História Imagination - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 31
Palavras 1.748
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura amoras💙

Capítulo 10 - Duality makes you experience death, but a good death.


Fanfic / Fanfiction Imagination - Capítulo 10 - Duality makes you experience death, but a good death.

"A dualidade faz você experimentar a morte, mas uma boa morte."


Será que o medo, pode ser comparado a uma cor?

Se me dissessem que sim, eu compararia meu medo como a cor vermelha.

Vermelho muitas vezes, é uma cor intensa e forte, ela demonstra afeto, mas  ela também pode demonstrar a dor. Demonstrava também que nem sempre, ela poderia ser forte, mas as vezes ela era mais fraca.

Era assim que eu me sentia.

Fraca, sozinha.

E o pior, com medo.

A escuridão realmente tem sido algo tão sombrio, porém eu pareço estar tão acostumada com isso, que as vezes a presença de Félix não parece fazer diferença.

Eu sinto como se estivesse sozinha.

A verdade me machuca, mas a mentira também parece me ferir, eu não sei como lidar com isso.

-Eu não sou louca. -Ditei baxinho, dentro daquela sala.- Eu nunca fui louca. -Suspirei.

O som da porta se abrindo foi tão repentino, eu poderia facilmente me assustar com tão pouco mas eu realmente não conseguia ter qualquer tipo de reação agora. Tudo o que eu fazia, era ficar escorada na parede branca com almofadas e aprova de som, enquanto estava sentada no chão que era composto do mesmo material macio.

Assim que prestei atenção, meu paladar já havia me entregado quem estava no mesmo quarto que o meu naquele momento.

O cheiro doce e amadeirado, continha um cheiro suave, empoderado e forte. Por um momento e de alguma forma, eu parecia estar em uma floresta cheia de árvores altas que me cercavam e sufocavam, me impedindo de sair dali, mas tudo pareceu sumir logo após eu conseguir decifrar quem estava denteo daquela sala apenas pelo cheiro de seu perfume, que sempre o entregará.

Levemente levantei meu olhar, olhando os dois par de pés um pouco a minha frente. Fui subindo meu campo de visão aos poucos, até parar em seu rosto pálido com suas bochechas rosadas naturalmente, causando um ar de pureza ao garoto a minha frente. Seus cabelos rosados estavam jogados para trás de uma forma provocante, mas mesmo assim, Park Jimin conseguia parecer inocente, não importa o quê ele fizesse em si. Suas vestimentas eram como as de antes. Uma blusa social branca, junto de uma calça jeans preta que apertava e descava os músculos chamativos de suas coxas grossas. Seu olhar antes puro, havia se tornado algo mais atraente, porém um tanto intenso. Admito, Park Jimin é bonito e gostoso pra um cacete, nada me faria mudar essa opinião. Eu amava a forma que ele conseguia me cativar e me acalmar. Amava a forma que ele consegue se transformar de fofo para sexy logo após cinco segundos de fofura. Park Jimin mechia com meu psicológico, isso é outra coisa que eu admito para mim mesma.

-Sua tentativa de ser sexy funcionou, porém você ainda continua fofo. -Ditei sorrindo, tentando não demonstrar nervosismo ao vê-lo.

-Apenas estou sendo eu mesmo. -Sorriu fechado, logo colocando as mãos em seus bolsos.

-Pensei que fosse fugir para sempre e nunca mais olhar na minha face medíocre e assustadora. -Suspirei.

-Por acaso eu já disse que eu nunca te abandonaria? -Indagou, arqueando suas sombracelhas.

-Não me lembro. -Ditei, vendo-o sorrir.

-Pois então eu digo. -Sorriu.- Eu nunca, irei te abandonar. -Se aproximou, porém eu me levantei rapidamente e neguei com minha cabeça.

-Por favor, fique onde você está. -Ditei triste, enquanto mantinha minhas mãos no ar.

