribuindo o abraço 

 

Eu tentei avisar pra Natasha sobre o babaca do namorado dela, sabe como ela me agradeceu? Me chamou de falsa, vadia e egoísta, dizendo que eu a mostrei uma gravação só para prejudicar ela, mas não é isso! - disse entre soluços - não é nada disso… mas… confesso que também não fui uma santa, mandei ela tomar no cu

 

Humanos erram, não podemos mudar isso, bom, vocês não são robôs, mas… você pode fazer duas coisas: se arrepender pelo resto de sua vida e só viver na expectativa ou voltar para a realidade e se resolver com ela. 

 

O que eu diria? Que vou esquecer tudo que ela disse e que vamos ter uma amizade colorida digna de contos de fadas? - falei irônica 

 

Claro que não, mas você pode concertar as coisas, fale para ela que você estava amenizando a tristeza que ela sentiria se você não a ajudasse, tente a convencer a acreditar que não é o que ela acha… - ele foi interrompido por mim, quando levantei a cabeça, revelando um sorriso 

 

Obrigada por me ajudar Visão, eu tive uma ideia - lhe dei um beijo - se não fosse você, eu estaria me sentindo horrível

 

Ele sorriu e o elevador parou, estávamos saindo do prédio de Natasha quando puxei meu celular e abri meu WhatsApp, por mais que queira retornar a amizade com ela, não estava nem um pouco afim de falar com a mesma. Fui para casa, tomei um banho e escutei novamente a gravação, como contaria aquilo para Nat?

 

Continua…


Notas Finais


Obrigado por lerem até aqui ;)

E também, obrigada por me darem toda essa força, são vocês que me motivam a escrever essa fic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...