História Im Your Alpha - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Abo, Alfa, Baekhyun, Beta, Boyxboy, Bts, Ômega, Suga, Taegi, Taehyung, Yaoi, Yoongi
Visualizações 542
Palavras 3.148
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie meus amores, perdão pela demora. Como vocês estão? Espero que bem. Trouxe esse capítulo pra vocês, espero que gostem. Eu estou dodói, então nem os erros de concordância eu corrigi, me perdoem por isso. Boa leitura.

Capítulo 16 - Capítulo 16 - Confusão


( Capítulo não revisado )

 

Realmente a vida é uma caixinha de surpresas, em menos um mês minha vida mudou completamente, e eu não sei dizer o quão bom isso foi e o quão ruim. Hoje eu volto para o colégio, ou seja, vou voltar a ver Baekhyun. Não preciso nem dizer que meu estômago está borbulhando, estou gelado em ansiedade; quero muito ver meu amigo, mas ao mesmo tempo me sinto horrível por mentir sobre a minha situação. 

 

Olho para meu reflexo e vejo que minha aparência está horrível, estou com olheiras escuras, cheio de marcas roxas por todo meu corpo. Ou seja, hoje eu terei que usar roupas compridas, não quero chamar a atenção. A marca em meu pescoço ainda está muito sensível, como se estivesse em carne viva, o que em partes está. 

 

Vou até meu quarto e visto meu uniforme, mas dessa vez eu coloco uma meia calça bem preta, tampando todos os roxos de minhas pernas, visto o blazer para tampar meus braços, abotoo todos os botões da blusa, deixando a marca coberta. Peço para Sooyoung para me ajudar com a maquiagem, e assim ela faz. Depois de pentear meus cabelos, pego minhas coisas e desço para a sala, vejo minhas mães conversando baixinho. O que será dessa vez? 

 

- Bom dia ommas. 

 

- Bom dia. 

 

Ambas dizem juntas, Sooyoung me olha carinhosamente. Caminho até ela e abraço a mesma, que retribui de imediato. 

 

- Venha comer, Irene sai daqui a pouco, e ela quem vai te levar a partir de hoje. 

 

- Como? Porque? 

 

- Porque eu ainda estou processando tudo que está acontecendo, e quero que você me explique algumas coisas. Portanto como seu café que eu estarei esperando no carro. 

 

- Tudo bem omma. - vejo ela pegar as chaves e ir em direção a garagem. Mas antes ela deixa um leve selar nos lábios de Irene. 

 

Me separo do abraço de minha mãe e vou em direção a mesa, pego um pedaço de bolo e um suco de laranja. 

 

- Tenha paciência com ela Yoon, sua mãe realmente não gostou nada de saber do seu relacionamento com Taehyung. 

 

- Mas porquê ela não gosta dele? O que ele fez a ela?

 

- Acho que isso é algo para vocês conversarem, mas não é uma conversa para agora. 

 

- E porquê não? Eu quero entender o porque dela não gostar dele, o que é meio estranho, já que ela trabalha pra ele. - Sooyoung solta um suspiro e acaricia meu cabelo. 

 

- É complicado pequeno, mas na hora certa ela vai te contar tudo okay? - ela deixa um beijo em minha bochecha. 

 

Termino de comer, pego minhas coisas e vou para o carro. O clima ali não era pesado como o de ontem à noite, mas ainda dava pra sentir o desconforto. Normalmente Irene gosta de conversar comigo, mas até agora ela mal olhou na minha cara. Sua concentração estava apenas em dirigir, confesso estar com um pouco de medo em tentar puxar um assusto, então apenas fico quieto olhando a paisagem passar pela janela. 

 

Ela para o carro em frente ao colégio, não havia muitas pessoas ali por ser muito cedo. Tento abrir a porta para sair e percebo que a mesma está trancada, olho para minha omma e vejo ela tentando controlar a respiração. 

 

- Omma, está tudo bem?

 

- Eu consigo sentir o cheiro dele em você. 

