História I'm The Projectionist - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bendy and the Ink Machine
Tags Devil Studios
Visualizações 6
Palavras 1.854
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fluffy, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


...

Capítulo 1 - Capítulo Único;


Esfrego um pouco minha lente que estava um pouco suja de tinta. Pois havia perseguido Henry no meio da tinta e, infelizmente, ele conseguiu me apagar.

—"Por que veio para esse inferno Henry?" — Digo me levantando —”Nem parou para me escutar...” — Digo dando um 'suspiro’

Espero um tempo até que a 'minha luz' se ative novamente. Odeio quando tenho que esperar isso ocorrer

—"Anda logo! Liga! O demônio de tinta deve estar vindo!!!" — Digo apressado

A minha luz se ativa e eu saio correndo dali. Para quem não sabe... Bendy está atrás de mim também, pois possuo várias informações por eu ser observador 'extremo'. E por me esgueirar sem detecção... mas isso me levou a antiga queda e a atual queda. Ambas as quedas tem haver com minha personalidade.

Me tranco em uma das salas que havia, vejo a aura de tinta nas paredes... Era Bendy se aproximando

—"Sai Bendy... sai..." — Digo a mim mesmo

Fico no canto da sala no escuro. Coloco minhas mãos na frente de minha lente para que a luz não chamasse a atenção do mesmo.

Vejo, com um pouco de dificuldade, a aura sumindo lentamente. Se eu pudesse eu daria um longo suspiro de alívio...

Logo a aura some por completo, destranco a porta lentamente. E abro a porta. Vejo algumas criaturas de tinta e uns funcionários

Funcionário: —"Ouvi falar que o Henry está por aqui!" — Diz um funcionário de tinta

Criatura: —"Henry? O Henry? Ele ficou louco!?" — Diz uma criatura de tinta

—"Joey mandou a carta para ele..." — Comento

Saio dali lentamente, ouço risadas altas em um corredor. Vou nesse corredor para ver do que se trata... Vejo Sammy de joelhos no meio de um pentagrama

Sammy: —"Ele vai nos salvar! HAHAHA! ELE VAI NOS SALVAR!!!" — Clama para si mesmo

Sammy, a cada dia que se passa, fica mais louco. Tentei fazer ele parar com essa loucura mas... ele quase me 'sacrificou' para Bendy.

Não fiquei louco igual a Sammy... por que eu aproveitei minha 'cabeça' de projetor para projetar alguns filmes de rolos. Vi tantas vezes o mesmo filme que eu até decorei as falas!

Mas voltando... Sammy ainda acha que Bendy irá nos salvar... mas olha o que ELE fez com a gente! Viramos monstros de tinta e esse doido fica falando que seu 'Lord' irá nos salvar...

Sammy: —"My Lord?" — Diz o mesmo olhando para mim

—"Não Sammy..." — Digo ainda olhando o mmesm

Ele me encara por alguns segundos e volta a clamar aquelas palavras.

Continuo a andar pelo estúdio, olhando para todos os lados para ver se eu acho o intruso... Sinto alguém me tocando

—"Huh?" — Olho para trás e vejo o Boris —"Oi Boris..."

Boris parece ser um dos únicos a não ficar louco aqui. Ele começa a me puxar pelo braço

—"O que foi, Boris?"

Ele continua me arrastando até chegar no Departamento de Música. Onde há um projetor acima e cadeiras embaixo.

Ele pega um rolo de filme e me entrega, Boris se senta e fica olhando para mim

—"Está fazendo de tudo para não enlouquecer né amiguinho?" — Digo olhando para o rolo

Ele acede rápidamente e faz um sinal para que eu me sentar ao seu lado. Eu faço isso é arrumo o 'meu' projetor. Consigo fazer ele rodar, então eu olho para o telão que havia ali.

Boris olhava atentamente para o telão. Enquanto o áudio do filme tocava.

