História Imagination - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 24
Palavras 1.361
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpem a demora manas.

Fiquei sabendo que o Jackson do Got7, foi diagnosticado com depressão, e mesmo não sabendo se é verdade, fiquei mal, pois eu amo muito esse cara, muito mesmo e cheguei a ficar sem expressão, ou qualquer tipo de reação, a nocer chorar.

Eu não conseguia pensar em nada, e eu quis me inspirar em músicas, mas não consegui.

Eu não sei como consegui trazer o capítulo, mas o importante é que eu consegui pensar em algo :)

Boa leitura💜

Capítulo 6 - Apparition


Fanfic / Fanfiction Imagination - Capítulo 6 - Apparition

27 de Jun de 2023.

"Novamente eu não sabia onde estava. As paredes, eram feitas de pedregulhos velhos, com musgos que se estendiam nas mesmas.  O chão, era apenas um chão qualquer, com pequenos quadradinhos, uns pretos, outros cinzas, outros brancos. No teto, poucas luzes estavam acesas, e as que estavam piscavam a cada segundo a mais que se passava ali. Me levantei do chão, como sempre fazia, e comecei a caminhar pelo local. Havia uma pessoa diferente, a cada sala em que eu olhava pelas pequenas janelas das portas. Embora todas elas tivessem roupas iguais, que seguravam seus braços grudados ao corpo, seus rosto eram diferentes, e as pessoas eram diferentes umas das outras. Apenas uma sala me chamou atenção em todas aquelas outras, e ela estava vazia. Apenas um banco e uma cama, uma sala de força e proteção, inteiríssa feita de travesseiros, e também da cor branca. Lentamente e curiosa, me inclinei para ver melhor quem estava, ou se havia alguém mesmo ali dentro, mas não conseguia ver ninguém ou nada de diferente ali.

-Hey? -Um garoto alto me chamou.

Seus ombros eram largos, e seus lábios eram carnudos e rosados. Seus cabelos eram castanhos, e ele era bem maior do que eu. Seu jaleco branco, e seu pequeno crachá visível em seu peito, afirmava que ele era um médico, ou psiquiatra.

-Quem é você? -Indagou.

-E-Eu.. Sou S/N..-Falei o fitando.

-S/N? Kim S/N? -Indagou, e eu assenti.- Oh meu Deus, SEGURANÇAS AQUI AGORA! -Ele se afastou.

-O que está acontecendo? -Franzi o cenho o fitando.

-Calma, não se aproxime, ok? -Ditou.

-Eu não estou entendendo. -Franzi meu cenho novamente.

-Espere, se você está aqui.. Quem está ai? -Indagou.

-Porquê eu estaria aqui DENTRO? -Gritei a última parte,quando olhei novamente a janelinha da porta do quarto a minha frente.

Era eu, mas eu estava diferente..

Meus cabelos estavam soltos e bagunçados, meus lábios estavam vermelhos cor sangue, e eu estava com uma expressão psicótica no rosto. As olheiras de quem parecia ter chorado, e também ficado acordada por horas, estavam evidentes no rosto daquela coisa que se passava por mim. A criatura, sorriu para mim, e estranhamente, começou a se aproximar da porta que estava a minha frente.

-Olá, S/A. -Sorriu.

-Q-Quem é você? -Indaguei.

-Eu..-Apontou para si mesma.- sou você. -Cochichou a última parte, e apontou para mim sorrindo novamente.

Seus dentes estavam sujos de sangue, assim como duas roupas.

-V-Você não sou eu! -Ditei assustada.

-Sim S/A, eu sou você. -Ditiou, mas dessa vez séria.

-Eu não sou desse jeito. -Me afastei.

-Hm.. É mesmo? -Indagou rindo diabólica, e eu senti meus pelos se euriçarem.- Você, sou eu do passado. Eu, sou você do futuro. -Ditou.

-Não, você não é.

-EU JÁ DISSE QUE EU SOU! -Berrou, batendo suas mãos na porta e eu me assustei.

-Seguranças para a sala cinco! -O rapaz berrou, e eu me virei para fitá-lo.

-Quem é ela? -Indaguei.- E-Ela.. Se parece comigo. -Ditei, tentando normalizar a respiração.

-Eu sei que se parece, é melhor sair daqui, antes que seja tarde! -Me puxou.

-Tarde? Tarde para quê? -Indaguei, enquanto sentia o rapaz me puxar.

De alguma forma, seu nome veio em mente.

-Tarde para quê, Seokjin??? -Indaguei novamente.

-Apenas vá, por favor. -Ditou enquanto olhava para trás.- Você vai ter ajuda, nâo se preocupe. -Ditou.

-Ajuda? Ajuda para quê Seok?

-SEOKJIN, A PACIENTE QUINZE ESCAPOU! -Um dos seguranças ditou.

-Droga! Corra, ela vai ir atrás de você! -Me empurrou.

-Jinnie, eu senti sua falta. -A pequena aberração sorriu.

-S/A! CORRE! -Me fitou.