Como se de alguma forma, eu conseguisse afastá-lo com minhas mãos...

-Por quê? -Indagou, cruzando seus braços.

-Eu não quero de machucar. É melhor que fique onde está. -Suspirei novamente.

Ouvi um pequeno riso de sua parte, mas ao mesmo tempo eu podia ouvir um batido.

Não era uma batida qualquer, era parecida com batimentos cardíacos.

Por um momento pensei serem os meus batimentos cardíacos, então coloquei minha mão em meu peito, mas reparei eles estavam totalmente e bem sincronizados, eram realmente diferentes dos que eu sentia. Franzi o cenho, logo Park veio em minha mente. 

Não fitei seu rosto, fitei seu peitoral. 

Ele subia e descia desrreguladamente, e então eu percebi que o garoto estava nervoso.

-Você está com medo? -Indaguei, logo fitando seu rosto.

Park negou.

Um sorriso se formou em seus lábios grossos e rosados, e lentamente ele começou a se aproximar mais de mim.

-Se afasta, por favor...-Dei passos para trás, mas Jimin não dava importância para nada que eu dizia a ele.

-Eu não estou com medo de você, ou de que você faça algo contra mim. -Um de seus braços envolveram-se um em minha cintura, e o outro em minha cabeça, trazendo-me para mais perto de seu corpo, formando um abraço.- Estou com medo, de que você me afaste de ti, achando que pode fazer mal a mim. -Afagou meus cabelos.

Fiquei parada e sem reação enquanto sentia Jimin fazer carinho em meus cabelos, até ele se afastar e segurar meu rosto em suas duas e pequenas mãos.

-Você vai me machucar, S/N? -Indagou, enquanto fitava meus olhos.

-Eu... Não sei...-Abaixei meu olhar, logo ouvindo-o suspirar.

-Você vai me machucar, S/A? -Indagou novamente, fazendo com que eu o fitasse novamente.

Suas sombracelhas estavam levemente arqueadas, mas ele não estava bravo. Seus pequenos, brilhantes e bem desenhados olhos, estavam com uma sensação de calma e conforto, mas ao mesmo tempo também estava com um leve ar de pena.

Jimin suspirou e fechou seus olhos, mas logo os abriu novamente e me fitou mais intensamente ainda.

-Me responda, por favor. -Ditou, e eu fiquei ainda sem saber o que dizer por um tempo, mas logo o respondi.

-Não, Jimin. Eu não irei te machucar. -Seus lábios formaram novamente um sorriso, me passando conforto ao ver cada detalhezinho que apenas um sorriso, podia fazer em seu rosto angelical.

Os olhinhos pequenos e bem desenhados se fechavam automaticamente, as maçãs de seu rosto, se transformavam em pequenas e fofas coxinhas rosadas. Seus lábios formavam um formato tão bonito e cativante, os dentes brancos tornavam seu sorriso mais luminoso e único, o dentinho torto que Park Jimin tinha, era seu charme. Sem dúvida alguma, eu amava o sorriso de Park, amava a confiança e paz, que ele me transmitia sempre que se abria.

-Você pode confiar em mim para tudo que precisar, S/A. Indapendente do que for, eu sempre estarei ao seu lado. -Me abraçou novamente, logo dando-me um beijo no topo de minha cabeça.

Rodeei meus braços em volta de sua cintura, enquanto sentia sua mão fofa deslizar por meu cabelo, desde a raíz até as pontas.

-Quem te trouxe até aqui? -Indaguei, logo ouvindo-o suspirar.

-Eu apenas sabia. -Ditou, fazendo com que eu franzisse meu cenho.- Ok, eu admito. Sua mãe foi até minha casa, disse que você precisava de ajuda o mais rápido possível, então eu vim correndo até aqui. -Riu minimamente, e eu sorri.