 

Sei muito bem sobre o que ela está falando, mas não sei se devo falar algo. 

 

- Desce. - Ela abre a porta para que eu saísse. - Não consigo conversar com você, não agora, não com esse cheiro em você. 

 

- Omma, o cheiro dele sempre vai estar em mim agora, a senhora sabe disso. 

 

- Eu sei! Mas está forte demais, ande logo, pegue suas coisas e vá para o colégio. Sooyoung vem te buscar pois eu estarei em uma reunião. 

 

Concordo com a cabeça e desço do carro, digo eu eu te amo pra ela e a mesma apenas diz um eu também. Meu coração se aperta, ela nunca vai aceitar isso, ela nunca vai me perdoar. Sinto as lágrimas se acumularem em meus olhos, corro para dentro do colégio e vou direto para o banheiro. 

 

Me tranco em uma das cabines, abaixo a tampa do vaso e sento ali. Deixo o choro me consumir, maldita hora em que eu deixei ele me marcar, maldita hora em que eu me descontrolei e pedi aquilo. Depois de uns dez minutos ali dentro saio da cabine, passo uma água no rosto e retoco a maquiagem que Sooyoung havia feito mais cedo. Nessas horas agradeço a pessoa que inventou a maquiagem a prova d'água. 

 

Assim que saio do banheiro recebo viários olhares, todos os alfas me olhavam assustados e surpresos. Com certeza eles já notaram o cheiro diferente que meu corpo exalava. Taehyung é um lúpus, ou seja, seu cheiro fica muito mais forte em mim. Principalmente devido a marca. 

 

Sacudo a cabeça me livrando desses pensamentos, não quero começar a chorar novamente. Com a cabeça erguida sigo em direção a minha sala, enquanto eu caminho, vejo os rostos se virarem para mim e logo eu me torno o assunto mais falado do colégio. Povo atoa, não tem nada melhor pra fazer da vida não? Ficar fofocando sobre minha pessoa...

 

A situação só piora quando eu chego na sala, todos param o que estão fazendo e olham pra mim, sinto meu rosto corar, eu estou morrendo de vergonha. Vou até minha cadeira e me sento ali, Baekhyun ainda não chegou, devo me preocupar? 

 

- Quem diria que o nerdzinho tem um alfa. 

 

- E um alfa com um cheiro bem forte. 

 

Escuto esses comentários e sinto meu rosto pegar fogo, droga! Abaixo minha cabeça me ajeitando sobre a mesa, ainda consigo escutar alguns comentários sobre mim. Mas neste momento eu não quero revidar, apenas quero fingir que não é comigo. Tenho que guardar forças para um furacão chamado Kim Baekhyun. 

 

Escuto uma movimentação ao meu lado, e de rabo de olho vejo que meu amigo acabou de chegar. É aquele ditado, você fala no Lucifer e ele aparece. Me levanto ajeitando minha postura na cadeira, vejo que o mesmo está tentando entender o que está acontecendo. Apenas puxo o mesmo para que ele se sente. 

 

- Porque estão te olhando como se você fosse um et? 

 

- Baek, aconteceu algo comigo durante o cio. 

 

- Sim, meu appa me contou que você entrou no cio lá em casa. Não sei como ele foi capaz de se controlar, afinal todos os alfas dizem que seu cheiro é delicioso. 

 

Solto um suspiro pesado e novamente sinto aquele aperto no coração, uma dor tão aguda, tão perfurante. Mas eu tenho que fazer isso, pelo menos por agora. 

 

- Sim Baek, ele se controlou, não fez nada comigo. Apenas me deixou em casa. Mas o que eu tenho pra te contar é que...

 

Não consigo terminar a frase, pois levo um susto quando Jungkook aparece na porta da sala bufando de raiva. Sabe quando seu corpo congela de medo? Pois é exatamente assim que eu estou neste momento, eu e todos/as ômegas presentes. Assim que o olhar dele se encontra com o meu ele vem em minha direção, me arrancando da cadeira para fora da sala, deixando muitos de boca aberta. 