Vi a criatura pular na garganta de Jin, e simplismente mordê-lo com a maior força que poderia ter em sua mandíbula, e eu arregalei meus olhos, ao ver a criatura quebrar o pescoço de Seokjin em minha frente. Minha respiração se desrregulou novamente, e eu pude ver aquela.. Coisa, sorrir enquanto comia prazerosamente a carne via de Seokjin, e logo que ela me viu, sorriu, com sangue entre os dentes, e também em sua roupa.

-Estou louca para poder provar seu gosto. -Sorriu, ee se levantou lentamente.

Enquanto a criatura se levantava, ela abaixou sua cabeça, e logo que a levantou novamente, pude ver Lee Félix.

-Porquê você está fazendo isso comigo? -Comecei a chorar.- EU TE ODEIO LEE FÉLIX! -Berrei.

-Pequena S/A.. Quando você achar que está a salvo, eu irei voltar mais forte do que nunca. -Se aproximou, mas eu apenas dei passos para trás.

-Fique longe de mim! -Ditei, ainda andando para trás.- BEM LONGE! -Comecei a correr, sem olhar para trás.

-Acha que se correr eu não irei te alcançar? Pois eu irei. -Ditou.

Me virei para frente bruscamente, e pude ver Lee Félix, ou melhor, eu, sorrindo.

-Qual será o gosto do seu sangue? -Indagou.- Estou louca para provar.-Sorriu.

-SAI DAQUI! -Berrei.

-Sempre pensando que manda nos pensamentos.. Coitadinha. -A criatura, avançou em mim."


-AAAAAH! -Gritei.

Novamente, havia sido um sonho.

Uma pequena risada, se fez presente no quarto, e eu rapidamente olhei a um canto do meu quarto.

Suas roupas negras, assim como seus olhos e seus fios de cabelo. Seu sorriso branco, e seus olhos miúdos estavam levemente fechados.

-Gostou do sonho, querida? -Félix indagou.

-SEU DESGRAÇADO, FILHO DA PUTA, ME DEIXA EM PAZ! -Berrei.

Me levantei da cama rapidamente, determinada a tentar de alguma forma, bater em Félix, ou avançar no mesmo, mas logo senti meu pé ser puxado para baixo da mesma, olhei para baixo vendo mãos negras, com garras enormes da mesma cor, perfurarem minha pele lentamente, me arrancando gritos agudos, pela enorme dor que  eu sentia em meus tornozelos, que estavam sendo segurados no momento. Rindo, Lee Félix me fitava de braços cruzados. Cada passo que ele dava para mais perto de mim, eu sentia meu coração parar de bater lentamente, ou bater rápido demais. Eu não sabia distinguir, quais das duas opções eram, meu coração estava confuso. Os olhos furiosos e sérios de Félix, me encaravam profundamente, e ele colocou sua mão em meu cabelo, me jogando no chão com força. Senti meu ar ser puxado, e lentamente, senti meus pulmões arderem, talvez pela falta de ar que estava presente naquele momento. Agora. Minha hora, seria agora. Eu tinha certeza que iria morrer, mas como sempre, o som agudo da campainha fez Lee Félix sumir de minhas vista, mas dessa vez, ele pulou a janela enquanto estava sendo um "humano", o que o fez cair para baixo rapidamente. Sentei-me no chão, e comecei a tossir, sentindo meus pulmões conseguirem puxar o ar para eles novamente, me fazendo respirar normalmente após alguns minutos sentada. Ainda com dificuldade para puxar meu ar, me levantei e fitei a janela, vendo que o corpo de Félix, não estava em lugar algum do chão. Tudo que eu vi, foram cabelos rosados em minhas varanda.

Obrigada novamente, Park.

Desci as escadas correndo, enquanto enxugava meu rosto molhado pelas lágrimas de ódio, e até mesmo solidão que haviam escorrido minutos antes, e fiz um coque rápido no cabelo, logo abrindo a porta.

-Oi! -Sorri.

-Olá..-Sorriu.- Você está bem? -Assenti.- Tem certeza? Parecia chorar. -Cerrou os olhos.

-Isso aqui, é de ficar acordada a noite toda maratonando séries. -Pisquei para ele.

-Se você diz..-Ditou incerto.- O quê esta fazendo exatemente.. Agora? -Indagou.

-Na verdade, acabei de acordar. -Sorri fechado.- Por quê está vestido assim? -Fitei-o dos pés, até a cabeça.

Jimin trajava uma bermuda jeans apertada, que destacava suas coxas fortes, junto de uma blusa de mangas compridas, e listrada. Calçava um tênis, e em sua cabeça, um simples boné.

-Ah, ia te chamar para dançar comigo. -Sorriu tímido.

-Claro que quero! -Exclamei.- Só vou escovar meus dentes e trocar de roupa, entre e me espere aqui na sala.

-Entendido! -Fez posição de sentido.

Jimim sorriu, mostrando-me pela primeira vez naquele dia, seu sorriso, e fazendo a mesma proesa de deixar seus olhinhos puxados, mais parecidos com peuqenas linhas.

Senti meu corpo de certa forma relaxar, com sua presença, Park me deixava bem.

-Já volto. -Ele assentiu.

-Vou tomar água. -Sorriu, e eu assenti logo subindo as escadas.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...