Consegui sentir os batimentos de Park que antes estavam agitados, se acalmarem. Seu peito bateu no meu de uma forma mais calma e aconchegante, agora sim Park estava realmente mais calmo e confiante de verdade. Sorri minimamente, sentindo a respiração mais suave de Jimin batendo ao ponto de minha cabeça, e sentindo seu coração batendo suavamente em meu peito. Seus batimentos sincronizados e tranquilos, pareciam ser um tipo de calmante para mim. Eu realmente amo tudo em Park Jimin, em específico seu abraço e seu sorriso.

-Você gosta dos meus abraços? -Indagou derrepente e eu parei minhas respiração por breves segundos.

-Gosto sim. -Fui sincera, sentindo sua outra mão descer até a altura de meus ombros e dar leves batidinhas ao lado de trás de meus ombros.

-Eu também gosto do seu. -Ditou.

Senti minha respiração se acelerar aos poucos, e meus batimentos se apressarem. Park tinha um efeito grande sob mim, eu nunca havia reparado nisso até certo ponto, mas agora eu havia notado o quanto eu fiacava nervosa perto de si, mas também ficava ansiosa para poder vê-lo todos os dias.

Me afastei do rosado a fim de acabar o abraço para que ele não notasse meu nervosismo repentino. Me sentei no banco que havia atrás de meu ser, logo juntando minhas mãos umas nas outras, enquanto mordia meu lábio inferior, o que fez Park rir suavemente e logo se sentar ao meu lado.

-Estou ansioso para terminar minha música e a coreografia dela logo. Quero ver como os dois elementos vão ficar se eu junta-los de uma vez só. -Sorriu, enquanto relaxava no banco e debruçava-se na parede.

-Não sabe nem uma prévia de quando irá conseguir terminá-la? -Indaguei, ainda olhando para o chão.

-Não, nenhuma. -Disse decepcionado.- Tudo que eu sei, é que você vai dança-la quando eu terminar de elaborar ambas.

Finalmente minha coragem de fitar seu rosto angelical, porém provocante, havia tomado conta de meu corpo novamente. Como uma simples mudança no penteado de seu cabelo, conseguia deixar o olhar desse garoto mais sensual, mas ao mesmo tempo com um pequeno ar de fofura?

-Aish Jimin, seja fofo por favor. -Falei sem aviso prévio, logo arregalando meus olhos e tampando meus lábios.

-Eu gosto de ser assim de vez enquando. -Sorriu, se transformando em alguém fofo novamente.

Eu não sei se estou odiando, ou se estou amando a dualidade repentina dessa garoto.

-Mas isso é... Ah, sensual misturado com fofo... É algo tão repentino. -Falei incerta, vendo-o arquear sua sombracelha ainda confuso.

-Vamos ver se eu entendi... Você não gosta quando eu tento ser sensual? -Indagou fitando minhas órbes, fazendo com que eu sentisse minhas bochechas arderem.

-Não é isso...-Desviei meu olhar, tentando pensar nas palavras certas para poder dizer ao rapaz.- É que você está fofo, e de uma hora para a outra você fica sexy demais, minha cabeça não consegue lidar com sua dualidade repentina assim. -Falei, ouvindo-o rir.

-Mas isso é algo bom, ou ruim? -Indagou.

Oh droga, uma mistura de sorriso fofo com sorriso provocante.

Um sorriso fofo e ladino, misturado com uma sobracelha arqueada e olhos levemente semicerrados olhando em minha direção.

Park Jimin, o que você quer de mim?

-É algo bom. -Sorri tímida, vendo-o assumir totalmente a posição de fofura, tanto em seu sorriso, como em sua expressão.

-Vou continuar agindo dessa forma. Gostei de te ver envergonhada. -Sorriu novamente, fazendo com que eu ficasse totalmente sem estrutura alguma para poder continuar vendo atentamente sua dualidade, mas ao mesmo tempo, fizesse com que eu não desgrudasse meus olhos de seu rosto.





"É indeterminável, mesmo se eu tentar fugir
Eu cai em uma mentira.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...