 

Eu juro que estou tentando acompanhar os passos dele, por mais que eu não faça ideia do lugar que ele está me levando. Meu corpo inteiro está doendo, principalmente minha bunda e pernas. 

 

- Jung-jungkook devagar. 

 

Sou completamente ignorado, lago chegamos em uma parte do colégio que está em reforma, não havia ninguém ali além de mim e um alfa aparentemente possesso de raiva. Jungkook me joga contra a parede de uma das salas e me prensa ali, eu estou com medo, muito medo na verdade. Ele aproxima de meu pescoço e passa o nariz pelo local, e quando eu menos espero ele puxa minha blusa pra baixo, fazendo com que alguns botões arrebentassem pelo caminho. 

 

- Então é verdade. 

 

Ele diz se afastando, eu não sei porque, mas minha marca começou a queimar, e um sentimento de angústia começou a se misturar com o medo. Vejo o alfa se afastar com as mãos no cabelo, como se tentasse acalmar. Ele se aproxima de onde eu estou, meu corpo encolhe automaticamente. Jeon agarra meus braços com força, deixando mais machucados do que já havia ali. 

 

- Para, dói...

 

- Quem foi? Quem foi que te tocou, quem foi que te marcou? 

 

Sua voz saiu diferente, algo misto entre duas pessoas, como se ele e o lobo dele estivessem fala do ao mesmo tempo. Não chega a ser a voz de comando, mas ainda sim é muito assustadora. Abro a boca tentando falar algo, mas não saia nada. 

 

- Responda! - ele usa a voz de alfa e eu me encolho mais ainda, se é que isso é possível. 

 

- E-eu... 

 

- Larga ele, agora. 

 

Escuto uma voz soar pelo lugar e vejo SeokJin nos encarar, eu estou com tanto medo que nem ouso me mexer. Jeon não mexe um músculo, continua me encarando esperando uma resposta. 

 

- Qual o nome dele Yoongi! - ele repete usando a voz de comando, sinto meus olhos lacrimejarem e meus ouvidos doerem muito. 

 

- Jeon, larga ele! 

 

- Não se intrometa Jin. Meu assunto é com ele, não com você. 

 

- Tem um alfa desesperado no telefone perguntando porque ele está sentindo que o ômega dele está com muito medo. Então eu acho bom você soltar meu sobrinho agora, antes que a situação piore. 

 

- Eu não me importo com o que o alfa dele sente, quero saber porque o ômega que é pra ser meu, foi tocado e marcado por outro. 

 

- Do quê está falando? Ficou louco Jeon? Larga ele, anda logo. 

 

Sinto o aperto diminuir, porque eu fiquei sem reação? Assim que ele sai de perto mim corro em direção a SeokJin e o abraço forte, quase pedindo colo. 

 

- Isso ainda não acabou Yoongi. 

 

Jeon passa por nós rapidamente, assim que ele sai permito que as lágrimas caiam. Deuses o que aconteceu aqui? Me agarro ao corpo de Jin e ele retribui o abraço, fazendo um carinho em minhas costas e cabelo, me acalmando. 

 

- Vou te levar até minha sala, você descansa um pouco e se quiser ir pra casa tudo bem. Mas ligue para seu alfa antes que ele venha aqui. 

 

Concordo com a cabeça e acompanho Jin até a sala dele e assim que entro na mesma vejo Taehyung sentado no sofá. O alfa está literalmente bufando de nervoso, assim que ele me vê, ele se levanta e sem me importar com SeokJin vou até meu alfa me jogando em seus braços. 

 

- Calma pequeno, eu estou aqui. 

 

- Papai eu fiquei com medo. 

 

- Eu sei baby, consegui sentir antes de chegar na empresa. O que aconteceu?

 

- Então quer dizer que você é o alfa dele... Interessante, pensei que Irene estava brincando com a minha cara. 

 

- Hyung, por favor, não deixe ninguém saber sobre isso. Ainda não contei para Baekhyun. 

 

- Eu sei pequeno, sua mãe me contou sobre isso. Você quer ir embora ou vai ficar aqui? 

