História Im Stupid - Capítulo 4


Escrita por:

Visualizações 57
Palavras 1.804
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aeee, capítulo beeem longão pra vocês S2

Acabou que deu tudo certo, me resolvi aqui e é isso, temos capítulo novo hoje

Mas não vai dar pra fazer dois amanhã, vai ser programação normal mesmo :v

Boa leitura

Capítulo 4 - Chance


Natasha passou o resto da reunião sonhando acordada, não era a mesma coisa estar ali sem a presença de Wanda e Visão, além de que, não queria falar com Steve ou Bucky, deitou-se no sofá e Gamora apareceu do seu lado, pelo menos uma pessoa ela tinha para papear.

 

Tá legal, me diz o que aconteceu agora - a esverdeada não lhe deu opção de não falar, visto que há dois dias atrás as três estavam se divertindo como ninguém

 

Nat desabafou tudo com a Guardiã, detalhe a detalhe, desde o começo da festa até aquele momento, descreveu suas emoções, sua conversa com Steve, com Wanda e deixou claro o alívio que teve ao falar com Okoye, a sensação de duvida que lhe percorria o corpo, o arrependimento de cada palavra maldosa que soou para sua amiga, o desconforto que sentira de falar com o Rogers, o desconfio que sentia sobre Bucky, tudo. 

 

Três palavras: Fale. Com. Wanda. - ela disse - você vai passar 7 dias com esse fardo se não tirar ele de você agora, você ainda tem tempo 

 

Não é tão fácil quanto parece, ela me bloqueou no WhatsApp e deixou bem claro que não quer falar comigo 

 

Claro que ela vai falar com você, até parece que você não conhece ela - a esverdeada revira os olhos

 

Romanoff olhou em seu relógio; eram 13:20 e precisava ir para o aeroporto, todos foram embora e ela e Bucky foram para o local com Tony Stark, que os enviou uma limusine, a mesma se sentou e respirou fundo. Fez o check-in e resolveu toda a parte chata envolvendo documentos, passou pelo detector de metais e despachou suas malas, estava em direção ao avião, queria acabar com aquilo logo.

 

Senhores passageiros, peço que ponham seus cintos de segurança e coloquem seus objetos eletrônicos em modo avião - a aeromoça falou

 

Natasha passou a viagem inteira vendo alguns filmes, mas não prestou atenção em nenhum; sua cabeça estava no mundo da lua, prestara atenção em todas as nuvens que passara, decorou a cara de todos os passageiros no seu campo de vista, e já sabia perfeitamente a consistência da comida que puseram sobre sua mesa, não estava com vontade de comer, não estava com vontade de fazer nada. Mas a fome falou mais alto, e teve de se alimentar.

 

Deu um “Graças a Deus” quando desembarcou, estava tonta, mas deixou isso de lado, resolveu seu passaporte, pegou sua mala, passou pelo detector de metais e finalmente foi liberada, pegou um ônibus para o apartamento de Bucky, e quando chegou lá, apenas comemorou mentalmente, jogou- se na cama e conferiu o horário: eram 23:30 de uma sexta, iria passar o final de semana olhando a linda paisagem daquela cidade, teria que se distrair com algo até a próxima sexta.

 

Está com fome? - Barnes a perguntou

 

Sim, aquela comida é péssima - referia-se a comida servida no avião

 

Vou pedir uma pizza, vai desfazer suas malas? - ela acenou com a cabeça - beleza, quer de que sabor?

 

Quatro queijos! - era seu sabor favorito

 

O mesmo ligou para a pizzaria e fez seu pedido, organizou suas coisas num armário próximo, depois de despachar tudo, foi até a sala, deparando-se com uma cheirosa pizza, que, parecia também, muito saborosa. 

 

Comeu bem, tomou um refrigerante e praticamente devorou a pizza, não sabia o que colocaram naquela pizza; mas era um sabor divino. Deitou-se em sua cama cerca de uma da manhã, e acordou às 10:30, desceu as escadas e encontrou-se com uma mesa devidamente arrumada; pão com queijo, leite com achocolatado, frutas, cereal e croissants, além de um aviso feito por Bucky

 

“Fui até a farmácia comprar alguns remédios, volto logo”

 

Serviu-se e juntou suas coisas numa mochila: celular, carregador, lanches, casaco e uma câmera fotográfica, iria até a cidade; saiu do apartamento e rodou a cidade inteira: foi em parques, shoppings e museus, e foi visitando a cidade que a ruiva passou seu final de semana, que parecia extremadamente curto, até que chegou a segunda feira 

 

Vou para a faculdade, volto ao meio dia - Barnes lhe alertou, saindo pela porta

 

Assim que ele saiu de casa, Natasha rodou a sala em círculos, sem saber o que fazer, puxava seus cabelos, fazendo uma cara de indecisão, sabia que espiar era errado, mas, depois do que Wanda tentara lhe dizer, ela não conseguia mais confiar no moreno, saiu da casa e pegou um ônibus que levava para a faculdade do mesmo,  chegou até a recepção e pediu ajuda a mulher que ali trabalhava

 

Moça, por acaso James Buchanan Barnes passou por aqui? Ele faz sétimo período de direito, certo?