~Depois de um tempo

O filme já havia acabado, mas tinha bastante demônios de tinta e funcionários ocupando as cadeiras. Eram tantos que alguns até ficavam de pé

Mas ambos lutando para não enlouquecer

—"O filme acabou gente! É melhor nós sairmos daqui antes que o Bendy venha!" — Digo me enlouquecer

Funcionário: —"Ah não! Vamos continuar aqui! O Bendy está lá embaixo, nas entranhas do estúdio!" — Clama aos outros

—"Mas isso pode dar bem errado... e Bendy pode nos matar!" — Digo a ele

Todos começaram a comentar e a dizer: 'Não! Bendy não vai nos matar!' ou 'E só a gente correr!

—"Tá... a gente se esconde se ele aparecer..." — Digo a eles

Alguns funcionários vão para o 'palco'... quando acontece isso sempre tem teatro aqui. Devo admitir que alguns são ótimos atores

—"Vamos apresentar... Titanic versão tinta!"

Alguns começaram a rir. Boris só os aplaudia

Criatura: —"AGORA É SABER QUEM VAI CANTAR!" — Diz uma criatura de tinta

Funcionário: —"Algum candidato?" — Diz o funcionário de tinta que estava no palco

Do nada um funcionário começa a cantar a música do Titanic, e eles começam a atuação. A vontade de rir era grande mas todos ficaram quietos prestando atenção no palco

Funcionário: —"ROSE!!!"

Criatura: — "JACK!!!" — Clamava um demônio de tinta

O funcionário finge morrer no chão do palco. 'Rose' finge tentar o puxar

Criatura: —"JAAAAACK! NÃO!!!" — Dizia chorando

Alguns dali choravam, outros comemoravam a morte de Jack, e eu? Eu tô só tentando entender o que está ocorrendo.

Do nada uma aura de tinta se aproxima

Funcionário: —"E A FIGURA DE TINTA!!!!" — Clama um funcionário de tinta

(CORRE NEGADA!!!!)

Todos começaram a fugir. Boris ficou desesperado, eu o puxo pelo braço para bem longe dali.

—"Bendy seu estraga prazeres!" — Digo para mim mesmo

Todos voltaram para seus respectivos lugares. Como eu não tenho um lugar fixo, tenho que viver fugindo.

—"Tchau Boris!" — Digo acenando para o mesmo

Boris me puxa pelo braço até a Safe House. Quando eu entro ele fecha a porta

—"Boris... se me manter aqui você vai correr perigo!"

Ele nem me dá ouvidos e passa por mim. Eu tento explicar novamente a ele mas o mesmo me ignora

—"Ok... eu fico" — Digo desistindo

Boris fica feliz mas logo com medo. A aura de tinta havia se espalhado pela Safe House. Era Bendy se aproximando

—"Calma Boris... ele não vai entrar..."

Vou até o lado da porta, qualquer coisa é só eu atacar o Bendy, para dar a chance do Boris fugir.

Logo a aura de tinta some por completo

—"Viu Boris... eu não posso ficar aqui!"

Olho para o mesmo que dormia na cadeira.

—"Só vou ficar um pouco até que Bendy vá para as entranhas do estúdio novamente..." — Digo me sentando ao lado da porta

Aos poucos minha luz vai se desligando. Até que se desliga por completo

• Quebra do tempo •

Acordo de repente meio assustado. Será que eu tive um pesadelo novamente?

—"Huh... só foi um pesadelo" — Digo me levantando

Me sinto meio tonto. Mas continuo de pé

—"Boris?"

Olho para a cadeira onde ele estava... bom parece que ele continua dormindo tranquilamente.

—"E melhor eu ir..." — Digo abrindo a porta

Logo saio de lá, fechando a porta novamente para que Boris não corresse perigo.

Todos podem me achar meio agressivo ou frio, mas não! Só não sou bem compreendido...

Corro para bem longe dali. Vejo os açougueiros... Henry deve ter passado por aqui...

Criatura: — "Onde ele está!?" — Diz uma criatura de tinta a outra

Fico os olhando um tempo mas logo saindo dali. Não devo perder tempo para observar agora, tenho que ter tempo para viver fugindo!

—"Vamos Polk... É só continuar fugindo..." — Digo tentando não pensar nas consequências

Mas... terei que fugir disso para sempre? Será que vou conseguir fugir sempre? Será que pelo menos vou poder sair daqui? Ou essas fugas foram em vão?

