1. Spirit Fanfics >
  2. I'm the Justice >
  3. Prólogo

História I'm the Justice - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Sim, eu estou reescrevendo a historia.
Os motivos são simples, eu achei bobo o modo que eu escrevi, e queria dar mais detalhes.
Como no meu perfil, eu deixei claro que odeio personagens fracos, e vamos dizer que eu achei Marinette boba.
Então, e quero me desculpar também a ausência de capítulos.
Eu estou tendo aula integral, ou seja,
Me fudi.

Capítulo 1 - Prólogo


EU ESTAVA A TODA VELOCIDADE. Mas não era por que eu estava brincando. E muito menos por causa do frescor que a brisa me dava.

Eu tinha perdido tudo naquela noite.

Felicidade, amor e esperança.

A esperança de que tudo melhoraria.

E acabou que, aquilo mesmo me destruiria.

 

Eu estava apoiada na varanda, vendo o pôr do sol mais belo que já tinha visto. O verão estava chegando ao fim, mas o irônico é que: Continuava quente.

Aquela era a minha hora preferida. Eu poderia observar os pequenos feixes de luz pairar sobre o semblante daquela floresta que não era muito longe de casa.

Como eu disse: Minha hora preferida.

Observando os feixes de luz que a cada minuto iria ficando mais fraco, não percebo o fim de minha vida chegando.

Na verdade, percebo.

Quando ouço algo quebrando vindo lá de baixo. Assustada, dou passos silenciosos. Mas meu coração era um tambor. Eu chego apenas até o necessário.

Para eu ver o quão miserável eu iria me tornar.

Eu vejo minha mãe caída, e meu pai segurando sua garganta enquanto cambaleia.

Ele caí em seguida.

E um corte fundo se mostra.

Eu paralisei e vi sombras emergindo enquanto minha visão ficava borrada.

Eu estava chorando.

Mas eu não havia percebido.

Eu estava mais focada nos seus corpos do que em mim mesma.

Mas eu saio do transe quando dois braços me puxa e tampa minha boca.

-Shh. Uma mulher e um homem mascarados aparecem. –Venha. A mulher me puxa sem delicadeza, e então entra no meu quarto.

E tranca a porta.

-Marinette Dupain-Cheng? 11 anos? O homem questiona.

Não o ouço, enquanto ainda pensava no que tinha visto.

Ele pega o meu rosto e aperta com força, me obrigando a olha-lo.

-Eu vou repetir. Irritado, segurando meu rosto sem delicadeza e com força. –Marinette Dupain-Cheng? 11 anos?

-S-Sim. Assustada, o respondo.

-Ótimo. Ele então retira sua máscara e se vira para a mulher ao lado. –Não temos muito tempo, distraia.

Ele então coloca sua máscara de volta e a mulher ao seu lado destranca a porta e sai.

-Certo... Suspirando, ele olha pra mim. –Levante e me ajude. Ele caminha agilmente para o meu guarda roupa e puxa os lençóis. Eu levanto rapidamente ao ponto de quase cair. Silenciosamente, eu pego os lençóis e os amarro uns aos outros.

Quando um certo número de lençóis é amarrados, um barulho ecoa lá fora.

-Droga.... Eu consigo ver a preocupação em sua voz. –Vá para a sacada. Ele amarra o lençol na cama e eu corro para a sacada.

Ele joga o lençol pela varanda e então se vira para mim. –Desça. Ordena.

Incrédula, eu hesito.

-Tsc. Ele estala a língua e então desce.

O que? Marinette confusa, olha para ele que chega ao chão tranquilamente.

Então outro barulho ecoa lá embaixo.

Mas dessa vez foi perto.

Eu olho desesperada para ele.

-P u l  e. Era o que estava escrito embaixo.

Marinette hesita.

E isso irrita o homem.

-Pule. Ele ordena, irritado.

Marinette tremendo.

E com seu coração a mil.

Pula e tampa sua boca, para abafar o grito.

Esperando sentir a dureza do chão, é surpreendida por algo mais macio.

Então ele me põe no chão e a mulher que estava lá dentro, surge.

-Corra. Ela diz, impaciente.

Eu fiz.

Mesmo tropeçando nos meus próprios pés, eu corri. Mesmo adentrando aquela floresta, eu continuei correndo. No meu rosto, suor e lagrimas salgadas se misturavam, e nos meus pés, ferimentos das quedas se formavam. Eu estava triste.

Eu havia me tornado miserável.

Eu havia perdido tudo.

Minha vida, meu sorriso.

Meu paraíso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...