 

- Eu vou...

 

- Deixe eu levá-lo Jin. 

 

- Eu não posso fazer isso sem a permissão de uma das mães dele. Desculpe. 

 

- Hyung, por favor, deixa eu ir com ele. Eu quero ficar com meu alfa. - digo quase fundindo meu corpo com o de Taehyung. 

 

- Você ainda vai me trazer problemas com minha irmã Yoongi. Tudo bem, vá com ele. -  sorrio com isso. - Mas quero saber exatamente pra onde você vai levar meu sobrinho, sua peste. 

 

- Pra empresa. Não se preocupe hyung, não vou fazer nada com ele. - escuto Taehyung dizer. 

 

- Como se isso fosse um problema, já marcou ele mesmo. Vão logo, antes que eu mude de ideia. 

 

Me despeso do meu tio e vou até minha sala, pego minhas coisas e digo para Baekhyun ir para a minha casa após a aula que eu explicaria tudo que está acontecendo. Bom, pelo menos a maior parte. Tae foi me esperar no carro para não causar desconfiança nas pessoas, logo saio do portão e entro no mesmo. 

 

- Baby, o que aconteceu com você hoje? Foi Irene? - o tom de voz dele é de alguém preocupado, porquê ele tem medo de Irene? 

 

- Não, ela não fez nada pra mim, foi um garoto do colégio. Mas já passou. 

 

- Que garoto baby? Aquele que mordeu sua bunda? 

 

- Sim, mas ele já percebeu que agora eu tenho uma marca. E que meu alfa é um lúpus muito ciumento.  

 

Taehyung solta um sorriso baixo e continua dirigindo até a empresa. Eu nunca fui lá, então não sei como é. Não demoramos a chegar em frente a um enorme prédio, a arquitetura do lugar é algo realmente lindo. Ele para o carro em frente ao prédio e sem desligar o carro desce do mesmo, e assim eu acompanho. 

 

Ao entrar no lugar, recebo alguns olhares, mas  eles logo desviavam, e com certeza é por causa de Taehyung. Ele tem uma puta presença, fora sua altura, seu cheiro também é muito forte. Pelos deuses, eles haviam percebido que o cheiro dele está em mim; coro imediatamente. 

 

Ele me leva até a recepção e pega um crachá de pessoa extra vip, algo para família e amigos. Seguimos para o elevador e logo o botão do último andar é pressionado. Acho que ele gosta das alturas, creio que seja um sensação de poder. 

 

Assim que entramos no elevador todos que estavam ali saíram nos deixando a sós, isso só piorou minha situação, me deixando mais corado ainda. 

 

- O quê foi pequenino? Porque está tão vermelho? 

 

- Nada. 

 

- Me fala baby. - ele me puxa cola do nossos corpos. Enterro minha cara em seu peito, sentindo seu cheiro gostoso, Taehyung não demora a passar as mãos ao redor da minha cintura. - Tão manhoso. 

 

Tae puxa meu rosto de maneira leve e doce, fazendo com que eu ficasse inquinado para ele, este que se curva e sela nossos lábios. Como eu amo esses lábios, me tornei depende deles tão rápido. O elevador para no andar e logo saímos do mesmo, começamos a andar pelo corredor e vejo a secretária dele trabalhando. 

 

- Não quero ser incomodado Yeri, a menos que seja algo realmente importante. 

 

- Sim senhor. 

 

A loira, que parece ser uma beta, mal nos olha e volta a trabalhar. Damos alguns pequenos passos e entramos na enorme sala onde ele trabalha. Arregalo os olhos, que lugar lindo. 

 

( imaginem que o escritório do Tae é como o escritório do dorama O Que Houve Com A Secretária Kim? ) 

 

- Pode ficar nos sofás baby, se sentir fome pode ir na lanchonete e pegar o que quiser. 

 

- Obrigada Tae. 