—"Querendo ou não... já estou condenado" — Digo a mim mesmo —"Preciso fazer alguma coisa... Algo que marque o meu nome nesse estúdio... Tentar ajudar o Henry não deu certo então... O que eu posso fazer?”

Penso mais um pouco

—"Algo que todos falarão por todo estúdio..."

Penso, penso... e logo tenho uma idéia arriscada. Mas tenho que tentar! Nem que eu morra... Tentar não... Tenho que executar!

Determinado, vou para o departamento de manutenção, ou como chamamos abismo de tinta que é um local no Nível 14. Fiquei sabendo que Henry iria passar por ali e Bendy apareceria por ali também, a procura do mesmo.

Fico vagando por ali meio escondido nas sombras para que Henry não me veja. Mas minha luz pode chamar um pouco de atenção...

Vejo um movimento no abismo de tinta

Henry: —"Será que é aqui?" — Diz meio confuso

Ele passa por minha luz, e como todos sabem, fico agressivo quando passam por minha luz. Fico extremamente agressivo e vou pra cima do mesmo, que tenta fugir, mas sua velocidade na tinta não o ajuda tanto. Ele sobe as escadas, eu o sigo, mas quando eu iria pegá-lo ele entra em uma estação do milagre.

—"Sei que está aí...”

Olho dentro da estação, e lá estava ele morrendo de medo. Quando eu ia abrir a porta... sinto alguém se aproximando, olho rápidamente para o lado... Bendy...

Fico mais agressivo, devo executar meu plano agora!

Frente a frente com a criatura que me deixou nesse estado... nessa prisão de tinta... amaldiçoado...

Sou recebido com um soco de Bendy, mas continuo de pé, balanço minha "cabeça" de projetor. Olho para ele novamente e lhe dou um soco, recebo um soco do mesmo e recuo um pouco, dou um soco no rosto do mesmo mas... Sou pego pelo pescoço, debato um pouco minhas pernas. Ele olha por alguns segundos para mim, logo ele perde a paciência e simplesmente arranca a minha "cabeça"

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Após isso, Bendy joga o projetor na porta da estação do milagre, o mesmo olha Henry dentro da estação, mas sabe que ele está protegido. Logo ele pega a perna do Projectionist e o arrasta.

Henry: —"... eu vi a luta de camarote..." — Diz bem surpreso com a luta

Uns demônios de tinta que passavam por ali viram a luta.

Não se passou 1 hora e todos sabiam que Norman Polk, conhecido como Projectionist enfrentou a figura de tinta, Bendy, mesmo sabendo que iria perder

Criatura: —"Vocês tinham que ver!!!" — Diz um demônio de tinta a outros

Outro: — "Era soco atrás de soco!" — Diz outro demônio de tinta —"Mas sabíamos que o Projectionist iria perder"

Funcionário: —"Mas ele enfrentou o Bendy! Coisa que nenhum demônio de tinta ou funcionário de tinta... ou até o Henry, teve coragem de fazer! Ele foi bem corajoso..." — Diz um funcionário de tinta

Outro: —"Ou ele estava doido! Esse estúdio enlouquece qualquer um!" — Diz outro funcionário

Funcionário: —"Não... ele não estava doido..." — Diz um funcionário de tinta —"Ele se mantinha firme nesse inferno... mas infelizmente ou felizmente morreu. Pois não queria mais estar aqui"

Alguns acedem com o comentário desse funcionário de tinta

Outro: —"Se Projectionist teve essa coragem..." — Diz outro funcionário pegando um pedaço de madeira —"Nos podemos ter a coragem dele!"

Todos concordam

Funcionário: — "Vamos mostrar a esse inferno que não somos prisioneiros!!!"

Todos concordam, outros são gritos. Alguns choravam no canto... mas estavam confiantes de que podiam enfrentar Bendy, mesmo sabendo que iriam perder.

Mas pelo menos outros saberiam que aqueles teve coragem, e que podem ter a mesma coragem que eles, para mostrarem que não são prisioneiros do inferno de tinta.


Notas Finais


...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...