 

A mulher lhe fez uma cara confusa e começou a procurar em seu computador

 

Senhora, esse homem parou de vir aqui um mês atrás… - suas palavras a confundiram

 

Muito obrigada, tenha uma boa tarde…

 

Ela saiu de lá cabisbaixa, será que Wanda estava certa? Que Bucky estava tramando algo? Será que Bucky não estava a traindo? Mil perguntas começaram a rodar sua cabeça, até que uma mão desconhecida repousou sobre seu ombro, ao se virar encontrou uma moça de sua idade, com cabelos medianos e escuros, além de uma pele clara

 

Boa tarde, você é Natasha Romanoff, certo? - como ela sabia seu nome? Ficou mais confusa ainda - é dos Estados Unidos? - concordou - notei pelo sotaque, sou Peggy Cárter, venha comigo, irei te explicar tudo

 

A morena lhe guiou até um parque próximo, sentaram-se num banco e a mesma começou a falar

 

Bucky é um grande amigo meu, ele me avisou que você viria para ca, me mostrou uma foto sua, por isso lhe reconheci. Eu escutei sua conversa com a moça da secretaria, e eu posso te dizer que sei onde ele está

 

Então me diga onde - Nat cruzou seus braços, e a mulher em sua frente deu um suspiro

 

Não me responsabilizo por nada que você ver a partir de agora - a ruiva confirmou e ambas pegaram um ônibus para Chelsea, um bairro muito distante da faculdade

 

Por que vamos para lá? - perguntou incrédula

 

Porque é lá onde Bucky está, ué - deu uma risada e segurou-se num apoio de teto, quando o ônibus fez uma radical curva 

 

Ambas foram até o bairro britânico, desceram numa estação de ônibus e a ruiva foi guiado até uma casa elegante, Peggy lhe fez entrar naquele local, e, antes de abrir uma porta, perguntou para Natasha

 

Você está pronta? - a perguntada já estava tremendo, mas concordou

 

Cárter abriu a porta, revelando o moreno, que se encontrava aos beijos com uma mulher que a mesma nunca viu, sentiu-se como se uma enorme metralhadora tivesse lhe perfurado sem do ou piedade, e a sua companheira notou isso, porque logo fechou a porta, e virou-se para a Nat

 

Olha, desculpa pelo que você viu, mas… eu achei que era melhor você saber logo          

 

Eu preciso fazer uma ligação… - ela disse com uma voz trêmula

 

Ok, esse é o meu número, me liga se precisar de alguma coisa - lhe deu um papel com uma sequência de números, e logo a Romanoff saiu daquele local

 

Pegou seu celular do bolso, se afastou o máximo possível daquele local, pousou debaixo de uma árvore e pois-se a chorar, as pessoas ao redor a encaravam, mas a mesma apenas ligou para o número que desejava

 

Alô? - a pessoa do outro lado falou

 

Wanda, me desculpa, me desculpa mesmo - falou entre soluços - você estava certa, você sempre esteve certa, me desculpa por cada lágrima que eu fiz você chorar, me desculpa por todos os soluços que você deu por minha causa, mas… eu preciso de você, agora 

 

Nat?  - ela falou - ok, calma aí, eu vou comprar uma passagem para você vir para cá mais cedo, mas me explica tudo, ok? - tentou lhe consolar, mas não era tão boa quanto Steve tinha feito sua amiga, ou como Visão fez consigo - eu te perdoo, só fica calma…

 

Me ajuda - falou antes da ligação cortar, e voltou a chorar

 

                                                 ***

 

Natasha passou a noite de segunda num hotel, na manhã de terça, pegou suas coisas e foi até o aeroporto; Maximoff e Rogers compraram uma passagem para a mesma voltar aos Estados Unidos, faltavam 2 minutos para seu avião decolar, ela estava sentada no banco do local, fechou seus olhos, só queria dormir por um momento

 

Acordou com seu avião pousando no aeroporto de Nova York, foi a primeira a descer do avião, a primeira a pegar suas malas, e a primeira a sair pela porta de vidro, onde encontrara seus melhores amigos lhe esperando, os abraçou, e começou a chorar

 

Calma aí, Nat, já passou, você está aqui, não está? - o loiro retribuiu o abraço

 

Mas sabe? Eu acho que alguém aqui está me devendo um pedido de desculpas - Wanda falou tirando a sujeira de suas unhas, mas logo ganhou um abraço

 

Desculpa… - falou tentando engolir seu choro 

 

Sorte sua que eu sou muito legal e vou te perdoar, mas conta aí o que aconteceu

 

                 ***

 

Contou tudo aos dois, passou um tempo com eles mas logo Maximoff teve que ir embora, deixando Romanoff com Rogers, ambos conversavam sobre alguma coisa aleatória, até que ficaram em silêncio

 

Sabe, eu sei que era melhor eu esquecer esse assunto, mas eu não consigo - Steve suspirou - toda vez que eu olho para você, só me lembro do beijo acidental na sexta…

 

Hum? - Natasha estava prestes a esquecer, mas o mesmo refrescou sua memória - olha, eu sei que pode ser chato, mas nós dois só temos uma bela amizade, e eu não gostaria de estragar isso se tivéssemos algo

 

Eu sei que não é isso, eu sei que você está com medo que eu pise na bola que nem o Bucky, mas eu prometo que não

 

Você está certo em parte, mas… eu não me sinto preparada para algo assim, muito rápido - sabia que queria ficar com o dono de cabelos dourados, mas era complicado 

 

Não é tão complicado quanto parece - era como se o mesmo lê-se sua mente - é um péssimo defeito seu, criar um problema que não existe

 

Ela deve de concordar com o homem a sua frente, se aproximou do mesmo, ficando próxima ao seus lábios, tão vermelhos e carnudos, Natasha quis os atacá-los na hora, mas Rogers foi mais rápido, segurou com sua mão esquerda a nuca de Nat, enquanto a direita ocupava-se em segurar sua cintura, ela deixou suas mãos sobre suas coxas, queria prosseguir com aquele beijo para sempre, mas teve de se separar

 

Só me dá uma chance… - Steve sussurrou em seu ouvido e saiu pelo seu quarto, deixando uma Romanoff sentada em sua cama, confusa

 

Continua…

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...