 

Ele sela nossos lábios novamente e me sento no sofá, fico mexendo no celular por uns bons minutos, até que sinto meu estômago roncar. Mas eu não quero ir sozinho na lanchonete, eu nem sei onde ela fica, me levanto e pego um pouco de água. Deuses porque esse lugar é tão gelado? Meu corpo se arreia devido ao frio, mas eu não quero incomodar Taehyung, ele esta trabalhando tão concentrado. 

 

Em seu rosto há um óculos que apenas o deixou mais charmoso do que o normal, sua respiração é lenta e calma. Ele analisa os papéis como se buscasse algum defeito neles, esse terno caiu tão bem em seu corpo. 

 

- Se você continuar me olhando dessa maneira eu não vou conseguir me concentrar baby. - Me assusto um pouco com suas palavras e sinto minhas bochechas corarem. 

 

- Desculpe, não queria atrapalhar seu trabalho. 

 

- Você não me atrapalha, venha aqui. 

 

Caminho até onde ele está, Tae tira os óculos deixando-os em cima da mesa, ele gira a cadeira ficando de frente pra mim. 

 

- Mais perto Yoon. - faço o que ele pede e o mesmo me vira fazendo com que eu me sentasse em seu colo. - Assim baby. 

 

- Me solta Tae,alguém pode entrar. 

 

- Acho que já te falei para não me chamar assim quando estamos a sós. 

 

Sinto alguns beijos em minha nuca, como Jeon rasgou um pouco do meu uniforme mais cedo, minha marca está fácil de se mostrar. Não demoro a sentir Tae puxar minha blusa para o lada e dar selares em cima da marca; acabo gemendo com isso. 

 

- Ainda está sensível baby? Eu te comi tão bem no cio, mas parece que você ainda quer mais. 

 

- N-não. P-para. 

 

Taehyung começo a descer as mãos da minha cintura até minha virilha, sinto um carinho ali e fecho meus olhos segurando um gemido. 

 

- Não se segure neném, quero escutar seus gemidos. 

 

Ele força minha cintura para baixo fazendo com que minha bunda se choque com seu pau, e percebo que ele está começando a ficar duro. Escuto algumas batidas na porta e abro os olhos assustados, tento me levantar mais Taehyung não permite, fazendo com que eu fique em seu colo. 

 

- Pode entrar. 

 

A porta se abre e vejo a secretária entrar com uma pilha enorme de papel, ela caminha com dificuldade e coloca os papéis sob a mesa. Ainda sem olhar para nós a mesma diz:

 

- Senhor Kim, o senhor tem uma reunião em  cinco minutos com o empresário Choi Minho. 

 

- Tudo bem, Yeri, tenha certeza de que a sela esteja preparada. Eu já irei para lá em alguns instantes. 

 

A loira sai da sala e eu aproveito para sair do colo dele, vou até o sofá e me jogo ali. 

 

- Vou pedir para Yeri trazer algo para você comer, já escutei tanto seu estômago roncar que já está me dando fome. 

 

Escondo meu rosto em minhas mãos, sinto um beijo em meus cabelos, o mesmo diz que não irá demorar. Volto a mexer no celular e percebo que faltam 5 horas para acabar a aula. Estudar em escola que tem dias integrais  é realmente pesado. Saio dos meus pensamentos quando escuto a porta abrir e Yeri passar pela mesma com uma bandeja lotada de comidas variadas. Me levanto para ajudar a mesma. 

 

- O senhor Kim pediu pra eu trazer algo para o senhor, de preferência com chocolate. Então peguei tudo de chocolate que havia na lanchonete. Espero que aproveite. 

 

Agradeço a mesma e começo a comer, fora os doces havia alguns itens de sal, e decido comer eles também. Sinto meus olhos pesarem, eu sempre fico com sono depois que eu como. Já que Taehyung está em uma reunião, acho que ele não vai se importar se eu dormir um pouquinho aqui nesse enorme sofá. 

 

Me deito de bruços e permito descansar. 

 

 


Notas Finais


Eai? Gostaram? Espero que sim, até a próxima meus amores. Bjoos da tia Boo 👻 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...